22 A primeira loja vegetariana do McDonald’s e o debate instaurado

A manhã desta segunda-feira (14) trouxe uma notícia, digamos, complicada. Como você pode ver na matéria que escrevi no Vista-se (leia aqui), o McDonald’s acaba de entrar para o time das redes de lanchonetes que têm lojas vegetarianas. Segundo a descrição do sanduíche McVeggie™, vendido na Índia, é bem provável que as opções no cardápio da nova loja sejam vegetarianas estritas, a princípio, elegíveis por todos os veganos.

Assim que a notícia de que o McDonald’s está investindo no público vegetariano chegou, começou um debate que já era aguardado. De um lado, os que pensam que jamais o McDonald’s pode ser frequentado por veganos, já que a empresa é alvo de protestos no mundo todo e é uma das maiores promotoras do consumo de carne e fast food do mundo. Na outra ponta, há os que pensam que esta inauguração apenas prova o que é dito há décadas: a alimentação baseada em vegetais é uma tendência e esta onda - como não poderia ser diferente - começa a chegar nas grandes redes de alimentação.

Eu estou no segundo grupo. Luto pela popularização do estilo de vida vegano e situações como estas são inevitáveis. A rede de lanchonetes Subway, a maior rede de fast food do mundo em número de lojas, tem uma unidade vegetariana na Índia desde 2012 e promete lanches para veganos no Brasil ainda em 2014. Por ter uma postura mais natural, o Subway é mais bem encarado pelo público vegano em geral.

Como disse, acredito que a expansão do veganismo no mundo passará inevitavelmente por notícias improváveis e até indigestas como esta com a qual nos deparamos hoje. O simples fato de uma rede internacional de lanchonetes ter uma opção para veganos deveria ser comemorado logo de cara. Mas, em se tratando de McDonald’s, o buraco é um pouco mais embaixo.

Além de ser apontado como uma empresa cruel por matar milhões de animais, há outros problemas que fazem do McDonald’s uma rede cujas atividades comerciais precisam ser analisadas com mais cautela. Veganos são contra a exploração animal e isso inclui o ser humano. Assim, caso haja exploração de trabalhadores comprovada em alguma fase da produção de uma empresa, é bem provável que o serviço ou produto oferecido por ela caia da lista de compras dos veganos.

Há anos o SINTHORESP (Sindicato dos Trabalhadores em Hotéis, Apart Hotéis, Flats, Restaurantes, Bares, Lanchonetes e Similares de São Paulo e Região) vem denunciando a rede McDonald’s por supostamente cometer infrações trabalhistas muito graves no Brasil. Para entender estas denúncias, que já foram debatidas até no Congresso Nacional, basta acessar o site www.jornadacriminosa.com.br.

Desta forma, caso houvesse um lanche 100% vegetariano na rede McDonald’s em nosso país, precisaríamos analisar muito bem toda a produção dele e, principalmente, o que a empresa vem fazendo com seus funcionários. Não é tão simples como pedir pelo número olhando para um painel luminoso.

Confesso que tenho certa antipatia pela rede há anos, especialmente pela questão social. Isso começou muito antes de eu me tornar vegetariano. É claro que eu não gosto também do fato de eles matarem milhões de animais. Mas, infelizmente, estamos inseridos em um tempo e em uma sociedade que explora estes inocentes e até os supermercados onde compramos nossa comida são responsáveis por parte do holocausto animal que assistimos.

Muitos restaurantes onde os veganos comem servem também produtos com laticínios e ovos ou até mesmo carne. É uma equação difícil de resolver: entregar o seu dinheiro a uma empresa que também lucra com a morte de animais é incentivá-la a mudar seu foco para produtos veganos ou é simplesmente aumentar o lucro de uma empresa cruel?

Acho muito bom que o Mcdonald’s confirme uma tendência mundial de consumo por alimentos de origem vegetal, mas comprar um lanche vegetariano lá ainda pode significar dar apoio a uma cadeia de problemas. Além da questão trabalhista, há também a insistência da empresa na propaganda dirigida às crianças de produtos sabidamente ruins nutricionalmente. Por conta da venda casada nos pacotes do “McLanche Feliz”, o Mcdonald’s é um dos maiores compradores de brinquedos do mundo. Este comportamento gera protestos de associações de pais que alegam se sentirem coagidos a comprar um lanche de fast food a seus filhos por causa da propaganda de brinquedo na televisão.

Por outro lado, vemos comerciais de TV com bolachas recheadas, salgadinhos fritos, refrigerantes e tantos outros produtos tão ruins nutricionalmente quanto os lanches do McDonald’s. E tudo também direcionado às crianças, com bonecos coloridos e brindes como figurinhas e outros.

A verdade é que cabe a cada um analisar todas as variáveis e fazer suas escolhas, mas o fato é que a entrada destas grandes empresas no mercado vegetariano mostra o quanto este estilo de vida vem crescendo no mundo. Com este crescimento, cresce também a demanda por produtos mais éticos.

Estariam as grandes empresas enxergando que podem ganhar dinheiro vendendo serviços e produtos mais sustentáveis e éticos ou seria apenas mais uma tentativa de abocanhar uma fatia relativamente nova de mercado? Mostre o que você acha de tudo isso, comente.