Um Top 10 de Ettore Scola

Ettore Scola 1024x768 Um Top 10 de Ettore ScolaO cineasta italiano Ettore Scola morreu em Roma, dia 19, aos 84 anos.

Scola dirigiu filmes extraordinários, mas de vez em quando exagerava na sacarina e tinha uma tendência ao melodramático (não aguento ver dez minutos de “O Baile”, por exemplo). Prefiro suas comédias mais realistas e “pé no chão”.

Aqui vão, em ordem cronológica, meus dez filmes prediletos de Scola:

Conseguirão Nossos Heróis Encontrar o Amigo Misteriosamente Desaparecido na África? (1968)
O impagável Alberto Sordi faz um rico industrial, entediado com a vida corporativa, que parte para a África em companhia de seu assistente (interpretado pelo engraçadíssimo Bernard Blier, pai do cineasta francês Bertrand Blier) para procurar um parente desaparecido. Engraçado demais. Para melhorar, se passa em Angola e os personagens africanos falam português.

Ciúme à Italiana (1970)
Qualquer filme reunindo Monica Vitti, Marcello Mastroianni e Giancarlo Giannini precisa ser visto. Esta comédia foi escrita pela dupla de roteiristas Age & Scarpelli.

Rocco Papaleo (1971)
Um filme estranho e bonito, escrito por Ruggero Maccari (autor de comédias clássicas do cinema italiano como “Aquele que Sabe Viver”, de Dino Risi), sobre um italiano simplório, interpretado por Marcello Mastroianni, que vai a Chicago ver uma luta de boxe e acaba se envolvendo com uma top model, vivida por Lauren Hutton. Saiu em DVD no Brasil recentemente.

A Mais Bela Noite da Minha Vida (1972)
Um filme diferente dentro do currículo de Scola. Trata-se de um drama sobre homens que se encontram em uma hospedaria numa noite, baseado no soturno conto “A Pane”, do suíço Friedrich Durrenmatt (li em inglês, com o título de “Traps”, e recomendo demais).

Nós que nos Amávamos Tanto (1974)
A nostalgia é um dos temas recorrentes do cinema de Scola, e aqui ele conta a história de três amigos (Vittorio Gassman, Nino Manfredi e Stefano Satta Flores) que lutam contra os nazistas e fascistas e depois se reencontram, muitos anos depois, para relembrar suas vidas. Outra colaboração de Scola com os roteiristas Age & Scarpelli.

Feios, Sujos e Malvados (1976)
Para mim, o melhor filme de Scola. Conta a vida de uma família de trambiqueiros que vive em uma favela na periferia de Roma. O clã é chefiado pelo incomparável Nino Manfredi. Co-escrito por Ruggero Maccari.

Um Dia Muito Especial (1977)
Scola sempre gostou de usar grandes momentos históricos como pano de fundo para contar pequenas histórias pessoais. Aqui, uma dona de casa (Sophia Loren) e um radialista (Mastroianni) que está prestes a ser deportado por ser homossexual e antifascista, estão praticamente sozinhos em um prédio, depois que todos os vizinhos saíram às ruas para ver o encontro entre Hitler e Mussolini, em 1938.

Casanova e a Revoução (1982)
Outra característica marcante de vários filmes de Scola é a presença dos protagonistas em um espaço confinado (um salão, um restaurante, etc.) Aqui, Mastroianni interpreta o conquistador (de mulheres, não de países) italiano Giacomo Casanova, que se encontra em uma carruagem (onde também estão Thomas Paine e Rétif de La Bretonne), durante a fuga de Louis XVI e Maria Antonieta de Paris, em 1791.

Macaroni (1985)
Está longe de ser uma das melhores comédias italianas, mas só por juntar Jack Lemmon e Marcello Mastroianni, merece ser vista.


Concorrência Desleal (2001)

Nos últimos 20 ou 30 anos, os filmes de Scola pareceram voltar aos temas e estilos preferidos do diretor: saudosismo, reuniões familiares, personagens que se reúnem para lembrar o passado, etc. “Concorrência Desleal” retoma o tema do fascismo que Scola já havia explorado em “Nós Que Nos Amávamos Tanto” e “Um Dia Muito Especial”, contando a história da disputa entre dois comerciantes – um católico e o outro judeu – em 1938.

P.S.: Devido à morte de Ettore Scola, adiantei o texto de quinta-feira. O blog volta com um texto inédito – sobre “Os Oito Odiados”, de Quentin Tarantino – na sexta. Até lá.

40 Comentários

"Um Top 10 de Ettore Scola"

20 de January de 2016 às 11:17 - Postado por André Barcinski

* preenchimento obrigatório



Digite o texto da imagem ao lado: *

Política de moderação de comentários:
A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Comentários
  • Paula Germann
    - 22/01/2016 - 16:08

    Poxa, fiquei até chateada com seu comentário sobre O Baile. Sempre esteve na minha lista de favoritos. Mas gosto é gosto...

    Responder
  • Willian Oliveira
    - 22/01/2016 - 01:42

    Off-Topic: Pô André, tem esse filme aqui baseado no mestre da ficção/maluca distópica J.G Ballard, aliás adoro aquele livro pelo qual o Cronenberg fez uma adaptação à altura Crash - Estranhos Prazeres. Confere só André, parece bem interessante. https://www.youtube.com/watch?v=rdTSfLOeo-E

    Responder
  • jamil
    - 21/01/2016 - 17:45

    Ótima lista! OT1: Uma Confraria de Tolos está entre os livros de formação de Bowie https://www.brainpickings.org/2013/10/03/david-bowie-reading-list/ OT2: eu achei que leria aqui em seu blog ao menos uma pequena nota a respeito do falecimento do Júpiter Maçã, ocorrido no final de 2015; não li nada, mas tudo bem.

    Responder
  • Charles
    - 21/01/2016 - 17:15

    Paolo Sorrentino deve estar se sentindo órfão. Requiescat in pace. Que sucessão de mortes mais sinistra é essa? Um verdadeiro desfalque no elenco dos bons.

    Responder
  • Peçanha
    - 21/01/2016 - 16:34

    OT : Li que o Netflix vai engrossar com os proxies e VPNs para evitar que seus assinantes tenham acesso a conteúdo fora de sua área. Alguém aí teve problema com isso já ?

    Responder
  • Mateus
    - 21/01/2016 - 14:15

    [OFF-TOPIC]: Barcinski, viu o line-up do Primavera Sound desse ano? Pegaram pesado demais: http://lineup.primaverasound.es/index

    Responder
  • Marco
    - 21/01/2016 - 12:27

    Off-topic, André...Já tinha ouvido isso do Bowie rs? http://www.rollingstone.com/music/news/hear-david-bowie-imitate-springsteen-iggy-pop-tom-waits-lou-reed-20160121

    Responder
  • Janim
    - 21/01/2016 - 12:04

    Bela lista. Gostei muito de "La Cena", o que você acha desse filme?

    Responder
  • Enaldo Soares
    - 20/01/2016 - 20:59

    Tiro o chapéu para Feios, sujos e malvados. Scola foi corajoso em lançar este filme que desmistifica o povão em plena Itália dos anos setenta, com a cultura largamente influenciada pelo PCI.

    Responder
  • 精神豚
    - 20/01/2016 - 19:46

    Só assisti o "Aquele que Sabe Viver", quem tem o roteiro do Ettore Scola e gostei muito, dizem que o "Easy Rider" se inspirou nele, é verdade?

    Responder
1 2 3