161114 zara rodent coat feature 1 Mulher processa Zara por achar rato costurado em seu vestido

Tinha só um rato costurado à roupa da moça. Pense na aflição?

Sabe quando você veste uma roupa e sente alguma coisa arranhando, incomodando, e acha que pode ser aquela etiqueta, ou quem sabe até o alarme que ficou esquecido? Então... Foi o que a americana Cailey Fiesel, de 24 anos, pensou ao sentir um incômodo ao usar um vestido que havia comprado na Zara. Pois qual não foi a surpresa da moça ao descobrir que o problema da roupa, comprada por 40 dólares (130 reais) em uma loja da Zara em Greenwich, era um RATO!

A jovem contou ao New York Post  que não notou nada de estranho ao comprar a peça, mas percebeu, depois de algumas semanas, que vinha um odor forte do vestido. Não deu bola. Até que um dia, durante o expediente no trabalho, descobriu qual era o problema. “Notei algo roçando a minha perna e pensei que fosse uma costura. Quando fui tirá-la, vi que não era um fio, e que havia algo dentro. Pensei que tinham esquecido um sensor, mas, quando virei o pano, vi que na verdade era um rato”, disse ao Post. Um roedor de 5 centímetros estava preso na costura do vestido.

zara rodent 2 Mulher processa Zara por achar rato costurado em seu vestido

O contato com a pata do bicho causou erupções na pele da jovem

Ela entrou  com ação contra a loja por danos morais, e também por ter desenvolvido uma erupção de pele (causada pelo contato com a pata de rato) diagnosticada como “doença dos roedores”. Um porta-voz da Zara nos Estados Unidos declarou que a empresa “está investigando o caso”. Agora, vamos lá: ninguém costura um rato a um vestido sem querer.

A Zara já foi acusada inúmeras vezes, em diferentes países, de usar mão de obra escrava e de não cumprir acordos que exigiam a melhoria das condições de trabalho de seus fornecedores. A etiqueta do vestido indica que foi fabricado na Turquia. Alguém está mandando sua mensagem para o mundo com esse roedor costurado em um produto da Zara.

Não só a rede de lojas deveria investigar o caso. As autoridades também poderiam ir atrás dessa história e descobrir em que condições foi fabricado esse vestidinho, que chegou a Nova York com um "singelo" brinde.

A moda é hipócrita quanto aos seus processos produtivos e todos sabemos disso. Pagar caro ninguém quer, mas também é incômodo saber como são feitas as roupinhas baratas  que chegam às araras das redes de fast fashion. Esse ratinho certamente tem muito a dizer sobre essa cadeia produtiva.

Update: A queridíssima Ruth Helena Bellinghini, jornalista das boas especializada em ciências, fez uma observação que merece registro. Segundo ela, "isso não é um rato (Rattus norvergicus), mas sim um camundongo (Mus musculus), que não costuma ser encontrado em oficinas de costura ou esgotos ou similares. E branco ainda por cima... Bom, vai ver que a Zara monta oficinas de costura em laboratórios, né não?".  A suspeita, agora, recaí sobre a compradora do vestido. " Vamos combinar que se você quiser abrir um processo grudar um camundongo de laboratório com uns pontinhos pode funcionar, né?".

Custo a crer que alguém pudesse chegar a este nível de insanidade, mas, de fato, tudo é possível. Uma coisa é certa: esse rato foi costurado ali de propósito. Agora, resta saber por quem, se por algum funcionário da oficina terceirizada da Zara na Turquia, ou pela doida da cliente.

http://r7.com/0TTX