Sabem aquela velha frase “Quanto mais eu rezo, mais assombração me aparece”? Esta frase certamente está sendo bastante dita pelas importadoras, lojas e principalmente pelos consumidores de vinho. O motivo: A Secretaria de Comércio Exterior, ligada ao Ministério do Desenvolvimento, informou ontem que abriu investigação para aplicar salvaguarda às importações de vinhos.



Mas o que é uma salvaguarda? As salvaguardas são ações de emergência, como aumento do imposto de importação ou restrições de quantidades compradas de outros países, que acabam restringindo as importações de alguns produtos. Isto acontece quando algum determinado setor da economia brasileira é ameaçado pelos produtos extrangeiros.



De acordo com o Ministério, no caso dos vinhos, existem "indícios suficientes" de que a alta da importação da bebida vem causando prejuízo à indústria nacional. O pedido de investigação foi feito no ano passado pelo Ibravin (Instituto Brasileiro do Vinho), pela Uvibra (União Brasileira de Vitivinicultura), pelo Fecovinho (Federação das Cooperativas do Vinho) e pelo Sindivinho (Sindicato da Indústria do Vinho do Estado do Rio Grande do Sul). Se a medida de salvaguarda for aplicada, será implementado também um plano de ajuste do setor, para aumento de produtividade e investimentos, redução de custos e qualificação dos produtos por meio de inovações tecnológicas.



Fico indignado com a falta de maturidade e competência do nosso governo e destes órgãos listados acima. Os impostos em cima do vinho no Brasil já são ridiculamente altos e se a salvaguarda sair, estes impostos serão DOBRADOS! Vejam o quadro de impostos acima, comparando os nacionais com os importados. Imaginem que hoje já pagamos de 4 a 6 vezes mais por um vinho em cima do seu custo na origem. Como ficaremos agora? Pagaremos em alguns casos até 10 vezes mais!!! É um absurdo, um contrassenso, um retrocesso!



O comunicado diz que “Se a medida de salvaguarda for aplicada, será implementado também um plano de ajuste do setor”. Não entendi a palavra “Se”. Não podem fazer isto sem a salvaguarda? Não podem estimular o setor sem prejudicar inúmeros importadores e consumidores? Já estamos vivendo a fase do tal selo fiscal, que é mais imposto em cima do vinho (movimento este armado pelos grandes da indústria vinícola nacional). Agora vem a tal salvaguarda!



Sempre fui defensor do vinho nacional! E continuarei sendo, até que me provem o contrário. É só verem os diversos textos que já fiz elogiando alguns de nossos vinhos e espumantes, exaltando reconhecimentos e falando do nosso potencial. E acho que o mercado nacional só vai crescer se o interesse pelo vinho aumentar por parte dos consumidores. Mas não é aumentando imposto dos importados que isto vai acontecer.



Torço para que haja um bom senso com relação a este assunto e que encontrem uma forma que não penalize o consumidor! É hora do nosso mercado CRESCER E AMADURECER! E precisamos parar de achar que isto sempre passa pelo aumento de impostos! Podemos beber importados E nacionais.



CHEERS!!

Beba moderadamente! O excesso de álcool é prejudicial à saúde!

Siga o EnoDeco no Twitter!
Torne-se um fã do EnoDeco no Facebook!