Sete Divertidas Dicas Do Que Dizer Ao Parceiro Para Ter uma Boa Relação

 

dicas Sete Divertidas Dicas Do Que Dizer Ao Parceiro Para Ter uma Boa Relação

Ele vai amar ouvir estas frases

 

1 – “Com você eu dei sorte. Os caras que eu namorei antes eram muito mais babacas que você. “Isso só deve ser dito na cama, quando ele estiver quase dormindo.

2 – “Cara, tua mãe é chata pra dedéu! O papo dela sobre reposição hormonal é um saco!”. Frase maravilhosa pra ser dita indo pra um almoço em família num feriadão.

3 – “Vê se toma jeito de homem! Parece que caiu do berço quando era criança”.  Essa é a frase ideal pra dizer quando estiverem na frente de um corretor comprando um apartamento.

4 - “Você precisa escolher melhor seus amigos. São todos infantilizados.” Para ser dito quando ele telefona dizendo que vai demorar um pouco pois vai tomar um chopinho com os amigos na saída do trabalho.

5 – “O único amigo seu que eu gosto é o Marcelo. Ele ganha melhor que você?”. Isto deve ser dito depois de um jantar amigável onde o Marcelo pagou a conta.

6 – “Você nunca acerta fazer a baliza. “ . Frase para ser dita bem alto, do lado de fora do carro, quando ele estiver tentando estacionar num shopping lotado e com todo mundo perto olhando pra ele.

E por último:

7 – “A vizinha me contou que o marido dela dá cinco com ela, antes de dormir.” Esta frase, dita no café da manhã, antes dele ir pro trabalho,  cimentará de vez a relação de vocês.

Boa sorte!

Você já perdeu algum (a) parceiro (a) por falar a coisa errada na hora errada?

  • Sim
  • Não
  • Sempre
 Sete Divertidas Dicas Do Que Dizer Ao Parceiro Para Ter uma Boa Relação

Digite o texto da imagem:

Gerar outra imagem

Simples, Fácil e Bem Humorada Receita Para Bolo de Chocolate

 

bolo Simples, Fácil e Bem Humorada Receita Para Bolo de Chocolate

Uma delícia e fácil de fazer

 

Uma receita barata e prática para receber as visitas no  lanche da tarde.

Ingredientes:

4 ovos de casca vermelha (podem ser levemente rosados)

44 gramas de chocolate em pó (4,23 colheres)

2 colheres de sopa de manteiga (pode ser manteiga de búfala)

3 1/8 xícaras de farinha de trigo

2 xícaras de chá verde de açúcar

12 gramas de fermento

1 xícara de leite desnatado uti

3 ou 8 pitadas de noz moscada

1 pitadinha de sal da Mongólia (você compra em qualquer supermercado)

400 gramas de pão francês já assado

Bata tudo isso misturado numa batedeira a 334 batidas por minuto (há medidores de batida à venda na internet) menos o pão que deve ser deixado ao lado.

Adicione com suavidade o fermento usando uma espátula cor de marfim, nas medidas de 3cm de largura por 17 de comprimento.

Continue batendo até tomar a consistência de caca de bebê. Se você não tem um bebê erm casa  procure na vizinhança.

Ponha a primeira pitada de noz moscada, mas para isso o pão francês deve estar   ao lado da massa.

Abra o forno e não o ligue ainda, faça uma limpeza completa usando o antisséptico especial para limpeza de fornos que você encontra em farmácias de manipulação. Não use outros.

Só então ligue o forno e deixe aceso por 32 minutos a 176 graus. (Não use termômetro para febre, pois ele espalhará o mercúrio dentro do forno.).

Depois unte uma forma com a manteiga, ou margarina de búfala -  como convier -  e despeje a massa e leve ao forno, mas deixe sempre o pão francês ao lado.

Asse por mais 54 minutos. Retire e veja! Ficou uma coisa solada, seca, impossível de comer, pior ainda de se ver? Alguma coisa você fez de errado.

Há duas soluções para isso: ou recomeça, ou joga fora e sirva o pão francês cortado em fatias com o resto da manteiga - ou margarina - de búfala como lanche da tarde.

Suas visitas vão amar.

Você acha que saberia fazer um bom bolo?

  • Sim
  • Não
 Simples, Fácil e Bem Humorada Receita Para Bolo de Chocolate

Digite o texto da imagem:

Gerar outra imagem

Cinco Dicas – Com Humor – Para Vencer a Timidez

timidez Cinco Dicas   Com Humor   Para Vencer a Timidez

Não deixe sua timidez jogá-lo num buraco sem saída.

 

1 – APRENDA A DIZER NÃO – Tímidos não conseguem dizer não. Então se você não consegue arranjar parceria  amorosa porque não sabe o que dizer, toda vez que aparecer alguém querendo te namorar responda logo um sonoro: "Não! Nem que a vaca tussa!". Você  verá a transformação ocorrer diante dos seus olhos;

2 – NÃO FUJA DOS OLHARES – Se você fica constrangido quando te olham e baixa os olhos ou vira a cabeça, da próxima vez parta para o enfrentamento, vai logo dizendo: “-Quê que tá me olhando, porra?!”. Você estará vencendo a timidez logo de primeira, e estabelecendo uma amizade  inesquecível;

3 – CONFIE NO SEU TACO – Se você se acha desinteressante porque seu nariz parece um gancho; sua cor é macilenta como maçã cortada na geladeira; seu andar parece o de um marreco nervoso; sua barriga cai sobre o cinto; e seu desodorante está sempre vencido, não se abata, passe a falar alto e com voz esganiçada: todos vão te adorar ainda mais;

4 – DESCUBRA NOVOS AMBIENTES E EXPERIENCIAS – No lugar de ficar indo de casa pro trabalho e do trabalho pra casa, varie.  Há uma vida maravilhosa esperando por você:

A - Neste verão pegue um ônibus circular sem ar condicionado e dê uma volta completa na cidade;

B – Faça caretas e gestos para todos os carros do Batalhão de Choque que passarem por você. O resultado será emocionante;

C – Visite uma favela da Zona Leste de preferência de madrugada, quando a temperatura está mais amena. Vá de tênis Nike,  e relógio Rolex. Verás como há pessoas carinhosas neste mundo;

D – No domingo reúna toda a família para um almoço e quando todos estiverem na sobemesa anuncie: " - Toda vez que fumo viro gay!". A cara de felicidade de seus sogros e cunhados já lhe trarão um prazer inesquecível;

E finalmente:

5 – DESENVOLVA SEU CARISMA – Você acha que é um cara chato para as mulheres, que não tem papo que as cative? Converse com elas sobre o aproveitamento do estrume de vacas para gás de cozinha; fale sobre o desenvolvimento das panturrilhas e das pátulas em jogadores de hóquei; e por último ensine a elas a  baixar um aplicativo que informa todos os horários de partida das balsas das principais cidades da África Subsaariana.

Você se acha tímido ou mais babaca que tímido?

  • Tímido
  • Babaca
  • Tou fora
 Cinco Dicas   Com Humor   Para Vencer a Timidez

Digite o texto da imagem:

Gerar outra imagem

Direitos Trabalhistas: a Vaca Tossiu, ou Foi Impressão Minha?

vacqa tudsa Direitos Trabalhistas: a Vaca Tossiu, ou Foi Impressão Minha?

Ao apagar das luzes do ano 2014 a Presidenta eleita para um segundo mandato afirmou que” nem que a vaca tussa” não mexeria nos direitos dos trabalhadores, como férias e 13 entre outros.

Não entendi direito ao que ela se referiu, porque na mesma semana, através de Medida Provisória,  retirou das viúvas o direito de receber pensão integral pela morte do cônjuge trabalhador que contribuiu toda a sua vida.

Alega-se entre outras coisas que o INSS precisa ter caixa, e uma das formas disso é retirando pela metade este auxílio.

Sou aposentado, e uma das seguranças que tinha era que deixaria à minha viúva, caso eu vá primeiro, minha pensão integral.

Pois esta segurança, o Governo que elegi para um segundo mandato retirou de mim e dos demais trabalhadores.

A vaca tossiu? Diz o Ministro Pepe Vargas que "a vaca não está tossindo, está apenas ruminando". Ele ainda encontra fina ironia numa hora dessas. Com muito humor - minha especialidade - digo a ele que quem está ruminando sou eu. Ruminando pra ver se consigo digerir a distância entre o   discurso e a prática da Presidente reeleita, inclusive c0m meu voto.

Os cuidados com as viúvas são tão antigos quanto a própria Lei. O profeta Isaías  recomendava : "Lutem pelos direitos do órfão,defendam a causa da viúva".Um ganho social  para as viuvas  há 5.000 anos.

Ao reduzir este Direito do Trabalhador penso que  o Governo está  usando como penhora para quitar suas dívidas  o manto das viuvas.

Entendo pouco de Orçamento, menos ainda de Legislação sobre aposentadoria, sei que a corrupção nos leva quase metade do Orçamento, sei do empenho da Policia Federal nos últimos anos em perseguir e prender corruptos da República, mas se alguém me explicar que não haveria outra forma de economizar para o Governo que não fosse sacrificando as viúvas e por consequência muitos órfãos, eu ficaria agradecido. Também espero, além da rejeição da Medida pelo Congresso, que haja formas legais junto ao Supremo de recuperar esses direitos que foram escarrados na tosse bovina.

Porque agora só me resta  acreditar num Congresso e num Supremo, já que não conheço xarope nenhum que faça  vaca  parar de tossir.

O Brasil Não Conta Histórias

 

dia do fico O Brasil Não Conta Histórias

O Dia Do Fico

Sempre bato na mesma tecla: sabemos mais da Historia dos EEUU do que na nossa própria História.

Sabemos os nomes dos próceres estadunidenses que assinaram a declaração de Independência e desconhecenos os nomes nacionais das nossa Independência (quando muito ficamos em José Bonifácio) e de nossa República – sabemos quando muito que foi Deodoro que a proclamou.

Escrevo isso a propósito de hoje ser o dia em que em 1882 a guarnição lusitana aquartelada no Rio de Janeiro sublevou-se contra o ato do Fico do Príncipe Regente Dom Pedro.

Tal fato daria filmes e filmes no cinema americano, livros e romances tais, e até mesmo séries e novelas.

Por aqui resume-se numa frase: a guarnição portuguesa revoltou-se contra o Fico. E só.

Na verdade em 5 de julho de 1821 como comandante das tropas no Rio, o General Jorge de Avilez dirigiu o ultimato ao Príncipe Regente  Dom, Pedro para que jurasse as bases da Constituição elaborada por Portugal, demitisse o conde dos Arcos e nomeasse uma junta governativa.

Em Outubro, exigiu novamente a  Dom Pedro  que anunciasse publicamente sua adesão às decisões das Cortes reunidas em Lisboa. Dom Pedro acatou e decidiu-se, num primeiro impulso, a regressar à Europa.

Mas em Janeiro de  1822 declarou publicamente que tinha decidido ficar no Brasil.

Foi então que Jorge de Avilez rebelou-se contra o regente -  seria,  guardadas as prporções como se o II EXército com sede em São Paulo, nos dias de hoje se sublevasse contra o Governo Federal - e para defender-se de um ataque das tropas brasileiras, recuou para a Praia Grande, em Niterói, que fortificou, mas acabou derrotado e expulso do Brasil pelo Príncipe Regente.

Estas poucas linhas acima dão ideia de quantas tramas foram urdidas neste período, e de quantos roteiros podem ser elaborados para cinema e literatura.

E ao final, sabemos mais sobre os EEUU que de nós mesmos.

Você Acha Que Deveríamos Contar Mais sobre a Nossa História em Livros, Filmes e Novelas?

  • Sim
  • Não
  • Já Está de Bom Tamanho
 O Brasil Não Conta Histórias

Digite o texto da imagem:

Gerar outra imagem

 

Entre o Humor e o Terror Por Que Não o Amor?

charlie Entre o Humor e o Terror Por Que Não o Amor?

Uma das facetas do meu trabalho de ator é trabalhar com o humor.

Aprendi com os acadêmicos do humor que a graça deve ser sempre feita com elegância e respeito.

É coisa que vem de séculos da arte de ser palhaço.

Mesmo com o grosseiro e ofensivo humor  de Charlie não posso compactuar e não posso aceitar que terroristas assassinem pessoas, sejam jornalistas, ou não. Que semeiem a violência do terror entre os povos.

Lamento profundamente a morte dos dez jornalistas e dois policiais  em Paris.

Mas se homens que trabalharam pela Paz e pelo Bem como Gandhi e Martin Luther King foram mortos a tiros pelo Mal, o que poderia acontecer a quem há décadas instiga o ódio religioso, racial, faturando grana em edições em troca da humilhação racista, islamofóbica, anticristã, e anti-humanista? Ou será que  dá pra esquecer a política colonialista francesa esmagando com caminhões-  para não gastar balas-   milhares de prisioneiros árabes argelinos nas guerras de libertação?

Navegar no sentimento francês de xenofobia e islamofobia dá boa grana, Mas um dia a casa cai. Se o  Mal cobra do Bem, como no caso de Gandhi e Martin, imaginem, o que cobrará do Mal?

Vi no Charlie uma charge onde em uma orgia Deus, Jesus e o Espírito Santo - Trindade sagrada para os cristãos – participavam  os três de um coito anal.

Não gostei, fiquei chocadíssimo. Não ao ponto é claro de explodir a redação do Charlie. Mas chocadaço. A minha cultura e formação é cristã ocidental. Eles não têm esse direito. Na Bahia temos um ditado: “Respeito é bom e eu gosto”.

Os ataques do Charlie não se localizavam apenas contra muçulmanos, mas contra todas as crenças, todas as Fés, contra os povos do Terceiro Mundo e contra todo o sagrado de povos que eles a serviço do racismo e da intolerância ajudavam a desmoralizar, usando a capa de uma ultra esquerda.

Para os cristão não há ofensa pior  que a blasfêmia ao Espírito Santo. Marcos 3. 28, 30. Então quando uma charge destas é publicada o objetivo qual é? Liberdade de expressão? Divertir os cristãos? Ou ofender seus valores e ridiculariza-los? Pelos frutos conhecereis a árvore.

Nestes anos Charlie chamou os negros de macacos, os árabes de fedorentos, os judeus de avarentos, os cristãos de sodomitas...esperavam o quê: Bênçãos?

Isto a meu ver não é liberdade de expressão, é libertinagem. (Vide o sentido em  Caldas Aulete). Por exemplo: temos a liberdade de ir e vir, mas seu eu entrar numa propriedade sem autorização passa a ser invasão de propriedade e não há "liberdade de ir e vir" que me defenda nisso.

Para completar, numa  França composta por 40% de ateus, em crise econômica,  com o avanço da extrema direita, e a queda de popularidade de François Hollande, o atentado sai do campo humanista e passa para a política eleitoral. Para recuperar a popularidade e a liderança abaladas François Hollande toma a inciativa e convoca manifestação monstro para este domingo. Enquanto a fascista Marie Le Pen  busca com seu discurso antiislâmico, racista e antiemigrantes conquistar mais votos para seu Partido de Extrema Direita. Os doze mortos parecem virar massa de manobra  eleitoral.

Por tudo isso torno a condenar o ataque terrorista e a lamentar a perda de vidas. Posiciono-me com veemencia pela liberdade de expressão, contra a censura. Repudio a estupidez terrorista,  mas não consigo ser Charlie.

- Je ne suis pas Charlie!

 

A Última Joia da Coroa, O Municipal do Rio

 

 

mun1 A Última Joia da Coroa, O Municipal do Rio

 

Concebido ao final do Império e construído e inaugurado na Primeira República assim posso chamar o Municipal do Rio de Ultima Joia da Coroa Imperial.

O grande incentivador para a sua construção foi um dos maiores dramaturgos brasileiros, o comediógrafo Artur Azevedo.

Em 1880 Artur percebendo a decadência das casas de espetáculo do Rio propôs a construção de um grandioso teatro à altura da Capital Imperial.

mun2 A Última Joia da Coroa, O Municipal do Rio

Em 1894, já república, o projeto de Artur tornou-se lei Municipal, mas não significou grande coisa.  Somente em 1904 começaram as obras de construção, concluídas afinal em 1908.

Porém  Artur Azevedo não viveu para ver seu projeto tornar-se realidade. Falecera um ano antes.

Mas o Municipal é realmente uma joia. Mármore, granito, bronze, ônix, e folhas de outro, tudo trazido da Europa, e também espelhos e tapeçarias para juntarem-se ao mobiliário construído com madeiras nobres.

 

mun7 A Última Joia da Coroa, O Municipal do Rio

Pelo palco do Municipal passaram os grandes nomes do teatro, da ópera e da dança mundiais.

Nijinski, Louis Jouvet, Jean Louis Barrault – que tive a honra de conhecer em Paris – Ana Pavlova e Maria Callas entre outros.

mun4 A Última Joia da Coroa, O Municipal do Rio

No teatro brasileiro destacaram-se em seu palco Paschoal Carlos Magno, Bibi Ferreira, Maria Fernanda, Henriette Morineau, Jayme Costa e Dulcina.

mun5 A Última Joia da Coroa, O Municipal do Rio

O pano de boca do teatro foi criado por Eliseu Visconti, em Paris, e representa “A Influência das Artes Na Civilização”.

mun3 A Última Joia da Coroa, O Municipal do Rio

O Pano de Boca

Alguma vez já entrou no Theatro Municipal do rio?

 A Última Joia da Coroa, O Municipal do Rio

Digite o texto da imagem:

Gerar outra imagem

O Carro, Essa Escultura Móvel

 

1920 O Carro, Essa Escultura Móvel

Já em 1920 o conceito escultural estava presente nos designers de carros

 

Assisti a uma palestra de Chris Bangle, chefe dos designers do grupo BMW, tendo por tema "Grandes carros, grandes objetois de arte"   e fiquei impressionado com seu viés.

Jamais havia pensado no automóvel sendo imaginado, pensado e criado como uma escultura.

E é o que acontece.

Não exatamente suas partes técnicas, mas seu modelo; a harmonia das suas curvas; a beleza das suas cores...

Ele falou sobre a paixão do desenhista quando se debruça na prancha para um novo modelo. Semelhante a um escultor que coloca sua criatividade a serviço da estética.

Dei um passeio pelo tempo e vi que realmente são esculturas, ou não? Confira você mesmo, e nem precisamos observar modelos novos para confirmar a palestra de Chris Bangle.

tira1 O Carro, Essa Escultura Móvel

 

tira2 O Carro, Essa Escultura Móvel

 

Consegue Resistir ao Apelo de Beleza de Um Escultural Carro?

  • Sim
  • Não
  • Apaixono na hora
  • Isso é armadilha para consumo
 O Carro, Essa Escultura Móvel

Digite o texto da imagem:

Gerar outra imagem

Oitenta Anos de Flash Gordon, Ficção e Realidade Caminhando Juntas

 

julio1 Oitenta Anos de Flash Gordon, Ficção e Realidade Caminhando Juntas

No livro de Verne o foguete era disparado por um canhão gigantesco que usava inimaginável quantidade de pólvora.

Tudo começou com Júlio Verne, em 1865 quando atreveu-se  escrever “Da Terra à Lua”, seu primeiro romance de ficção espacial. Repetiu o feito com a continuação da saga dos astronautas do primeiro livro com um segundo: “À Volta da Lua” em 1869.

julio2 Oitenta Anos de Flash Gordon, Ficção e Realidade Caminhando Juntas

N a gravura do livro, há 145 anos,  Julio Verne já previa uma cápsula com a bandeira estadunidense sendo recolhida no mar. Um visionário.

Em 1898 outro escritor,  H. G. Wells,  esquenta o mercado editorial com seu livro obra prima: “A Guerra dos Mundos”

guerra Oitenta Anos de Flash Gordon, Ficção e Realidade Caminhando Juntas

Gravura do livro "A Guerra dos Mundos"

Em 1928 nasce Buck Rogers, o herói interplanetário e é apresentado ao público numa tira de quadrinhos num jornal estadunidense, e cinco anos depois, em 1934, nascia também em tiras de quadrinhos, Flash Gordon. “Flash Gordon no Planeta Mongo”.

 

buck3 Oitenta Anos de Flash Gordon, Ficção e Realidade Caminhando Juntas

Buck Rogers (o louro Buster Crabbe) ainda resistiu ao tempo até quase nossos dias

Não sei qual dos dois empolgou mais à garotada e aos amantes de ficção científica se Buck Rogers (que nasceu com o nome de Anthony Rogers) ou Flash Gordon, lançado pela concorrência para enfrentar o sucesso de Buck.

Lembro-me de ainda ter visto em cinemas poeiras do interior alguns episódios das séries destes heróis.

 

flash1 1024x773 Oitenta Anos de Flash Gordon, Ficção e Realidade Caminhando Juntas

Flash no Planeta Mongo

Revistas hoje as produções são profundamente toscas, Mas à época eram fantásticas e ousadíssimas, por isso mesmo entram na lista cult, bem como o inesquecível "Perdidos no Espaço".

peRDIDOS Oitenta Anos de Flash Gordon, Ficção e Realidade Caminhando Juntas

A Família Espacial Perdida no Espaço

Você chegou a ver filmes de Flash Gordon?

  • Sim
  • Não
  • Tá ensando que sou um "dinossauro"?
 Oitenta Anos de Flash Gordon, Ficção e Realidade Caminhando Juntas

Digite o texto da imagem:

Gerar outra imagem

Dia 12 Posse de Juca Ferreira na Cultura

Recebi e torno público, pois com muita honra e prazer voltamos a ter Juca Ferreira como Ministro da Cultura. Sua posse ocorrerá dia 12 em Brasília.

Juca Dia 12 Posse de Juca Ferreira na Cultura

Ir para a home do site
Todos os direitos reservados - 2009- Rádio e Televisão Record S/A
exceda.com