Coppola e seu fiasco “selvagem”

 

No fim de 1983 (ou teria sido início de 84?) vi "O Selvagem da Motocicleta" ("Rumble Fish"), de Francis Ford Coppola. Fiquei tão empolgado com o filme que liguei imediatamente para meu pai e recomendei que ele não deixasse de ver.

Alguns dias depois, perguntei o que ele tinha achado. A resposta me surpreendeu: "Achei péssimo! Que coisa piegas e cafona! E que atores horríveis, não é possível que o Coppola tenha dirigido aquilo!"

Por um bom tempo, tive a convicção de que eu estava certo e ele, errado: o filme era mesmo uma maravilha, uma obra-prima noir e existencialista. Aos 15 anos, a gente sempre tem razão, certo?

Mas nada como um dia depois do outro.

Uns 15 anos depois, revi "O Selvagem da Motocicleta", e tive de dar razão ao coroa: que abacaxi insuportável! Que coisa pretensiosa e vazia!

O que aos 15 anos me pareceu genial - o preto e branco Nouvelle Vague da fotografia, o niilismo do personagem de Mickey Rourke (ridiculamente batizado Motorcycle Boy), as homenagens aos astros "selvagens" do cinema, como Brando e Dean, a trilha sonora percussiva de Stewart Copeland - aos trinta e poucos tinha se tornado um pastiche extravagante e brega dos filmes de delinquentes teens dos anos 50.

E o que era aquele peixe vermelho em meio à fotografia preto e branca, simbolizando a "ânsia pela liberdade" de Motorcycle Boy? E as cenas de lutas que pareciam coreografia de musical da Broadway? Que coisa cafona.

Fora que o elenco todo estava muito mal. Até mesmo bons atores, como Mickey Rourke e Dennis Hopper, que fazia o pai alcoólatra, atuavam em modo Cigano Igor. E Matt Dillon e Nicolas Cage não tinham salvação.

Hoje, às 23h50, o Telecine Cult exibe "O Selvagem da Motocicleta". Vou tentar revê-lo para confirmar sua ruindade. É uma pena que o canal não exibirá o filme dublado. Imagine uma hora e meia de Matt Dillon com a voz de Alexandre Frota:

 

 

Nelson Rodrigues é que estava certo em sua recomendação à juventude: "Jovens, envelheçam!"

104 Comentários

"Coppola e seu fiasco “selvagem”"

30 de July de 2015 às 07:05 - Postado por André Barcinski

* preenchimento obrigatório



Digite o texto da imagem ao lado: *

Política de moderação de comentários:
A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Comentários
  • abel
    - 11/08/2015 - 21:20

    Ruim è o Coppola dos anos 90 em diante.Jack, tetro são horríveis.

    Responder
  • Marcelo Lima
    - 04/08/2015 - 12:37

    Essa dublagem é bem Warriors.

    Responder
  • Célio
    - 31/07/2015 - 23:47

    Barça, tb tive a sensação de ter visto um filme genial. Saí encantado do Cine Olido na av São João mas por medo de chegar a mesma conclusão que vc nunca mais o revi inteiro. Ah, tenho a impressão que aq em Sampa passou bem depois de 83, acho que 86, 87.

    Responder
  • José Horta da Silva Barros
    - 31/07/2015 - 08:59

    André, estou no trabalho e com muito sono, mas feliz por ter revisto “O Selvagem da Motocicleta”. Matt Dillon é sensacional como ‘Rust James’. Creio que este papel foi fundamental para que ele amadurecesse e em 1989 pudesse ser o ‘Bob Hughes’ de “Drugstore Cowboy”. Quanto a Mickey Rourke, depois desse filme ele se tornou um sex symbol, sua carreira se perdeu, mas foi resgatado por Enrique Iglesias no clipe de “Heroes”. Não há como se esquecer de Diane Lane, ela faz a ‘Patty’, a namorada que todos nós gostaríamos de ter tido na 8ª série. E a fotografia de Stephen H. Burum? Sven Nykvist daria sua visão para tê-la feito. Quanto a trilha de Stewart Copeland, não há o que dizer. Ele usou toda sua pesquisa sobre o reggae e o que aprendeu durante o tempo que esteve junto ao pessoal do Curved Air. E Coppola, prevendo um futuro, deixou uma mensagem subliminar voltada para aqueles que querem a volta do regime militar. Realmente o filme é mesmo uma maravilha, uma obra-prima noir e existencialista (rs rs rs rs rs). Espero ter lhe convencido. Abraço e bom final de semana. Acho que surgiu outra mensagem subliminar, na hora de postar o meu comentário tive que digitar 'lesma obrar'.

    Responder
  • Lucie
    - 31/07/2015 - 01:31

    Eu tenho medo de rever Curtindo a Vida Adoidado exatamente por isso. Quando revi Os Goonies após mais de 15 anos, achei tão raso e fraquinho - não que fosse para ser uma obra prima, mas é sem-graça demais quando você não tem mais 12 anos de idade.

    Responder
  • Danilo
    - 31/07/2015 - 00:09

    Assisti pela primeira vez "Vidas sem rumo" na mostra do Coppola que está passando em São Paulo. O filme é bom no cinema,mas não conseguiria assistir na TV. O Coppola dos anos 80 em diante me parece outro diretor... não chega nem aos pés do Coppola doa anos 70. O que vc achou desse filme André?

    Responder
  • Tamir
    - 30/07/2015 - 23:34

    OT. Barça tem que rolar um post, se for possível claro, é penas uma sugestão, sobre a matéria da Associated Press que repercutiu tanto nacionalmente como internacionalmente sobre a poluição da Baía da Guanabara no Rio. Ano passado o NYtimes já havia feito uma matéria sobre o mesmo assunto e, se não me angano, vc comentou também. Mas agora parece que a repercussão foi grande. Na minha opinião os atletas dessas modalidades aquáticas deveriam se negar a competir nessas condições. Abraços

    Responder
  • Rafael
    - 30/07/2015 - 22:00

    Eu acho que esse filme e "Tetro" são "irmãos siameses" na obra do Coppola. Mostram uma fraternidade frustrada pela admiração equivocada do irmão mais novo por uma pessoa que o mais velho já sepultou dentro de si. Não gosto de "Tetro", mas o "Rumble Fish", principalmente pela performance do Mickey Rourke, me agrada muito. Aquela cena da conversa debaixo da ponte, após uma briga de rua, é bem bonita.

    Responder
  • Ana
    - 30/07/2015 - 21:51

    Bah Barcinski, ainda hj li uma notícia dizendo que o Nic Cage tá morando num apartamento pequeno e comendo em restaurante barato, sendo que vai todo disfarçado para não ser reconhecido. Sinceramente espero que seja experiência para algum papel, pq não é possível o cara acumular centenas de milhões de dólares ao longo da carreira para viver na penúria quando o flop chegar. Captcha: gerir muito

    Responder
  • Jairo Lavia
    - 30/07/2015 - 21:02

    Coppola fez "Vidas sem Rumo'', um ótimo filme antes deste, a baixíssimo custo, pois estava quebrado. Selvagem da Motocicleta está longe de ser um abacaxi na carreira dele, o recente "Youth Without Youth" ganharia este título, mas aí ele se redimiu em seguida com "Tetro".

    Responder
1 2 3 4 5