Conselho aos Jovens Artistas de Hoje

 

Foto de Joana em Flor 1 Conselho aos Jovens Artistas  de Hoje

1ª Peça "Joana em Flor" : Lia Maria, eu e  Reynaldo Gonzaga. Da inexperiencia em 1966 até os dias de hoje "confesso que vivi".

milagres Conselho aos Jovens Artistas  de Hoje

 

Tinha eu 18 anos quando dediquei-me à minha primeira peça teatral. Como ator.

Foi em 1966 e mesclávamos o discurso dramatúrgico com o discurso contra a Ditadura e pelas Liberdades Denocráticas.

Naquele tempo pocos jovens desejavam fazer teatro. Era maldito... Ser modelo então, nem pensar. O mercado era mínimo de chances de trabalho.

Raríssimas família admitiam que seus filhos seguissem as artes cênicas.Hoje, mal nascem, as mães empurram os bebês para as agências . (risos).

Ator era muito mal visto. Marginal. Quando chegávamos em turnê numa pequena cidade devíamos nos apresentar ao Delegado da Polícia local e informar da nossa presença na Cidade. Para o caso de que durante nossa acontecesssem furtos, ou estupros,  tínhamos que agir assim assim para nos isentarmos de culpa ou suspeitas.

Meus irmãos, todos bem mais velhos censuravam-me, diziam que eu não seria nada na vidajá que havia parado de estudar na 8a série;  que eles iam ter que me sustentar como mendigo, que eu morreria cedo...e terrores mais e tais.

O restante da família diza que eu era maluco, no que não estavam errados (risos).

Veio a Bahia, o projeto de descentralização, de fazer teatro fora do eixo Rio_SP. Sofri muito. Passei muitas dificuldades. Mitas vezes faltou a comida. Mas não desisti.

Cada um escolhe prioridades. Na minha profissão jamais escolhi ganhar dinheiro, ficar rico. Sempre quis representar, criar,questionar...essa era a minha prioridade: viver!

Não sou rico de dinheiro, sou rico de vida. Abastado sim, próspero sim,  Um prêmio que a maturidade profissional me deu.

Nestes 48 anos de profissão fiz e vi de tudo. Representei na Europa e na América, em todo o Brasil.  Trabalhei com os grandes nomes do teatro mundial e nacional. Ganhei muitos premios. Dei palestras, conferências em várias linguas em diversos países...ensinei a muitos iniciantes...escrevi livros. Fui biografado...Na TV fiz o que chamam  de sucesso em várias novelas. Ajudei a fazer a Lei que regulamentou a Profissão. Meu Registro Profissional é o número 01 das Folhas 01 do Livro 01 da DRT.  Éramos tres números 01: Lelia Abramo em, Sp, Vanda Lacerda no Rio e eu na Bahia.

Hoje, cada vez mais no exílio edipiano vejo minhas vitórias. O que antes pareciam derrotas eram preparativos para a colheita do bom trigo. E ainda hoje  surpreendo-me  ao sentir  que  uma mão invisível nos guia quando confiamos na vida.

A família,  morta, e os sobreviventes em sua maioria  distribuindo  a  bondade burguesa  e os conceitos  medíocres dos que não ousaram viver, não ousaram vencer.

Por eles, como dizia Rauzl Seixas , eu estaria dando pipoca aos macacos.

Você, jovem, se confia no seu potencial, não esmoreça. Tome atitude . Persevere.

Não tenha medo de estar errado. Quando alguém se aproximar com você com palavras doces e apontando fáceis caminhos recomendo-lhe a leitura do poema "Cântico Negro" de José Régio.

Do muito e pouco que já vivi posso dizer a  vocês: tudo que fazemos tem um própósito, que até desconhecemos. A vida é um mistério que vai se deslindando quanto mais se aproxima do fim.

Bárbara Heliodora, a Louca Heroína da Inconfidência

240px Bárbara Heliodora Bárbara Heliodora, a Louca Heroína da Inconfidência

 

Estou lendo o livro "1789" de Pedro Doria, sobre a Inconfidência  Mineira e seus participantes.

De leitura um pouco sinuosa e confusa deixa a desejar ao ser comparado com os livros de  Laurentino Gomes (1808, 1822, 1889) sobre nossos fatos históricos.

Mas , cada escritor tem seu  stilo, e este post de hoje não se destina à crítica lierária, mas sim a datas e fatos.

No livro de Pedro  Dória o que tem ficado até agora é uma péssima impresão dos Inconfidentes. Com raríssimas exceções estariam mais interessados em se "arrumar" livrando-se das dívidas com a Coroa Portuguesa, ou buscando altos cargos e benefícios no novo governo a ser formado com a "revolução,  do que comprometidos com os ideiais republicanos.

Liberdade aos escravos nem pensar. República, parlamentarismo ou presidencialismo também não entravam nos planos. Pelo livro eles queriuam mesmo era se livrar da Coroa Portuguesa, e a independência visaria muito mais à autonomia das minas gerais que uma República Brasileira.

Enfim: o livro está levando-me a  uma quebra de paradigmas, de ilusões , de mitos que eu  espero que outros escritores e biógrafos reponham no meu imaginário idealista.

Escrevo estas linhas no dia de hoje porque extamente nesta data falecia em 1819 Bárbara Heliodora, a mulher do Poeta Alvarenga Peixoto - Inconfidente - e considerada a "Heroína da Inconfidência".

Até mesmo seu mito está indo por água abaixo: dizia-se que morreu louca, e pobre. Agora há pesquisadores que  indicam que em 1809 ela para fugir de dívidas e de penhores "vendeu" todos os seus bens para o filho. Como isso prejudicava a Fazenda Real, ela foi declarada "demente"para que a escritura fosse anulada.

Bárbara morreu mesmo foi de tuberculose aos sessenta anos de idade, em 1819. Seu marido, o poeta Alvarenga fora condenado e deportado para Angola, deixando-a deprimida é claro, mas viva e negociando nas suas terras  ainda por duas décadas.

Há muita coisa a ser desvendada sobre a História do Brasil. Até lá cada um interpreta e pesquisa  a partir da sua óptica.

Como bom mineiro , sobre tudo isso eu digo: "Passarinho na muda não canta".

Não Vai ter Copa: da Pirraça Infantil ao Fascismo

BRAZIL, HAS WORLD CUP  HOWEVER, IT DOESN'T HAVE DOCTORS AND NOR
HOSPITALS.  DON'T COME TO BRAZIL,  IF THEY ARE SICK THEY WILL BE  ASSISTED LIKE THIS.

(- Todavia  o  Brasil tem uma Copa do Mundo , mas ele não tem nem médicos nem hospitais. Não venham para o Brasil, porque se ficarem doentes serão atendidos dessa forma.)

hospital Não Vai ter Copa: da Pirraça Infantil ao Fascismo

 

Há estupidezes que a gente só vê no Face ou em qualquer lugar (risos).

Ontem esta foto com estes dizeres rolava pelo Face.

Claro que o  sujeito que postou isso  é apenas um , mas nesse período da Copa estamos plenos deles.

Não sou ligado em futebol, mas Copa do Mundo eu torço. Ainda mais quando é no meu País.

Creio que nós todos só veremos a real importância deste evento quando ele se realizar.

Tem muita gente agindo como jeca tatu, parecendo bicho do mato. Ou como aquele  idiota que quando a gente aponta uma estrela ele olha pra ponta do dedo.

Esse slogan " Nao Vai Ter copa" é profundamente fascista. É uma determninação expressa do que deve ter ou não ter , do que se  pode fazer ou não fazer.

A maioria do povo brasileiro, maioria absoluta,  gosta de esportes,  futebol e copas. Aí vem esses parafascistas e gritam?: "Não vai ter Copa".

Será que não conseguiriam um slogan mais popular? Mais simpático a amplas camadas da população como forma de protestar?

Algo como: queremos  Copa sim, mas também queremos mais saúde, educação e segurança - por exemplo.

Eu também acho que há muita coisa por se fazer e que precisa ser feita , sobretudo nas áreas de transportes, saúde, educação, ciência...enfim: temos de fazer e refazer todos os dias um Brasil todo novo e  que seja bom para o povo brasileiro.

Mas não. Esse tal "Não vai ter Copa" é profundamente antipopular.  Vai da pirrraça infantilizada ao mandonismo fascista.

No caso da foto com os dizeres, acima  acrescente-se o ato antipatrótico.

O Brasil é a minha Pátria e eu tenho muito orgulho dela, por maiores problemas que tenha.

Realmente eu não entendo...Que coisa mais triste.

O Curíntia, e a Uruca da Turma do “Não Vai Ter Copa”

bruxa O Curíntia,  e a Uruca da Turma do Não Vai Ter Copa

 

"Yo no creo em brujerias, pero que las hay, hay".

Essa frase tão antiga e sarcática pode bem retratar a uruca que a turma do "Não vai ter Copa" jogou em cima do Timão.

Justamente na Inauguração do Itaquerão o Corinthians perde para o  Figueirense.

Um time como o Figueirense que há quatro rodadas não faz um gol, não ganha de ninguém e justamente no que deveria ser o dia de glória do Corinthians com  a inauguração do estádio sede da abertura da Copa, orgulho nacional, vem o lanterninha e humilha o dono da casa.

Só pode ser a energia ruim da turma do "Não Vai ter Copa" . (Risos) . Uma uruca maior que a torcida do Corinthians.

É pouca gente gritando "Não Vai ter Copa" mas acabam formando uma legião. Uma corrente que ...pimba!! A bola tá na rede do Corínthians.

Claro, meus amigos, que o que estou dizendo não passa de uma brincadeira. A gente sabe que em futebol,   quando o juiz não atrapalha,  ganha quem joga melhor.

Foi o que aconteceu. Quem não faz, toma.

Mas que foi estranho foi. Eu, hein?!

""Yo no creo em brujerias, pero que las hay, hay".

Vida de Artista: Quer Mole? Senta no Pudim

Joana foto Bemvindo Vida de Artista: Quer Mole? Senta no Pudim

Quando comecei em 1966 não sabia que ia ser assim...

 

"Isso é vida de artista!"

Há quem pense ainda que vida de artista é coisa fácil. Já foi. (Risos).

Quando comecei na profissão, há 48 anos atrás, não tínhamos muitas alternativas: era teatro. Rádio e cinema às vezes.

O avanço da sociedade de consumo e do lazer fez a gente passar do ócio criativo, da vida de boemia para nos tornarmos verdadeiros workhollics (È assim que se escreve?).

Rádio, TV, Tv aberta, Tv Fechada, Blogs, Cinema - LOngas e Curtas - Entrevistas para as mais variadas mídias...viagens para apresentações em convenções e teatros, palestras, aulas, workshops...

Este fim de smana por exemplo: saí do Rio e apresentei meu standup em Juiz de Fora, depois direto pro Hotel. Acordei às 4h30m da manhã para descer ao Rio. Filmar "Sobrevivente Urbano", um longametragem que está sendo rodado com estréia para setembro.

Emendei um trabalho no outro direto. só parei as 10h da noite de domingo, quando acabei as cenas previstas.

Entre o standup e o filme ainda li os capítulos de "Pecado Mortal" que haviam chegado e escrevi o blog de domingo, sobre Mario Lago.

Em Juiz de Fora dei quatro entrevistas em horários distintos, e tirei um tempo para passar a luz e o som do espetáculo.

Um amigo meu, que não é artista, mas é  muito trabalhador também, me disse em tom jocoso:

- Quer mole? Senta no pudim

Mário Lago, Virava, Mexia, Tava Preso

mario Mário Lago, Virava, Mexia,  Tava Preso

 

Tirei este sábado e domingo para relembrar antigos colegas de profissão. Antigos mestres da arte de representar que já não estão mais entre nós.

Verdadeiros exemplos de profissionalismo, generosidade, camaradagem e talento.

Ontem foi o dia de Elza Gomes. Hoje, Mário Lago.Grande colega. Grande companheiro. Homem de respeito

Mário,  autor também do inesquecível samba "Ai, que saudades da Amélia", aquela que  segundo a letra  "era a mulher de verdade".

Lembrei-me de Mário ao procurar no Google uma foto de Elza Gomes e encontrei a do Mário aí de cima.

A foto tem 50 anos. É de  1964. De frente e perfil. Sabem por que?

Porque estava preso pelo Golpe Militar.

Dedicou sua vida às lutas populares, à melhoria de vida do povo brasileiro.

Emprestou seu talento e personalidade às nossas maiores reivindicações.

Por conseequência foi um dos primeiros presos pela Ditadura.

Trabalhava na Rádio Nacional. No elenco de radioatores e foi dedurado por um apresentador colega da Rádio.

Mas o César nem precisava apressar-se em dedurar os colegas, sobretudo o Mário.Logo o Mário que era visto e sabido, useiro e vezeiro como comunista notório.

Em 1964 foi a sexta prisão de Mário Lago. Dessa vez ficou dois meses preso e saiu para responder o processo em liberdade.

Fora tantas vezes preso que o anedotário plítico conta  que na última prisão deu-se o seguinte diálogo entre Mário e o Capitão que o prendera:

- "O senhor não muda, hein, seu Mário? Virou, mexeu, tá preso".

- "Nem o senhor. Virou, mexeu, tá prendendo.

Trinta Anos Sem o Talento de Elza Gomes

elza Trinta Anos Sem o Talento de   Elza Gomes

 

Ah, como faz falta às novas gerações e à cultura em geral a presença da atriz Elza Gomes.

Sempre fui seu fã. Passava credibilidade. Era com prazer que ouvia seu sotaque aportuguesado.

Ainal, Elza havia nascido em Portugal, vindo para o Brasil ainda menina com sua mãe que já era atriz na terrinha lusitana.

Elza, nascida Luiza Gomes em 1910, estreou na Praça Tiradentes, no Rio,  na comédia "A Capítal Federal" de Artur de Azevedo, no papel do menino "Juquinha". Aos oito anos de idade.

Anos depois, v iuva com uma filha ainda pequena, foi quando conheceu aquele que sera seu companheiro amoroso por 46 anos: o grande  ator Adré Villon.

Elza participou de mais de 400 peças, e dezenas de novelas.

No teatro destacam-se A dama do camarote, Senhora na boca de lixo, My Fair Lady, Deus lhe pague, A dama das camélias e Guerra mais ou menos santa.

Em televisão nas novelas: O Primeiro Amor (1972), Pecado capital (1975), O casarão (1976), Saramandaia (1976), Chega mais (1980) e Final feliz (1982).

Fez ainda quinze filmes.

Vítima de um câncer no pâncreas Elza nos deixou há exatos trinta anos.

Que saudade...

O Samba da Patricinha Doida

greve2 O Samba da Patricinha  Doida

 

Abro o Face e vejo a postagem com foto de uma aluna minha carregando um cartaz que diz "Greve Geral na Copa".

Achei divertidíssimo. Porque essa moça é riquíssima, filha de ricos,  que possuem investimentos diversos de gado, terras a ações e turismo hoteleiro.

Achei um non sense porque no caso de uma greve geral  os principais interesses prejudicados serão os dela e de sua familia.

Acho que alguma coisa não vai bem no universo freudiano dela, e daí extrapola para a política. Para a raiva contra a Copa. Pobre Copa. Não tem nada a ver com isso.

Esta sinhazinha moderna  refaz assim um  verdadeiro  samba da patricinha  doida, parafraseando o grande Stanislau Ponte Preta.

Greve geral é coisa usual para trabahadores  metalúrgicos, rodoviários, aeroviários, professores, têxteis, embarcadiços, petroleiros...etc...etc... não é bem o perfil entediado de uma jovem nos Jardins ou num Condomínio da Barra.

Com essa palavra de ordem a jovem lembra  uma gambá perdida no meio das hienas e das raposas. Sem nenhuma prática política achou bonito o canto da sereia  e saiu por aí, cartaz na mão.

A vantagem é que  a maioria do povo sabe separar perfeitamente as coisas: a luta por melhores  serviços essenciais e um dos maiores  eventos esportivos de caráter mundial.

Há quase duas décadas um fantasma ronda os privilegiados do País: o fantasma dos pobres e  dos emergentes da classe média. E os riquinhos de outrora  sabem que nesses anos "o dinheiro mudou de mão!"como  dizia um revoltado senhor numa festa de classe alta em que estive.

Mas vai ter Copa sim, até porque nunca vi rico fazer greve (risos) .
.

A Idade Perdoa Falar Bobagens?

old A Idade Perdoa Falar Bobagens?

 

Quando se é velho pode-se falar muita bobagem, porque as pessoas dizem:

"- Não liga não, tá velho, não sabe mais o que fala."

Quando se é jovem fala-se também muitas bobagens e dizem

" - Não liga não, é jovem, não sabe o que fala."

Isso prressupõe que existe uma faixa etária pra se falar o que se sabe com certeza?   Antes ou depois dessa faixa navegam os bobos?

Mas o fato até merece reflexão. Há um jovem que acompanho no Face. Idealista. Palrador. Ele quer é postar. Qualquer coisa.  Participar. Descobrir o Mundo e a LIberdade de Expressão.

Sua mais recente obra foi uma postagem onde ele indignado conclama:

"-Vamos parar o País no dia das eleições, e exigir eleições de 4 em 4 anos, e o fim dos corruptos."

É um vitorioso!! Nem bem terminara de postar e já conseguira duas grandes vitórias:

1 - O País realmente para no dia das eleições,  para que todos votem.

2 - As eleições para cargos executivos e legislativos federais realmente   ocorrem de 4 em 4 anos.

Só não é  vitorioso,  ainda,  no terceiro quesito: pelo fim dos políticos corruptos.

Mas isso se resolve na urna eletrônica, na hora da escolha dos candidatos.

Querendo ou não essa é uma escolha do eleitor. É a Democracia.

A menos que o jovem proponha um quarto quesito:  eliminar os eleitores.
children A Idade Perdoa Falar Bobagens?

 

Um Milhão de Judeus Entregues Pela França aos Nazistas

igualdfade Um Milhão de Judeus Entregues Pela França aos Nazistas

Parece que na Terra da Igualdade, Liberdade e Fraternidade a grana falou mais alto.

 

Há fenômenos sociais e poíticos que eu realmente não sei como aconteceram.

Na data de hoje em 1941 a França prendeu um milhão de judeus e os entregou à Alemanha. Claro que tiveram seus bens sequestrados. Havcia lucro e benefícios financeiros no ato.

O destino daqueles judeus  está mais que sabido , fotografado e documentado. Entregou-os para os trabalhos forçados, a tortura , o vilipênddio, e a morte.

Um horror ! Um milhão!!! Se equivalermos a população da época seria hoje equivalente a 3 Milhões de judeus presos e entregues.

Como isso pôde acontecer , e exatamente no País das Luzes como sempre foi chamada a França. O berço do humanismo moderno.

Uma amiga francesa  certa vez chamou-me a atenção para um fato. Dizia ela que se o povo francês realmente não aceitasse a ocupação alemã ela não teria  não teria como sustentar-se.

Falou-me isso a respeito da heróica  Resistência Francesa. Disse-me que era muito frágil. Que só quase no fim da guerra foi que ela cresceu.

Isso signfica dizer que a  maioria da população francesa aceitou a dominação. Foi conivente. Fechou os olhos e foi cuidar da sua vida privada.

Lembrei-me do que ocorreu no Brasil  durante a Ditadura  Militar, quando em 1970, o período mais feroz e cruel do regime militar o povo estava feliz, satisfeito com o "Milagre Brasileiro" e pouco se importava se estávamnos numa democracia ou não. Pouco se importava se jovens e patriotas estavam sendo mortos, torturados sequestrados, violentados.

Só quando o chamado "Milagre Econômico" entrou em decadência é que se fortaleceu o movimento contra o Governo Militar levando ao seu fim mais de vinte anos depois de instalado.

Se o povo brasileiro não o desejasse não teria durado seis meses.

Porque a questão é economica e não ideológica. Volto a lembrar do assessor de campanha de Bill Clinton dizendo a ele: “It's the economy, stupid!”.( É a Economia, seu burro!)

Economia ou não é monstruosa a gigantesca capacidade  dos seres humanos de praticar o Mal. Ou de virar o rosto para o outro lado como quem não está vendo.

O que aconteceu na França ocupada  em 1941? Economia ou Maldade? Ou os dois juntos?

Ir para a home do site
Todos os direitos reservados - 2009- Rádio e Televisão Record S/A
exceda.com