Publicado em 23/09/2009 às 12h34

Geografia do Vinho – Itália

 Geografia do Vinho   Itália Ouvindo amigos e pensando em coisas novas para acrescentar ao blog, resolvi começar uma nova seção, que é Geografia do Vinho. Nesta seção passarei pelos principais países vinícolas e suas regiões explicando as características de cada lugar, suas principais uvas e curiosidades em geral.

Para começar, vou falar do meu país vinícola preferido, a Itália. Não só por ser a terra natal da minha família, mas também porque realmente são os vinhos que mais gosto. Fora isto, antigamente o país era chamado de Enotria, que quer dizer “País do Vinho”. Precisa dizer mais alguma coisa?

Já de cara posso falar que a Itália não é um país que produz vinhos fáceis de se gostar. Muitos dos seus vinhos têm uma característica muito presente que é a alta acidez, fator este que acaba “espantando” muitos consumidores, pois alguns destes vinhos acabam se tornando difíceis de beber.

A Itália é líder mundial em produção de vinho. E também em consumo. São mais de 300 tipos de uvas plantadas e mais de 4.000 vinhos diferentes.

Os vinhos italianos são regulamentados em 4 diferentes tipos:

- Vino da Tavola: São os “vinhos de mesa”, mais simples e baratos, mas que também se incluem os famosos Supertoscanos. Alguns Supertoscanos chegam a valer muito dinheiro, casos do Sassicaia, Solaia, Tignanello e outros.
- D.O.C. (Denominazione di Origine Controllata): Há, aproximadamente, 250 zonas de DOC e 700 vinhos. São vinhos que tem sua origem controlada.

- D.O.C.G. (Denominazione di Origine Controllata e Garantita): Os vinhos DOCG indicam uma alta qualidade, pois são vinhos que são controlados e garantidos. Os mais conhecidos são o Barolo, Barbaresco, Chianti, Brunello di Montalcino e Vino Nobile di Montepulciano.

- I.G.T. (Indicazione Geografica Tipica): É uma nova denominação, criada em 1992 para flexibilizar vinhos que não se encaixavam nas outras classificações. Inclusive, alguns vinhos que eram “Vino di Tavola”, podem ser encontrados agora como IGT. Para um vinho ganhar esta classificação é necessário que todas as uvas usadas em sua produção sejam de uma mesma região italiana e que a vinificação também ocorra nesta região.

No próximo “capítulo” da geografia dos vinhos, vou começar a falar mais especificamente das regiões produtoras italianas.

CHEERS!!
Publicado em 21/09/2009 às 23h59

Premiação Importante

 Premiação ImportanteMais uma prova da evolução dos vinhos brasileiros acaba de chegar vindo de uma das principais publicações mundiais do mundo vinícolas: Quatro rótulos da Miolo receberam prêmios do Decanter World Wine Awards 2009, concurso realizado pela Revista Decanter, uma das mais importantes publicações internacionais do segmento de vinhos.

Os produtos da empresa foram os únicos brasileiros destacados naquela que é considerada uma das principais distinções de vinhos no mundo. O resultado de toda a premiação será divulgado na edição de outubro da publicação.

Os vinhos premiados foram:

- Fortaleza do Seival Tempranillo 2007
- Fortaleza do Seival Pinot Noir 2008
- Quinta do Seival Castas Portuguesas 2005
- Merlot Terroir 2005

Segundo Adriano Miolo, diretor-técnico da vinícola, ter este trabalho reconhecido por uma publicação da seriedade e credibilidade da Decanter dá a confiança de que o produtor está no caminho certo na busca constante da excelência na elaboração de vinhos.

A empresa investiu nos últimos dez anos mais de R$ 120 milhões em tecnologia de ponta, mudas importadas, instalações e equipamentos de última geração. E o Miolo Terroir ainda conta com a consultoria do renomado enólog francês Michel Rolland.

Isto mostra que nossos vinhos tem alcançado níveis muito bons e mostra que o futuro é muito promissor para os nossos vinhos. Parabéns à Miolo e que venham outros grandes reconhecimentos como estes!

CHEERS!!

Publicado em 18/09/2009 às 18h37

Mais uma ilustre presença em Sampa

 Mais uma ilustre presença em SampaEste jantar promete ferver... E a convite da importadora, estarei lá para relatar a vcs depois!

A Grand Cru promoverá no dia 22 de setembro, no restaurante EAU (Hotel Hyatt São Paulo), um wine dinner com a presença da competente e conhecida enóloga Cecília Torres, da vinícola chilena Santa Rita. A vinícola é considerada produtora de grandes rótulos como o excelente Casa Real.

O evento acontece a partir das 20h, com um custo de R$ 190 por pessoa.

Além é claro de grandes vinhos, teremos um belíssimo jantar com os seguintes pratos e harmonizações:

- Entrada:
Velouté Parmentier de Saint Jacques & Caviar
Vinho: Floresta Sauvignon Blanc 2007

- Prato Principal:
Filé Organique Riviera à La Menthe Pouillot
Vinho: Medalla Real Carmenere 2007

- Queijos "Le Fromage"
Vinho: Casa Real Cabernet Sauvignon 1998

- Sobremesa:
La Figue Violette
Vinho Late Harvest Branco 2007

Informações e reservas: 3062-6388 ou info@grandcru.com.br

CHEERS!!
Publicado em 17/09/2009 às 20h18

As Próximas Potências

 As Próximas PotênciasEsta matéria do site askmen.com é no mínimo interessante! O site elaborou uma lista com os sete países que têm mais chances de se destacar na produção vitivinícola, levando em conta a história do páis e das civilizações que habitaram nestes lugares, além é claro, de clima, solo e outros fatores.

Para mim, o destaque vai para a Ucrânia e Romênia, pois eu particularmente não lembro de ter visto estes países vinculados a qualquer tipo de notícia de vinho...

A classificação é essa:

1. Suíça: Este país é um dos melhores produtores de vinho. Mas apenas 1% da bebida produzida nacionalmente é vendida para fora do país. Muitos desses vinhos são influenciados pelos vizinhos, como França, Alemanha e Itália. As melhores bebidas suíças vêm da região de Valais, produtora de deliciosos vinhos brancos.

2- Ucrânia: Os vinhos da região de Crimeia eram muito apreciados por Catarina II, imperatriz da Rússia. Hoje em dia, essa bebida está se reerguendo através dos espumantes produzidos a partir das uvas blanc e aligote.

3- Romênia: Assim como a Grécia, a Romênia tem mais de 3 mil anos de história em produção de vinhos. Apesar de muitas variedades nativas terem sido destruídas pelas pestes, o país continua sendo um dos maiores produtores de vinho do mundo. As regiões principais, Târnave, Dealu Maré e Murfatlar, produzem vinhos modernos que valem a pena provar.

4- Grécia: O ressurgimento dos vinhos gregos está focado nas regiões de Peloponeso e Tessália, com suas uvas nativas assyrtico (branca) e mavrodafni (tinta).

5- Canadá: O "vinho do gelo" do país lidera o mundo, mas o aumento dos vinhedos em Ontário e Columbia Britânica está trazendo força para a produção de vinhos brancos também.

6- Brasil: Apesar de o país ser produtor há mais de 130 anos, apenas nos últimos 10 - após a criação do Ibravin - os vinhos brasileiros conquistaram reconhecimento internacional. A maior região produtora, a Serra Gaúcha, tem clima que permite o cultivo de uvas como a cabernet sauvignon (para tinto) e chardonnay (para branco).

7- Inglaterra: O país está em 63º na lista dos maiores produtores. Entretanto, as temperaturas quentes do sul da ilha e condições similares das encontradas em Champagne, França, mostram que o plantio de uvas para a produção de espumantes não é tão incabível quanto parece.

Bom, os enófilos viajantes de plantão já tem outros lugares para conhecerem quandof alarmos em vinho. Obviamente a estrutura de enoturismo deles estará bem aquém de países como Itália, França, Espanha e alguns do novo mundo como Argentina, Chile e África do Sul.

CHEERS!!

Publicado em 16/09/2009 às 14h03

Vinho da Semana – Pata Negra Gran Reserva 2001

Pata+Negra Vinho da Semana   Pata Negra Gran Reserva 2001 **Pata Negra Gran Reserva 2001**
Produtor: Bodegas Los Llanos
Origem: Valdepeña (Espanha)

Uvas: Tempranillo
Safra: 2001
Importadora no Brasil: Casa Flora
Preço Aproximado: R$ 55,00

Tomei este vinho esta semana no excelente Vinheria Percussi com o amigo Luiz Fernando e me supreendi! Pelo custo que estava no restaurante (R$ 69,00), vi que era um gran reserva, de 2001 e resolvi arriscar. E não é que o vinho é muito bom? Madeira muito presente (afinal é um gran reserva), mas um vinho harmonioso, equilibrado e bem resolvido. Um vinho de médio corpo e bem frutado, apesar da idade. É feito na região de Valdepeña, centro-sul da Espanha por um tradicional e antigo produtor, a Bodega Los Llanos, que iniciou seus trabalhos em 1875 como Bodega Carabantes. É uma ótima opção pro dia-a-dia e até para servir em janteres com pessoas que gostem e se interessem por vinho. Ele pode enganar muito bem e se passar por um vinho mais caro do que parece.

CHEERS!!
Publicado em 15/09/2009 às 20h50

Vinho Religioso

 Vinho ReligiosoÉ sabido que o vinho é um elemento importantíssimo na religião católica pois ele é o sangue derramado por Jesus e que é consagrado em cada missa junto com a hóstia. Mas agora temos no Brasil uma novidade que promete atender aos judeus, religião seguida por cerca de 250 mil pessoas em nosso país conforme estimativas. Em setembro estas pessoas vão festejar o Ano Novo Judaico no Brasil. O Rosh Hashaná (‘Ano Novo Judaico’) marca a chegada do ano 5.770 e é o período das grandes festas da comunidade judaica em todo o mundo. Levando isto em consideração, a Casa Valduga apresenta a nova linha de vinhos kosher totalmente elaborados no Brasil, composta pelos rótulos Casa Valduga K Cabernet Sauvignon, Chardonnay, Espumante Demi Sec e Moscatel, que reúnem toda a tradição da marca.

Com rótulos bilingues em português e hebraico nas cores da bandeira de Israel, os vinhos foram preparados de acordo com as leis alimentares da kashrut sob supervisão do Rabino Shmuel A. Havlin e coordenação do Rabino Ezra Dayan, da BDK do Brasil. De acordo com o Rabino Dayan todo o processo de casherização (adequação e higienização kosher) do vinho é mais complexo se comparado a outras produções kosher. O vinho passou por diferentes etapas em sua produção, desde uma análise das máquinas usadas na colheita e processo de produção, até a preparação do vinho apenas por judeus praticantes.

Para a elaboração da exclusiva linha de vinhos Casa Valduga K, a vinícola praticamente parou um setor da produção por quatro dias, pois alguns equipamentos, como os tanques onde os vinhos são estocados, tiveram que ser enchidos com água por 24 horas e esvaziados por 3 vezes.

A diretoria da vinícola, que provou o vinho, disse ter ficado surpresa com a alta qualidade do produto final! Resta ver se a comunidade judaica no Brasil vai saber que existe o vinho e se vão experimentar a nova invenção da vinícola... Mas a iniciativa já vale um grande destaque!

CHEERS!!
E Shaná Tová aos meus amigos judeus!!
Publicado em 15/09/2009 às 14h51

Catálogos e News das Importadoras – Setembro

News Catálogos e News das Importadoras   SetembroExpand
Recebi ontem a news da Expand de Setembro. A capa fala sobre os gigantes argentinos que “revolucionaram a vinicultura sul-americana” e que fazem parte do catálogo da importadora. Entre eles estão as argentinas Achaval Ferrer, que produz vinhos sensacionais, desde os de base até os mais caros; Tem também a bodega Chacra, que deu uma nova cara aos vinhos da Patagônia, produzindo Pinot Noirs deliciosos (E caros...); E a última citada é a Cuvelier los Andes, que produz um bom vinho, de mesmo nome, e com a consultoria de Michel Rolland. Ta certo que são grandes nomes e grandes vinhos, mas dizer que eles revolucionaram a vinicultura sul-americana é um pouco de exagero, não? Mas faz parte do marketing... Fora a matéria principal, há as tradicional página “Abaixo de R$ 100,00” e “Acima de R$ 100,00”, com destaque para o clássico e caro Barolo Giacomo Conterno 2003. Há também algumas dicas de vinhos leves para o verão e por fim, o “Produtor do mês” que é o francês Jean-Baptiste Audym um tradicional e competente produtor de Bordeaux.

Mistral
O tão esperado catálogo trimestral deles chegou, com a mesma sóbria e elegante capa verde. Confesso que pelo tamanho do catálogo, sempre muito grande e completo, não tive tempo de olha-lo com calma. Mas ele é para mim um super guia de vinhos, com preços e informações sempre muito completas. Junto com ele vieram 2 encartes: Um de presentes e eventos corporativos, com sugestões de kits e de degustações para clientes de empresas. O outro encarte que veio é uma seleção bem feita de vinhos franceses, bem divididos e fácil de se consultar. São categorias como “Para brindar e celebrar”, “Especial Louis Jadot”, que fala sobre este renomado produtor da Borgonha, “Lançamentos”, “Excelentes relação qualidade/preço” e termina com os “Ícones” franceses. Um ótimo guia dos bons vinhos franceses da importadora!

CHEERS!!

Publicado em 14/09/2009 às 20h19

Aniversário de 700 anos!

 Aniversário de 700 anos!Este evento vale a pena divulgar!! Promete ser uma noite de gala!

A Grand Cru recebe no Brasil no próximo dia 17 de setembro (quinta-feira), Ferdinando Frescobaldi, proprietário da vinícola mais tradicional da Toscana, para uma série de degustações e jantares. O evento acontecerá na Ville Du Vin Vinho e Bistrô da Vila Nova Conceição, será um jantar harmonizado com os vinhos da tradicional vinícola italiana Frescobaldi.

Representando 700 anos de história no mundo do vinho, o proprietário da Vinícola, Ferdinando Frescobaldi, apresentará os rótulos aos clientes durante o evento. O wine dinner acontece a partir das 20h, com um custo de R$ 320 por pessoa. As vagas são limitadas.

.:. Entrada:
Lulas salteadas com tartare de tomate e crocante de arroz selvagem
Vinho: Albizzia Tenuta Santa Maria IGT 2007

.:. Primeiro Prato:
Endívias caramelizadas com flan de chévre e tomate confit
Vinho: Nipozzano Riserva DOCG 2005

.:. Segundo Prato:
Papardelli com ragu de coelho
Vinho: Montesodi Riserva DOCG 2005

.:. Terceiro Prato:
Lombo de cordeiro em crosta de funghi e parma com legumes salteados
Vinho: Brunello di Montalcino Castel Giocondo 2003

.:. Sobremesa:
Torta foudand de amêndoas recheada com mousse de gianduia e sorbet de framboesa
Vinho: Pomino Vinsanto DOC 2003

Informações:
Local: Ville du Vin (Vila Nova Conceição) - R. Diogo Jácome, 361.
Data: 17 de setembro de 2009.
Horário: 20h
Reservas: 11 3045.8137
Custo: R$ 320 p/ pessoa

CHEERS!!
Publicado em 13/09/2009 às 20h35

Vinho da Semana: Paso Doble 2005

 Vinho da Semana: Paso Doble 2005 ** Paso Doble 2005 **
Produtor: Bodega Poesia
Origem: Mendoza (Argentia)

Uvas: Cabernet Sauvignon, Malbec e Syrah
Safra: 2005
Importadora no Brasil: World Wine
Preço Aproximado: R$ 62,00

Um vinho feito pela renomada Bodega Poesia, que faz o vinho Poesia, um dos ícones argentinos. Este vinho, bem mais acessível que seu irmão mais velho e mais nobre é um equilíbrio bem feito de 3 uvas (Cabernet, Malbec e Syrah). Um vinho encorpado, com predomínio de frutas negras e álcool bem presente, talvez até um pouco demais. Mas pelo custo, um vinho bom para se tomar no dia-a-dia. Mas CUIDADO para não confundirem este Paso Doble (Com 1 "S") com o outro argentino Passo Doble (Com 2 "S"), que é produzido pelo Masi, tradicional produtor do Vêneto Italiano.

CHEERS!!
Publicado em 12/09/2009 às 19h17

CONFRARIA DOS AMIGOS: HOMENAGEM AOS HERMANOS.

 CONFRARIA DOS AMIGOS: HOMENAGEM AOS HERMANOS.

Depois de 3 meses sem nos reunirmos por falta de uma agenda comum a todos, a confraria dos amigos, que está em seu segundo ano voltou com força total. O tema Argentina era sugestivo para uma noite de carnes e vinhos maravilhosos. E coincidentemente o evento foi 2 dias antes do vareio que demos nos hermanos nas eliminatórias da copa. O restaurante? O reconhecido Pobre Juan, conhecido pelo seu bom atendimento e pelas excelentes carnes!

O anfitrião dos tintos da noite foi o JP, que levou 2 preciosidades. E como estvámos há 3 meses sem nos reunirmos, resolvemos levar 2 brancos. Fefê levou um Catena Alta Chardonnay 1999 e eu levei uma homenagem ao meu herdeiro, um Luca Chardonnay 2006. O Luca estava muito bom, como eu já sabia pois havia bebido antes. Em Chardonnay argentino interessante e que mostra que se bem feitos, os vinhos desta uva no país hermano pode dar bons resultados. Ainda acho que o Chile se destaca nesta uva aqui na América do Sul, mas a Argentina tem seus bons exemplares também. E a maior prova disto veio também com o Catena Alta. um vinho que ganhou corpo e aromas com seus 10 anos de idade. Surpreeendeu de uma forma que ninguém esperava! Impressionante!
E vieram os tintos. Nada menos que uma vertical de Cheval des Andes! Talvez o vinho de maior Grife na Argentina, principalmente por ter o Chateau Cheval Blanc por trás deste projeto, junto com o gigante Terrazas de los Andes. Foram 2 exemplares: 2002 e 2005. 2 vinhaços! Mas sempre tem um que se sobressai, não é? E desta vez foi o 2002. Estava redondo, pronto para ser tomado, por mais que pudéssemos esperar mais alguns bons anos para bebê-lo. Estava um vinho sensacional. O 2005 ainda estava novo, mas já mostrou que daqui a alguns anos ele vai ser "grande" como o 2002 que bebemos.
A curiosidade ficou por conta da formulação dos 2 vinhos: Eram vinhos feitos com uvas diferentes! O 2002 tinha Cabernet, Malbec e Petit Verdot. O 2005 , além das uvas que estavam no outro vinho, ainda tinha 7% de Merlot. É uma parcela baixa, mas que certamente faz a diferença e deve deixar o vinho mais macio, menos austero que o 2002 daqui há alguns anos.
Sobre a comida, sem comentários! Foi um menu desgustação com nada menos que 5 pratos! Não preciso falar que saímos de lá absolutamente rolando de tanto que comemos e bebemos. E bem!
A próxima já tem data marcada! 01 de Outubro, ainda sem restaurante definido, mas com o tema que promete: Piemonte, oferecido pelo Dado, que vem falando nestes vinhos há tempos...
CHEERS!!

Perfil

André Rossi (Déco), 37 anos, é formado pelo instituto inglês Wine & Spirits Education Trust (WSet) nos níveis 1 - Foundation, 2 - Intermediate e 3 - Advanced, cursados em Nova York. Atualmente está cursando o quarto e último nível do WSET, o “Diploma”.

É também um dos únicos cinco Brasileiros residentes no país a ser credenciado como Professor deste mesmo WSet, tendo sido aprovado pelo WSet Educator Training Program 2011, em Nova York.

Editor e Idealizador do Blog EnoDeco, que é hoje o blog oficial de vinhos do portal R7, um dos blogs de vinho mais acessados do Brasil, e que já foi indicado pelo Guia 4 Rodas 2009 como um dos 10 melhores eno-blogs do Brasil.

Colunista da Revista Cool Magazine, da Revista Online Bloggers e também Editor de Vinhos da 4a. Edição do Flavour Guide , projeto anual do crítico gastronômico Josimar Melo. É jurado e avaliador de vinhos de vários eventos e revistas especializadas.

Há 2 anos é o Relações Públicas da Wines of Argentina (WofA), associação das melhores e principais vinícolas argentinas, sendo o responsável pela comunicação, eventos, degustações e todas as ações que a WofA faz em todo o Brasil, para divulgar e comunicar o vinho argentino por aqui.

Foi o ganhador do concurso “Meu Vinho com Susana Balbo” que foi disputado por 30 blogueiros e jornalistas de vinho, onde o principal objetivo era fazer o seu próprio vinho, usando 5 variedades disponibilizadas pela mais importante e premiada enóloga argentina, Susana Balbo. Seu vinho foi escolhido entre os 30 competidores, numa degustação às cegas pela enóloga e sua equipe, tendo um vinho assinado em conjunto com Susana, o Dominio del Plata Essential Limited Edition 2011.

É Publicitário de formação e foi Diretor de Atendimento de grandes agências como W/Brasil e Lew’Lara/TBWA, tendo passado também por Young & Rubicam, DPZ, Leo Burnett e Publicis. Antes disto, trabalhou na área de marketing da importadora Expand.

Publicidade

Arquivo

fevereiro 2016
S T Q Q S S D
« jan    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
29  
Home de Blogs +