Quanto tempo até o Governo aniquilar o Ibama?

finning 1024x692 Quanto tempo até o Governo aniquilar o Ibama?
Há dez dias, publiquei aqui no blog um texto contando, entre outras coisas, como a falta de fiscalização da pesca ilegal no litoral sul do Rio de Janeiro tem prejudicado o trabalho dos pescadores artesanais (leia aqui).

Anteontem, a “Folha de S. Paulo” publicou um artigo de José Marques que dá uma boa ideia do estado de penúria por que passa a vigilância ambiental no país.

Segundo Marques, o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) tem apenas três barcos para fiscalizar 7300 km do litoral brasileiro. Dois estão no Rio Grande do Sul e o terceiro, em Fortaleza.

Diz o artigo: “Para atuar no mar, os fiscais dependem de caronas da Marinha, da Polícia Federal e do ICMBio (Instituto Chico Mendes), autarquia vinculada ao Ministério do Meio Ambiente que fomenta a pesquisa e a preservação da biodiversidade e tem poder de polícia ambiental.”

“As operações são combinadas em épocas de defeso, quando a pesca de determinadas espécies é ilegal, e não são regulares. De janeiro a março deste ano, por exemplo, houve uma única operação com a Marinha em São Paulo e quatro no Ceará.”

Marques entrevistou Monica Peres, diretora da ONG Oceana, que afirma que a falta de monitoramento causa prejuízos ao setor. “O derramamento de oferta ilegal pressiona o preço de mercado para baixo, quebrando quem pesca legalmente”.

Enquanto os partidos triplicam o Fundo Partidário para quase um bilhão de reais por ano, o Ibama vem sendo desmantelado. Desde 2012, o instituto fechou 20 escritórios em 17 cidades do litoral.

O descaso com a vigilância é tão grande que, desde 2009, o governo não coleta dados sobre pesca no país. A última pesquisa foi divulgada em 2011, com dados de 2009.

O biólogo José Truda, também entrevistado pela “Folha”, diz: “Trabalho há 37 anos nessa causa e poucas vezes vi maior descaso com o oceano”. Truda afirma que a pesca predatória no arquipélago de Fernando de Noronha (PE) chegou a um nível “nunca visto”.

No litoral sul do Rio, a situação é catastrófica: ali o Ibama não tem como pegar carona com o ICMBio, porque o ICMBio também não tem barco próprio. A solução é alugar barcos de particulares.

A Baía de Paraty tem 65 ilhas e cerca de 300 praias. A Baía de Angra dos Reis é bem maior: são 300 ilhas e cerca de duas mil praias.

Em 2013, escrevi sobre as machadadas que o governo Dilma vinha dando no orçamento do Ministério do Meio Ambiente. Em quatro anos, a verba diminuiu 38% (leia aqui). Há casos de áreas preservadas de 120 km2, equivalente a 75 vezes o Parque do Ibirapuera, que contam com apenas um fiscal, que precisa se locomover de ônibus ou em carro emprestado, porque o veículo oficial do parque está quebrado há anos.

Um ambientalista com cargo de chefia no ICMBio, que pediu para não ser identificado, me disse: “A relação $/área protegida do Brasil é pior que da Bolívia e Zâmbia. (…) A relação servidor/área protegida é talvez a pior do mundo, beirando um gestor para cada 20 mil hectares (200 km2) protegidos.”

119 Comentários

"Quanto tempo até o Governo aniquilar o Ibama?"

10 de June de 2015 às 07:05 - Postado por André Barcinski

* preenchimento obrigatório



Digite o texto da imagem ao lado: *

Política de moderação de comentários:
A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Comentários
  • José Truda Palazzo Jr.
    - 15/06/2015 - 12:03

    Enquanto isso, no mar brasileiro, segue a bandalheira... http://www.folhape.com.br/cms/opencms/folhape/pt/cotidiano/noticias/arqs/2015/06/0224.html

    Responder
  • Roberto
    - 15/06/2015 - 09:16

    Passa na cultura domingo as 19:00. O projeto e todo do João Lara Mesquita do Estadão. Tem o site também , marsemfim.com.br. Abrcs.

    Responder
  • Roberto
    - 14/06/2015 - 19:26

    André Boa noite Assisto sempre um programa na cultura que fala sobre a situação dos mares e das áreas de preservação costeira muito interessante chamado Mar Sem Fim.Já viu? Acho que fala muito sobre tudo isto.

    Responder
  • Eduardo
    - 13/06/2015 - 23:39

    Sem demanda, não há oferta. Pergunta curta e direta: você consome peixe?

    Responder
  • Roberto Barreto
    - 13/06/2015 - 12:40

    Sou do INEMA, BAHIA, e a situação é a mesma. O que é evidente é muito simples: as instituições de Meio Ambiente no Brasil são lideradas por parceiros dos grupos econômicos, aqueles mesmos que cometem os maiores crimes ambientais, que provocam danos ao meio ambiente, que querem licenças ambientais de qualquer forma, que, em fim, tem muita verba e favores para recompensar os amigos parlamentares e agente públicos "camaradas". E ponto final. Interesse público, defesa do meio ambiente, respeitos as leis e constituição, ... são coisas irrelevantes para esta turma.

    Responder
  • Roberto Barreto
    - 13/06/2015 - 12:38

    Sou do INEMA, BAHIA, e a situação é a mesma. O que é evidente é muito simples: as instituições de Meio Ambiente no Brasil são lideradas por parceiros dos grupos econômicos, aqueles mesmos que cometem os maiores crimes ambientais, que provocam danos ao meio ambiente, que querem licenças ambientais de qualquer forma, que, em fim, tem muita verba e favores para recompensar os amigos parlamentares e agente públicos "camaradas". E ponto final. Interesse público, defesa do meio ambiente, respeitos as leis e constituição, ... são coisas irrelevantes para esta turma.

    Responder
  • Mario
    - 12/06/2015 - 09:36

    Este governo do PT (Partido dos Trambiqueiros) nao esta nem meio ambiente, e muito menos preocupa-se com a pesca. Para eles o pescador é apenas mais eleitor, não importando se o cara é honesto ou bandido. O ministério da pesca foi criado pelo PT, pra fomentar a arrecadação de votos, e não para melhorar qualidade da pesca. O IBAMA id consierado um impecilho para o governo, pois a cada multar vários votos são perdidos, então o melhor para este governo é acabar logo com a fiscalização do meio ambiente.

    Responder
  • Fabio Martins
    - 11/06/2015 - 14:19

    E ainda fica um bando de tontos chamando os outros de "coxinha" por expor uma situação absurda como essa, como se o país só se resumisse a "tucanos coxinhas" e "petistas fanáticos" - eu quero que ambas as facções se explodam! Enquanto isso, os deputados aprovam a mudança para CINCO ANOS de seus mandatos e quem paga essa conta somos nós. Sinceramente, o Brasil foi pilhado.

    Responder
  • FERNANDO
    - 11/06/2015 - 12:36

    André, isso porque temos ainda o famigerado Ministério da Pesca, que deveria auxiliar neste trabalho.

    Responder
  • anderson r silva
    - 10/06/2015 - 20:58

    Este país está tomado pela corrupção em todos os poderes, se não fosse verdade, haveria punições severas, com prisões, teríamos mudanças na Lei e uma fiscalização efetiva.

    Responder
1 2 3 4