História pela metade

E tudo que sobrou foi um toco de cigarro amassado no cinzeiro branco, uma metade que você largou pra trás, fumou um pedaço e jogou fora, descartou o supérfluo, a casa, malas, livros, cachorro, inclua aí também o cinzeiro branco, você trancando a... Continue lendo

Reféns

As referências de Dona Áurea a precedem. Cozinheira mineira, dezoito anos no comando de forno e fogão duma família tradicional das gerais, muito honesta muito discreta, em busca de oportunidade na zona sul de São Paulo. Cristiana recortou o... Continue lendo

Descoberta

Se voavam, invertebrados. Ossos pesam. Preocuparam-se todos os adultos, houve correria, e alguém afastou Martina do ponto onde a grama misturava-se aos restos do passarinho morto pelos cães de guarda. Achou bonito o vermelho do sangue colorindo as... Continue lendo

33

Diálogo besta de meio de festa, o que você faz? Eu podo plantas e eu varro escadas, um interesse estúpido porque o que importa na verdade não tem relação com o estar e sim com o ser, esse olhar fundo perseguindo minhas coxas pela casa, até que... Continue lendo

Volta todo mundo

Vamos fazer de novo, do começo, pra ver se dá certo dessa vez. Pedro Álvares, ô, Pedro Álvares, vem aqui, meu querido. A gente vai refazer. Já tá todo mundo aqui reunido, posso começar a mandar subir? Boa. Então é isso, gente, fila... Continue lendo

Fuga

A menina acordou com o barulho do pára-sol se fechando. Bernardo já não sentia mais os olhos ardendo do laranja do fim da tarde, e com descuido deixou escapar a pancada seca que assustou-a no banco de trás. Desculpe,querida, volta a dormir, mas já... Continue lendo

Para quando você for à Bahia

Pode ser que um dia a vida lhe ofereça um convite à magia baiana, e, neste momento, é preciso que se tenha em mente uma única palavra: aceite. Porque é uma chance feito cometa, daquelas que cruzam o caminho humano uma única vez a cada três... Continue lendo

Assédio bossa-nova

(SPOILER: contém ironia) Anunciaram e garantiram que é inútil reclamar dos homens, li esses dias numa coluna qualquer de um jornal de bairro. Óbvio que concordei, né. Porque já há tempos que notei que não há mesmo muito o que fazer pra... Continue lendo

Fim

Tornar-se um estranho, é este agora o seu dever. Causar-me asco, dar-me náuseas, embrulhar minhas tripas à simples visão de sua figura. Ensinar-me a análise fria de seus detalhes para depois concluir serem todos insignificantes, assegurando assim... Continue lendo

Dá trabalho ser babaca

Pensa que é fácil ser eles? Rá, que engano. Dá trabalho ser babaca. É ocupação 24 por 7, da hora em que acordam até quando deitam na cama pra maquinar o próximo plano babaca a ser acionado. Que babaca não dorme, só fecha o olho. Não... Continue lendo