Dona Maria, a Louca, Viveu Mais Que Todos Seus Descendentes Reais

 

louca Dona Maria,  a Louca, Viveu Mais Que Todos Seus Descendentes Reais

"Dizem que eu sou louca, mas louca é quem me diz..." cantarolava a Rainha

 

Vejam vocês o que é a vida Dom João VI faleceu com 59 anos. Seu filho dom Pedro I aos 36 anos; seu neto D Pedro II aos 66 anos, e, entretanto sua mãe, que era  A Louca, Dona Maria I viveu longeva. Faleceu na data de hoje em 1816 aos 81 anos.

Teria a loucura a preservado de uma vida breve?

Apresentação do Elenco de “Os Dez Mandamentos”

 

Aconteceu ontem de manhã ,nos estúdio F do recnov -0 no cenário da "Sala do trono" - a rpesentação para a Imprensa do elenco e equipe de "Os Dez mandamentos".

Casualmente tirei fotos de alguns amigos no clima de festa e confraternização que rolou.

gi1 Apresentação do Elenco de Os Dez Mandamentos

Abela Gisele Ithié

 

denise1 Apresentação do Elenco de Os Dez Mandamentos

Carlos Bonow, Denise Del Vechio, eu e Victor Pecoraro

 

dis Apresentação do Elenco de Os Dez Mandamentos

A graça e beleza de Gabriela Durlo

 

giu2 Apresentação do Elenco de Os Dez Mandamentos

Giusepe Oristânio e Lisandra Souto

 

zafir Apresentação do Elenco de Os Dez Mandamentos

Luciano Zafir e Bonow

deise Apresentação do Elenco de Os Dez Mandamentos

A amigona Denise Del Vechio

 

bonow1 Apresentação do Elenco de Os Dez Mandamentos

Heitor Martinez e Carlos Bonow

 

IMG 0770 Apresentação do Elenco de Os Dez Mandamentos

Thierry Figueira e Guilherme Winter  abraçam a autora Vivian Oliveira, a bela de azul.

 

me ninas Apresentação do Elenco de Os Dez Mandamentos

Pra finalizar, um buquê de beleza e graça.

Vamos Arrebentar em “Os Dez Mandamentos”

baruk6 Vamos Arrebentar em Os Dez Mandamentos

Baruk, o inescrupuloso

 

Muito feliz  por ter sido convidado a fazer parte do elenco de "Os Dez Mandamentos"  a nova novela da Rede Record que estreia no próximo dia 23, segunda feira, em novo horário de novelas para a Record: 20h30m..

"Os Dez Mandamentos" tem direção geral de Alexandre Avancini e autoria de Vivian Oliveira.

Hoje acontece  o coquetel de apresentação da novela para a Imprensa. Elenco e equipe toda presente.

Minha personagem é um homem viúvo, pai de Anibal  ( Thiery Figueira  ) e Menahem (  Jorge Pontual). Proprietário de um rebanho de ovelhas  e comerciante,. Um homem sem escrúpulos e ignorante. Baruk quer ter sempre mais, e não importa comol. Disputa a posse do poço de água de Jetro (sogro de Moisés) e não vai deixar barato  . Baruk detesta perder e quer ter mais influencia na sua comunidade midianita que Jetro.

Agora é cair dentro e gravar com muito carinho, dedicação e concentração, porque essa novela vai arrebentar.

 

Controladores de Trânsito ou Apito do Samba?

transito Controladores de Trânsito ou Apito do Samba?

 

Moro a uma pequena distância de uma confluência de várias avenidas e ruas, no Rio de Janeiro.

Ainda assim, mesmo a duzentos metros do local escuto todas as manhãs os apitos histéricos dos controladores de trânsito.

O que são esses homens?

Não são da PM, nem da Guarda Civil, não tem nenhum poder de multar ou fiscalizar, apenas devem ajudar a fluência do trânsito.

No Rio parecem um exército de gafanhotos com seus coletes verdes. E como apitam!

Aliás, só fazem isso.

Diferentemente do que se espera pelo Código de Trânsito para eles não há silvo longo, dois silvos curtos, etc. etc.. Apitam como se estivessem numa Escola de Samba organizando as alas. Apitam sem parar, desde as 7 horas da manhã, até o meio dia ao menos.

Uma atriz, amiga minha, que mora bem na esquina diz que não consegue dormir, ou concentrar-se depois das sete da manhã o estardalhaço de apitos. E eu mesmo confesso que no trânsito fico atrapalhado ao ouvir os apitos, pois não sei o que eles significam, nem o que os “guardinhas” querem dizer com eles.

E o mais interessante: só tem força para apitar. Quando se trata de orientação do trânsito por gestos manuais eles os fazem com a indolência própria de macunaímas: a mão mole, o gesto vago, o olhar perdido... ai que preguiça!

E você que se dane, entre o inútil barulho ensurdecedor dos apitos e os vagos gestos de quem está ali sem nem entender o que está fazendo.

 

Minha Infância Negra e Humilde , Com Muita Honra e Dignidade

poor Minha Infância Negra e Humilde , Com Muita Honra e Dignidade

 

Dona Delfina era uma negra que tocava o lar com todos os seus afazeres, cuidando dos quatro filhos e ainda lavava roupa pra fora.

O marido , negro mais negro que todos, era coveiro no Cemitério de inhaúma, Rio. Saía bem cedo de casa e voltava ao escurecer.

Delfina tinha dois filhos homens e duas filhas mulheres: Nilda e Nilce. Os homens eram Ney e Jorge.

Com estes dois passei grande parte da minha infância., Companheiros inseparáveis. Passava minhas tardes de folga ou na calçada das nossas casas ou brincando  na casa deles, somando ao nosso grupo a garotada da vizinhança filhos de ambulantes, domésticas, faxineiras e trabalhadores em geral.

Isto se deu em Pilares, subúrbio do Rio, que me faz lembrar a marchinha de Carvalhinho e Julio  Monteiro, “Madureira Chorou” : “gente modesta, gente boa do subúrbio...”.

Foi assim que se formou minha consciência social. Sem preconceitos e acostumado ao linguajar e  ao gestual dos humildes e dos excluídos.

Agradeço aos meus pais que ao me criarem assim,  plantaram em mim um olhar fraterno para todos os  meus semelhantes.

 

Nem Pelé, Nem Maradona: Friedenreich é o Rei do Futebol

 

rei Nem Pelé, Nem Maradona: Friedenreich é o Rei do Futebol

O primeiro rei do futebol, coroado na Europa

 

Navegando pela web deparo-me com uma nota muito interessante.

Ela me remete ao nosso Rei Pelé, cujo título de Rei constantemente os manos argentinos contestam querendo arrancar a coroa da cabeça de Pelé como fez a segunda colocada no Miss Amazonas deste ano.

Mas , como ia dizendo, navegando, descubro que nem Pelé e nem Maradona. O título, o primeiro título de Rei do Futebol pertence a o jogador paulista Artur Friedenreich (1892/1969), assim batizado pela imprensa francesa há exatos 90 anos.

Os uruguaios já o chamavam de “El Tigre”. Na excursão futebolística que o Paulistano fez à Europa ganhou a coroa de Rei do Futebol.

Arthur pertencia a uma família de funcionários públicos subalternos. Era filho de um funcionário público oriundo de Blumenau, chamado Oscar Friedenreich. O avô do jogador, Karl Wilhelm Friedenreich, nascido na Alemanha, era um veterinário e naturalista amador, que ocupou o cargo de delegado de polícia na cidade catarinense.

"Fried" começa a jogar futebol ainda adolescente na cidade de São Paulo, nos clubes Germânia (atual Pinheiros), MackenzieYpiranga e o Paulistano, que hoje são apenas clubes sociais e já não atuam no futebol profissional.

Considerado um dos melhores centro-avantes que o Brasil já teve.

Em tempo: "Fried"  era mulato, seu avô era alemão, seu pai brasileiro de Blumenau - SC -  e sua mãe uma afrobrasileira. Essa miscigenação  é que permitiu a ele, mestiço,  jogar por um clube da elite paulistana da época.

Você já tinha ouvido falar de Friedenreich?

  • Sim
  • Não
 Nem Pelé, Nem Maradona: Friedenreich é o Rei do Futebol

Digite o texto da imagem:

Gerar outra imagem

Gosta de Poesia? Hoje é o Dia Mundial da Poesia

 

cecilia Gosta de Poesia? Hoje é o Dia Mundial da Poesia

A Maravilhosa Cecília Meireles

 

Hoje é o Dia Mundial da Poesia, coincidentemente é também da data de aniversário de nascimento do nosso grande poeta abolicionista Antônio de Castro Alves, (1847-1871) um gênio da raça, que faleceu com 24 anos deixando belíssimos poemas e uma intensa vida de amores e aventuras.

Quando conheci Denise Stoklos -  a maior mímica deste País e uma das melhores do mundo-  era ela uma adolescente que vendia folhetos de poesias da sua autoria em bares de Curitiba. De jeito dela há hoje milhares destes poetas jovens pelo Brasil.

No dia de hoje voltemos também qnossas lembranças para poetas maiores da língua lusófona: Camões, Gregório de Mattos e Guerra, Bandeira, Mario de Andrade, Guerra Junqueiro, Augusto dos Anjos, Cora Coralina,  Fernando Pessoa, Cecilia Meirelles, Castro Alves, Drummond, Gonçalves Dias, Olavo Bilac, Elisa Lucinda, Leandro Gomes de Barros , e dezenas de outros, que cada leitor saberá relembrar.

 

O Atraso Teatral Brasileiro

 

Gonçalves de Magalhães O Atraso Teatral Brasileiro

Gonçalves de Magalhães, o Visconde de Araguaia

 

Enquanto na Europa o escrever teatral já se manifestava ao menos quatro séculos antes, no Brasil somente em 1838 surgia a primeira peça brasileira.

"António José", ou "O Poeta e a Inquisição" um drama romântico de Gonçalves de Magalhães, datado de 1838 é considerado a primeira obra do "teatro brasileiro".   Ele foi apresentado no Teatro da Praça da Constituição (Praça Tiradentes hoje)  no Rio de Janeiro há exatos 175 anos, em 13 de março de 1838.   É baseado nos dias finais da vida do dramaturgo brasileiro António José da Silva, "o Judeu".

Antônio José António José da Silva, de cognome "o judeu" nasceu no Rio em, 1705 e foi queimado vivo pela Inquisição aos 34 anos de idade em Lisboa.

Batizado católico, mas de origem judaica, foi vítima da perseguição que dizimou a comunidade dos cristãos-novos do Rio de Janeiro em 1712.    Em 1737, António foi preso pela Inquisição, juntamente com a mãe e a esposa (Leonor de Carvalho, com quem casara em 1728, que era sua prima e também judia). A mãe e a mulher seriam libertadas posteriormente.

António José da Silva foi torturado. Descobriram que era circuncisado. Uma escrava negra testemunhou que ele observava o Shabát.

O processo decorreu de forma a não deixar nenhuma alternativa de absolvição e António José da Silva foi condenado à morte.   Como era regra com os prisioneiros que, condenados, afirmavam desejar morrer na fé católica, António José da Silva foi garroteado antes de ser queimado num Auto-de-Fé.

Sua mulher, que assistiu à sua morte, morreria pouco depois.   Antônio José, a saber, foi o único nascido brasileiro que morreu queimado na Inquisição.

Imaginem, pois a ousadia de Gonçalves de Magalhães ao escrever  em 1838 uma peça relatando este processo e morte.

A dramaturgia nacional embora com atraso já nascia assim: denunciante, lutadora nas causas contra as injustiças.

 

Pimentinha Faz 64 Anos

 

pimentainha Pimentinha Faz 64 Anos

 

Quem aí se lembra do Pimentinha? O Denis? Aquele garotinho arquuetipo de menininho norte americano que entusiasmou gerações  desde a sua criação.

A tira em quadrinhos estreou em 12 de março de 1951, criada  pelo desenhista Jenry Keshnan, insprada em seu filho, que se chamava  Denis.

Depois virou série de tv  - a série era do tempo da tv em preto e branco - e até longa metragem.

Depois sumiu... junto com a minha infãncia, junto com a minha adolescência... com a minha juventude.

Mas antes de desaparecer fez muito sucesso.

Saudades...

filme1 Pimentinha Faz 64 Anos

No cinema, com Walter Mathau

 

Você era fã do Pimentinha?

  • Sim
  • Não
 Pimentinha Faz 64 Anos

Digite o texto da imagem:

Gerar outra imagem

O Machismo Continua Vivo

jupe O Machismo Continua Vivo

1911 - Mulher que foi agredida por usar o Jupe Culotte

Há exatos 104 anos atrás - nesta data - em 1911 uma mulher foi vaiada, molestada, agredida e quase despida pelo povo por sair à rua no Rio de Janeiro usando jupe culotte, uma saia calça que se ajustava ao corpo. Mais de um século depois assisto a um panelaço de protesto contra uma mulher que está na Presidência do País. O protesto é uma forma democrática de que se pode fazer uso em regimes também democráticos como o nosso. Mas ao ouvir os gritos de “vaca”, “vagabunda”, “piranha”, ”prostituta”, usados contra ela das janelas e sacadas dos bairros nobres de São Paulo e mais algumas cidades sou imediatamente remetido além da  questão política,sou remetido à manifestação do machismo que permanece presente. E o agravante: o fato deu-se no Dia Internacional das Mulheres, e mais agravante ainda: mulheres gritavam estas palavras contra uma mulher. A ideologia machista não estava apenas nos homens, espraiava-se e mostrava-se nas próprias mulheres. Que se fizesse a crítica política, as palavras certas de protesto, mas palavras de baixo calão contra uma figura feminina representaram m ais uma vez a necessidade de conscientização do quanto o machismo está entranhado na nossa sociedade. A agressão machista ocorrida em 1911 ainda está viva e se repete todos os dias, a toda hora contra as mulheres, muitas vezes pelas próprias mulheres.Quando terminava de escrever esta página recebo a notícia de que faleceu o adolescente fiulho de um casal homossexual, vítima de violência física, por homofobia, machismo e intolerância.

Triste, muito triste.