baile met O baile do MET, Charles James e a morte da moda

Um show de horror: assim foi o red carpet do baile do MET

O baile de gala do MET é o evento de moda mais importante do ano. Por seu tapete vermelho passam nomes como Beyoncé , Sarah Jessica Parker, Marc Jacobs e Chrissy Teigen (só para citar alguns). O evento, que abre a exposição anual de arte do Costume Institute reúne só gente fina, elegante e sincera, com acesso às grifes mais importantes do mundo. Este ano, o tema da noite, realizada nesta segunda (5/5) foi uma homenagem a Charles James. E o que se viu? Um show de horror...

Até Lupita Nyong'o derrapou no look selva da Prada. Eu disse P.R.A.D.A. Sim, como ela, as bonitas todas estavam com roupas de marcas do primeiro escalão. E quase ninguém se salvou do desastre. O que teria acontecido? Será que a moda morreu e esqueceram de avisar? É hábito as convidadas aproveitarem o baile do MET para usar algo que lembre o tema da noite, foi assim, por exemplo, quando o tema da exposição era o punk. Seria, talvez, um desconhecimento da obra de Charles James? Charles, who? É...

Esta pode ser a reação dos que estão fora (e até mesmo alguns dentro) do mundo da moda. Charles é tido como o primeiro costureiro da América, e segundo o curador Harold Koda disse ao WWD, a razão por terem escolhido James é exatamente para resgatar sua memória. "Entre os especialista de moda, todo mundo sabe quem é James, mas para o público em geral ele é um daqueles nomes que, por não ter um rótulo ou marca, é esquecido".

Mas o MET garante que ele tem uma rica história de vida para contar, desde seu início como costureiro em Nova York, com apenas 21 anos, até a vida adulta, quando conviveu com amigos do calibre de Elsa Schiaparelli, Cristobal Balenciaga, Jean Cocteau e Christian Dior. De acordo com o MET, Dior atribuiu sua revolucionário New Look a uma idéia original de James.

O título da exposição, "Charles James: além da moda" é a pista para entender que o trabalho de James flerta com outras influências, especialmente com a escultura, e em como conseguia transformar os vestidos de baile em verdadeiros monumentos. Na galeria, um pouco da obra de James.

http://r7.com/db4O