Norma Benguell: Toda a Sua Nudez Castigada na Ditadura

 

norma Norma Benguell: Toda a Sua Nudez Castigada na Ditadura

A eterna diva do cinema nacional

 

Perdemos Norma Benguell...estes últimos trinta dias tem sido implacáveis para com os artistas, muitas perdas tivemos. Mas prosseguimos, pois como disse Drummond: "Chega um tempo em que a vida é uma ordem!"

Norma internou-se no dia 08 de outubro. Cheguei a pensar em fazer o post do dia sobre ela, mas por pudor e respeito reservei-me ao silêncio para juntar-me às vibrações dos parentes e amigos   à sua luta pela vida,  e não o publiquei.

Mas o que me motivaria  a escrever um post sobre ela no dia 8 de outubro?

Seria sobre o fato dela ter sido a primeira atriz a ter um nu frontal na filmografia nacional? Isso já foi porém demais usado, badalado, e explorado. E dela ninguém tira este mérito e ousadia. Ícone que se tornou das artes e do cinema brasileiro.

Seria sua luta pela liberdade e contra a censura numa data que marca a morte de Che Guevara na Bolívia há 46 anos atrás?

Ou seria um fato ocorrido um ano após, em 8 de outubro de 1968? Isto mesmo! Este fato que agora passo a relembrar: vivíamos já há quatro anos o regime de exceção criado pela ditadura cívico-militar que se implantou no País.

A Censura vigorava, bestial. As liberdades destruídas...

Já em julho de 1968 os atores do espetáculo "Roda Viva" de Chico Buarque foram espancados, junto com o público, durante uma apresentação da peça no Teatro Ruth Escobar em São Paulo. Quem os espancou? Os mesmos que sustentavam a Ditadura.

Em fevereiro do mesmo ano Norma encabeçou uma greve dos artistas, de 72 horas, contra a Censura e vinha às ruas à frente de uma passeata pela Liberdade e contra a Ditadura.

A Norma que seis anos antes, em 1962,  protagonizaria o primeiro nu frontal no cinema nacional ao lado de Jece Valadão no filme "Os Cafajestes".  O País ainda no gozo das suas liberdades.

Em 1968 já era um ícone da nossa cultura e celebrizada até pela crítica francesa através do "Cahiers du Cinema".

Foi então, em 8 de outubro de 1968 que  a Besta do fascismo agiu: pelas mesmas forças que espancaram os atores e público em "Roda Viva", Norma foi sequestrada em São Paulo, espancada  e solta depois no Rio de Janeiro. Disse ela em entrevista ao jornalista Ricardo Kotscho sobre isto em 2011:

"Eu fui sequestrada aqui no Teatro de Arena em São Paulo, fundado em 1953, eu fui sequestrada e espero que não seja hoje também. Eu fui sequestrada aqui no Teatro de Arena porque eu tinha dado uma declaração sobre o aeroporto do Galeão, e a rádio Gazeta botou no ar. E aí me sequestraram para saber sei lá quem era eu, e aí fizeram aquelas perguntas. Quer dizer, na realidade, eu acho que o meu trabalho de atriz nunca foi muito valorizado no Brasil, e sim as minhas posições político-libertárias, e também nem tão revolucionária eu sou assim, eu não sou nada, eu sou uma pessoa que reclama os meus direitos."

No dia em que choramos sua perda escrevo este post sobretudo para que a garotada das novas gerações saiba o que foi ter vivido sob uma Ditadura, e que ela não se repita nunca mais.

Escrevo para ser fiel à Norma que disse ainda na mesma entrevista a Kotscho:

"Mas eu acho que a ditadura criou uma geração que está precisando ser informada. Principalmente no Rio de Janeiro, aqui em São Paulo não sei muito, porque eu não vivo aqui, mas no Rio de Janeiro eu acho que essa geração tem que ser informada. Nós temos que contar a história verdadeira do Brasil, porque eles foram enganados durante vinte anos."

In memoriam.

Mazzaropi, o Jeca, Fez 100 anos

jeca Mazzaropi, o Jeca,  Fez 100 anos

 

Mostra na Caixa Cultural do Rio celebra o centenário do cômico  Mazzaropi, quem melhor encarnou o jeca nbrasileiro.

Jeca Tatu é um personagem criado por Monteiro Lobato em sua obra Urupês, que contém 14 histórias baseadas no trabalhador rural paulista. Simboliza a situação do caboclo brasileiro, abandonado pelos poderes públicos às doenças, seu atraso e à indigência.

"Jeca Tatu não é assim, ele está assim". A frase de Monteiro Lobato, sobre um dos seus mais populares personagens, refere sua obra para além das histórias infantis e incomoda a elite intelectual da época, acostumada a uma visão romântica do homem do campo. Jeca Tatu, um caipira de barba rala e calcanhares rachados – porque não gostava de usar sapatos, era pobre, ignorante e avesso aos hábitos de higiene urbanos. Morava na região do Vale do Paraíba (SP), distinta por seu atraso. Vale lembrar que a persnagem de Lobato também foi muito usada em campanhas do governo no combate à verminose.

Pois é nessa região (Taubaté)  que se instala  a companhia cinematográfica de Amácio Mazzaropi.

Nascido em 1912, por indolência cabocla talvez, sómente agora em 2013 o Rio de Janeiro poderá assistir ao que os paulistas tiveram a primazia:  à mostra comemorativa de seu centenário de nascimento.

A mostra começou ontem terça-feira (8) e vai até 20 de outubro em homenagem ao ator, roteirista, diretor e produtor brasileiro. Estive presente à abertura e recomendo. Nos 12 dias de evento, a mostra vai exibir 26 filmes do artista, cinco deles em 35mm. Além das exibições, que ocupam as duas salas da Caixa Cultural, no Centro do Rio de Janeiro, a mostra também vai promover debates, palestras e um curso de capacitação sobre o homenageado, ministrado pela pesquisadora Silvia Oroz.

“O jeito jeca de ser, de Mazzaropi, conquistou o povo e levou multidões aos cinemas, com rendas de bilheterias que batiam recordes. Poucos artistas conseguiram esse fenômeno. Através do cinema de Mazzaropi faremos uma viagem no tempo, que mostrará a evolução da sétima arte e de um povo”, explica a curadora da mostra, Carla Barbosa. A programação traz, entre outros títulos, "Sai da Frente", o primeiro filme de sua carreira, de 1952; o clássico "Jeca Tatu", de 1960; e "Tristeza do Jeca", de 1961, seu primeiro filme colorido.

A Caixa Cultural Rio fica na Av. Almirante Barroso, 25, Centro. Lá ocorrerá a Mostra.

 

Biografia é Bom e Eu Gosto, Roberto Carlos Não Gosta

 

juanne Biografia é Bom e Eu Gosto, Roberto Carlos Não Gosta

Bieber ou Anne Frank? Com que exemplo de vida  presentear a minha neta?

 

Adoro ler biografias. Elas nos ensinam muito e nos  guiam em muitas decisões que pensamos em tomar na vida a partir do exemplo de vida dos grandes nomes.

Porém alguns ícones da nossa cultura lutam contra o direito aberto de produzir biografias.

Explicando melhor: ninguém poderia sair livremente escrevendo a biografia de Roberto Carlos, por exemplo, ou a minha.

Teria que ser autorizado pelo próprio biografado ou por seus herdeiros, num prazo válido de até 60 anos após a morte do biografado.

Essa discussão tem seus prós e contras.

Numa sociedade de consumo desenfreado e sem maiores compromissos com a ética, buscando o sensacionalismo, falsear biografias, incluindo  fatos e casos nunca ocorridos apenas com o intuito de escandalizar e vender mais seria o óbvio.

Por outro lado seria uma forma de censura e cerceamento á informação da vida de figuras públicas.

Pessoas públicas não podem exigir privacidade total. É muito tênue a linha  entre o privado e o público.

Certa vez , há muitos anos, Luiz Caldas, no auge do seu sucesso,  me disse num restaurante de um hotel em Fortaleza:

-" Bemvindo, quando não quero ser incomodado não saio da suíte, janto lá em cima mesmo. Se venho ao restaurante corro o risco e a obrigação de estar aberto ao público."

Ao mesmo tempo fico surpreso, para não dizer irritado, com biografias como  a do Justin  Bieber por exemplo.

Penso que uma biografia é coisa que vem com o tempo de vida. A vida de um "justino biba" que  mal começou o que tem para nos contar? O que pode haver de tão interessante que não seja o interesse de vender pelo lucro imediato?

Biografia de atores que ainda não chegaram sequer ao meio da carreira é outra maluquice.

De toda a forma a discussão começou, e espero que continue com alto nível, ao mesmo tempo defendendo o direito à verdade da vida dos biografados e permitindo a liberdade de expressão e pesquisa dos autores.

Mas só não entendo uma coisa: se alguém publica algo sobre mim que não seja verdade eu posso processá-lo, a Lei existe para isto. Ou não?

Então, da minha parte sou a favor da liberdade de escreverem biografias e também  do direito dos biografados e seus herdeiros utilizarem a Lei para se defender contra inverdades e calúnias. E o público que escolha o que ler.

 

Quer ser Ator? Comece Por Conhecer a Língua!

lingua2 Quer ser Ator? Comece Por Conhecer a Língua!

Língua ele também tem, mas para ser ator precisa conhece-la.

Muitos jovens que desejam seguir  a profissão de ator me perguntam o que devem fazer pra ser um bom ator.

-"Como fasso para ser ator?"

_"Sempre quis enterpretar no pauco."

Parece brincadeira, mas é com essa ortografia que recebo inúmeras mensagens.

Primeiro que tudo para ser um bom ator é preciso conhecer a Língua em que se fala. No caso, o Português. Conhecem melhor o Inglês que a Língua Pátria!.

Nunca me esqueço de um ator , já formado, já profissional, trabalhando comigo que gritava em cena: -"Peguem os fusíveis!!!" .Porque ele achava que este era o plural de "fuzil".

Eu iria adiante: além de Português é preciso ter noções de Latim, origem da nossa Língua.

Mas, como já seria pedir demais, fiquemos no bom Português: conhecer os sufixos, prefixos, radicais, desinências, objetos diretos, indiretos,  predicados, sujeitos, verbos (ação)...

Para dar um exemplo: se você desconhece o Verbo como pode determinar qual a ação da cena? Qual é o  sujeito que  protagoniza a ação? Qual o objeto direto da ação a que se refere o verbo? Se não sabe o que diz como poderá dize-lo com a verdade que a cena necessita?  E por  aí vai...

Claro que existe  a pintura primitiva, a dança popular...a arte popular...a cultura de massa...mas se você que está agora começando, ou que vai começar na arte do ator quiser ir mais além, quiser buscar  a obra de arte inspirada tem que começar por saber como orar, ou seja, a partir da sua palavra bem dita tocar a alma dos espectadores enlevando-a.

"Orar: falar em público; proferir discurso ou expressar-se em tom oratório; discursar."... Tem que dominar a oratória: "...conjunto de regras que constituem a arte do bem dizer, a arte da eloquência; retórica." (Houaiss), a Gramática ...

Senão você pode até comunicar-se, cães, gatos e até gambás fazem isso a toda hora, nem por isto são atores. Mas se você quer ser um grande ator comece por aprender a Língua em que vai se comunicar.

Outubro Ou Nada: Aconteceu de Tudo Neste Mês!

 

outubro Outubro Ou Nada: Aconteceu de Tudo Neste Mês!

Filme - obra prima - do cineasta russo Sergei Eisenstein

Este é o primeiro domingo de Outubro.

Dei uma olhada nos fatos ocorridos este mês, durante os tempos e descobri que são riquíssimos social e culturalmente.

Vejam pela ordem cronológica:

01 - Chaplin é chamado a depor na Comissão de Atividades Antiamericanas.

02 - Nascimento de Ghandi e Groucho Marx .

03 - Nascimento de Grande Othelo . 1915

Início da Revolução de 1930.

Morte de Wilson Grey - ator recordista de filmes brasileiros. 1993

wilson Outubro Ou Nada: Aconteceu de Tudo Neste Mês!

Wilson Grey

06 - Tropa do Forte da Ilha das Cobras no RJ é sublevada por Cipriano Barata, trisavô de Agildo Ribeiro, que lá estava prisioneiro -o trisavô naturalmente. 1831

08 - Morte de Ernesto Che Guevara - na Bolívia. 1978

Nesta data em 1968 , durante a Ditadura militar, a atriz Norma Benguell foi  sequestrada em SP, espancada e solta no RJ.

O  ditador General Emílio  Médici afirmava em Porto Alegre que "o Homem não foi feito para a Democracia.".  Exatamente cinco anos depois ele falecia, e apesar dele o Brasil reconquistou a democracia.

Em 1969, nesta data estreava o musical "Hair".

09 -  Nascimento em 1909 de Jacques Tati, comediante e cineasta francês.

Em 1979 depois de cinco anos proibida pela Ditadura Militar,  estreia a peça de Vianninha "Rasga Coração".

10 - Estreia da ópera "Porgy and Bess"  de George Gershwin em 1935.

11 - Lançamento de "O Tico-Tico", em 1905 . Primeira revista brasileira em quadrinhos.

tiuco Outubro Ou Nada: Aconteceu de Tudo Neste Mês!

Tinha seis anos quando ganhei de presente este exemplar

Em 1948 estreia o TBC em SP, no Bexiga. A peça de estreia foi " A Voz Humana".

Morre em 1968 Edith Piaf

12 -  Inauguração do Real Teatro São João. Primeiro palco no Brasil .1813

Nasce em 1922 Leon Eliachar, humorista.

No mesmo ano, 1922, Rodolfo Valentino, abandona a carreira da dançarino e torna-se ator.

Morre em 1971 Glauce Rocha.

15 - Chaplin estreia  "O Grande Ditador".

17 - Nasce o dramaturgo  Arthur Miller em 1915.

18 - Antonio José da Silva  ( O Judeu) , dramaturgo brasileiro é queimado vivo em praça pública em Lisboa em 1739. Foi o último a ser queimado vivo em Portugal pela Inquisição mas foi sem

dúvida, entre os martirizados, o melhor comediógrafo. E dizem que é por isso que até hoje paira uma maldição sobre quem escreve comédias em Português.  Tou "ferrado" rsrsrs.

25 - Assassinado no Doi- Codi de São Paulo, no II Exército, o jornalista Wladimir Herzog. 1975

Morre o teatrólogo Flávio Rangel. 1988

flabvio Outubro Ou Nada: Aconteceu de Tudo Neste Mês!

Flavio Rangel - diretor de "Piaf"

 

30 - Em 1930 inauguração do cinema Íris, no Rio de Janeiro, na rua da Carioca.

Em 1925 inauguração do Teatro Glória.

O Teatro e o Troca-Troca de Partidos Há Mais de 100 Anos

 

como se fazia um deputado O Teatro e o Troca Troca de Partidos Há Mais de 100 Anos

Montagem de "Como Se Fazia um Deputado" pelo grupo Mirateatro da UERJ, em 2010

 

Hoje encerra-se o prazo para filiação e desfiliação partidária com vistas às eleições de 2014. É a  hora em que mais de uma centenas de deputados federais e muitos senadores, e centenas de postulantes a cargos representativos filiam-se ou   trocam de legendas, procurando acomodar-se melhor.

Com a negação do registro do Partido Rede Sustentabilidade , da ex-ministra Marina Silva, o jogo complicou um pouco mais.  Mas mesmo com a negação do partido de Marina o País conta hoje com mais de trinta legendas partidárias, e enquanto o eleitor assiste o troca-troca partidário encontrei um texto  teatral, mais que centenário, que já tratava de forma bem humorada o momento político daquela época (?).

Há mais de 130 anos o comediógrafo França Jr. (1838- 1890) escrevia o seguinte diálogo na sua peça " Como se Fazia um Deputado": dois "coronéis" conversam sobre casar o filho de um deles, recém formado, com a filha do outro, vejam:

Cena VI

 Limoeiro e Chico Bento

 Limoeiro – Então o que diz do nosso doutor?

 Chico Bento - E diga-me cá uma coisa: a respeito de política, quais são as ideias dele?

 Limoeiro – Tenente-coronel, cartas na mesa e jogo franco. É preciso arrumar o rapaz; e não há negócio, neste país, como a política. Pela política cheguei a major e comendador, e o meu amigo a tenente-coronel e a inspetor da instrução pública cá da freguesia.

 Chico Bento – Pela política, não, porque estava o partido contrário no poder; foi pelos meus merecimentos.

 Limoeiro – Seja como for, fato é que, apesar de estar o meu partido de cima, o tenente-coronel é e será sempre a primeira influência do lugar. Mas vamos ao caso. Eu represento o dinheiro; o tenente-coronel a influência. O meu partido está escangalhado, e é preciso olhar seriamente para o futuro de Henrique, antes que a reforma eleitoral nos venha por aí.

 Chico Bento – Quer então que...

 Limoeiro – Que o tome sob a sua proteção quanto antes, apresentando-o seu candidato do peito nas próximas eleições.

O rapaz é meu herdeiro universal, casa com a sua menina, e assim conciliam-se as coisas da melhor maneira possível.

 Chico Bento – (Com alegria concentrada.) Confesso ao major que nunca pensei em tal; uma vez, porém, que este negócio lhe apraz...

 Limoeiro – É um negócio, diz muito bem; porque, no fim de contas, estes casamentos por amor dão sempre em água de barrela. O tenente-coronel compreende... Eu sou liberal... o meu amigo conservador...

 Chico Bento – Já atinei! Já atinei! Quando o Partido Conservador estiver no poder...

 Limoeiro – Temos o governo em casa. E quando o Partido Liberal subir...

 Chico Bento – Não nos saiu o governo de casa. E se se formar um terceiro partido? ...

Limoeiro – Ora, ora... Então o rapaz encaixa-se no terceiro partido, e ainda continuaremos com o governo em casa. Olhe, meu amigo, se o virar casaca fosse crime, as cadeias do Brasil seriam pequenas.

 Chico Bento – Então casamos os pequenos...

Limoeiro – Casam-se os nossos interesses...

Você Sabe o Que Significa em Comédia o Termo “Tossir na Cabeça”?

 

agildo Você Sabe o Que Significa em Comédia o Termo Tossir na Cabeça?

Agildo Ribeiro, mestre em driblar o "tossir na cabeça".

A Comédia é : Ritmo, tempo, melodia... Resumindo: Harmonia.

O Comediante precisa estar muito atento porque se a Comédia é uma equação matemática existe um outro ator equacionando com ele: o público.

O espectador que tosse; que se move; que se levanta; que se mexe na cadeira ;  que espirra... todo ele é uma ameaça constante à Harmonia. Muitas vezes o comediante prepara o desfecho cômico para uma cena e quando vai executa-lo o espectador “tosse na cabeça”.

"Tossir na cabeça" é um termo antigo no  teatro de comédias  e significa a quebra da Harmonia na "cabeça" da piada -  ou desfecho cômico -  motivado por algum fator externo ao condutor da cena, às vezes motivado até mesmo por um colega que se move em cena  sem razão de ser justo no desfecho da piada. 

Compete então ao bom ator perceber num lapso, e antecipar-se a estes "sabotadores" da comédia que inconscientes, mas desafinados, podem arruinar um momento de graça, ou até mesmo toda uma apresentação.

Compete ao ator antecipar-se perceber que uma tosse está começando... que alguém está se levantando... que uma senhora começa a revirar a bolsa,...que uma jovem abre um pacote de caramelos com celofane e oferece a todo o grupo em volta dela... e então compete ao ator  mover-se mais e mais na preservação da Harmonia que está prestes a ser perdida.

Também compete ao bom comediante corrigir permanentemente em cena o desafino, a falta de ritmo e de tempo do inepto colega coadjuvante, que a esta altura lhe foi dado em cerna mais como fardo que como parceiro na comédia.

Muitas vezes vamos encontrar um grande comediante movendo-se em cena como um único jogador de tênis, mas jogando por dois  com quatro raquetes em cada mão tentando desesperadamente salvar todos os saques errados, todas as bolas tortas, todas as queimadas de rede  do seu parceiro no campo. Na maioria das vezes não consegue, e ainda se perde, já que o espetáculo há muito já se perdeu.

Voltamos  assim à grande importância do ator coadjuvante. Do “escada”. Ele é quem levanta as bolas para serem cortadas.

Não há bom protagonista sem bons coadjuvantes ao lado.

Não há boa Comédia sem a Graça , estado que só se alcança com a Harmonia, o mesmo dom da Saúde.

Vem Aí Mais Uma Missão Cultural Francesa

 

comedie Vem Aí Mais Uma Missão Cultural Francesa

Visão da belíssima Sala Richelieu, da Comédie, em Paris.

 

Recebo um clipping informando a vinda da Comédie Française ao Rio, para apresentar-se agora em outubro - dias 19,20 e 21,  na "Cidade das Artes".

Tudo o que vier para manter aberto e funcionando aquele "elefante branco"  que é a "Cidade das Artes" será bem-vindo.

Lembro-me durante a gestão do colega Antonio Grassi á fente da Secretaria de Cultura do Estado do RJ que a manutenção anual do "Theatro Municipal" era de 60 milhões - isso mesmo:   sessenta   milhões de reais por ano. Isso há uns seis anos atrás, de uma verba geral de 100 milhões para a Cultura no Estado.

Hoje quanto custa manter a "Cidade das Artes"? Pois é... então que todos os eventos sejam bem-vindos, porque já que pagamos tão caro que pelo menos funcione.

Mas...o foco do post é  a Comédie. Assim como disse o poeta sobre a nossa língua portuguesa "Ùltima flor do Lácio, inculta e bela" parodio para dizer que a Comédie é a última flor , culta e bela, da Commedia d'Larte da Renascença.

Fundada pelo Rei Sol em 1680, a Comédie Française comemora 333 anos de atividade e é uma dentre as muitas instituições que ao longo da História ajudaram a posicionar a França como um dos países mais admirados do mundo no campo cultural. Coisa que aqui nos trópicos cultivamos desde a primeira missão cultural francesa no século 19, em 1816.

Uma das referências máximas da tradição teatral, a companhia está em turnê pela América do Sul e desembarca na Barra da Tijuca, para três apresentações de "O Jogo do Amor e do Acaso" comédia de Marivaux.

Marcada pela tradição, mais que pela criação, as apresentações valem como uma visita  a um museu de artes. Valem como um conhecimento da memória depositada durante séculos nas mãos desta instituição.

Com  trezentos anos de fundada, a Comédie tornou-se tão fossilizada quanto o Bolshoi: um compromisso com a perfeição e a estratificação da arte a tal ponto que se alguém vai assistir pensando em ver uma arte cênica moderna e arrojada, não! Verá uma obra belíssima, muito bem acabada. Um fruto bonito, grandioso, perfeito, como aqueles goiabões paulistas que se vendem nas feiras livres, vistosos mas que não tem gosto de nada...

Da última vez que se apresentou no Rio - salvo engano -  foi com "Le Malade Imaginaire" (O Doente Imaginário) de Moliére. O público afluiu massivo. Lotou o Municipal, mas para grande decepção não era a comédia que ele esperava.

Ao contrário o que se viu foi uma montagem acadêmica, bem comportada, onde o carioca com seu bom humor natural ficou com um leve sorriso de Monalisa no rosto durante toda a a apresentação, e uma frustração por não entender que a Comédia da Comédie de hoje não é a Comédia Latina de antanho.

Portanto, que venha a Comédie, seja bem-vinda; os que irão assisti-la podem desde já fazer suas reservas pelo site da Cidade das Artes. E saibam que desfrutarão do prazer de ver um grande, bonito e vistoso espetáculo,

Se será engraçado é outra coisa, mas a Comédie, mesmo conservadora e elitista, merece todas as honras.

 

A Festa Internacional do Teatro de Angra dos Reis

Fita 001 A Festa Internacional do Teatro de Angra dos Reis

Começou hoje a 10ª Festa Internacional de Teatro de Angra dos Reis , RJ. A FITA.

Um dos maiores eventos teatrais do País.

Durante o mês de outubro milhares de espectadores, vindos de todas as partes, e dezenas de companhias e espetáculos teatrais de todo Brasil e do exterior se encontram para celebrar as artes cênicas.

Há vários espaços montados para aas apresentações, desse espçaos com 1.500 lugares até com 300 lugares, além de apresentações em praças púbçias  e nas ruas.

Uma festa que engrandece o Estado do rio e o Brasil.

Você pode obter mais informações sobre a Festa, como chegar lá etc. etc. no site  http://www.fita.art.br/

Vale  apena , não perca esta oportunidade.

fita2 001 A Festa Internacional do Teatro de Angra dos Reis

Eu também estarei na FITA. dia 03/10 estreando um novo stand up

 

 

Hoje é o Dia Internacional Da Pessoa Idosa

velha Hoje é o Dia Internacional   Da Pessoa Idosa

Hoje é o dia da pessoa idosa. fui ao retiro dos Artistas. Vi os colegas que moram lá. Alguns foram colegas meus como Claire Degon e Salúquia Rentini.

A qualidade de hospedagem e vida no Retiro faz-me pensar em terminar lá os meus dias, se necessário.

Mas neste dia do idoso descubro entre meus documentos guardados um que me toca profundo.

É um singelo documento que me foi dado pela tia de minha mulher, que faleceu com 87 anos,. Tia Regina.

Chama-se :

ORAÇÃO DA PESSOA IDOSA

"Bem aventurados os que compreendem meus passos vacilantes e minhas mãos trêmulas;

Bem aventurados os que levam em conta que meus ouvidos captam as palavras com dificuldade, por isso procuram falar-me mais alto e pausadamente;

Bem aventurados os que percebem que meus olhos já estão nublados e  minhas reações lentas;

Bem aventurados os que desviam o olhar, simulando não ter  visto o café que por vezes derramo sobre a mesa;

Bem aventurados os que sorriem e conversam comigo;

Bem aventurados os que não me dizem :" Você já contou isso tantas vezes";

Bem aventurados os que sabem dirigir a conversa e as recordações para as coisas dos tempos passados;

Bem aventurados os que me ajudam a atravessar a rua e não lamentam o tempo que me dedicaram;

Bem aventurados os que respeitam os assentos que me são dedicados no transporte coletivo;

Bem aventurados os que me fazem sentir que sou amado e não estou abandonado, tratando-me com respeito;

Bem aventurados os que compreendem o quando me custa carregar a minha cruz;

Bem aventurados os que amenizam os meus últimos anos sobre a terra;

Bem aventurados todos os que me dedicam afeto e carinho, dizendo-me assim: Pensai em Deus!

Quando entrar na eternidade, lembrar- me-ei deles junto ao Senhor!"
velho Hoje é o Dia Internacional   Da Pessoa Idosa

Ir para a home do site
Todos os direitos reservados - 2009- Rádio e Televisão Record S/A
exceda.com