antonia Mulheres machistas, como Antonia Fontenelle: aprendam a lição dada por Caio Castro

Antonia não viu nada de errado no que falou. Caio não gostou e a chamou de machista

Quando Caio Castro se torna o personagem sensato em um diálogo sobre machismo é sinal de que a coisa é grave. O galã com fama de pegador deu uma sambada na cara da apresentadora Antonia Fontenelle, no episódio de seu programa no Youtube chamado "Na Lata". Em uma conversa sobre "bêbados na balada', Antonia expressou ideias que, infelizmente, ainda reforçam o coro de uma maioria equivocada sobre o comportamento feminino.

Para a apresentadora, é "nojento" um cara que fica com uma mulher bêbada (por achar que a mulher que bebe não se dá ao respeito). Ela também falou que "não daria para um idiota bêbado". Caio retrucou, dizendo que o cara pode não ser um idiota e, sim, estar só bêbado. Ao defender a ideia de que mulher só pode beber dentro de quatro paredes, dentro de casa, Antonia foi acusada de machista por seu entrevistador.

E é. E não existe nada mais lamentável do que mulheres que perpetuam mantras do machismo, sob o argumento de que "é só minha opinião". Não se trata disso. É uma questão de direitos individuais. Um cara pode beber na balada tanto quanto uma mulher.

Sabemos que são ideias arraigadas, esculpidas socialmente para que as mulheres acreditem que elas "tem de se dar ao respeito" — e não serem respeitadas, independentemente do que vistam, do que bebam, de onde estejam e com quem estejam. Que c* de bêbada não tem dono — e não que uma mulher em estado vulnerável deve ser tão respeitada tanto quanto qualquer outro ser vivo. Ao defender esse tipo de argumento, Antonia só demonstra que está longe de ser uma mulher capaz de ter empatia e defender suas semelhantes.

A apresentadora usou suas redes sociais para firmar sua posição. Disse sente a “necessidade de explicar pra certas pessoas a diferença de liberdade e libertinagem”. E defendeu seus argumentos.

“Continuo firme na minha posição, e lamentando a ignorância e comportamento de pessoas que pensam que sabem o significado da palavra feminista. E vale lembrar que o canal é meu e minhas entrevistas só vão ao ar depois de aprovadas por mim, ou seja, ninguém sambou na minha cara. Como eu disse, trata-se de dois amigos divergindo sobre um tema. Disse e repito, c* de bêbado não tem dono. Sinto muito pra quem acha normal sair pra balada, beber, vomitar, esquecer o nome, perder a dignidade, ficar na mão do palhaço e achar que é normal. Sinto mesmo de verdade. Sem mais.”

Como bem falou Caio Castro na entrevista, se a mulher quiser beber, ninguém tem nada com isso. "Ela pode estar feliz assim", ponderou o ator. O problema, que Antonia talvez não perceba, é que sua fala endossa o comportamento daqueles que se sentem no direito de culpar as mulheres pelas violências que sofrem, especialmente em situações em que estão vulneráveis. Não se trata de ser bonito ou não. É real, acontece, e não pode servir de desculpa para abusos, como tantas vezes acontece.

http://r7.com/VcFu