Acabou a ditadura da biografia autorizada

roberto e caetano 600x400 Acabou a ditadura da biografia autorizadaA liberdade de expressão venceu. Roberto Carlos, Caetano Veloso, Chico Buarque, Gilberto Gil, Djavan, Erasmo Carlos e Jorge Mautner perderam. E de goleada: 9 a 0.

Por unanimidade, o STF aprovou a publicação de biografias não autorizadas. Isso quer dizer que ninguém precisa pedir licença para escrever sobre ninguém. Em bom português: acabou a censura.

Sim, porque o que Roberto Carlos e amigos defendiam era, no fim das contas, a censura. Eles queriam decidir quem poderia escrever sobre eles. E isso, claro, resulta sempre em obras "chapa branca".

A decisão do STF é histórica e terá um impacto imenso no jornalismo, na produção de documentários e na pesquisa.

Ninguém mais ficará com medo de escrever sobre um tema ou personalidade, com medo de ser processado, mesmo que sem razão, pelo biografado ou por um parente oportunista.

Isso ampliará a oferta de livros, filmes e pesquisas, e trará informações novas e importantes sobre personagens da história brasileira. Só a censura explica o fato de ainda não termos biografias decentes de Pelé, Sílvio Santos, Médici, Raul Seixas e tantos outros.

Para se ter uma ideia da dificuldade que um escritor tem para usar uma foto, dou um exemplo que aconteceu comigo em meu livro mais recente, "Pavões Misteriosos": levei mais de quatro meses para obter autorizações de uso de fotos e fui impossibilitado de usar 75% das imagens que havia selecionado.

Pela lei, são necessárias autorizações não só do fotógrafo, mas de todas as pessoas que aparecem na imagem. Isso significa que uma foto do grupo de discoteca As Frenéticas, por exemplo, demanda nada menos de sete autorizações. E sem uma delas, os advogados da editora não liberam o uso da imagem, sob risco de multa e de ter o livro recolhido.

Agora, isso acabou. O que não quer dizer que qualquer um pode sair por aí escrevendo mentiras e calúnias sobre alguém. É necessário criar um mecanismo que acelere os julgamentos de casos em que um biografado se sinta caluniado ou ofendido.

Ano passado, fui entrevistado por alunos de jornalismo de uma universidade paulista, e uma aluna perguntou que conselhos eu daria para alguém que quisesse escrever uma biografia. Minha resposta foi: "Esqueça essa ideia, não perca seu tempo". A resposta decepcionou os alunos, mas foi sincera. Contei o caso de um jornalista que está pesquisando a vida de Raul Seixas há mais de sete anos, mas não tinha editora porque ninguém queria enfrentar a família do Maluco-Beleza.

Espero que os alunos leiam esse texto de hoje. Porque a resposta mudou, moçada: agora, vão em frente e comecem a pesquisar, que ninguém vai proibir vocês!

P.S.: Devido à importância do tema, adiantei o texto de quinta. O blog volta com um texto inédito na sexta. E vamos celebrar, que a ocasião é especial.

146 Comentários

"Acabou a ditadura da biografia autorizada"

10 de June de 2015 às 21:30 - Postado por André Barcinski

* preenchimento obrigatório



Digite o texto da imagem ao lado: *

Política de moderação de comentários:
A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Comentários
  • Luiz Claudio de Souza
    - 16/06/2015 - 21:09

    A reportagem a seguir mostra que esta liberação, por parte do STF, ainda dará muito o que falar.http://www.dgabc.com.br/Noticia/1418122/brechas-podem-levar-a-retirada-de-biografias-avaliam-especialistas

    Responder
  • Fernando
    - 16/06/2015 - 02:01

    Falando em biografias,Barça,você leu a do Erasmo Carlos?Que achou dela?

    Responder
  • Diógenes
    - 15/06/2015 - 12:10

    Vai ser uma fábrica de calúnias e mentiras para aqueles mal intencionados que desejam assassinar a reputação, na política então será uma prato cheio para a mídia canalha partidária. Se no noticiário já mentem, distorcem fatos, contam meias verdades, misturam fatos com ilações e mentiras formando um enredo farsesco e fantasioso para se atingir objetivos políticos. Exemplo é o livro sobre Dirceu, feita por um pistoleiro de aluguel, sob encomenda da de revista esgoto Veja; e repleta de mentiras, distorções de fatos e afirmações falsas. É verdade que nao se deve existir censura, mas quem escreve tem que ter responsabilidade. A justiça terá a velocidade de reparar injustiças? Veremos...

    Responder
  • Bruno Maia
    - 12/06/2015 - 11:00

    Mais que acertada a decisão do Supremo. É incrível que, no Brasil, artistas consagrados pelo grande público sejam tão refratários à idéia de serem biografados. Na seara musical, só pra ficar num exemplo, é extremamente comum vermos bandas dando entrevistas sobre processo de feitura das canções, narrando suas influências musiciais, etc E, por aqui, o que se sabe do Roberto Carlos, através da Glória Maria, é sua cor preferida ou o que gosta de comer no café da manhã. Goebbles perde ...

    Responder
  • ricardo
    - 12/06/2015 - 10:12

    Andre VC esta falando como uma das partes interessada... De fora estamos vendo.. VC não esta sendo imparcial..

    Responder
  • Leonardo
    - 11/06/2015 - 23:57

    http://g1.globo.com/ma/maranhao/noticia/2015/06/pescadores-capturam-peixe-serra-de-quase-500-kg-em-alcantara-ma.html Seu post sobre o Ibama teve timing perfeito

    Responder
  • Euler
    - 11/06/2015 - 23:03

    Off-topic: "O André pode ser fofoqueiro, mas também é um intelectual". Resposta: "espero não ser nem uma coisa e nem outra". Qual é o problema em ser um intelectual? Você já escreveu alguns livros, após muita pesquisa. Por que não é (ou não deveria ser) o caso?

    Responder
  • Hernandez Martinez
    - 11/06/2015 - 22:31

    O fato é que Roberto, Caê e congêneres nunca temeram a calúnia. A verdade que sempre os apavorou.

    Responder
  • Fernanda Machado
    - 11/06/2015 - 22:17

    Oi André, agora é esperar aquela biografia digna do Nelson Gonçalves. País sem cultura não tem a mínima ideia da importância das biografias na memória do povo. Ainda confunde biografia com revista Caras e Instagram de Preta Gil. Biografia é puramente história com contexto ampliado. Atravessou o tempo com uma obra que foi encorporada nele não tem mais o que fazer. Não quer ser biografado? Fica em casa fazendo crochê. Ótima notícia! E terrível a morte de Christopher Lee...

    Responder
  • Glauber SL
    - 11/06/2015 - 20:55

    A cara de pau não tem mesmo limites. Roberto Carlos declarou que sentiu "grande satisfação" com a decisão do STF. Concluiu dizendo que sua posição sempre foi "inequívoca" no sentido de não haver necessidade de autorização prévia para a publicação das biografias. Melhor piada do dia! Será que o "rei" está querendo roer a corda? http://rollingstone.uol.com.br/noticia/roberto-carlos-defende-biografias-nao-autorizadas-e-declara-grande-satisfacao-com-decisao-do-stf/

    Responder
1 2 3 4 5