O que Nirvana, Led Zeppelin e Creedence têm em comum?

...e ainda Beach Boys, White Stripes, Mark Lanegan, Van Morrison, Billy Bragg, The Fall, Woody Guthrie, Abba, Cat Power, Johnny Cash e Nick Cave?

Todos gravaram músicas de Huddie Ledbetter (1888-1949), mais conhecido por Lead Belly.

Acaba de sair “Lead Belly – The Smithsonian Folkways Collection", uma caixa com cinco CDs e 108 canções que dá uma geral na carreira desse músico extraordinário que não só compôs clássicos do blues e inspirou o rock, mas gravou, de memória, dezenas de canções antigas da música folk norte-americana que conheceu nos campos de algodão da Louisiana, onde nasceu.

A vida de Lead Belly foi tão dramática quanto suas letras: nascido em uma família de ex-escravos, em 1888 (ou 1885, segundo relatos), passou a juventude trabalhando duro e tocando violão e acordeon em bordéis e casas de má reputação com bluesmen como Blind Lemon Jefferson. Aos sete anos, separou uma briga dos pais ameaçando-os com uma espingarda; aos 18, fugiu de casa depois de engravidar a namorada.

Foi preso ao menos três vezes, uma delas por matar um homem a tiros. Condenado a 30 anos, cumpriu cinco e saiu depois de presentear o governador do Texas com uma canção elogiosa. Não demorou a voltar ao xadrez, dessa vez por tentativa de homicídio. Em 1933, o folclorista e pesquisador musical John Lomax gravou Lead Belly cantando na prisão de Angola, na Louisiana. Dessa vez, foi o governador da Louisiana que ouviu a gravação, comoveu-se com a voz de Lead Belly e o perdoou.

Veja um filme feito em 1935, interpretado por Lead Belly e Lomax, que reencena a libertação do músico:

E aqui, o Creedence tocando “Midnight Special”:

As 108 músicas da caixa formam um panorama riquíssimo da música de raiz dos Estados Unidos. São blues, gospels, spirituals e canções folclóricas, que inspiraram artistas como Pete Seeger, Woody Guthrie e Bob Dylan.

Lead Belly foi um elo entre o passado e o futuro da música norte-americana. Muitas das canções antigas que conhecemos hoje foram resgatadas por ele, que também inspirou gente como Jerry Lee Lewis e Little Richard a amplificarem o blues e criarem o rock, poucos anos depois da morte de Lead Belly.

GRANDES MOMENTOS DE DISCURSOS PRESIDENCIAIS...

...era o nome de um famoso quadro do programa de David Letterman. Pena que Letterman se aposentou, ou poderia usar este:

130 Comentários

"O que Nirvana, Led Zeppelin e Creedence têm em comum?"

25 de June de 2015 às 07:05 - Postado por André Barcinski

* preenchimento obrigatório



Digite o texto da imagem ao lado: *

Política de moderação de comentários:
A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Comentários
  • Jair Fonseca
    - 27/06/2015 - 01:19

    Vendo agora o vídeo acima de "Goodnight, Irene" vejo que, apesar de trazer ótima imagem em movimento da figuraça fazendo Irene rir, o curta está cortado e a canção também. Censura, será? Será pela referência ao suicídio? "Sometimes I live in the country/Sometimes I live in the town/Sometimes I have a great notion/to jump into the river and drown".

    Responder
  • carloslbf
    - 26/06/2015 - 20:13

    Lembro quando escutei pela primeira vez "where did you sleep last night", aos 13 anos, no acústico do nirvana. Dizem que foi por causa da Courtney Love. Anos atrás peguei uma seleção de bluesmen, e escutei a versão do Leadbelly. Maravilhosas! Que bluesman teria sido Kurt Cobain. Abs

    Responder
  • pedro bresson
    - 26/06/2015 - 06:22

    Barca, isso é ouro puro! PQP! outro dia perambulando após o almoco pelo 1. Bezirk de viena descobri uma loja de discos foda demais. tres andares sendo o ultimo apenas pra música clássica, opera e jazz, este separado por instrumental e cantado. no 1° andar tinha uma porrada de vinil interessante, caixas e edicoes especiais de monstros do rock e tantos outros. vou dar um pulo lá e ver se encontro esse tesouro. Valeu pela dica!

    Responder
  • Jair Fonseca
    - 26/06/2015 - 00:18

    Mandioca e Lead Belly, tudo a ver: roots, plantations. Mulher também, como lembra a Presidenta. A palavra mandioca vem do tupi-guarani: Mani-oca (casa de Mani - uma divindade feminina do bem). Belly é barriga. Voltando ao cara, tenho vários discos de vinil fodásticos dele, tem um que chia que é uma maravilha. E lembro que "Goodnight, Irene" foi seu grande sucesso, ironicamente estourou um ano depois de sua morte, com os Weavers: primeiro lugar entre os mais vendidos de 1950. A versão de Bryan Ferry é ótima.

    Responder
  • paulo
    - 25/06/2015 - 22:50

    Até o petista mais empedernido deve concordar quando ninguém está vendo. Os problemas da Dilma vão além de governar o país, chegam a questão de como ela governa a si mesma, vide o engorda/emagrece dela. Não é possível todo mundo fingir que ela é ou está normal quando faz esses discursos.

    Responder
  • Peçanha
    - 25/06/2015 - 22:44

    O Janim, vc ta muito louco, hein ? Primeiro que eu escrevi "Pode-se". Segundo que nao me referi a nada de inventar coisa alguma. Leia de novo e nao invente !

    Responder
  • Tchitchicov
    - 25/06/2015 - 21:21

    Esta você vai achar ótima: a mandioca segundo Monteiro Lobato. "[o Jeca] Da terra só quer a mandioca, o milho a cana. A primeira por ser um pão amassado pela natureza. Basta arrancar uma raiz e deitá-la nas brasas. Não impõe colheita, nem exige celeiro. O plantio se faz com um palmo de rama fincada em qualquer chão. Não pede cuidado. Não ataca a formiga. A mandioca é sem-vergonha. Bem ponderada, a causa principal da lombeira do caboclo reside nas benemerências sem conta da mandioca. Talvez sem ela se pusesse de pé e andasse. Mas enquanto dispuser de um pão cujo preparo se resume no plantar, colher e lançar sobre brasas, Jeca não mudará de vida. O vigor das raças humanas está na razão direta da hostilidade do ambiente. Se a poder de estacas e diques o holandês extraiu de um brejo salgado a Holanda, [...] é que ali nada o favorecia. Se a Inglaterra brotou das ilhas nevoentas da Celedônia, é que lá não medrava mandioca. [...] Há bens que vêm para males. A mandioca ilustra bem esse provérbio. (Velha praga. de. Contos Completos, que adquiri depois que vi a dica aqui no blog).

    Responder
  • Ed Ward
    - 25/06/2015 - 20:20

    Essa mulher é doida de pedra

    Responder
  • Bruno
    - 25/06/2015 - 20:15

    O mais novo grito da torcida brasileira nos jogos da seleção, para acompanhar a "sou brasileiro com amor": Ahá Uhú...A mandioca é nossa!!

    Responder
  • ewerton
    - 25/06/2015 - 18:36

    ja viu esse filme chamado hyena? http://youtu.be/MgEZVdFai-M

    Responder
1 2 3 4 5