Caros amigos, como o intuito do blog é ser uma fonte de informações onde todos possam opinar livremente, sem qualquer restrição (Nunca deixei de publicar um comentário, mesmo que este fosse alguma crítica a mim), acho justo que eu coloque aqui o link que leva ao comunicado oficial do Ibravin, onde ele explica a maldita salvaguarda. Recebi este comunicado do próprio pessoal do Ibravin e acho que todos devem ter acesso ao documento, concordando ou não com o teor dele. É uma questão de ética. Vejam a nota de esclarecimento: http://www.ibravin.org.br/admin/UPLarquivos/230320121703392.pdf



Mas uma coisa é fato: continuo com minha posição extremamente contrária a esta ação. Acho um tiro no pé e uma tremenda possibilidade de manchar ainda mais a imagem dos vinhos nacionais. Por que não abaixam os impostos pagos pelas vinícolas? Por que não taxam o vinho como alimento, que é o que acontece em diversos países produtores onde o consumo é muito maior que o nosso? Por que não incentivam as vinícolas com ações de marketing com o consumidor, fazendo com que estes tomem mais vinhos brasileiros? Nosso mercado é monstruosamente capaz de ter nacionais e importados convivendo dentro da mesma adega. Mas isto só vai acontecer se o consumo aumentar. E será que o consumo vai aumentar com uma medida desta? Acho mais provável que ele caia e depois de um tempo eles vejam que realmente não adiantou em nada.



O que eles não conseguem enxergar é que estão prejudicando o consumidor. Estão limitando as possibilidades de escolha dos consumidores e isto é um tremendo desrespeito. E dois pontos do texto deles me chamam a atenção:



** Falar que não são as vinícolas que estão pedindo a salvaguarda - Se não são elas, são as associações. E se são as associações, quem elas representam? As próprias vinícolas, claro. Logo, vemos que eles acham que somos bobos em cair nesta... Mas vale ressaltar que não são todas. Aliás, pelo que ouvi e li em alguns lugares, são as maiores, sendo que a Salton, conforme noticiei aqui no Blog, é contra.



* Querem regular as cotas de cada país e não restringir - Quem regularia estas cotas? O governo. E por que regular cotas se o intuito não é restrigir? Confuso e estranho, não? Não fecha a conta pra mim...



Há outros pontos a serem analisados, como quando dizem que não querem aumento de impostos, mas para mim, estes dois pontos acima são os mais confusos e que mostram que as coisas não estão claras pra ninguém e estão tentando explicar o inexplicável. Mas leiam o documento inteiro, com um olhar crítico e tirem suas próprias conclusões...



Continuo alertando a todos: Não vamos deixar este assunto cair no esquecimento! Não podemos deixar que nos tirem a liberdade de escolher os vinhos que queremos beber por conta de altos preços e/ou impostos. E olha que nossos vinhos já tem impostos e preços bem salgados! Como ficaremos então??


NA MINHA OPINIÃO, ELES SÓ VOLTARÃO ATRÁS QUANDO ISTO REFLETIR NO BOLSO DELES. COMO? SE ALGUMA REDE DE VAREJO SE POSICIONAR E PARAR DE COMPRAR VINHOS BRASILEIROS DAS VINÍCOLAS QUE ESTÃO POR TRÁS DISTO. ALGUNS RESTAURANTES, COMO OS DO ALEX ATALLA JÁ ESTÃO FAZENDO. LAMENTÁVEL TERMOS QUE CHEGAR A ESTE PONTO...


CHEERS!!

Beba moderadamente! O excesso de álcool é prejudicial à saúde!

Siga o EnoDeco no Twitter!
Torne-se um fã do EnoDeco no Facebook!