Salta, terra do Torrontés, aqui estamos nós! Chegamos ontem depois de um grande atraso do vôo por conta do mau tempo em Buenos Aires (É amigos, não é privilégio apenas nosso os atrasos em vôos…). Chegamos já super apertados de horário pois tínhamos o grande evento da viagem, que era a revelação da Nova Ranger. Depois de um banho e das coisas devidamente arrumadas no Design Suites Hotel (Por sinal, um show de hotel… pequeno, boutique e de muito bom gosto!) fomos ao Centro de Convenções de Salta, onde nos encontramos com o restante dos convidados, esmagadora maioria da imprensa automobilística. Pessoas do Brasil, Argentina, Chile e Colombia estavam presentes. No total, aproximadamente 300 pessoas e um grupo "intruso"de 14 pessoas que não são do mercado automobilístico: Nós!!

 

 

Nova Ranger revelada - por sinal, um carrão - ao som do interessante grupo "Choque Urbano", uma espécie de Stomp portenho, tivemos um jantar típico excelente e um outro show, de uma banda que não vou lembrar agora o nome… Mas e os vinhos? Ah, os vinhos eram da famosa e tradicional vinícola Yacochuya: San Pedro Yacochuya Torrontés 2011 e San Pedro Yacochuya Malbec 2009. Como são os vinhos desta vinícola, muito bem feitos! O torrontés não é bobinho como muitos torrontés que temos por aí e o Malbec é aquela potência típica de Michel Rolland!

 

 

Hoje, depois de algumas palestras e explicações mais técnicas sobre o carro, novamente no centro de convenções, fomos à parte mais divertida: O Test Drive! E Test-Drive de verdade, em condições extremas!! Subindo barrancos, descendo morros, estrada de asfalto, estrada de terra, estrada de terra e como nos filmes, passando por dentro de rios! Sim, dirigi o carro dentro de um rio! Impressionante a resistência e estabilidade do carro. E nem parece que estávamos numa Pick Up, pois o conforto interno é surpreendente. Computador de bordo completo com GPS, Bluetooth, entrada para iPod e muita coisa que nem imaginamos ver num carro deste! Foi realmente uma experiência incrível.

 

 

Depois, um almoço gostoso, regada novamente a bons vinhos locais: Um branco, como sempre Torrontés, lógico: Laborum Torrontés 2009. Vinho típico desta uva, como o San Pedro que falei acima, e novamente surpreendente, pois ele não some na boca como a maioria dos vinhos feitos com esta tradicional e emblemática uva branca argentina. E depois um surpreendente Laborum Tannat 2006. Esperava um Malbec ou Cabernet, mas eis que surge um delicioso, persistente e equilibrado Tannat. Potente como deveria ser, mas nada da rusticidade típica desta uva. Uma bela descoberta!

 

 

E por aí ficamos hoje… ou melhor: Hora de descansar e ver o que nos espera no jantar de hoje! E amanhã volto para contar!

 

 

CHEERS!!
Beba moderadamente! O excesso de álcool é prejudicial à saúde!

Siga o EnoDeco no Twitter!
Torne-se um fã do EnoDeco no Facebook!