Morre Max Nunes, o Humor do Brasil

max Morre Max Nunes, o Humor do Brasil

Max Nunes

 

O Nome Max Nunes eu trago gravado comigo desde a minha infância, desde o tempo em que no interior de Minas, ainda criança,  ouvia pelas ondas curtas do rádio os comediantes que fizera a nossa história..

Pioneiro dos programas de humor no rádio e na TV, foi o criador e redator do programa Balança Mas Não Cai, grande sucesso da década de 1950, na Rádio Nacional, onde se consagraram, por exemplo, atores como Paulo Gracindo e Brandão Filho,  nos papéis do "Primo Rico e primo Pobre" .

Como cronista era autor de textos sobre o cotidiano do Rio de Janeiro.

Também era compositor de canções, como Bandeira Branca de 19701 .

Era torcedor do America Football Club do Rio de Janeiro1 . Em sua homenagem, na sede do clube, há um teatro que leva seu nome .

Max Nunes é pai das atrizes Bia Nunnes e Maria Cristina Nunes .

Profissional respeitadíssimo por todos nós  faleceu hoje aos 92 anos de idade.

Com ele encerra-se um ciclo do humnor brasileiro. À ele muitos comdiantes devem o sucesso e o trabalho que lhes proporcionou o pão de cada dia.

primos Morre Max Nunes, o Humor do Brasil

Brandão Filho e Paulo Gracindo como Primo Pobre e Primo Rico, inesquecíveis.

Marinha do Brasil:Dia de Cantar “Cisne Branco”

marcilio Marinha do Brasil:Dia de Cantar Cisne Branco

O gaúcho Marcílio Dias, herói nacional

 

"Sustentar o fogo que a vitória é nossa!"

Esta frase que poderia nos dias de hoje ser dita por qualquer dos lados que concorrem às eleições de outubro foi pronunciada de forma heróica pelo Almirante Barroso, no comando da Armada Brasileira na Batalha do Riachuelo.

Hoje é o Dia da Marinha. Justamente porque na data de hoje em 1865  nossas forças navais levaram à derrota a esquadra paraguaia.

A Guerra do Paraguai, que a princípio parecia que seria rápida ainda duraria mais 5 anos depois desta batalha.

Mas a partir de 11 de junho de 1865 o Paraguai perdeu de vez seu acesso à navegação nos rios e qualquer possibilidade de alcance ao mar e de receber ajuda por estas vias.

A Marinha brasileira tinha por comando geral o Almirante Tamandaré, mas a Batalha do Riachuelo deu-se sob o comando do Almirante Barroso.

Na defesa da Bandeira Brasileira - esta mesma que vândalos queimaram em protestos estúpidos nos últimos dias - morreram lutando  o Guarda-Marinha João Guilherme Greenhalgh, o Marinheiro Marcílio Dias, o Capitão do 9º Batalhão de Infantaria Pedro Afonso Ferreira e o Tenente do mesmo batalhão Feliciano Inácio Andrade Maia

Os paraguaios haviam abordado a corveta  Parnaíba, e tinham o dobro de combatentes  e haviam conseguido  arriar a bandeira brasileira.

Marcílio Dias  travou uma luta corpo a corpo contra quatro inimigos, armado de sabre, abatendo dois deles. Na luta teve seu braço decepado na defesa da bandeira do Brasil. Os ferimentos sofridos causaram-lhe a morte no dia seguinte.

Os heróis citados morreram para que nossa bandeira  fosse içada novamente no vitorioso Parnaíba.

A força naval paraguaia ficou reduzida a apenas tres navios.

A Batalha do Riachuelo é uma das mais belas páginas da nossa História e foi fundamental para a nossa vitória.

Numa justa lembrança até os dias de hoje a nossa Marinha presta homenagens ao humilde marinheiro Marcílio Dias.

Mais Políticos Suíços Para o Brasil

teell2 Mais Políticos Suíços Para o Brasil

Guilherme Tell o herói da Suíça.

 

O carro da frente trazia um adesivo: "Mais políticos suíços para o Brasil."

Pensei sobre o complexo de vira-latas.

A Suíça  é menor que o Estado do Rio de Janeiro.

Tem 8 milhões de habitantes . O País inteiro tem muito menos habitantes que a Região Metropolitana do Rio.

No Brasil a cada 5 anos nasce uma população suíça inteira.

Para 60.000 suíços que nascem por ano  , nascem também 1.800.000 brasileiros.

Planejar e administrar este crescimento populacional no Brasil é o mesmo tabalho de enxugar gelo. "Muita calma nessa hora"!

Com toda a sua democracia e desenvolvimento sómente em 1958 as mulheres suiças conseguiram o direito de votar e assim mesmo para eleições locais.

Só em 1990 todas conseguiram o direito de voto para eleições federais.

A Suíça  foi durante século o maior  depositário de contas fantamas do Mundo. O maior centro financeiro offshore do mundo, com US$ 2 trilhões em ativos.

A lei só foi mudada agora em 2014 por pressão da União Européia e dos EEUU.

Qualquer bandido, sonegador,  ladrão ou estelionatário no Mundo pegava  o produto do seu roubo e depositava tranquilamente nas contas da Suíça, até o início deste ano.

E quem votou tais leis que deram proteção ao capital sujo do Mundo todo,  que impedia as mulheres de votar?

Exatamente: os políticos  suíços.

E quem votou as leis que permitem a qualquer cidadão na Suíça comprar armas de fogo, de fuzis de longo alcance a pistolas sem burocracia facilitando  o comércio de armas para terroristas e bandidos do mubndo inteiro?

Exatamente: os políticos suíços.

E quem votou que a maior condenação criminal - à exceção de homicídios - não excede a um ano de prisão?

Exatamente: os políticos suíços.

E quem elegeu os políticos suíços?

Exatamente: o povo da Suíça.

A Suíça é um País admirável. Mas entre ela e o Brasil há um abismo geográfico e geopolítico de proporções inimagináveis.

O adesivo "Mais políticos suíços para o Brasil" portanto é apenas sofisma. Ou como diria Lula: uma babaquice!

O Brasil Já Foi Muito Mais Doido

 

princesa O Brasil Já Foi Muito Mais Doido

Princesa, em 1930

 

Pra você que acha que estamos vivendo tempos  terríveis no Brasil como anuncia certa imprensa golpista; que acha que estamos à beira do apocalipse pregado pela Vênus Platinada todos o dias...saiba que já vivemos loucuras e desatinos reais e nem por isso o Brasil foi pro brejo.

Na data de hoje, em 1930  foi proclamada a independência do Território Livre de Princesa.

Fruto de uma revolta do latifundiário Coronel José Teixeira contra o governo da Paraíba,separou-se do estado e resolveu obedecer diretamente ao Governo Federal.

O Território  tinha mais de dois mil quilômetros quadrados, em torno de 20.000 habitantes e tinha por Capital a cidade de Princesa. Tinha bandeira, hino e brasão.

Coisa de realismo fantástico que só acontece na América Latina.

Uma Macondo entre a Paraíba e Pernambuco.

A independência durou menos de um ano, quando José Teixeira  após o assassinato de João Pessoa percebeu que a luta não tinha mais razão de ser, e rendeu-se às tropas do Governo.

A loucura foi tamanha que até Lampião foi chamado para combater os revoltosos.

Portanto não me surpreenderei se alguns malucos resolverem na Copa proclamarem o Território Livre do Itaquerão. (Risos)

Como É que Estamos de Público?

image2 Como É que Estamos de Público?

Campeões de público também se perguntavam

Esta é a pergunta que todos os atores fazem antes de começar o espetáculo: "Como é que estamos de público?".

Talvez  seja a mais antiga questão que preocupa todos os atores desde a Antiguidade.

Divago e vejo todos os grandes mestres da arte de representar em seus camarins maquiando-se e indagando ao camareiro ou ao produtor:"Como é que estamos de público?"

Não se trata apenas  de uma preocupação com o numerário, mas sim para que quantidade e tipo de público iremos representar naquela noite.

É uma curiosa angústia e expectativa que vai apossando-se do artista à medida que aproxima-se a hora da representação.

Tudo  afeta a afluência do público: a chuva, o sol, o calor, o frio, o trânsito, a greve, o jogo, o vento, o tiroteio,o fim do mês , o início do mês...

Tenho um grande colega, grande ator e diretor, um dos maiores e mais cultos do Brasil que aqui protejo o nome, mas que nunca fez sucesso. Chega a dizer brincando:"Quer aprender fracasso venha trabalhar comigo". Uma noite fez ele a tal pergunta  ao produtor, que lhe respondeu:

-  Estamos fracos de público.

-  E o  tempo?

-  Chove.

- Ótimo já temos uma justificativa!

Hoje tenho apresentação à noite aqui em Friburgo de onde escrevo estas linhas. Hoje à noitinha portanto estarei fazendo ao produtor a secular pergunta:

-  Como estamos de público?

A Gentil Discordância Entre Thiago Lacerda e Paulo Betti

justa A Gentil Discordância Entre Thiago Lacerda e Paulo Betti

Dois grandes atores, dois grandes colegas. Admiro  os dois, pelo caráter, pelo talento e pela cordialidade.

Mas de repente, não mais que de repente, surge um conflito ideológico  entre os dois tendo por base as eleições que se aproximam.

Colocados em lados opostos os dois colegas  são símbolo do que hoje se passa em toda a Nação: o exercício da democracia. A discussão dos nossos problemas.

Desta vez não há unanimidade política  dentro da categoria artística (aliás nunca houve), mas , digamos: não há uma hegemonia.

Mas isso é bom. É preferível termos colegas discutindo pontos de vista sobre a Sociedade e sobre o País do que termos artistas amorfos desligados da sua principal função social: representar, espelhar e refletir a Sociedade em que vivemos.

Eu tenho o meu lado. Não fico em cima do muro, até porque o muro já tem dono, como aprendi com um sábio pensador.

E gostei da resposta educada e sensata de Betti a Lacerda. E penso que é desta forma que nós, colegas de profissão devemos encarar este momento nacional: com elegância e cordialidade.

Mesmo em lados opostos.

E complementando  Betti: sejam bem vindos os colegas que nunca antes tomaram pública posição política.

Afinal, as eleições passam, os governantes passam, e a nossa arte permanecerá, como acontece  há milhares de anos.

No mais , que o povo - do qual somos parte - escolha os vencedores em outubro e que vença sobretudo o Estado de Direito e a Cidadania pelo qual , nós artistas, tanto lutamos.

 

Não Vai Ter Peça

Gracias 1 Não Vai Ter Peça

Eu em "Gracias a La Vida" , 1976, na luta contra a intolerância.

Leio que em Los Angeles um espetáculo foi suspenso porque da platéia um sujeito gritava palavrões e lemas homofóbicos.

A peça, uma obra prima da dramaturgia mundial: "Gata em teto de Zinco Quente", de Tenesse Williams.

Lá pelas tantas um dos atores esquentou-se desceu à platéia e empurrou o desordeiro. Outro colega, maior ainda, pegou o sujeito pela gola e o colocou pra fora do teatro.

A temporada foi suspensa porque o produtor, num gesto de extremo zelo mercantil suspendeu os dois atores.

Ao ler a noticia  lembrei-me do empastelamento do espetáculo "Roda Viva" em SP durante a Ditadura com espancamento dos atores e do público.

Mas lembrei-me mais ainda: O ano era 1976. Ditadura de Geisel. O Teatro era o Vila Velha, em Salvador, Bahia. A peça era "Gracias a La Vida" de Isaac Chocrón. Eu protagonizava.

Teatro cheio. Peça política, contra a repressão.

Lá pelas tantas um espectador gritava da platéia. Passava mais um tempo e o sujeito tornava a berrar. Qualquer palavra imcompreensível. Ele queria era gritar.

Desci à plateia, luzes acesas, identifiquei o cidadão e tratei-o com meu bom humor de sempre e amenizei o fato. Sabia que estava pisando em ovos, mas com muito zelo fiz o meu número, disse à platéia que ele era parte do esptáculo, que pagávamos à ele pra toda noite fazer aquilo, etc. etc. E consegui levar até o fim do 1º ato.

Intervalo. Chamamos a Polícia Militar para retirar o sujeito do teatro. E qual a surpresa: ele puxou uma carteira de Major da PM baiana e o tenentinho teve que se submeter à ele enquanto aguardava outro major ou coronel pra resolver o impasse hierárquico.

Aí percebemos: o teatro estava com pelo menos mais 20 homens policiais à paisana com cassetetes prontos a empastelar o espetáculo. Prontos a espancar os atores e o público.

Meu bom humor, meu jogo de cintura ao descer à platéia livrou- nos de algo muito pior.

Chegado o superior militar o sujeito retirou-se do teatro. Fomos ao palco e então  denunciamos a presença dos provocadores na platéia. Tudo de luzes acesas.

à luz geral sumiram todos os trevosos. E aí continuamos com a apresentação.

Hoje, 38 anos depois vejo a estupidez acontecendo, não no Brasil da Ditadura, mas na terra da Democracia - se é que assim pode ser chamada.

A intolerância continua. Tem outros atores, mas o drama  continua.

Socorro! Entupiu a MInha Rede Social

 

Embora um grande pensador (Fritjof Capra)  defina que Rede Social é qualquer grupo de pessoas reunidas, da reunião de condomínio ao   barzinho de sexta feira, eu aqui estou falando da ferramenta Facebook na rede Social da WEB.

Mais propriamente da minha ferramenta . Ops!!!

Escrevo estas linhas não por cabotinismos ou vaidade egoica, mas pra ver se ajudo os amigos que me pedem para ser adicionados .

Tenho atualmente 3 (tres) perfis no face. E uma fanpage. O Nome é Bemvindo Sequeira.

Estou postando as fotos que uso em cada um para facilitar a que quer ser adicionado localizar o perfil por onde entrar.

O Perfil 1 está lotado e tem 1.167 pessoas esperando ser adicionadas.

perfil1 Socorro! Entupiu a MInha  Rede Social

Foto do Perfil 1 - Lotado

O perfil 2 (dois) também tá lotado e tem 1.009 pessoas esperando adição.

perfil2 Socorro! Entupiu a MInha  Rede Social

Foto do Perfil 2 - Lotado

 

Já o perfil 3 tem lugar sobrando.É nesse que devem pedir para ser adicionados.

perdfil3 Socorro! Entupiu a MInha  Rede Social

Foto do Perfil 3 - Há vagas (risos)

Então, por favor amigos, gostaria muito de receber todos vocês. Peçam pra adicionar pelo perfil 3.

Ah,  e a foto da fan page:

fanpage1 Socorro! Entupiu a MInha  Rede Social

Fanpage

 

Estou explicando isso senão fica todo mundo zangado comigo achando que é má vontade , e ao mesmo tempo não dá pra mandar mais de duas mil mensagens explicando a um por um como fazer. Por isso a razão deste post de hoje.

Muito grato. Um abração.

 

 

Diga Não À Violência Contra as Crianças

infancia Diga Não À Violência Contra as Crianças

 

Imagine as crianças não como exatamente crianças, como seres infantis, mas como filhotes dos humanos. Filhotes.

Você seria capaz de fazer mal a um filhote  de cão, de gato, de coelho?

Pois é...crianças são os nosso filhotes. Temos todos obrigação de cuidar delas como tal, sendo os nossos ou dos outros.

Temos o dever de proteger e cuidar dos filhotes da nossa raça: a raça humana.

Hoje é o Dia Internacional de Proteção às Crianças Vítimas de Agressão.

E não pensem vocês que me leem que são pequenas agressões como palmadas ou beliscões.  São terríveis agressões, em todo o Mundo.

Queimaduras de primeiro grau; vazamento de olhos; ablação de órgãos sexuais; fraturas expostas; amputações...muita maldade mesmo.

A gente que se revolta diante das maldades que bestas humanas são capazes de fazer com pequeninos  animais temos que estar atentos e denunciar as agressões às crianças à nossa volta.

Como disse : são os nossos filhotes. Ainda estão aprendendo a viver, a andar, a respirar, a pedir, e a fazer.

Há poucas semanas o País assistiu horrorizado à morte do menino Bernardo. Anos atrás o caso da menina Isabela Nardoni...isso para citar apenas dois casos.

A UNICEF diz que crianças na África subsaariana , especialmente entre 8 e 14 anos, vêm sendo queimadas, espancadas ou até mortas como punição.

Os grupos mais vulneráveis são crianças de rua, albinos e portadores de deficiência, segundo um novo relatório.

A agência diz que o aumento no número de casos estaria ligado a maior urbanização e recentes guerras no continente.

Outro fator seria o custo crescente para criar crianças, segundo a Unicef

Crianças têm gasolina colocada sobre seus olhos e ouvidos como forma de exorcisar "espíritos malignos" que curandeiros alegam os estar possuindo.

O problema estaria sendo aumentado também pelo aumento no número de pessoas que cobram para praticar exorcismos. Há relatos de um homem preso na Nigéria após cobrar mais de US$ 250 por cada procedimento.

Protejamos as crianças como a nós mesmos: "Qualquer um que receber uma criança como esta em Meu nome estará recebendo a Mim." Marcos. 3.37

Vitória Nasceu Vitoriosa

vitoria11 Vitória Nasceu Vitoriosa

Bruno Ferrari e Thais Melchior

 

 

A égua Vitória é bela, forte, portentosa, ágil, elegante, emocionante ... uma campeã.

Assim foi que vimos ontem a novela que leva seu nome.

Vitória teve uma excelente estreia. Um elenco muito bom, direção firme de Edgar Miranda , boa autoria de Cristianne Fridman com criativa  profundidade dramática...muita trama pintando no pedaço... enfim, vitoriosos e talentosos todos.

A cena de Bruno Ferrari com Antonio Grassi, onde a personagem de Bruno grita "Eu sou seu filho de quatro patas!" foi das cenas mais dramáticas que vi  nos últimos tempos na tv brasileira.

Também foi show de técnica e talento por parte da equipe, da Direção  e dos atores  a cena de amor entre Bruno e Thais em Curaçao.

A novela veio muito bem, enreda  a cada cena. Cada cena encadeia outra, numa sequencia que nos prende e onde a gente vai exigindo mais e mais.

Fotografia, cenografia, figurinos, arte...tudo muito bem colocado.

A trama dos nenonazistas vai levantar questões de discussões atualíssimas. Com certeza não teremos o trivial do folhetim, sequer a água com açucar para um tema tão político e social.

Ficamos, minha mulher e eu, assistindo grudados na tv  do início ao fim e muito felizes.

Esperamos hoje com ansiedade pelo segundo capítulo.

Daqui de casa mandamos um abraço apertado a todos os colegas, a toda a equipe.

E você que me lê, e que não viu ontem o primeiro capítulo, não perca tempo: busque hoje mesmo  pela Vitória.

Ir para a home do site
Todos os direitos reservados - 2009- Rádio e Televisão Record S/A
exceda.com