História

Gabriela Durlo dá vida a Ester, protagonista da minissérie (Foto: Michel Angelo/ Rede Record)

A minissérie A História de Ester se passa por volta de 400 anos a.C., na antiga Pérsia, onde hoje é o Irã. A trama principal traz uma linda história de amor entre uma mulher do povo, Ester (Gabriela Durlo) , e o rei Assuero (Marcos Pitombo). A direção geral é de João Camargo e a adaptação de Vivian de Oliveira.

Hadassa (Gabriela Durlo), ainda criança, é resgatada por Mordecai (Ewerton de Castro) depois que seus pais, Abiail (Juan Alba) e Lia (Cássia Linhares), são mortos em uma grande perseguição dos amalequitas aos judeus. Mordecai, também judeu, consegue fugir e criar Hadassa como sua própria filha. Ele trabalha no palácio de Assuero como guarda do exército real. Depois de vencer uma difícil batalha contra os gregos, Assuero e seu exército desfilam pelas ruas de Susã, capital persa. O povo celebra com grande euforia.

Em meio à multidão, a linda Hadassa chama a atenção de Assuero. Os dois trocam um olhar de encantamento. Em seguida, Assuero segue para o palácio onde oferece uma grande festa aos príncipes da província e também aos funcionários reais. Enquanto isso, a rainha Vasti (Daniela Galli), mulher de Assuero, oferece outra festa apenas para as mulheres.

Tudo segue muito bem até que os nobres pedem a presença de Vasti no banquete real. Assuero concorda e pede que Memucã (Paulo Figueiredo), seu homem de confiança, traga a rainha para a festa. Vasti, no entanto, se recusa e causa a ira de Assuero, que a expulsa do reino.

Hamã (Paulo Gorgulho), conselheiro de Assuero, convence o rei a convocar todas as virgens do reino para escolher a nova rainha.

Mordecai escuta a conversa e tenta esconder Hadassa, mas soldados invadem sua casa e a levam. Hadassa troca o nome para Ester, já que Mordecai teme represálias por ela ser judia.

Sob os cuidados do eunuco Hegai (André di Mauro), todas as virgens passam por rituais de beleza e aprendem como se portar diante do Imperador. Assuero passa a noite com diversas mulheres, mas nenhuma o encanta. Até que chega a vez de Ester. O rei a reconhece e fica impressionado com sua beleza e sabedoria, já que mesmo atraída por Assuero, ela se mostra indignada por ser obrigada a se deitar com ele.

Ester declara que sempre imaginou um amor para a vida toda e que este deveria ser conquistado, não imposto.

A coragem com que Ester enfrenta o rei, o deixa ainda mais apaixonado. Assuero não passa a noite com Ester e decide conquistar o seu amor. Ao voltar para o harém sem ter sido tocada pelo rei, Ester surpreende Hegai e os dois acabam se tornando amigos. Assuero passa a solicitar unicamente a presença de Ester para cortejá-la e, assim, conquistar seu coração.

Aos poucos Ester se rende ao amor do rei, mas nunca revela que é judia. No reino, todos comentam a mudança de comportamento do Imperador, que antes era sério e compenetrado e agora é um homem mais feliz e acessível. Assim, Ester é a eleita de Assuero e coroada rainha de todo o império Persa.

A felicidade de Ester dura pouco, pois ao assumir o cargo de Primeiro Ministro do Imperador, Hamã, que é amalequita, exige que todos se curvem diante dele. No entanto, Mordecai se recusa, por acreditar, como os judeus, que deve se curvar somente a Deus.

Hamã, enfurecido, planeja destruir os judeus que não se curvarem a ele. Constrói uma forca em frente a sua casa para matar Mordecai. Instigado pela mulher Zeres (Vanessa Gerbelli), Hamã também convence Assuero que os judeus são um povo rebelde, com hábitos, leis e cultura muito diferentes e que por isso não deveriam ser tolerados na Pérsia. Dessa forma, Assuero decreta que o povo judeu deve ser aniquilado no dia 13 de dezembro. Os judeus lamentam o decreto real.

Ester descobre que seu povo está sendo ameaçado. Paralelamente, Hamã trama contra a vida de Assuero a fim de ocupar o trono real. Ele organiza um complô com alguns eunucos para matar o rei. Ester descobre e conta para o rei que Hamã quer matá-lo. Assuero manda investigar a história. Diante da ameaça ao povo judeu, Mordecai pede que Ester interceda. Ela fica temorosa e pede que todo o povo judeu reze e jejue por ela por três dias e três noites.

Após os três dias, Ester se enche de fé e vai à presença do rei sem ser chamada, o que poderia levá-la a morte. Assuero a salva e a trata com gentileza. Ester perde a coragem e, como desculpa, convida o rei e Hamã para um banquete.

Ao ler o livro de feitos memoráveis, Assuero se dá conta de que Mordecai realizou grandes serviços e não foi recompensado por isso. No dia seguinte, Assuero ordena que Hamã homenageie Mordecai em praça pública. Tal humilhação aumenta ainda mais a ira de Hamã contra Mordecai.

Ester revela sua origem judaica, implora por seu povo e pede que ele não lhe tire a vida. Hamã e Assuero ficam surpresos.

A rainha também relata o ódio de Hamã contra os judeus e deixa Assuero transtornado. Hamã se ajoelha diante de Ester e pede perdão. Quando Assuero vê a cena, acredita que Hamã esteja assediando a rainha e manda enforcá-lo na mesma forca onde pretendia matar Mordecai.

Comovido com o pedido de Ester, Assuero lança um novo decreto permitindo que os judeus preparem sua defesa.

No dia 13 de dezembro ocorre o grande duelo. Depois de dois dias de batalha, os judeus saem vitoriosos e comemoram com a festa de Purim. Essa é a história de uma humilde moça judia que se torna rainha e salva seu povo de ser morto.