Nada como um atentado contra o prefeito para a polícia aparecer, não é mesmo?

policia rodoviaria federal blitz br1 Nada como um atentado contra o prefeito para a polícia aparecer, não é mesmo?

No início da noite de 19 de maio, o prefeito de Paraty, José Carlos Gama Miranda (PT), conhecido por Casé, saía da sede da prefeitura acompanhado pelo primo, Sérgio José Miranda, funcionário da prefeitura, quando um sujeito se aproximou numa moto, sacou uma arma e disparou várias vezes contra os dois.

Felizmente, o criminoso errou os tiros. Casé foi atingido de raspão na cabeça, assim como Sérgio. Os dois foram atendidos no precaríssimo hospital local e depois transferidos para um hospital de verdade, em Angra dos Reis.

Na manhã de 21 de julho, uma operação envolvendo pelo menos uma dúzia de homens do Grupo de Atuação Especial do Combate ao Crime Organizado, da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense e da Coordenadoria de Inteligência da Polícia Militar prendeu um suspeito pelo crime.

A operação foi grande. O dono de uma padaria, da qual somos clientes, contou que viu vários sujeitos à paisana, com armas e até metralhadoras, cercando uma casa ao lado do estabelecimento: “Fiquei apavorado. Achei que iam nos assaltar”.  Os policiais invadiram a casa, mas não acharam ninguém. Acabaram encontrando o suspeito em outra casa, momentos depois.

Nos dois meses entre o atentado contra o prefeito e a prisão do rapaz, Paraty mudou. Os moradores passaram a conviver com algo que, até então, não conheciam: policiamento eficiente.

Durante esse período, vimos carros da polícia parando e vistoriando veículos, grupos de policiais dando blitze em conhecidos pontos de tráfico, caminhões recolhendo motos sem documentos, veículos multados por infrações de trânsito, enfim, percebemos a presença do Estado como nunca havia acontecido na cidade.

Só para comparar: em mais de cinco anos morando na região, não havíamos sido parados uma vez sequer no posto da Polícia Rodoviária na Estrada Rio-Santos. No último mês, fomos parados duas vezes.

Com o aumento da fiscalização, diminuiu o número de motos zunindo loucamente pelas ruas sem respeitar placas, faixas e limites de velocidade. Também rarearam os carros estacionados em locais irregulares. Na última Festa Literária de Paraty (FLIP), realizada no início de julho, o policiamento foi intenso.

A situação contrasta com a bandalheira absoluta com a qual a população já havia se acostumado, especialmente durante os eventos mais populares do calendário turístico local.

Ano passado, durante a Festa da Cachaça, quase batemos de frente com um carro que vinha na contramão de uma ponte, com o motorista bebendo uma latinha de cerveja enquanto uma criança de uns oito anos viajava no banco da frente, de pé, com a cabeça para fora do teto solar.

Fica a pergunta: se o tal suspeito for, de fato, culpado pelo atentado contra o prefeito, quanto tempo vai demorar para o policiamento e a fiscalização desaparecerem da cidade e tudo voltar ao normal?

Bom fim de semana a todos.

107 Comentários

"Nada como um atentado contra o prefeito para a polícia aparecer, não é mesmo?"

24 de July de 2015 às 07:05 - Postado por André Barcinski

* preenchimento obrigatório



Digite o texto da imagem ao lado: *

Política de moderação de comentários:
A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Comentários
  • Marcelo Barbosa
    - 02/08/2015 - 12:52

    Simbora atacar os governadores, prefeitos, tds os políticos das cidades!

    Responder
  • VissottoJr
    - 27/07/2015 - 16:00

    Nenhum estudante universitário se colocou contra a presença da policia? Estranho....

    Responder
  • Marcos Galvão
    - 24/07/2015 - 23:57

    Fala André blz? Tô pra te perguntar sobre uns temas que me vieram a cabeça recentemente. Eu sou fanático pelo Bowie e queria saber o que vc achou (caso tenha visto) do filme C.R.A.Z.Y (Loucos de amor)? Além disso tá passando um especial no Bis sobre outra banda que eu amo que é o Clash, por acaso vc assistiu? Eu nao consigo ver...Pra finalizar, eu queria te dar uma ideia:caso tenha tempo comece a gravar uns podcast com coisas que vc gosta ou de novidades...Já ouviu Vida Fodona do Alexandre Matias? E pra terminar mesmo, domingo depois das 18 eu vou te encher o saco no Pior..., ok? Abs e bom fim de semana

    Responder
  • Tamir
    - 24/07/2015 - 22:06

    OT. Não sei se vc chegou a ler ou alguém já comentou isso aqui. De qualquer forma é uma carta do New York Post para a MTV, em função da Viacom, proprietária do canal, ter declarado estar passando por problemas financeiros. Aqui o link: http://nypost.com/2015/07/24/mtv-heres-how-you-can-save-yourself/

    Responder
  • Enaldo Soares
    - 24/07/2015 - 18:49

    André, boa tarde. Está dentro e fora do assunto, mas me permita desabafar: estive algumas semanas atrás em Barcelona por mais de uma quinzena: não vi no noticiário uma notícia sequer de crimes na Espanha, exceto um marido em Pamplona que bateu na esposa; os automóveis em Barcelona dormem todos na rua, e não vi nenhum alarme neles; os motoristas param sempre diante das faixas de pedestre mesmo quando você não os sinaliza; as pessoas andam despreocupadas com os seus celulares e mochilas nas costas; nas praias ninguém ficava estressado com os próprios pertences; não ouvi nenhuma vez sirene de polícia; não ouvi nenhuma vez carro tocando música alta pelas ruas; as ruas são limpas e completamente arborizadas, de fora a fora; não vi ninguém jogando papel no chão; o metrô é muito limpo; os banheiros dos museus são impecáveis; a bagagem nos aeroportos é entregue antes da hora prevista e olha que a Espanha (nem mesmo a Catalunha) não é nenhuma Dinamarca ou Japão. Eu não sei como aguentamos mais este país.

    Responder
  • caio fabio
    - 24/07/2015 - 17:38

    Incrível como o Poder Público não se envergonha disso, pois a cada ação dessas fica mais claro que, se quiser, dá pra fazer mais e melhor. Ações assim são um tapa na nossa cara, pois escancaram a falta de vontade política real de fazer diferente, de fazer melhor, de fazer direito. Abraços.

    Responder
  • Tinho
    - 24/07/2015 - 17:38

    Que bom que deram um choque de fiscalização na região! O aumento de policiamento no entorno, sobretudo da PRF, se deu devido a Operação Brasil Integrado. A primeira etapa foi no Rio, no início de julho. E o disco novo de Neil Young, The Monsanto Years? Ouviu?

    Responder
  • Fabio Ximenez
    - 24/07/2015 - 17:13

    André, ia fallar off topic, mas é sobre algo que também considero uma fotografia do país: vc viu o filme O Som ao Redor? o que achou?

    Responder
  • LMC
    - 24/07/2015 - 16:34

    Olha como o Brasil está virando um circo:li no site do filósofo Ghiraldelli uma pérola.Ele,respondendo a um leitor que é contra as cotas pra negros nas faculdades(o filósofo é a favor)disse pra ele que esteja precisando de uma cota pra APAE.Ele é o Donald Trump:fala besteira e tem gente que acha bacaninha.Rarará!!!!

    Responder
  • Jerônimo
    - 24/07/2015 - 16:09

    Barça, gostou do protesto dos taxistas no Rio hoje? Só gente boa... É assim que se conquista o cliente, bloqueando ruas e atrapalhando a vida do trabalhador?

    Responder
1 2 3 4 5