Publicado em 27/08/2009 às 20h43

Caçada!

 Caçada!Comida e Vinho são coisas complementares, certo? Boa comida e bons vinhos, principalmente, não é? Então que tal um prato elaborado com trufas brancas, acompanhado de um Barolo ou um Barbaresco? Então, vamos lá! Vamos falar um pouco de um dos eventos mais esperados do ano pelos exigentes gourmets de todo o mundo: Sempre na segunda quinzena de outubro, amantes da culinária de todo o mundo juntam-se numa concorrida colheita que se estende até o final do ano para "caçar trufas" no Piemonte, norte da Itália. Mais especificamente perto da cidade de Alba, mundialmente conhecida por este evento.

As trufas mais valiosas são as brancas, conhecidas como tartufos ou "diamantes brancos". São encontradas na região do Piemonte, em esconderijos próximo às raízes dos carvalhos. Para localizá-las, é preciso contar com a ajuda de cães farejadores. A disputa é tamanha que vários cachorros morreram envenenados por caçadores concorrentes. Se algum caçador encontra trufa em determinada árvore, procura deixar a área em volta exatamente com estava antesda extração. A idéia é não revelar aso outros caçadores onde elas estão florescendo, já que costumam nascer perto umas das outras. Para se terem noção de como são valiosas, o quilo custa em média R$ 6 mil.
Com sabor e aromas menos intensos, as trufas pretas, encontradas na região de Périgord, na França, custam apenas 10% do valor das brancas.

Para ajudar a disseminar a cultura eno-gastronomica, o Juscelino Pereira, competente dono do delicioso Piselli, está organizando uma ida a esta disputada e curiosa caça.

A quem interessar e puder, entrar em contato com a Prime Tour (3178-4760 / prime@primetour.com.br / http://www.primetour.com.br/). E boa viagem, boa caçada, boas trufas e bons vinhos... precisa dizer mais?

CHEERS!!
Publicado em 27/08/2009 às 15h33

Receitas com Vinho – Carne Ensopada ao Vinho Tinto

 Receitas com Vinho   Carne Ensopada ao Vinho TintoAqui vai uma receita que eu particularmente sou fã e se bem feita, fica deliciosa. Vamos lá:

Carne Ensopada no Vinho Tinto
Ingredientes:
1 Kg de carne (alcatra) em cubos
2 xícaras de chá de vinho tinto seco aquecido
1 xícara de chá de cogumelos em lâminas
1 colher de sopa de farinha de trigo
3 colheres de sopa de óleo
4 cubos de caldo de bacon
2 cebolas (médias) picadas
2 cenouras em tiras
1 folha de louro
2 Kg de batata-doce cortadas em cubos

Modo de Preparo:
De véspera, deixar a carne de molho em 3 cubos de caldo de bacon dissolvidos no vinho. Escorrer a carne e reservar o tempero. Dourar a cebola e a carne no óleo, mexer de vez em quando. Acrescentar o caldo de bacon restante dissolvido em 1 xícara de chá de água fervente. Reservar o tempero, as cenouras, o louro, a farinha e mexer bem. Juntar a batata-doce e cozinhar em fogo baixo até a batata ficar macia. Acrescentar os cogumelos e misturar. Servir quente.

Harmonização:
Já que na minha última receita, me perguntaram que vinho tomar com o prato, então vou começar a indicar alguns tipos de vinho, não necessariamente rótulos, mas tipos de vinhos e uvas que poderiam ir bem.

Neste caso podemos escalar um Malbec Argentino Reserva, que tenha uma boa estrutura, ou um Cabernet Chileno, também mais esturuado, com alguns meses de barricas, pois eles não brigariam com a carne e poderiam até ressaltar o sabor do prato.

CHEERS e BOM APETITE!!!
Publicado em 27/08/2009 às 01h32

Recordar é Viver!

 Recordar é Viver!Um bom enófilo que se preze, gosta de guardar rolhas, rótulos ou atpe mesmo garrafas de vinhos especiais que tomou, seja com pessoas queridas ou em ocasiões especiais. Ou até mesmo a sós ou a dois, mas na verdade o grande astro foi o vinho.

E não é raro de se encontrar pessoas que guardam todos os rótulos que tomam, o que é o meu caso... Para estes enófilos saudosistas de plantão, já tem um produto muito bacana à venda em algumas lojas, que permite que se guarde todos os rótulos de forma intacta e ainda fazer anotações sobre o líquido degustado.

Trata-se do álbum Wine Memories, para se colar rótulos de garrafas de vinho, permitindo que se anote tudo relativo ao momento do vinho que foi degustado, como as notas sobre o vinho, a data, a ocasião, os convidados e o menu. Um verdadeiro diário do enófilo.

Mas como é que tiramos o rótulo do vinho? É atravez de uma etiqueta adesiva que permite que se retire o rotulo sem danificá-lo. O álbum vem com 10 etiquetas adesivas mais um manual de instrução de uso. Neste álbum pode-se colar ate 30 rótulos. E as etiquetas adesivas são vendidas separadamente, em envelopes de 10 unidades. Para mais iformações, acessem o site http://www.winememories.com.br
Aproveitem a dica, pois recordar é viver. E beber também...

CHEERS!!
Publicado em 25/08/2009 às 13h16

Almadén agita o mercado Brasileiro

 Almadén agita o mercado BrasileiroÉ gente... a onde fusões e aquisições também tem seus efeitos no mundo do vinho...

A Almadén, que no passado chegou a vender 1,100 milhão de caixas de vinho e hoje vende apenas 300 mil, tornou-se alvo das duas maiores vinícolas brasileiras: a Salton e a Miolo. As vendas atuais da Almadén somam R$ 20 milhões anuais. A Salton se mostra disposta a fazer uma oferta para adquirir a Almadén, instalada em Santana do Livramento (RS). A empresa alega, porém, que a Almadén ainda não mostrou interesse em ser vendida. A Miolo também está de olho no mercado e afirma que a Almadén é uma marca que "interessaria à empresa". Ambas as empresas negam ter conversado com a francesa sobre tal operação.

Por enquanto, avisou o diretor comercial da Salton, Wagner Ribeiro, que a Pernod não fez nenhum sinal para vender a Almadén. Fontes do mercado asseguram, entretanto, que há tempos o grupo francês demonstra interesse em vender a Almadén. "Quando a Pernod demonstrar interesse em vender a Almadén, a compra dela entraria na pauta dos planos de crescimento da Salton", respondeu Ribeiro. A concorrência também nega: "A Miolo sempre está interessada em fazer bons negócios, mas ela não foi cogitada para a compra da Almadén, que é uma marca que nos interessa", disse o diretor nacional de vendas da Miolo, Marcio Bonilha.

Com previsão de faturar R$ 200 milhões em 2009, a Salton, que opera com plena capacidade instalada, prevê crescer 20% este ano na produção e nas vendas sobre o ano passado. Essa é a previsão do mercado de vinho. A Miolo prevê faturar 20% mais este ano e atingir receita entre R$ 85 e R$ 90 milhões - e produzir 1,4 milhão de caixas de seis unidades de vinho. A produção total da Salton é de seis milhões de caixas, dos quais três milhões são de vinho e três, de conhaque da marca Presidente.

CHEERS!!

Publicado em 24/08/2009 às 19h51

Cobrar rolha ou não? Eis a questão…

 Cobrar rolha ou não? Eis a questão...Amigos,

Quem gosta de jantar fora e de beber um bom vinho, muitas vezes, antes de definir que restaurante vai, pensa neste assunto. E muitos, como eu, acabam escolhendo o restaurante pautado neste polêmico assunto.

Existem basicamente 4 diferentes tipos de políticas:
- Os que proíbem seus clientes de levarem os próprios vinhos;
- Os que permitem que os clientes levem seu próprio vinho, cobrando uma “taxa de rolha;
- Os que permitem que os clientes levem seu próprio vinho desde que também consumam vinhos de sua carta;
- Os que permitem que seus clientes levem seu próprio vinho sem cobrar nada por isto;

Como consumidor, procuro sempre levar meus vinhos aos restaurantes, afinal, os preços que cobram pelas garrafas, na maioria das vezes são abusivos. Em alguns restaurantes, pela quantidade de vezes que vou ou pelo meu relacionamento no local, acabam abrindo excessões e não me cobrando. São excessões, mas são os restaurantes que eu mais frequento, pois este agrado me faz toda a diferença.

Se por acaso o restaurante cobra uma taxa, dependendo do valor eu até vou. Acho que até R$ 40,00 dá pra encarar. Mais que isto, acho que acaba não valendo a pena.

Mas se eu ligar antes e souber que o restaurane não permite que eu leve, nem pagando rolha, podem ter certeza que este restaurante não vai me ter como cliente. Acho que deste jeito tiram a liberdade do consumidor e se a política dele é esta e eu não concordo, não vou frequentar o restaurante, mesmo que ele seja o melhor do mundo!

Sei que o assunto é polêmico e cada um tem uma opinião, mas como o Blog é democrático, deixo aqui, como sempre, o espaço aberto àsm opiniões de todos...

De qualquer forma, acho que se queremos levar um vinho a um restaurante, precisamos seguir algumas "regras de etiqueta":

- Devemos sempre ligar antes para o restaurante informando que levaremos o próprio vinho. - Deve-se também negociar as condições e ter certeza de que seu vinho não consta na carta do restaurante, pois se eles tiverem o vinho, fica chato.
- Só se leva ao restaurante um vinho de qualidade compatível com os de sua carta.
- É educado deixar uma gorjeta ao sommelier que lhe atendeu, pelo serviço prestado. E com certeza ganhará a simpatia dele para as próximas vezes que voltar.

E agora, o melhor do texto: Me passaram um link da Veja SP que podemos consultar alguns restaurantes de São Paulo que não cobram rolha!! Eis aqui: http://vejasaopaulo.abril.com.br/red/guia-de-vinhos/rolha-nao-cobram.shtml

CHEERS!!
Publicado em 24/08/2009 às 00h22

Vinho da Semana – Luca Chardonnay 2007

 Vinho da Semana   Luca Chardonnay 2007** Luca Chardonnay 2007 **

Produtor: Laura Catena
Origem: Mendoza (Argentina)
Uvas: Chardonnay
Safra: 2007
Importadora no Brasil: Vinci
Preço Aproximado: R$ 84,00

Os chardonnays argentinos não tem ainda um grande destaque como os chilenos, principalmente os feitos no Valle de Casablanca e San Antonio. Mas este exemplar, elaborado em Mendoza tem arrancado altas notas de Parker, recebendo 90 pontos em 2005 e 92 pontos por 2 anos seguidos (2006 e 2007). Amadeirado, persistente e bem frutado, ele certamente está na lista dos melhores brancos hermanos.

CHEERS!!
Publicado em 21/08/2009 às 19h54

Análise de Sites: Vinci e De la Croix

Sites Importadoras Análise de Sites: Vinci e De la CroixVinci

Como o site da sua “irmã”, a Mistral, um site completo, com muitos recursos, fácil de se navegar, simples e direto. Na página inicial apresenta os vinhos em destaques da importadora, e um banner randômico que agora explora boas compras de Bordeaux. Tem também 2 destaques menores, que no momento estão com a promoção de vinhos sul americanos e com os vinhos chilenos (Não seriam eles sul americanos também?!)

Ferramenta de busca eficiente, detalhada, que permite que encontremos o que estamos procurando. É possível fazer compras on line.

Um site eficiente.

De La Croix

Um site dinâmico, feito em flash e agradável de se ler. Conta a recente história da importadora, tem seções para se informar sobre degustações, contato, pedidos e também sobre produtos.

A parte sobre os produtos é muito bacana, pois mostra o mapa da França (Eles só trazem vinhos franceses), dividido em regiões e em cada região podemos ver os produtores e os vinhos respectivos. Uma ferramenta muito legal, que além de ser informativa, ensina. Ficha Técnica dos vinhos com sugestão de harmonização.

A parte de pedidos também é boa, pois já que eles contam com um número de rótulos que não é tão grande, dá para fazer uma seção de compra on line legal. O ruim é que não dá para pagar na hora. Eles entram em contato com vc para efeitvar o pedido.

No geral o site é diferente dos demais, informativo, dinâmico e agradável!

CHEERS!!

Publicado em 20/08/2009 às 22h39

O Vinho Mais Antigo Que Já Bebi…

 O Vinho Mais Antigo Que Já Bebi...No último final de semana fui jantar com um casal de amigos no bom restaurante espanhol Eñe. O jantar como sempre agradável, ótima comida, um vinho diferente e legal de se tomar (Marques de Grignon 2001 - Um vinho feito com 100% de Petit Verdot), e na sobremesa, uma surpresa: Pedimos um Vinho de Sobremesa bem ao estilo espanhol, um Xerez. Só que um Xerez especial: Era um Alvear Solera 1927. Sim, vcs leram 1927!! Deixe-me então explicar:

Este vinho é elaborado a partir de uvas Pedro Ximénez, passificadas ao sol com posterior amadurecimento em barris de carvalho pelo método de Solera, por cinco anos. Este sistema "Solera", que até então eu não sabia que existia, afinal no vinho o lema é "vivendo, bebendo e aprendendo", mistura vinhos de diversas safras, sendo a mais antiga a de 1927. Este método de Solera leva vários anos até ter a idade adequada, e portanto, é bastante trabalhoso e custoso. E este exemplar levou nada menos que 96 pontos do Parker. Uma preciosidade, que parecia aquelas ameixas pretas em conserva ou uvas passas, daquelas bem doces.

Mas vou aproveitar e falar um pouco sobre o Xerez, que ainda é um grande desconhecido no Brasil. Os Xerez são feitos com a uva Palomino ou da Pedro Ximenez.

Xerez é uma família de vinhos cujo nome vem de sua região de origem Jerez da La Frontera, aonde tem auma das provas do circuito mundial de Fórmula-1. Diz a lenda que uva Pedro Ximenez é originária das ilhas Canárias, Espanha, de onde viajou para o Rin, Alemanha, e que voltou para a Espanha pelas mãos de um soldado alemão de Carlos V, lá pelo século XVI, chamado Peter Siemens, de onde viria o nome. Lá nesta região, uma vez colhida, essa uva é exposta ao sol , processo que chamam de "Asoleo", para que se desidrate e concentre açucares. Já vinificado vai para guarda em barris pelo método de Soleras y Criaderas, quatro filas de barris uns sobre outros. Ano após ano, o vinho vai passando para os barris que estão mais abaixo. Do barril que está no solo, "solera", sai o vinho que será engarrafado, enquanto que no barril que está em cima de todos, entra o vinho do ano. Bom, o fato é que foi uma grata surpresa, não só pela qualidade do líquido, como pela experiência de ter tomado um vinho de 1927... Recomendo a todos!!

CHEERS!!
Publicado em 18/08/2009 às 22h19

Beber e Aprender!

 Beber e Aprender!E o vinho começa a ultrapassar os limites das escolas e cursos de vinho! Agora, na Aliança Francesa de São Paulo, pode-se aprender francês saboreando bons vinhos.

Nos meses de setembro e outubro, a instituição realiza cursos que aliam Enologia e Língua Francesa. Serão oferecidos três cursos, sendo cada um sobre regiões vinícolas da França – Paris e Bourgogne; Bordeaux e Vale do Rhône; e Vale do Loire e Alsácia.

Os cursos serão ministrados por um sommelier francês e estão embasados em três grandes temas – Vinho e História, Vinho e Geografia e Vinho e Gastronomia. Os participantes poderão aprimorar o idioma, com aulas inteiramente em francês, e ainda conhecer um dos mais representativos elementos da cultura francesa. As aulas apresentam particularidades de três vinhos produzidos em cada região francesa, com direito a degustação.

Desta forma, os participantes aprenderão a arte de degustar, a história de cada um dos vinhedos e como harmonizar um vinho a um prato. Tudo isso além de um vocabulário francês específico relacionado ao assunto.

Os cursos serão promovidos na unidade Jardim América (Rua Bela Cintra, 1.737), das 19 às 21h. Sò que tem um "porém"... o nível avançado de francês é uma das exigências para os participantes.

O preço de cada um dos cursos é salgado: R$ 450 e as vagas são limitadas.
Curso: Paris e Bourgogne
Data: 15/09 e 17/09
Inscrições: 10/08 a 10/09

Curso: Bordeaux e Vale do Rhône
Data: 29/09 e 01/10
Inscrições: 15/09 a 25/09

Curso: Vale do Loire e Alsácia
Data: 27/10 e 29/10
Inscrições: 01/10 a 20/10

CHEERS!!
Publicado em 17/08/2009 às 21h19

Receitas com Vinho – Risoto ao Vinho Tinto

 Receitas com Vinho   Risoto ao Vinho Tinto Como muitos sabem, um dos meus hobbies é cozinhar. E vou juntar este hobby com o tema principal do blog e inaugurar uma nova seção de Receitas de pratos feitas com vinho. Não necessariamente eu já terei feito ou provado as receitas, então se alguém se aventurar a fazer alguma delas, depois conte como foi. E quem tiver receitas para indicar, me mandem pois serão sempre muito bem vindas!!!

O primeiro prato merece um cuidado especial, pois se a quantidade de vinho não for exatamente a que está aí, o risoto tende a ficar extremamente forte e enjoativo. Como já fiz 2 vezes, e uma ficou boa e a outra ficou horrível, a dica acima já é importante!

RISOTO AO VINHO TINTO
Ingredientes:
3 xícaras de chá de arroz lavado e escorrido
2 xícaras de chá de queijo parmesão ralado
1 xícara de chá de cebola picada
2 xícaras de chá de vino tinto
½ xícara de chá de azeite
1 tablete de caldo de legumes
Sal a gosto

Modo de Preparo:
Numa panela (fogo médio) colocar o azeite, o caldo de legumes, a cebola e mexer bem para dourar. Colocar o arroz, misturar, colocar o vinho e completar com água. Colocar sal a gosto. Deixar engrossar o caldo, e, quando o arroz estiver quase cozido colocar o queijo ralado e misturar. Depois de pronto colocar o arroz em um refratário e cobrir com queijo ralado para decorar.

CHEERS!!

Perfil

André Rossi (Déco), 37 anos, é formado pelo instituto inglês Wine & Spirits Education Trust (WSet) nos níveis 1 - Foundation, 2 - Intermediate e 3 - Advanced, cursados em Nova York. Atualmente está cursando o quarto e último nível do WSET, o “Diploma”.

É também um dos únicos cinco Brasileiros residentes no país a ser credenciado como Professor deste mesmo WSet, tendo sido aprovado pelo WSet Educator Training Program 2011, em Nova York.

Editor e Idealizador do Blog EnoDeco, que é hoje o blog oficial de vinhos do portal R7, um dos blogs de vinho mais acessados do Brasil, e que já foi indicado pelo Guia 4 Rodas 2009 como um dos 10 melhores eno-blogs do Brasil.

Colunista da Revista Cool Magazine, da Revista Online Bloggers e também Editor de Vinhos da 4a. Edição do Flavour Guide , projeto anual do crítico gastronômico Josimar Melo. É jurado e avaliador de vinhos de vários eventos e revistas especializadas.

Há 2 anos é o Relações Públicas da Wines of Argentina (WofA), associação das melhores e principais vinícolas argentinas, sendo o responsável pela comunicação, eventos, degustações e todas as ações que a WofA faz em todo o Brasil, para divulgar e comunicar o vinho argentino por aqui.

Foi o ganhador do concurso “Meu Vinho com Susana Balbo” que foi disputado por 30 blogueiros e jornalistas de vinho, onde o principal objetivo era fazer o seu próprio vinho, usando 5 variedades disponibilizadas pela mais importante e premiada enóloga argentina, Susana Balbo. Seu vinho foi escolhido entre os 30 competidores, numa degustação às cegas pela enóloga e sua equipe, tendo um vinho assinado em conjunto com Susana, o Dominio del Plata Essential Limited Edition 2011.

É Publicitário de formação e foi Diretor de Atendimento de grandes agências como W/Brasil e Lew’Lara/TBWA, tendo passado também por Young & Rubicam, DPZ, Leo Burnett e Publicis. Antes disto, trabalhou na área de marketing da importadora Expand.

Publicidade

Arquivo

setembro 2015
S T Q Q S S D
« ago    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930  
Home de Blogs +