Uma historinha de 8 de março para vocês icon smile Mulher inventa a cerveja e vira deusa na História

Sabia que é possível dizer que foi a mulher que inventou a cerveja?

Em plena Idade da Pedra, lá no período Neolítico (início do sedentarismo), o trabalho que garantia a sobrevivência humana já estava dividido por sexo: as mulheres colhiam grãos e cuidavam de preparar o que na época era uma espécie de pão; os homens, você já deve estar imaginando, caçavam.

Diz a História que uma (ou várias) dessas mulheres esqueceu uma cumbuca de grãos por aí, provavelmente úmidos. Ao reencontrar o cereal, sem poder desperdiçá-lo por conta da escassez de comida, ferveu a mistura.

O resultado foi um líquido açucarado, diferente. Provavelmente espumante.

Quem teve coragem de beber, parabéns, tomou um gole da primeira cerveja do planeta.

E depois desse ser histórico, muita gente bebeu a estranha mistura, viu? Era nutritiva, saborosa e saudável. Não há como desprezar os motivos que deram à cerveja o papel de alimento entre os humanos da época — fossem eles homens, mulheres ou crianças.

Cerveja era mais saudável que a água naquele momento, já que a H2O de todos os dias era ingerida... Bem, no riacho mais próximo, no meio do cocô dos bichos que ali também moravam.

Cerveja, meu caro, naquela época tinha muito mais a ver com comida do que com bebida.

E coube à mulher o papel de divindade...

Os anos (muitos deles) se passaram e a Suméria, com seu panteão de deuses, guardou um cantinho especial para a protetora das cervejeiras — que eram mais comuns que os cervejeiros.

Em plena primeira civilização do mundo, na região da Mesopotâmia, fiéis pediam bênçãos à Nikasi: a deusa da cerveja.

Com nome que pode ser traduzido como “a dama que enche nossas bocas”, Nikasi era mulher, provavelmente, porque naquele momento as religiões cultuavam muito o feminino e seu poder de gerar vida.

Ela era responsável por abençoar o plantio de cereais e sua colheita. Era Nikasi quem garantiria, também, a qualidade do líquido que nutriria os muitos e muitos humanos que para ela rezavam.

Louco, né?

Assim sendo, da próxima vez que ouvir alguém dizendo por aí a bobagem de “cerveja é coisa de machão”, pede para o cidadão ler um bocadinho.

A mulher tem um papel muito mais importante na história da cerveja, do que a mera figuração de biquíni nos comerciais das nossas "loiras geladas".

Vale muito ler!

cervejas2 Mulher inventa a cerveja e vira deusa na História “Cervejas, Brejas & Birras”, de Maurício Beltramelli (Ed. Leya)

Foi o primeiro livro sobre cerveja que li nesta vidinha. A partir dele, não parei mais. A publicação fala bastante da relação da mulher com a história da nossa bebida favorita — além de explicar o básico do universo cervejeiro de um jeito superfácil, sem termos esquisitos. Foi deste livro que tirei todas as informações aí de cima. Recomendo.

PS: Esse post foi originalmente feito no meu primeiro dia de blog. Diz muito sobre mim, diz muito sobre empoderamento feminino. Empodere-se você também, amiga! Um 8 de março de muito respeito para você!

http://r7.com/J6p4