montagem sapatos Dia 2: o que só quem foi viu... e viveu no SPFW (a série!)

A piscina para os pés, no sapato de Vitorino Campos, e o calçado atado às pernas das modelos, no desfile de AH

Segundo dia, ânimos menos exaltados, gps da tenda funcionando um pouco melhor, a terça-feira foi longa no SPFW - começou com Alexandre Herchcovitch, na Oca, e só acabou depois de um rápido empurra-empurra nos provadores da C&A, na pré-venda da coleção de Francisco Costa. Começou cedo, com um convite fila D - de dane-se esse desfile, mas como era Alexandre Herchcovitch, virou só um deixa pra lá. E taí uma coisa curiosa. Já se tentou de tudo nesses anos de SPFW para organizar a distribuição de "ingressos", dos convites físicos obrigatórios ao cartão magnético. E sempre se dá um jeitinho. É um que dá carteirada, outro que peita o segurança com sempre eficiente  "sou amigo do pessoal", as mina que jogam um charminho, e até o "te dou um convite de standing lá dentro eles te sentam (eles = os assessores da marca)". O mais engraçado é que tenham o convite que for, as panelinhas fashion vão estar sempre juntas. Tem as voguetes, as abrilzetes, as glamurzetes (da Glamour), as lilianzentes, as ericazetes, os chiques (do Chic), os folhetes (da FSP),  e, nós, as trabalhetes da fila B (mas toda as panelinhas trabalham, tamujunto!). Todos sempre agrupados, em alguns casos com inúmeras cadeiras na fila A. Isso sem contar, claro, com as bloguetes, que estavam em peso no desfile da Pat Pat's, que rolou logo em seguida, no Hotel Unique. Eu achava que tinha um problema sério por não conseguir distinguir uma blogueira ryca-famosa-itgirl da outra, mas uma amiga esclareceu. "É o mesmo template, não dá para saber mesmo." Isso! Eu, não consigo saber quem é quem. Pra mim, são todas iguais.

Na passarela, o dia foi marcado por estreias como a de Patricia Motta (não confundir com a Viera, que também faz couro e é mãe da Andrea Viera, da Pat Pat's, que também faz couro!). Por motivos óbvios do line up, deu muito no couro o SPFW hoje. Daí veio Giuliana Romanno, com boas versões em roupa das antigas cadeiras de palhinha, sabe? Tirou o tressê do estofado e foi! Vitorino Campos começou bem, com looks de alfaiataria, mas em algum momento se perdeu numa lojinha de adereços para o Carnaval, e passou a enfeitar as peças com plumagens metalizadas. A Uma foi aquilo, né... Um minimalismo que tem muito a aprender com Francisco Costa, o diretor criativo da Calvin Klein que sabe o que faz até quando assina uma coleção para a C&A. E a Triton, bem... o povo ficou mesmo para ver a tal noiva do Cristiano Ronaldo, Irina Shayk. Como a ex-namorada-que-foi-sem-nunca-ter-sido Andressa Urach na plateia, ficamos todos na torcida por um arranca-rabo no meio da passarela, que não houve. Teria sido muito mais divertido...

O choque do dia ficou para os sapatos. Os de Alexandre Herchcovitch eram tão estranhos, com uma plataforma inexistente, que tiveram de ser amarrados às pernas para que as meninas pudessem andar (já sei, vão falar que era styling). E o de Vitorino Campos, que tinha tipo uma piscina para acomodar os dedinhos maltratados das modelos. Ufa!

http://r7.com/F_Ng