Demissão de Evandro foi o momento mais marcante para Justus até agora na competição (Foto: Eduardo Moraes/Rede Record)

Demissão de Evandro foi o momento mais marcante para Justus até agora na competição (Foto: Eduardo Moraes/Rede Record)

Após a exibição do décimo episódio do Aprendiz — O Retorno, em que Evandro Banzato foi demitido após sugerir que venderia bebida alcoólica para um jovem menor de idade numa prova em que foi liderado por Rodrigo Solano, muitos telespectadores acharam que Solano também deveria ser demitido, pois estava ciente das ações de Evandro.

CLIQUE: "Já identifiquei pessoas que não têm um pingo de caráter no programa", diz Evandro

Para esclarecer esse assunto, o R7 conversou com Roberto Justus e perguntou por que ele decidiu manter o palestrante na disputa. Veja o que o apresentador disse.

— O Solano abre aquele momento temático da história das cervejas dizendo: “Eu não vendo para menores de idade”. Depois, ele acabou, como líder, e nisso eu concordo com as pessoas, sendo um pouco mais fraco ao não bater o pé e proibir o Evandro de ter feito o que fez. Mas quem tomou toda a atitude, quem deu a ideia da cerveja no táxi... Porque, até ali, eu não iria demitir. Acho que a demissão foi quando ele falou: “Chama um táxi que eu ponho a cerveja dentro”. Aí, acabou! Sugerir que um adulto comprasse, já não é certo. Talvez ainda passasse pelo perfil do Evandro, pelo que eu conheço dele. Agora, depois que ele fez aquela sugestão de pegar um táxi, aí ficou imperdoável e eu tive que tirá-lo na primeira parte da Sala. E o Solano escapou pelo fato de ter deixado claro que não pode vender para menor de idade e não ter sido o pivô decisivo dessa decisão infeliz que o Evandro acabou tomando.

E você, o que achou da demissão de Evandro? Clique aqui e comente!