O Telégrafo de Rondon Reflete o Atraso do Brasil

rondon O Telégrafo de Rondon Reflete o Atraso do Brasil

Rondon entre os índios no início do século XX

 

Em 1907 os EEUU já haviam colonizado todo o país, de leste a oeste. De Nova Iorque a São Francisco.

Haviam desbravado resgiões inóspitas. Ferrovias e telégrafos já cortavam o país inteiro.

O progresso era tão grande que em 1906 grande terremoto de São Francisco destruiu uma metrópole, no Pacífico  tão desenvolvida  quanto Nova Iorque, no Atlântico.

Pois neste período o Brasil não conseguia sequer passar um telégrafo - com fio - do Rio de Janeiro ( Capital da República )  para a Amazônia.

Era o fim do mundo. O lugar do nada .

Pois foi o Major Rondon - depois Marechal Cândido Rondon - quem na data de hoje em 1907, desbravou nossas matas e florestas, abrindo picadas e caminhos a facão por 997 km instalou a primeira linha telegráfica ligando a Capital Federal à Amazônia.

Até então o telégrafo chegava apenas a Mato Gorsso.

É de Rondon a frase "Morrer se preciso for, matar um índio, nunca!"

Foi Rondon o responsável pelo encontro de dezenas de tribos indígenas que jamais tiveram contato com a nossa civilização.

Respeitou-as e fez-se delas amigo.

O Estado de Rondônia, antigo Território do Guaporé, tem este nome em homenagem ao Major Rondon.

Ainda hoje, apesar de Rondon, a distância entre o Brasil e a Amazônia é imensa.

Muito da nossa riqueza em biodiversidade nos é roubada, levada para outros países, sobretudo para os EEUU tendo por causa a nossa incapacidade de controlar, dominar e possuir a nossa amazônia.

Os EEUU dominaram a deles há mais de 100 anos. E nós? Quando?

Você conhecia a obra do Marechal Rondon?

  • Sim
  • NãO
  • Ouvi falar

O Privilégio de Ter Vivido no Século XX

 

pablos2 O Privilégio de Ter Vivido no Século XX

Os tres pablos: Picasso, Neruda e Casals

Ultimamente tenho me queixado muito da mediocridade vigente em todos os setores culturais do Brasil, e até mesmo do Mundo.

Mas depois passei a me calar. Comecei a achar que estava repetindo os mesmos dizeres dos velhos do meu tempo de juventude que reclamavam da modernidade.

Constrangido andei calado sobre a mediocridade qe impera na sociedade atual. "Coisa de velho que quer voltar ao passado." pensei.

Mas no domingo passado fui assistir ao musical "Elis", que voltou ao cartaz no Rio.

Durante o espetáculo, ao rever parte da História do Brasil e da minha própria história através do posto em cena,  tive o "insight":

"Não tenho do que reclamar da atualidade. Sou um privilegiado.Pude viver todo0s os grandes momentos do século XX, todos os seus geniais artistas e pensadores. Pude viver o século dos geniais pablos: Picasso, Neruda e Casals.

Pude conviver no tempo de Dali e Buñuel.De Bertrand Russel e Ho Chi MIn. De Nara Leão e Elis Regina; de Bob Dylan e Janis Joplin...

E tenho hoje a oportunidade de poder - também - curtir Michel Teló e Tati Quebra Barraco; Paulo Coelho e Merval Pereira na Academia;o axé da música baiana onde as consoantes desapareceram e os sertanejos universitários, que nunca se diplomam, nunca se formam.

Quem não tem esse privilégio é a garotada de hoje, que não pôde curtir o passado século XX e só tem que dizer com muita alegria diante da mediocridade: "é o que temos pra hoje."

Então saio do teatro feliz por perceber que o que eu considerava uma perda é um duplo ganho. Por exemplo: dancei ao som de Ray Charles e Bob Marley e hoje posso dançar ao som de Luan Santana e Belo.

Puro privilégio!

"Sorry kids", mas parodiando o romântico poeta Gonçalves Dias (* 1823 + 1864 )  eu posso dizer com alegria: "Meninos, eu vivi". E viverei até fartar-me.

Você acha que as pessoas eram mais felizes no século passado?

  • Sim
  • Não
  • Não sei dizer

O Trágico Humor da Ditadura

 

O Assalto Folheto1 O Trágico Humor da Ditadura

Este "Assalto"em plena Ditadura Militar  só podia dar em confusão.

Essa aconteceu no ano de 1970.

Estávamos em turnê pelo Brasil com o espetáculo "O Assalto'' de Jose´ Vicente, com direção do Fauzi Arap.

Chamava-se "Assalto" porque contava a história de um bancário neurótico que "assaltava" a dignidade e a vida medíocre do faxineiro do banco depois do expediente.

Um drama realista, tratando da desesperada existência humana.

Naquele tempo não havia computadores, nem DDDs. Usava-se o telex e o telegrama.

Então, ,nós que estávamos em cartaz em Salvador , cumprindo turnê pelo Brasil,  estariámos nos apresentando na semana seguinte em João Pessoa na Paraíba.

Nosso produtor, rapaz jovem como nós ( o elenco era Reynaldo Gonzaga e eu), teve o cuidado de avisar à produção de João pessoa da chegada do grupo à cidade.

E sem tino sobre a época obscura e trágica que vivíamos - sobretudo na repressão aos grupos armados que praticavam expropriações a bancos em nome da luta contra a Ditadura - o produtor passou o seguinte telegrama para a Paraíba:

"Assalto em João Pessoa na 4a feira. Chegaremos terça no ônibus das 16 horas.

Quando o ônibus encostou no terminal de João Pessoa lá estava um aparato de Policiais Militares, soldados, e policiais civis, de metralhadoras em punho a nos aguardarem.

Todos presos. O maior suspeito fora o nosso iluminador, que descarregava aqueles aparelhos "terroristas", metálicos , de cor preta, do bagageiro do ônibus e que só podiam ser artefatos explosivos.

Acontece que o iluminador era gago, e quanto mais ele tentava explicar que aquilo eram simples refletores mais ele gaguejava e mais suspeitos nos tornava.

Levados sem mais conversas e delongas à Delegacia de Ordem Política fomos salvos pelo Diretor do Teatro local que acorrera em nosso socorro e nos livrou, quiçá, de torturas e quejandos tais apresentando documentos e mostrando que se tratava apenas de um "perigoso" grupo de teatro.

E pensar que ainda tem maluco nos dias de hoje que vai pras ruas pedindo a volta da Ditadura.

Brasil Terá Mais, Muito Mais do Mesmo

mais Brasil Terá Mais, Muito Mais do Mesmo

 

Ainda nem sequer tomou posse em seu segundo mandato e já vemos pelos atos da Presidenta por onde deve seguir seu segundo governo.

Durenta a campanha jogando pela Esquerda como forma de isolar à Direita a Oposição,   agora a realidade volta a se impor e o Governo volta ao que era antes, para desgosto dos que acreditaram em mudanças maiores na trajetória política e economica do País.

A julgar pelos nomes e pela vontade política  creio que  teremos o chamado "mais do mesmo".

A menos que sejamos salvos pelo gongo, o tédio regerá os próximos 4 anos.

Se por um lado a Presidência e o Partido pelo qual ela se candidatou estejam fragilizados pelas denúncias de corrupção - que no dizer dos delatores vem desde os anos 90 , muito antes do PT no Governo - por outro lado há uma expectativa de que mais de 200 congresistas estejam envolvidos no esquema de propinas da Petrobras.

E não nos enganemos: porque este esquema ocorreria apenas na estatal Petrobras? E se abrirmos um caixa de Pandora na Eletrobras , e em muitos outros departamentos do Estado brasileiro?

Pois é, fragilizados dois dos Poderes da República um poderá falar para o outro sem nenhum pudor: "Macaco olha o teu rabo!"

Sobrará o Poder Judiciário,  que a cada dia é mais recorrido pelo Congresso , por deputados e senadores, para dirimir questões que deveriam ser da autoridade das casas legislativas, o que por si só já demonstra - bem antes dos escândalos - a perda de tônus do Congresso.

Acenando para o Bradesco (Joaquim Levy) no lugar do Itaú para comandar a Economia, e para Katia Abreu - a ruralista - para a Agricultura podemos perceber que teremos durante os próximos 4 anos "mais, muito mais do mesmo".

Projetos como a Reforma Política, a Reforma Tributária, a Lei de Medios e muitos outros muito importantes para a modernização do País continuarão no Limbo, sem serem tocados.

O fosso e a falta de comunicação entre as bases e a Presidenta continuará ainda mais profundo.

A incapacidade de Dilma de dirigir-se ao povo brasileiro  em linguagem clara e popular persisitirá, impedida primeiro pela falta de dom da Presidenta em ter esse tipo de discurso, em segundo lugar - ou talvez até em primeiro - pelo tal pacto da governabilidade.

Portanto , amigos, coninuaremos a assistir ao velho filme neoliberal reprisado no telão do Alvorada.

Pelo andar da carruagem arrisco dizer que tudo será por muitos anos ainda "mais , mas muito mais do mesmo".

Ou não?

Ficará “tudo como d’antes no quartel de Abrantes”?

  • Sim
  • Não
  • Não sei

Conheça Um Dos Maiores Clowns Do Mundo

 

rivel 001 Conheça Um Dos Maiores Clowns Do Mundo

Rivel, aqui representando uma soprano.

Charles Rivel (1896-1983) nascido Josep Andreu i Lasserre, foi um dos mestrtes da arte do clown. Espanhol, filho de circenses, fez sorrir o Mundo.

Para quem acha que Rafinha Bastos ou Gentili sejam  representantes da Direita no humor, pasmem, há artistas  mais reacionários em política: Rivel era admirador de Hitler,  e creio que os dois citados anteriormente ainda não chegaram a tanto, mesmo com as piadas antisemitas do Rafinha.  (risos).

O que prova que talento não é uma questão partidária, nem de Direita e Esquerda.

Mas o assunto  não é política,  é Charles Rivel.

Rivel foi tão magistral que há um monumento em sua homenagem em Barcelona.

Transcrevo abaixo um trecho de uma carta pública endereçada a Charles Rivel por um seu admirador:

"... Porque o senhor hoje é um dos maiores clowns do mundo, e o mundo entende que assim é, porque há na sua arte um quê   de enlouqueceedor, de muita superação da normalidade que arrebata a platéia.

Onde o senhor encontra tamanha energia e coragem para fazer rir? E por tão longo tempo de carreira? Certa vez o senhor disse:

- "O Clown não morrerá jamais".

E enquanto o senhor representa de uma criança amudada à uma imponente cantora lírica,  a comunicação entre o senhor e a platéia é espantosa,e o senhor nos faz sentir crianças outra vez,  apertando contra o peito o clwon como um se fosse um pequeno boneco da nossa infância."

Isto dito faz-me  lembrar o nosso querido Palhaço,  o Carequinha (George Savalla Gomes - 1915/2006) que dizia:

- "Enquanto houver uma criança haverá sempre o Circo."

 

Web Mix – De Tudo Um Pouco na Data de Hoje

Há dias em que eu sento à frente do PC e o assunto do blog vem fácil. Aliás já estava na cabeça muito antes  de sentar-me.

Há outros dias em que recorro ao pauteiro para escrever sobre um fato importante ocorrido na data e que colabora para a nossa memória .

Foi o que aconteceu hoje: procurei um fato importante paa digredir sobre ele.

Que dificuldade em escolher...então resolvi hoje fazer este post que é um mix dos fatos da data de hoje.

Pra começar 39 anos da morte da maravilhosa atriz de Hollywood, Mae West. Símbolo sey das primeiras décadas do século XX.

Famosa por uma de suas frases diante de um jogador de basquete que lhe disse medir 2 metros e 22 centímetros.

- Pra mim bastam os centímetros.

mae Web Mix   De Tudo Um Pouco na Data de Hoje

Mae West - 1893/1980

Mas também é a data do assassinato do patriota Carlos Marighella. Tombou  em São Paulo na luta contra a Ditadura. Era o líder da Aliança Libertadora Nacional.

Tristezas à parte é o Dia da Música e do Músico!!! Música Divina Música!

E há 38 anos estreava filme de Bruno Barreto "Dona Flor e Seus Dois Marudos". Sucesso absoluto do cinema nacional.

flor Web Mix   De Tudo Um Pouco na Data de Hoje

"Dona Flor" entre seus dois maridos, Mauro Mendonça e José Wilker

Na data de hoje o marinheiro negro João Cânndido lideroiu a revolta da Chibata. Os marinheiros sob seu comando tomaram a Marinha de Guerra. Prenderam os oficiais, em revolta contgra o castigo corporal que era permitido aos oficiais infilngirem aos praças.

Pra completar os fatos trágicos na data de hoje em 1963 era assassinado em Dallas o Presidente Kennedy.

O fato alegre é que hoje é sábado , a vida continua, e brilha o  Sol de Primavera no Rio de Janeiro, que continua lindo.

rio Web Mix   De Tudo Um Pouco na Data de Hoje

 

Você que me lê, tem blog?

  • Sim
  • Não
  • Não me ligo

Ser Velho Não É Vergonha, É Bênção

 

old Ser Velho Não É Vergonha, É Bênção

É uma bênção viver até fartar-se

 

Vinha eu caminhando pela Lagoa, Rio. Quando de repente uma buzina frenética e estridente chamou minha atenção.

Um motoqueiro ferchara um taxi e pusera-se a gritar raivoso para o taxista.

De alguma forma ele sentira-se ameaçado por certa manobra do taxi na via pública.

Parei pra ver a cena.

Foi apenas mais uma discussão no trânsito. Na neurose e agressividade do trânsito de cada dia.

Mas o que me impressionou é que o rapaz da moto gritava para o taxista:

- Seu velho...(seguido de um adjetivo pornográfico); e novamente:

- Seu velho ...( e mais um xingamento).

Eu, que sou idoso, percebo uma coisa nos jovens. Eles julgam que ser velho é imoral ou ilegal.

Tam,bém já fui jovem e sei como pensava à época.

Mas chamar um idoso de velho não é ofensa. Ele é velho mesmo, e sabe disso

Seria a mesma coisa que o idoso gritasse:

-Seu jovem...(seguido de um adjetivo pouco lisonjeiro).

O que ofende é o adjetivo e não o substantivo.

Mas é próprio dos jovens acharem que a velhice está muito distante deles, e que talvez nunca envelhecerão, serão sempre jovens...ah, enganoso coração.

Ser velho faz parte da vida. Chegar à provecta idade é uma bênção e não uma maldição.

Como certa vez disse Bibi Ferreira a um jovem que a chamara de velha:

- A minha velhice é permanente mas a sua juventude é passageira.

Seguindo meu caminho pela Lagoa pensei :  aquele jovem irado  era o passageiro, não do taxi, mas da vida.

 

Parece Que Foi Ontem: Um Estranho no NInho

jack1 Parece Que Foi Ontem: Um Estranho no NInho

Jack, em cena de choque elétrico no filme.

 

Revelado para o público mundial neste filme onde ganhou seu primeiro Oscar, Jack Nicholson tem em "Um Estranho no NInho" um de seus melhores desempenhos.

Filme inesquecível.

Lançado há exatos 39 anos,em 1975 quando mais se discutia a antipsiquiatria, os valores reais dos choques elétricos e da lobotomia no tratamento de patologias mentais.

O filme “Um Estranho no Ninho” conta a história de McMurphy (Jack Nicholson) ,um homem que acusado de estupro de vulnerável é preso,e passa a apresentar comportamentos considerados estranhos,sendo então enviado a um manicômio para a averiguação de uma poss!vel patologia.

Desde o momento de sua chegada,McMurphy vai contra todo o sistema empregado,o que acaba  tornando-o  uma espécie de herói para os outros pacientes,que não conseguiam contestar as regras da instituição.

"Mac em momento algum os trata como doentes,como pessoas incapazes,diferente de todos que os cercavam.

Ele os encora-a a questionar a vida que levam e a almejar os simples prazeres,como assistir a um jogo ou fazer um passeio de barco.

O mais bonito de se observar no filme,é essa amizade que McMurphy desenvolve com os outros internos,e o quanto isso os ajuda a melhorar.

Outro ponto do tratamento que merece destaque,é o empregado àqueles que “saem da linha”. Eles são su%metidos a punições como choques elétricos e,em casos considerados mais extremos,até a lobotomia,como ocorre com o próprio McMurphy.

Essas punições e torturas não est~çao distantes de nós brasileiros, leiam a obra da mineira Daniela Arbex, "Holocausto Brasileiro" sobre os hospital psiquiátrico de Barbacena, verdadeiro Auschwitz para os doentes mentais.

"Um Estranho no Ninho" não é um filme sobre loucura apenas,ele é também sobre liberdade,e pela busca desta,que só é realmente alcançada por McMurphy com a morte.

Ele sempre seria um estranho no ninho,tanto dentro como fora do manicômio,afinal a loucura não está no sujeito,mas sim na sociedade em que ele está inserido,no modo como as pessoas o veem e tratam e no que elas julgam como normal ou patológico.

O filme tem no elenco entre outras estrelas, Dani de Vito, e Crhistofpherr LOyyd.

Direção de Milos Forman. E Produção de Michael e Kirk Douglas

2328 barbacena01 dest Parece Que Foi Ontem: Um Estranho no NInho

O Hospício de Barbacena - MG, arquivo da revista "O Cruzeiro"

 

O Petróleo É Nosso Mas a Grana È Deles

petrobras O Petróleo É Nosso  Mas a Grana È Deles

1a Conv enção Nacional em defesa do petróleo, 1948

 

 

O  petróleo é nosso! Mas a grana da Petrobras não. Ela vem sendo roubada, repartida e distribuída entre ladrões de várias quadrilhas.

Transformaram a Petrobras na Casa da Mãe Joana. Desonraram a memória de todos os patriotas que morreram lutando pelo nosso petróleo. Fizeram de uma das maiores empresas do mundo uma vergonha enxovalhada.

Tiveram sequer o pudor de respeitar o nosso patrimonio, nossos impostos, nossa nacionalidade.

Cadeia, e cadeia grossa pra todos os envolvidos, pra todos os que acumpliciaram, pra todos os que sabiam e faziam de contas não saber, pra todos que podiam apurar e não apuraram.

Pois como é possível que tal esquema de corrupção venha desde 1990, atravesse os governos de Itamar, os dois de FHC, os dois de Lula e um de Dilma e ninguém em todos os escalões desta República soubesse de nada?

Mais que revoltado, estou envergonhado. Brasileiros corruptos a tal ponto que pouco se importaram em depredar o seu, o meu, o nosso patrimônio e a nosssa credibilidade diante do Mundo.

E não adianta vir com o papo de "o outro também é corrupto". Um corrupto não justifica o outro.

E ainda vem mais lista de corrupção por aí. Falta agora os nomes dos parlamentares, dos políticos, dos dirigentes partidários, dos  que detém poderes na República brasileira.

Ainda bem que estouraram o tumor. Que detectaram , mesmo que tardio, o câncer que corrói a Nação: a corrupção.

Que se vá fundo nas aparações, nas punições.

Que este exemplo de venalidade, de descaso e de corrupção seja motivo, mais que nuncam, para ternmos a tão esperada reforma política, que ponha fim ao Caixa Dois e aos lobbies das empreiteiras junto a candidatos e aos poderes da Repíublica.

Até lá, tenhamops coragem de encararr a Medusa horrenda em que transformaram a Petrobras. Aguardemos com racionalidade mas indignados o que mais sairá desta Caixa de Pandora aberta diante de nós.

 

 

Corrupção, Roubos, Violência…Coisas Tão Antigas Quanto a História Humana

metralahs Corrupção, Roubos, Violência...Coisas Tão Antigas Quanto a História Humana

O crime não nasceu com os Metralhas de Wal Disney

 

Escândalo na Petrobras. Escandalo entre as empreiterioas e as licitações da estatal.

Escândalos entre parlamentares e bicheiros e atravessadores.

O Páis escandalizado como se nunca antes houvera visto tal coisas sobre a face da terra e em outras ocasiões.

Apurem-se os crimes e os desvios., Prendam-se e punam-se os criminosos.

Mas a corrupção, a traição por dinheiro, o roubo, os furtos, os homicídios pelo poder e as guerras pelos interesses economicos sempre existiram desde a nossa civilação.

A começar em minha memória por Judas Escariotes tesoureiro de Jesus que o traiu por trinta dinheiros.

Séculos e séculos mais tarde Joaquim Silvério dos Reis traiu Tiradentes e a Conjuraçaõ Mineira em troca do perdão de suas dívidas com a Coroa portuguesa.

Na segunda viagem de Marco Polo à ìndia, no século 15, foram com ele centenas de jesuitas para catequizar o Oriente. Levavam mulas e mais mulas carrgada de relógios ( o mais sofisticado invento da época) para suborbnar os guardas das aduanas de cada principada da China para poderem prenetar pelo territporio à dentro.

NO século 19 falência fraudulenta do primeiro Banco do Brasil.

Em 1822 POrtugal nos vendeu nossao INdependência em troca de pagarmos sua dívida externa, um negócio familiar entre Dom João e seu filho Pedro I.

Houve também o primeiro vice-rei do Brasil que usava o dinheiro da Coroa para construção de sues engenhos particulares...

E Dom Pero Fernandes sardinha, o Bispo do Espírito Santoi que no Brasil colÔnia foi devorados pelos índios depois de um naufrágio do navio que o evava a PÇOrtugal para queixar-se dasorgias e desmandos e roubos no Brasil.

Médicos e cirurgiões s´~o atendiam a quem podia pagar, os pobres que se danassem.

Remonta a milênios os assaltos e furtos a viajantes estrangeiros , muito antes da indústria do turismo ser estabelecida.

Arrastões não aconteciam apenas em cidades, mas em tribos inteiras contra tribos.

Em Shakespeare, em "Romeu e Julieta=", a tragédia começa com uma briga de gangues juvenis, com mortos e feridos, bem ao estilo das gangues juvenis de Brasília ou Los Angeles, de hoje.

POderia desfilar exemplos e mais exemplos de desvios de conduta ética da Humanidade ao longos dos tempos.

Mas creio que os acima citados bastam para dizer que o tal Homo Sapiens continua o mesmo apesar de toda a cultura adquirida.

Ainda assim perseveramos e cremos que é possível vencer o cirme , a corrupção a violência.

Que é possível viver num mundo melhor.

Ir para a home do site
Todos os direitos reservados - 2009- Rádio e Televisão Record S/A
exceda.com