Vou de Busão

 

onibus Vou de Busão

Não chego a tanto...rsrsrsrs

 

O transporte coletivo no Brasil é muito ruim, realmente.

Há muito o que melhorar, desde o atendimento até a regularidade, conforto, e segurança.

Mas mesmo assim eu uso o transporte coletivo.

Tenho carro. Mas para pequenas distâncias uso o ônibus.

Pra mim, que sou ator e conhecido, o ônibus tem suas vantagens: se uso meu carro estresso-me. Muito engarrafamento. Buzinas. freiadas. É tanta violência, tanta falta de educação no trânsito que é uma temeridade dirigir hoje em dia.

Se uso o táxi o motorista me reconhece e vem conversando, mesmo quando quero ficar calado.

E a conversa sempre simpática nem sempre é esclarecedora:

- "Sabe, quem entrou outro dia no meu táxi foi aquela atriz...!

- Qual?

_ Aquela...uma que fez aquela novela...

_ Qual novela?

_ Uma novela que tinha um cara que depois dessa novela até separou da mulher...

- Mas qual atriz?

- Ela é loura...tá sempre no ar... agora mesmo ela é a mulher do...daquele cara...

- Que cara?

- Um que é meio gordo...

- Que naquela novela que passou ele era o pai..."

Papo de maluco! E assim vai a viagem toda, até que no fim ele me pede uma foto ou autógrafo, grato pelo gesto de carinho desço do táxi sem saber de quem falávamos.

Já no onibus, não. Transporte público no Brasil é tão desmoralizado que quando eu entro todos me reconhecem, mas pensam:

-Poxa, esse cara tá na pior mesmo, tá por baixo pra tá vijando de ônibus .

Aí ninguém fala comigo, ninguém me pede autógrafo, e eu sento à janela e viajo feliz, em silêncio, olhando a paisagem e vendo a cidade desfilar á minha frente com seus variadíssimos tipos humanos, onde encontro inspiração para minhas personagens.

Que Saudades eu Tenho da Aurora da Minha Vida…

 

 

Com meu cachoro em Pilares1 Que Saudades eu Tenho da Aurora da Minha Vida...

Eu e meu cão Rex. Ao lado um pé de dália.

Sou nascido em Minas Gerais. Mas fui criado no Rio. Toda a minha família é carioca.

Quando eu tinha 4 anos voltamos para o Rio. E fomos morar no subúrbio. Primeiro no Pedregulho, depois em Pilares.

Tive uma infância suburbana típica.  A casa numa rua de terra. Quando chovia formava um riacho na beira da calçada e fazíamos barquinhos de papel.

Mais tarde calçaram a rua.  Antes encheram de manilhas. Ficaram lá meses e  a gente brincava de casinha dentro delas.

Foi uma infância feliz. Íamos  pra rua de trás, uma fazenda abandonada onde haviam mangueiras, goiabeiras e cajueiros. Quando a gente conseguia uma goiaba, mesmo bichada, era um troféu de guerra.

Na rua a gente soltava pipas, pulava corda, brincava de amarelinha, jogava bola... no São João fazíamos uma grande fogueira. Batata assada, milho... líamos a sorte com agulha numa bacia de água... superstições de um povo crédulo e ingênuo.

Às seis da tarde - tardes quentes de subúrbio -  as mães gritavam:

-"Sai da rua menino, são seis horas, hora das almas!" Morríamos de medo daquela hora. Na verdade era a armadilha que nos levava à casa tomar banho, jantar, e voltar para brincar na calçada. Sem se sujar, pois tínhamos que dormir limpinhos e bem antes das 22h. Dez horas da noite naquele tempo era noite alta.

Também nos faziam pedir bênçãos a todas as "tias", as vizinhas da rua: Dona Jurema - que aplicava injeção; Dona Carmem a parteira...Dona Delfina. Negra. Mãe de meus dois grandes  amigos: Ney e Jorge. No subúrbio não tínhamos racismo. Lá éramos criados sem sequer perceber a diferença de cor. Essa coisa de racismo acho que  é coisa de rico, ou de metido a  rico.

Minha casa ficava em centro de terreno. Circundada por um jardim: dálias, margaridas, rosas...Até hoje Dália é a flor que mais gosto. E tinha meu cachorro, o Rex. Criava-se galinhas, patos...

Havia os ladrões, mas eram ladrões de botijões de gás, de galinhas...já havia o marginal..chamado de "valentão do bairro. Mas seria um pé-de-chinelo comparado a qualquer pé-de-chinelo do tráfico de hoje. Era o Caveirinha. Um marginalzinho que criara fama, mais por intermédio das mães que por seus próprios feitos:

- "Vem pra dentro menino, o Caveirinha disse que hoje não quer menino nenhum na rua!"

O universo da gente era aquele pedaço de terra batida. Cem metros se tanto. Até onde a voz da mãe da gente alcançasse:

-"Bemvindo!!! Vem tomar café!!!"

"_ Tou indo!"

Vou nessa. Aceitam pão com manteiga e café com leite?

Teatro Amador é Qualidade Daqueles que Amam

amador Teatro Amador é Qualidade Daqueles que Amam

 

Quem sustenta o teatro em todo o interior e capitais do Brasil? O Ministério da Cultura?

Quem mantém o desejo de fazer teatro entre pessoas de todo o Brasil? Os Sindicatos de Artistas e de Produtores?

Quem leva o teatro aos mais distantes locais do País? As companhias profissionais?

Quem concordou com qualquer das três respostas acima acertou pela metade.

A resposta inteira é: o Teatro Amador.

O Teatro Amador desde tempos do Império é a raiz do teatro profissional, o sustentáculo da nossa profissão.

Os abnegados amantes do teatro  espalhados por todo o País que montam peças com os mais variados temas.

Montam em praças, teatros, cinemas, igrejas, escolas, residências...é através desta amorosa  malha dramatúrgica que o Teatro Brasileiro se fortalece.

Nos idos de 60 refundei como grande colega Cartlos Nobre a Associação de Teatro Amador do Rio de Janeiro (ATA).

Nos idos de 70 participei da refundação da Associação de Teatro Amador da Bahia, sua Federação e da Confederação Nacional de Teatro Amador (Confenata).

Fundei com amigos a Associação de Teatro Amador de Sergipe.

E hoje é o Dia do Teatro Amador.

Só posso ter motivos para orgulho, não por mim, mas pelos milhares de atores amadores que fazem teatro porque gostam.Porque amam.

A todos eles, nós,  profissionais trabalhadores das Artes Cênicas expressamos o nosso reconhecimento e enviamos nosso abraço fraterno desejando sempre que sejam bem sucedidos nas suas criações.

Os Fiéis Jardineiros

flor5 Os Fiéis Jardineiros

 

Amo flores. Aliás conheço apenas uma pessoa que não gosta de flores. Quem mais não gosta?

As flores são cores que se materializam; anjos que descem aos jardins do encantamento.

Considero as flores um presente da natureza para a Humanidade. Um grávido momento em que a planta nos dá o melhor de si.

Hoje é o Dia do Jardineiro. Quando ascende de status vira paisagista. Mas hoje é do jardineiro mesmo.

Dia daquelas pessoas anônimas que às vezes vilusbramos com duendes entre os jardins dos prédios, casas e praças.

Tenho por hobby fotografar flores. Faço-o sem maiores requintes: com uma camera de IPhone, ou mesmo com uma câmera fotográfica de turista de ocasião.

Mas faço-o.Outro dia num Hotel Fazenda de SP encontrei duas mocinhas que faziam o mesmo: fotografavam flores. trocamos muita conversa, considerando que somos da mesma tribo.(Risos).

Em homenagem a essas pessoas anônimas que fazem desabrochar as flores nos jardins,  seguem algumas das minhas fotos  para os jardineiros no seu Dia.

amar Os Fiéis Jardineiros

 

anturio Os Fiéis Jardineiros

 

leo Os Fiéis Jardineiros

O Que Um Ator Menos Faz É Representar

 

paulo O Que Um Ator Menos Faz É Representar

Autran queria receber pela espera. rsrsrsrs

O que o ator menos faz em seu trabalho é representar.

Decorar textos é uma das nossas maiores ocupações.  Em novelas, num papel mediano são pelo menos trinta cenas por semana.

Neste momento, em que ensaio para estrear uma comédia em 03 de janeiro, tenho 3 dias para decorar  34 páginas de texto.

Quando fazemos novela, teatro e mais alguma coisa junta imaginem o quanto temos que decorar.

Ensaiamos muito. E,m teatro para chegarmos a uma apresentação são pelo menos  30 dias de ensaios.

A outra coisa que fazemos  muito é esperar.

Em teatro esperamos começar os ensaios, esperamos pelo público, esperamos que terminem as intermináveis  reuniões entre produtores e direção, ou técnicos...

Em televisão esperamos mais ainda, todos os dias, a tal ponto que é conhecida a pergunta de Paulo Autran a uma televisão que queria contratá-lo para uma novela:

-"Sim, isso vocês querem me pagar para representar...e pra esperar pagam quanto?"

Outra grande parte do nosso tempo é gasta entre o deslocamento para o local de trabalho, seja teatro, set de filmagem, ou tv.

Entre trocar figurinos, cenários, lanches, refeições, reuniões, etc. etc. o tempo que sobra aí sim, afinal: representamos!

‘Como Anda a Sua Atualização no Mundo de Hoje?

caretas2 Como Anda a Sua Atualização no Mundo de Hoje?

 

Uma conhecida minha  tem formação superior, é uma intelectual, mas quando se trata da Revolução Informática ela perdeu a janela da História.

Não consegue interagir com IPHone, IPad , laptops, ou qualquer similar. Até consegue algumas proezas de navegação, mas basta que o computador lhe envie uma mensagem simples como :

-"Deseja continuar neste site?" que ela enlouquece , fica paralisada diante do monstro e clama por socorro.

-"O que é isso aqui? O que eu faço com isso?"

Cito o caso desta amiga para mostrar sua desatualização com o mundo cibernético. Embora esteja atualizada em outros setores.

Mas nos tempos modernos basta um cochilo, uma distração, um olhar pro outro lado e de repente a gente se desatualiza. Fica com aquele jeito de cachorro que caiu de cima de caminhão de

mudanças.

No tempo de Procópio Ferreira o teatro  era declamado. Trabalhava-se com máscaras faciais e corporais

Ao fim desta época encontrei-me com o ator Renato Restierà porta do Teatro Alberto D'Aversa em São Paulo que me dizia desconsolado:

-"Ninguém mais me oferece trabalho. Não entendo porque. Tenho 32 máscaras de comédia. 26 máscaras de tragédia. 17 vozes e entonações diferentes...!"

Veio a época do Realismo Teatral. O valor era soltar a voz sem pudor  nos palcos de teatros com setecentos, mil lugares, sem microfone.

Uma dificuldade para atores dessa época acostumarem-se com a nova época: a do Naturalismo, ditada pela televisão, pelos veículos de comunicação de massa.

Atores que não precisam de voz forte, usam microfones sensibilíssimos que eles dominam como outrora Procópio dominava suas cordas vocais.

Atualizar-se sempre de forma permanente é o que demanda o mundo de hoje.

Não é à toa que os programas e navegadores da Internet estão sempre se atualizando.Senão ficam ultrapassados por outros mais atualizados, mais modernos.

E você que me lê, como está se atualizando? Como atualiza sua concepção do Mundo à sua volta? Seus conceitos  pessoais, sociais, morais, políticos, etc.? A Revolução dos costumes, da língua, da comunicação?

Se não os atualiza constantemente muito em breve não encontrará plataforma pra rodá-los. E aí quem vai rodar é você.

Você continuará rodado pois seus arquivos não rodarão mais na roda social.

Há os que não se importam com isso. São os que as novas gerações chamam de velhos, defasados, caretas, ultrapassados...

Envelhecer é não atualizar os arquivos. Atualizar-se é mover-se tendo por norte a curiosidade crescente sobre tudo que nos rodeia e as transformações que ocorrem,  querendo a gente ou não.

A Mágoa e o Perdão

 

cuore A Mágoa e o Perdão

Não envenene seu coração.

A Mágoa é como tomar um veneno pra que o outro morra.

A Mágoa envenena você. O outro nem sabe ou sequer está se importando com a sua mágoa.

Portanto em casos assim, de mágoas que vão de amorosas a amigáveis, de injustiças a malvadezas procure superar-se e perdoar o outro.

É difícil, muito difícil, eu sei. A gente fica remoendo aquela raiva, e aquela tristeza dentro da  gente.

Diz o filósofo que "a Mágoa é uma lágrima que se recusa a chorar."

Então eu aprendi a perdoar. Custa um pouco. Ás vezes leva mais tempo uma mágoa que outra para desaparecer dentro do meu coração.

Mas aprendi. Faço assim: perdoar não significa inculpar. Quando a ofensa é muito grande e consciente eu não desculpo. Perdoo.

Para mim, desculpar seria eximir de culpa. Não aceito isto. O ato ou palavra  de agravo foram  cometidos. A própria Lei exige a punição do gravame cometido.

Mas perdoo. Procuro livrar-me da mágoa, caso contrário ela me manterá ligada ao ofensor.  Perdoo mas não desculpo.

Seria, por exemplo,o caso de um escorpião. Perdoo sua  existência porque criatura é. Mas isso não quer dizer que levaria um comigo no bolso ou na mão. É da sua essência ferir.

Eu o perdoo mas não significa que me tornarei seu amigo ou que conviverei com ele.

A mesma coisa serve para com as pessoas ou situações que me causam mágoa. Eu as perdoo, mas não as inculpo. Não quero aproximação com elas enquanto não perceber que de alguma forma resgataram seus atos danosos.

Perdoar é um grande ato de humildade que torna-se  um terapêutico ato de grandeza.

Nássara, Mestre do Samba e da Caricatura

 

Outro dia comentei aqui sobre Dona Nair de Tefé, a primeira mulher caricaturista do Mundo.

Hoje relembro Nássara.  (Rio de Janeiro, 11 de novembro de 1910 — Rio de Janeiro, 11 de dezembro de 1996).

O nome Nássara é porque ele era filho de libaneses. Carioca, foi autor de diversas marchinhas de sucesso no carnaval carioca, entre ela  Ala La Ô". Compôs mais de 230 músicas.

É tido também como o primeiro autor de um jingle comercial do Brasil.

Trabalhou nos jornais Carioca, O Globo, Vamos Ler, A Noite, Diretrizes, O Cruzeiro, Mundo Ilustrado, Flan, Última Hora e Pasquim.

Abaixo, algumas da suas caricaturas.

getulio1 Nássara, Mestre do Samba e da Caricatura

Getúlio Vargas

 

pixinga Nássara, Mestre do Samba e da Caricatura

Jnaio Quadros Nássara, Mestre do Samba e da Caricatura

Janio Quadros

 

vinicius Nássara, Mestre do Samba e da Caricatura

Vinicius de Moraes

Palhaçada? Hoje É o Dia do Palhaço!

230px Benjamin de Oliveira Palhaçada? Hoje É o Dia do Palhaço!

Benjamin de Oliveira, palhaço negro do Brasil afrontou a tradição européia em 1900.

Hoje é o Dia do Palhaço.

Você que me lê e que muitas vezes diante de tantas violações dos seus direitos de cidadão acha-se um palhaço, saiba que você está longe de ser um destes profissionais.

piolin Palhaçada? Hoje É o Dia do Palhaço!

Piolin, participou da Semana de Arte Moderna, 1922

O palhaço é um sujeito muito sério. Que leva muito a sério a sua profissão.

arrelia Palhaçada? Hoje É o Dia do Palhaço!

Arrelia, sucesso nos meados da século XX.

Estas estrofes populares do antigo Palhaço Carequito (Não confundir com Carequinha) dizem bem do caráter destes profissionais que nos divertem:

"Eu quero explicar a vocês
O que é ser um palhaço...

...Muita gente diz palhaço
Quando quer xingar alguém
E esse nome pronunciam
com escárnio e desdém
E ao ouvir pesta palavra
Outros sentem até pavor
Como se o palhaço fosse
Criatura inferior...

...Para ser um bom palhaço
É preciso ter alma forte
E também nervos de aço
É preciso além de tudo
Ter um  grande coração
Pra sentir isso que sinto
Grande amor à profissão.

O palhaço também tem
Suas noites de vigília
Pois na barraca modesta
ele tem sua família...

...Ser palhaço é saber
Disfarçar a própria dor
É saber sempre esconder
Que também é sofredor
Se o palhaço está sofrendo
Ninguém deve perceber
Pois o palhaço nem tem
O direito de sofrer!"

careca Palhaçada? Hoje É o Dia do Palhaço!

Ao lado de Fred, Carequinha alegrou a minha infância.

Que Mistérios Tem Clarice?

clarice1 Que Mistérios Tem Clarice?

                                                                                       
Clarice Lispector

beth1 Que Mistérios Tem Clarice?

 Beth Goulart, impressionante trabalho da atriz

 

Trinta e seis anos após a morte de Clarice Lispector eu a revisitei ainda outro dia na pele da colega e atriz Beth Goulart.

Com que maestria Beth nos relembrou Clarice. Perfeita!

Clarice nasceu em 10 de dezembro de 1920 e faleceu na data de hoje em 1977 de um câncer de ovário, um dia antes de completar 57 anos.

Nascida na Ucrânia, sempre se considerou brasileira, pois lá nem sequer chegou a por os pés no chão, vindo com a  família - emigrantes judeus -  para o Brasil ainda no colo da mãe.

Sem dúvida, uma das mais brilhantes escritoras brasileiras.

Não creio que escrever algo mais sobre Clarice fale mais que relembrar algumas das suas frases:

"Renda-se, como eu me rendi. Mergulhe no que você não conhece como eu mergulhei. Não se preocupe em entender, viver ultrapassa qualquer entendimento."

"Que ninguém se engane, só se consegue a simplicidade através de muito trabalho."

"Porque eu fazia do amor um cálculo matemático errado: pensava que, somando as compreensões, eu amava. Não sabia que, somando as incompreensões é que se ama verdadeiramente. Porque eu, só por ter tido carinho, pensei que amar é fácil."

"Amar os outros é a única salvação individual que conheço: ninguém estará perdido se der amor e às vezes receber amor em troca."

“E o que o ser humano mais aspira é tornar-se ser humano."

"Não tenho tempo pra mais nada, ser feliz me consome muito."

Ir para a home do site
Todos os direitos reservados - 2009- Rádio e Televisão Record S/A
exceda.com