ashley Quem tem medo do vazamento das informações do site de traição Ashley Madison?

O sigilo do site de traição está ameaçado com o vazamento de dados dos clientes

"A vida é curta. Curta um caso". O slogan do Ashley Madison, site de relacionamentos que incentiva a infidelidade conjugal, pode ser inspirador para muita gente, mas agora essa galera da pulada de cerca virtual está vivendo um pesadelo. Um grupo que autodenomina "Impact Team" vazou um pacote de 9,6 gigabytes de dados do site de adultério.

Segundo consta, os arquivos incluem dados de transações financeiras, credenciais de acesso (endereço de e-mail e senha criptografada) e diversos dados cadastrais dos usuários. Os criminosos já haviam ameaçado vazar os dados em junho/julho, quando revelaram informações de alguns usuários como forma de pressionar a empresa a tirar o site do ar. A Avid Life Media, que mantém o portal Ashley Madison, não cedeu às exigências dos hackers. E o resultado agora pode ser desastroso pra muita gente.

Nas redes sociais, a repercussão é grande. Há quem diga bem feito, já que a proposta do site, de promover infidelidade, é considerada indecente por muita gente. Mas também há quem, às luz do dia, diga que é um absurdo existir um site assim, só que, na calada da madrugada, fica ali, caçando outros casados dispostos a viver uma aventura.

Para piorar, no twitter tem gente dizendo que há endereços de email da Casa Branca, da Nasa, das Nações Unidas e até do Vaticano na listinha da #AshleyMadison. A hashtag já figura entre os trending topics mundiais. Pelo jeito, a coisa ainda pode piorar. Segundo a ameaça dos hakers, eles prometem  liberar todos os registros de clientes, perfis com as fantasias secretas dos clientes, fotos nuas e conversas vinculadas à transação do cartão de crédito com nomes reais e endereços, documentos de funcionários e e-mails.

A promoção da infidelidade feita pela Avid Life Media não é, no entanto, a principal razão do ataque. O problema seria uma promessa, feita pelo Ashley Madison, de que não cobraria mais para apagar os dados dos clientes que abandonam o serviço. Isso, no entanto, não seria verdade. De acordo com os ladrões de dados, a empresa mantém tudo em seus arquivos, agora violados.

O negócio tende a pegar fogo. Se realmente vier à tona tudo o que o Ashley Madison esconde vai ter muito casório indo por água abaixo. Isso só confirma o quanto as pessoas são hipócritas em seus relacionamentos. É aquilo: o que os olhos não vêem, o coração não sente. Mas se tudo for revelado, aí passa a existir. Por que, afinal, as pessoas procuram um site desse tipo? Não é mais fácil liberar o outro para fazer o que bem quiser da vida? Cansou do arroz com feijão, vá procurar um risotinho, mas deixe a mesa livre, ok?

Veja também a coluna De Olho na Rede, do jornal Link Record News:

http://r7.com/nlE_