Shakespeare: Paixão de 450 Anos

shkaes passion Shakespeare: Paixão de 450 Anos

Joseph Finnes no filme "Shakespeare Apaixonado".

 

Festa no arraial do teatro; festa nos chás acadêmicos; festa no mundo das artes, da literatura, da poesia: 450 anos do nascimento de William Shakespeare.

Shakespeare, um dos maiores, senão o maior, dramaturgo do Mundo.

Maravilhosas e perfeitas tragédias, comédias e ainda mais os seus sonetos.

No Brasil não temos o hábito de encená-lo amiúde, e talvez até mesmo nos  faltem  mais atores chamados de "shakespeareanos" para interpretá-lo por aqui.

A métrica que ele usa nas suas frases exigem fôlego, cadência, ritmo, melodia e uso da articulação muito diversa do que habitualmente praticamos na cena brasileira.

Curiosamente Shakespeare morreu na mesma data em que nasceu, claro que  52 anos depois, em 1616.

Vi muitas peças de Shakespeare, até hoje a montagem que mais me tocou foi a de uma companhia iraniana bo Festival de Nancym, na França. Fantástico ouvir os versos de Shakespeare na língua persa. Claro que eu não entendi uma palavra sequer, mas a melodia das palavras, e a encenação eram fantásticas.

Não me esqueço da montagem de "O Rei Lear" tendo Paulo Autran como protagonista.

Eu nunca fiz Shakespeare, entretanto quase estreei em teatro com "Romeu e Julieta" no pape de Mercúcio. Foi em 1964, no 4º centenário de seu nascimento, um festival promovido pelo Estado do Rio (então Guanabara) no Teatro João Caetano.

Mas...desavenças entre o Romeu  e a Julieta puseram fim aos nossos ensaios, e só fui estrear em teatro dois anos  após, em 1966.

Os bobos em Shakespeare são fascinantes. O dramaturgo Clóvis Levy escreveu uma peça ainda inédita chamada "Os Vilões de Shakespeare", nela todos os bobos e vilões  de Shakespeare estão presentes. Um dia quem sabe, antes de partir a gente não monta?

Laurence Olivier as Richa 008 Shakespeare: Paixão de 450 Anos

Sir Lawrence Olivier sem dúvidas o maior intérprete de Shakespeare, no filme "Ricardo III"

Lamartine Babo e a Invenção do Brasil

 

cabal Lamartine Babo e a Invenção do Brasil

Lamartine inventou o Brasil um dia antes de Cabral, dois meses depois do Carnaval

 

"Quem foi que inventou o Brasil?
Foi seu Cabral, foi seu Cabral!!!
No dia 21 de abril,
Dois meses depois do carnaval!"

O que significaria "inventar" o  Brasil aos olhos de hoje?

O que hoje é o Brasil, já existia. Pindorama.  Os portugueses o acharam para usufruto da Coroa lusitana.

E de há muito já caiu por terra a ideia de que foi por acaso.

Ninguém, mesmo naquela época sairia com uma gigantesca esquadra  para a Índia em direção ao Oeste para perder-se no Atlântico.

Já havia bússola,  já havia o quadrante, o astrolábio e a barretilha.  Instrumentos que facilitavam a navegação, e os portugueses eram sábios na arte de navegar, sobretudo pela criação da Escola Naval de Sagres.

Sabiam que havia terra no Oeste. Colombo 8 anos antes havia chegado ao que hoje é a América Central.

Há relatos de povos mais antigos passeando aqui pelas Américas: vikings e até fenícios.

Mas não importa. Importa sim que a partir de 1500 estas bandas de cá passaram a falar português numa tentativa de transformar isso aqui , como diz Chico Buarque, num imenso Portugal.

Verdade seja dita que por séculos falou-se o nhengatu, uma mistura de português com tupi-guarani, que resultou nhuma "língua geral paulista", usando-se a língua lusa apenas para as formalidades na Bahia ou Rio.

Em tempo de nhengatu vale ressaltar: a letra da marchinha acima do carnaval de 1934 , de Lamartine Babo, tem a data errada de propósito , segundo ele para facilitar a métrica musical.

E com muito bom humor o compositor diz que o Brasil não foi descoberto, foi inventado.

Agora é se preparar para o Carnaval de 2015, claro, depois das festas juninas, depois das festas da Copa, depois das festas e Natal, depois das festas do fim de Ano, e das festas de Verão.

Aí, passado o carnaval, de festa em festa  começamos tudo de novo inventando e reinventando o Brasil.

Tiradentes e O Dedo_Duro, O Alcaguete, Essa Coisa Abjeta

silverio Tiradentes e O Dedo Duro, O Alcaguete, Essa Coisa Abjeta

Olha aí a cara do "coxinha" Silvério dos Reis

 

O Dedo_duro é figura antiga, milenar ma História dos povos.

Durante a Ditadura Militar de 64 foi prática comum em fábricas, escolas, bairros, repartições, etc. etc..

Uma das maiores deduragens nessa época ocorreu na Rádio Nacional. Dezenas de artistas e técnicos, entre eles Mário Lago, Paulo Gracindo e Wanda Lacerda foram dedurados, processados e perderam seus empregos  acusados de comunistas, e apontaram como se alcaguete  ninguém menos que o famoso e "simpático  apresentador" de programas de auditório, César de Alencar.

Houve época, logo após o Golpe de 64,  no sertão do Nordeste que um justiceiro cortava o dedo indicador dos dedo-duros conhecidos.

Hoje, sobretudo no meio da bandidagem, o dedo-duro é chamado de x-9.

Na História cristã Judas Iscariotes teria sido o primeiro dos dedo-duros.

Mas no Brasil o mais famoso de todos, embora eu ainda tenha dúvidas sobre o canalha do Cabo Anselmo que além de dedurar assassinava seus companheiros de luta - foi o Joaquim Silvério Montenegro dos Reis.

Dedurou Tiradentes e toda a conspiração mineira.

Entra para a História do Brasil como mais abjeto canalha e traidor dos nossos ideais de independência e nacionalidade.

Hoje, 21 de abril ,  em que se relembra o enforcamento e esquartejamento de Joaquim José da Silva Xavier, o Alferes Tiradentes mártir da nossa Independência, vem-me à mente o lado sombrio dessa página heróica o dedo-duro que atravessa os séculos.

Mais uma vez para que o nome do traidor  não seja esquecido jamais: Joaquim Silvério dos Reis Montenegro Leiria Grutes.

bandeira Tiradentes e O Dedo Duro, O Alcaguete, Essa Coisa Abjeta

A bandeira da minha terra que muito me orgulha

A Páscoa Não É O Dia do Coelhinho

coelho A Páscoa Não É O Dia do Coelhinho

 

A colega e amiga , atriz Jussara Freire, postou no seu Face : "Pra quem já se esqueceu:  a Páscoa não é o Dia do Coelhinho".

A Páscoa é uma tradição judaico-cristã e tem origem na celebração da fuga dos judeus do antigo Egito, e na Ressurreição de Jesus.

O sentido é muito mais profundo e deveria levar à muito mais meditações , senão sobre as questões religiosas, sobretudo á questão histórica da libertação e formação do povo judeu.

Mas., assim como enfiaram um inadequado senhor de roupas calorentas no nosso Natal, muito mais símbolo de um refrigerante que qualquer outra coisa, enfiaram-nos também goela abaixo um coelho .

E que põe ovos!!! De Chocolate!!! kkkkk

Se alguém disser-me como explico às crianças que a celebração da fuga dos judeus do Egito e a Ressurreição de Jesus em muitos lares que se dizem cristãos resume-se a um coelho surrealista pondo ovos escondidos pela casa eu vou ficar de boa.

Páscoa significa  passagem, travessia. Difícil momento vivido por alguém que ao final revela-se vitorioso.

Fico muito triste quando vejo o desespero das pessoas comprando ovos e mais ovos de chocolate entre frases de "Feliz Páscoa", sem sequer se demorarem um minuto a meditar sobre o real significado da data.

Não descarto a importância para o emprego e comércio do ramo de chocolates e derivados, mas com toda a certeza não é por aí que se constrói uma Sociedade sadia, livre da terrível ambiguidade  de um pervertido coelho ovíparo. (risos pascoalinos).

Quem Se Lembra do “Seu Obturado”?

walter2 Quem Se Lembra do Seu Obturado?

 

Quanta saudade do colega Walter D'Ávila.

Seria lugar comum dizer: "Já não se fazem comediantes como antigamente". Mas não consigo furtar-me a dize-lo.

Trabalhei com ele na Escolinha do Raimundo. "Baltazar da Rocha" era a sua personagem. Ele já octogenário, sábio, pleno. Eu ainda aos quarenta com toda a ansiedade de quem ainda está construindo sua carreira.

Walter era irmão de outra grande comediante: Ema D'Ávila.

Não creio que alguém soubesse dar tão bem o desfecho de uma piada quanto Walter.

Sem mover um músculo do rosto, apenas com seu tom de voz, tirava a risada certa do espectador.

Um de sues personagens de maior sucesso foi o "Seu Obturado", que só conseguia entender as anedotas que lhe contavam muito tempo depois (normalmente no final do quadro humorístico).

Faleceu na data de hoje em 1996, aos 85 anos de idade.

Inesquecível.

walter1 Quem Se Lembra do Seu Obturado?

Walter contracenando com a irmã Ema D'Ávila

O Mundo Dentro do Mundo de Gabriel Garcia

marquez O Mundo Dentro do Mundo de Gabriel Garcia

 

Quando eu era jovem o maior escritor contemporâneo pra mim era o Jorge Amado.

Meu preferido de sempre.

Amava o Amado.

Achava que ninguém no  mundo era capaz de expressar a alma dos povos como ele.

Que nenhum escritor  seria capaz de defender os pobres e excluídos como ele.

Ate o dia em que eu vi o Mundo dentro do Mundo.

O Mundo dentro do Mundo fli assim que conheci a mágica cidade de Macondo.

Pois foi assim, com "Cem Anos e Solidão" que eu vi que havia outro mundo dentro do meu Mundo.

Um Mundo maior, muito mais amplo.

Dentre o Mundo de Jorge apareceu-me o Mundo de Gabo: Gabriel Garcia Marquez.

E o Mundo tornou-se maior para mim e para milhões de pessoas em todos os Mundos.

Quando descobri Saramago eu já não cabia mais dentro de  mim e do meu Mundo!!! Que maravilha!!!

Jorge se foi, Saramago também. Hoje partiu Gabriel.

Foi para outro Mundo, aumentar ainda mais as possibilidades do Mundo em que vivemos.

Que as futuras gerações possam conhece-lo e ao Mundo através de suas páginas, através de seus atos, através de seu olhar sobre os povos do Mundo.

Você Se Queixa Que O Seu Tempo Não Dá Pra Nada?

reloy Você Se Queixa Que O Seu Tempo Não Dá Pra Nada?

Há tempos atrás eu não no conseguia fazer mais de uma ou duas tarefas por dia.

Achava tudo muito difícil, custoso, tomava-me muito tempo.

Foi quando aprendi a customizar meu tempo.

Você que me  lê pode ter esta mesma dificuldade pela qual já passei.

Ás vezes ir a um curso  e depois consertar alguma coisa em casa pode tomar seu dia inteiro...

É como se o dia precisasse ter 48 horas para você conseguir cumprir sua agenda.

Mas não precisa ser assim.

Trata-se de uma solução fácil: otimizar seu tempo.

Não perder tempo com bobagens que podem ficar pra depois, e nem se impressionar com as dificuldades e tamanhos das tarefas que se apresentam.

Comece por dividir seu dia em pequenas frações. Cada uma delas uma fração de tempo para cada tarefa.

Se a tarefa é grande demais divida-a também em  pedaços menores, e assim por diante. Faça uma coisinha de cada vez.

Há coisas que não precisam ser feitas de imediato, ficam então para outro dia ou horário.

Faça isto e  ainda encontrará tempo para o ócio.

Ontem por exemplo foi mais um dia de trabalho meu:  Acordei, fiz minhas orações, tomei meu café, li dois jornais, planejei as contas bancárias minhas e de minha mulher, distribuí meu blog pelo tuiter e pelas minhas quatro contas no face, respondi emails e mensagens, tomei banho, e fui para a Record gravar "Pecado Mortal".

No percurso aproveitei o tempo para decorar as minhas cenas.

Gravei, almocei, gravei, lanchei, e depois parti para o Teatro Miguel Falabella onde apresentei mais uma sessão do meu stand up. No  percurso até o teatro aproveitei o tempo para ler alguma coisa.

Ao final  deixei a administradora em sua residência, vim para a minha casa, brinquei com meus netos, acarinhei minha mulher, tomei banho, jantei, e organizei meus textos e roteiros da novela  para hoje.

Rearrumei meu escritório, acessei meus emails, e antes de deitar-me  - curtindo o ócio vendo um filme até adormecer depois de novas orações -  escrevo este blog de hoje, coisa que faço diariamente.

Faça você um exercício como acabei de fazer: no fim do dia liste as coisas que fez e veja como está usando seu tempo.

Duvido que venha a se queixar que não está tendo tempo pra nada.

Centenário de Lupicínio, o Compositor da Dor-de- Cotovelo

dor Centenário de Lupicínio, o Compositor da Dor de  Cotovelo

 

Se tivesse psicanálise Lupicínio Rodrigues talvez estivesse hoje compondo letras de música como Michel Teló ou Luan Santana. Quiçá as letras de Anitta.

Mas, conhecido como o compositor da dor-de-cotovelo, juntou-se ao grupo dos autores da fossa na MPB.

Músicas e letras belíssimas, compostas numa época em que os boêmios sentavam-se à noite em bares ou casas noturnas com luzes baixas e choravam as dores e mágoas do amor.

"Eu também tive nos meus belos dias
Essa mania e muito me custou
Pois só as mágoas que eu trago no peito
E estas rugas que o amor me deixou" (esses Moços, pobres Moços)

Porque a criatura que eu sonhava
Não faz aquilo que me prometeu
Não sei se é meu destino
Não sei se é meu azar
Mas tenho que viver brigando
Se todos no mundo encontram seu par
Por que só eu vivo trocando (Foiassim)

Eu não sei se o que trago no peito
É ciúme, é despeito, amizade ou horror.
Eu só sei é que quando a vejo
Me dá um desejo de morte ou de dor.(Nervos de Aço)

Quando a gente perde a ilusão
Deve sepultar o coração
Como eu sepultei.(Nunca)

Mas, enquanto houver força em meu peito
Eu não quero mais nada
Só vingança, vingança, vingança
Aos santos clamar
Ela há de rolar como as pedras
Que rolam na estrada
Sem ter nunca um cantinho de seu
Pra poder descansar. (Vingança)

O calor das cobertas
Não me aquece direito...
Não há nada no mundo
Que possa afastar
Esse frio do meu peito. (Volta)

Estas letras acima refletem bem o tipo de pensamento que Lupicínio expressava em suas melodias.

Musicas e letras maravilhosas e inesquecíveis. Verdadeiros tesouros da literatura musical brasaileira.

Quantas gerações já não cantaram com dor no peito e emoções várias as suas músicas?

Se vivo fosse ( faleceu em 1974) Lupicínio faria 100 anos na data de hoje.

Mas continua vivo e avançando no tempo , batendo forte o compasso em todos os corações sofredores, onde a paixão se sobrepõe à razão.

O Dia Em Que O Impressionismo Abalou Paris

Monet   Impression O Dia Em Que O Impressionismo Abalou Paris

Pintura de Monet. liderança do Impressionismo...

 

P5020008 O Dia Em Que O Impressionismo Abalou Paris

... e o Realismo da foto que tirei numa tarde em Angra dos Reis

 

Escândalo no mundos das artes: o Impressionismo. Há 140 anos atrás realizava-se  a primeira exposição deste estilo de pintura.

Para os acadêmicos e apreciadores do Realismo na época ( para os caretas de então) , foi um escândalo de proporções gigantescas.

Foi um movimento que surgiu na pintura francesa do século XIX, vivia-se nesse momento a chamada Belle Époque ou Bela Época em português. O nome do movimento é derivado da obra "Impressão: nascer do sol"  (1872), de Claude Monet.

Tudo começou com um grupo de jovens pintores que rompeu com as regras da pintura vigentes até então.

Geralmente as telas eram pintadas ao ar livre para que o pintor pudesse capturar melhor as variações de cores da natureza.

É um modo de pintar, sem muitos detalhes e geralmente é na natureza.

A revolta dos classicistas europeus quando dessa primeira exposição beirou as raias da violência, refletindo um continuado movimento de repulsa que já datava de uma década antes, quando da exposição  dos quadros de Édouard Manet, sobretudo seus nus femininos.

Campanhas contra o movimento impressionista foram feitas, não se podia admitir o rompimento da arte pictórica tradicional.

Há um filme francês chamado "O Escândalo do Impressionismo" (Le Scandale Impressionnist) que pode ser acessado pelo Yolutube  contando em detalhes o que foi a ação e a reação daquela Belle Époque à novidade.

Mas fato é que do Impressionismo em diante estava aberta a porteira para a liberdade da criação artística em todos os seus estilos.

Às vezes a gente precisa perceber de que lado estamos quando surgem novidades no campo das artes.

Se estamos ao lado do atraso e do preconceito,  ou se progressistas,  estamos vivendo o momento certo do nosso tempo e costumes.

O Primeiro Jogo de Futebol no Brasil

 

Charles Miller2 O Primeiro Jogo de Futebol no Brasil

O "galã" Charles Miller aos vinte anos...

Em ano de Copa do Mundo aqui na terrinha é bom festejar o aniversário do primeiro jogo  de futebol no Brasil, em 14 de abril de 1895. Em São Paulo.

O promotor do jogo, o brasileiro, filho de escocês,  Charles Miller, sempre lembrado. Hoje é nome de rua no entorno do Estádio do Pacaembu (SP).

Miller tinha 20 anos de idade quando trouxe para nossa diversão aquele que seria o esporte mais popular do Brasil.

Tendo ido estudar na Inglaterra ele retornou de lá trazendo na bagagem duas bolas usadas, um par de chuteiras, um livro com as regras do futebol, uma bomba de encher bolas e uniformes usados.

A primeira partida de futebol do Brasil, disputada de forma organizada, ocorreu entre os funcionários da Companhia de Gás de São Paulo (Gas Company of São Paulo) e da Companhia Ferrovíaria de São Paulo (São Paulo Railway Company) onde o São Paulo Railway, o time de Charles Miller, venceu por 4 a 2

Vitorioso no jogo em campo aberto, não deu tanta sorte no campo fechado do jogo amoroso: perdeu a esposa, a pianista Antonieta Rudge  para o escritor Menotti del Pichia, então um rapagão de vinte e poucos anos, enquanto Miller já estava "coroando" quase chegando aos cinquenta.

Menotti Del Picchia1 O Primeiro Jogo de Futebol no Brasil

...driblado pelo "galã" Del Pichia trinta anos depois.

Mas, fofocas de alcova à parte, vale lembrar que também neste mesma data de 14 de abril, dezessete anso depois do primeiro jogo de futerbol no Brasil, foi criado o Santos Futebol Clube, que portanto aniversaria hoje, completando  102 anos.

 

Ir para a home do site
Todos os direitos reservados - 2009- Rádio e Televisão Record S/A
exceda.com