Walter Longo ficará de olho nos candidatos que mostrarem capacidade de fazer a diferença (Foto: Edu Moraes/Rede Record)

Walter Longo ficará de olho nos candidatos que mostrarem capacidade de fazer a diferença (Foto: Edu Moraes/Rede Record)

Talvez não haja no dicionário adjetivos o suficiente para qualificar Walter Longo. Tendo chegado a São Paulo sem muitos meios de se sustentar, Walter tornou-se uma das maiores referência da publicidade brasileira. Presidente da Grey Brasil e mentor de estratégia e inovação do Grupo Newcomm, o conselheiro do Aprendiz é famoso por suas frases de efeito e observações assertivas na Sala de Reunião.

Durante as gravações da nova temporada do programa, Walter conversou com o R7 e falou sobre sua expectativa para a nova temporada. Leia a seguir a entrevista completa

R7 - Você certamente é um dos rostos que se confundem com a história do Aprendiz. Para a nova temporada, o que você está esperando?

Walter Longo - Eu estou esperando uma equipe de disputantes muito mais competentes do que todas as versões anteriores, porque nós pegamos os melhores aprendizes de todas as edições. Então, isso traz como consequência que no time que está aí não tem gente fraca, e por não ter gente fraca, a disputa vai ser muito maior.

R7 - Para você, muda alguma coisa na hora de avaliá-los?

Longo - Muda, porque nós vamos ter um grau de exigência maior em função de toda a experiência que eles já têm. Por outro lado, é muito mais difícil para nós demitirmos essas pessoas, porque temos com eles já muito mais carinho, mais respeito do que quando a gente não os conhecia. Dessa vez, acho que será mais difícil para nós, porque eles são mais competentes, segundo porque nós estamos mais próximos deles, já os conhecemos, e terceiro porque no fundo vamos exigir muito mais de cada um deles.

Como o candidato vencedor trabalhará conosco na Grey, eu diria que a minha visão é de muito interessado no perfil dessas pessoas. O que a gente procura buscar nessas pessoas são pessoas que façam a diferença. Pessoas que além de perguntar o que e por que sejam capazes de perguntar por que não, pessoas que sejam capazes de fazer diferente para fazer diferença, pessoas que não sejam apenas determinadas, mas que principalmente sejam determinante nas tarefas, na liderança e principalmente na capacidade de atuar perante aquela equipe.

R7 - Você está sempre ligado em novas tendências. Esse é um segredo do bom executivo?

Longo - Eu tenho certeza que, se não houver uma dose de inovação em qualquer executivo, essa personalidade executiva vai estar falha. Eu estou bastante de olho nisso, porque o ganhador terá que ter essa dose. Até porque, para trabalhar conosco vai ter que ter essa capacidade, essa competência e principalmente essa visão inovadora que é fundamental para os dias de hoje.

R7 - De todas as suas temporadas, qual fato marcante você não esquece jamais?

Longo - Tem muitos fatos marcantes, mas talvez o fato mais marcante foi a gente ter pensado no aspecto de integridade. Um dos aprendizes acabou criando uma atitude de corrupção, apesar de ser um excepcional aprendiz, e isso me deixou muito marcado, porque eu tinha nele um dos melhores, senão o melhor aprendiz daquela temporada, e infelizmente a atitude dele fez com que ele não participasse do programa. Aquilo me marcou muito.

R7 - Qual é a expectativa para a nova temporada?

Longo - A expectativa é grande. Depois de alguns anos sem participarmos, a gente acabou meio que criando um novo formato para esse Aprendiz, que é o mesmo modelo, porém, com o fator tempo fazendo parte integrante do projeto. Eles não terão um minuto de tempo entre uma prova e outra. Isso vai gerar um estresse, e principalmente um volume de dificuldade para esses aprendizes que vai tornar as provas mais interessantes. Vamos ver como eles vão se sair.

R7 - Que tipo de erro você não vai perdoar dos aprendizes pela segunda vez?

Longo - Aquilo que a gente provavelmente não aceitaria sob nenhuma hipótese é falta de lealdade, falta de decência. Isso é um fator fundamental. Nós preferimos pessoas que saibam aprender o ofício, mas que já sejam, como pessoas, suficientemente grandiosas. Essa é a primeira. A segunda coisa é: pessoas que se escondam no grupo em vez de realmente fazer a diferença. Isso para nós é fundamental, porque nós trabalhamos numa área de atividade em que fazer diferença é o nome do jogo.

Aprendiz - O Retorno estreia nesta terça-feira (1º), às 23h30, na tela da Rede Record. Não perca!