O que dizer de pais que defendem filhos que assediam e estupram?

Então, papai Biel, seu filho ERROU! Passar a mão na cabeça de sua galinha dos ovos de ouro não vai ajudar em nada

Muita gente, diante de um caso de assédio ou estupro, costuma se perguntar: esses caras não têm mãe? A culpa da má conduta de um jovem acaba recaindo sobre a forma como foram criados pelas mulheres. No entanto, nos últimos dias, o que temos visto é que, esses fulanos, além de mães, também têm pais. Homens que se mostram incapazes de enxergar na conduta dos filhos algo errado no trato com as mulheres, por não verem, eles mesmo, nada de mal nisso. São homens criando homens dentro de uma cultura machista, na qual a violência e o desrespeito às mulheres são aceitos e incentivados.

São pais que costumam brincar com seus moleques desde muito cedo, avisando a vizinhança para prender as cabras que seu bode está solto. Mas o que temos aqui é um desserviço para a humanidade. Vejamos, por exemplo, o caso do pai do cantorzinho Biel. O cidadão não só questiona a postura da vítima (como sempre acontece), sendo que a jornalista tem áudios e vídeos do assédio cometido pelo rapaz, como fala que Biel  é apaixonado pela mãe e pela irmã, como se isso fosse uma grande qualidade. Não é óbvio gostar da mãe e da irmã? Aliás, será que ele gostaria que uma das duas ouvisse o que ele disse pra moça?

Mas piora muito. O senhor Sergio Rodrigues, que jura não ter criado esse Biel como um machista, tem a coragem de vir a público e falar que seu filho "fala o que der na cabeça e brinca mesmo. Se pegar mal, fazer o quê?". Oi, meu senhor? Se pegar mal, tudo bem? Mas fica ainda mais grave quando o pai justifica as merdas que o filho faz dizendo que "é o jeito dele, brincalhão, extrovertido, uma criança de 20 anos ainda". UMA CRIANÇA DE 20 ANOS!!

Curioso perceber que este foi o mesmo argumento usado pelo próprio Biel para tirar o corpo fora. "Sou um menino ainda, um adolescente, que perde o amigo, mas não perde a piada"... Pois é... Laranja não cai longe do pé.

O papai Biel ainda falou que "qualquer moleque numa rodinha faz uma palhaçada dessa aí." Então, senhor Sergio, não é bem assim, ou não deveria ser. O seu filhinho galinha dos ovos de ouro, que deve estar bancando a família com o dinheiro que ganha fazendo música ruim, errou. Bastaria admitir que não, isso não se faz. Que está errado. Que não é assim que se trata uma mulher. Seria tão mais digno...

Mas não é só no Brasil que a gente vê pais defendendo filhotes que erram.  Nos Estados Unidos, causou uma comoção nas redes sociais o depoimento do pai de Brock Turner, nadador promissor da  Universidade de Stanford, visto por duas testemunhas estuprando uma mulher enquanto ela estava inconsciente e condenado por estupro. O que o papai desse anjinho falou? Que seu filho não deveria ter sido preso por "um ato de 20 minutos".

Incrível, não? O próprio pai achou que a pena foi muito dura (e nem foi, foram 6 meses de cana), só porque o filhinho dele estuprou UMA MULHER INCONSCIENTE por 20 minutinhos.

A cada pai que surge passando a mão na cabeça dos filhos que fazem bobagens, a humanidade retrocede mais um pouco. Já passou da hora de a gente entender que assédio é crime. Estupro é crime. Seja lá quem for que cometa, tem de ser punido. E, queridos, se foi o seu bebê que virou um monstro, não é dando desculpas para justificar o comportamento deles que irão se tornar seres humanos melhores.

Com pais assim, fica impossível criar homens decentes.

http://r7.com/HOym