origem do teatro

O primeiro ator do mundo

Já que este blog é um espaço dedicado à “arte do ator”, nada mais justo que o primeiro post seja sobre o primeiro ator da história do mundo ocidental: Téspis. Antes de contar a sua história faz-se necessária uma pequena introdução.  Segundo a mitologia, o Deus grego Dionísio (também chamado pelos romanos de Baco) ensinou aos homens o cultivo da uva e a fabricação do vinho.

Por isso todo ano, na época da colheita da uva, os gregos homenageavam Dionísio com as famosas “Festas Dionisíacas”. Estas festas eram grandes eventos regados a vinho e cânticos que eram executados por um coro liderado por uma pessoa denominada “corifeu”.  É aqui que entra em cena o nosso herói.

No século V, Téspis, um aldeão de Icarias,  graças ao seu talento como corifeu, foi convidado pelo tirano Pisístrato, um amante das representações, para apresentar-se em Atenas na Dionisíaca.

Na época o nome dado a pessoas como Téspis que participavam destas representações era hipocrités ou “fingidor”.

Desafiando todas as tradições, Téspis inovou em sua apresentação. Usando uma máscara e uma túnica como figurino Téspis pela primeira vez na historia assumiu um personagem, nada mais nada menos do que o próprio Deus Dionísio e ainda atreveu-se afirmar “eu sou Dionísio”. Foi a primeira vez que um homem interpretava um personagem falando na primeira pessoa. A atitude de Téspis além de criativa era extremamente ousada já que só os sacerdotes ou reis podiam representar um Deus.

O feito podia ser encarado como um desrespeito às autoridades da época só que o sucesso popular foi tão grande que não sofreu nenhum tipo de punição e ainda teve seu nome perpetuado na historia das Artes Cênicas. A iniciativa de Téspis também resultou na criação do “argumento artístico” e do “protagonista” nomenclatura usada até hoje para denominar o ator principal.

Téspis também criou o conceito do segundo ator, o que Ésquilo daria o nome de “deuteragonista”, quando representava dois personagens com duas máscaras uma na parte da frente do rosto e outra atrás. Téspis revolucionou atuando independente e inventou o “monólogo”, ou dialogando com o Coro “o diálogo”.

Introduziu o uso das máscaras, figurinos e maquiagens. Além de ser o primeiro ator da história ocidental, podemos dizer que Téspis foi o responsável pelos fundamentos da “Tragédia Grega”, que representa a base do teatro ocidental.

Téspis  viajou pela Grécia com sua carroça a qual todos chamavam de “Carro de Téspis”, além de servir como transporte era o palco onde se apresentava encenando suas peças.

Ousadia, criatividade e coragem são características comuns a todos os gênios, inventores e que de alguma forma contribuíram para a evolução da raça humana.

Assim era Téspis: ousado, criativo e extremamente corajoso. Por isso nossos agradecimentos e aplausos para o primeiro ator do mundo. Bravo Téspis!

*Envie seus comentários e sugestões para o e-mail: dimauro@r7.com.

Veja mais:
+ R7 BANDA LARGA: provedor grátis!

+ Curta o R7 no Facebook

+ Siga o R7 no Twitter

+ Veja os destaques do dia

+ Todos os blogs do R7

Ir para a home do site
Todos os direitos reservados - 2009- Rádio e Televisão Record S/A
exceda.com