6
março
06h48

 

 

Savinien de Cyrano de Bergerac 217x300 Ah, o meu nariz

Cyrano de Bergerac é personagem real e morreu em 1655.

Escritor famoso  e um pensador importante e de vanguarda. Além disso, Cyrano vivia se metendo em duelos, quase sempre porque gozavam de seu nariz. Um belo, grande e curvo nariz.

Nosso  Editor-Chefe, que esteve presente em alguns desses duelos, nos conta que ele era um grande espadachim e que teria duelado mais de mil vezes, tendo, inclusive, uma cicatriz no rosto, ao lado do nariz.

O cara era um bambambam da sua época.

No entanto, Cyrano ficou para a eternidade não pela realidade, mas por uma peça de teatro ficcional. A peça chama-se Cyrano de Bergerac, de Edmond Rostand.

E a história é linda e quase triste:

Cyrano  é um cara narigudo e feio, amigo de Cristiano, alto e lindo.

Claro que tem mulher na história. Roxane.

Acontece que Cristiano gosta de Roxane. Cyrano também.

Cyrano é muito bom de papo, bom com as palavras. Cristiano é lindo, mas é uma pequena anta.

Como Cyrano acredita que Cristiano tem mais chances de conquistar Roxane, ele ajuda Cristiano a seduzi-la, numa grande prova de amor. Quando Roxane sai na varanda para conversar com Cristiano, Cyrano fica escondido soprando para ele o que falar, como responder, o que dizer.

A história é linda e foi montada há uns 30 anos pelo Fagundes.

Taí uma peça que adoraria fazer. Nariz pra isso eu já tenho.

___________

Faltam 300 dias para acabar o ano, se nossos políticos não acabarem com tudo antes disso.

SE GRITAR PEGA LADRÃO, NÃO SOBRA UM.

Espalhe por aí:
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • RSS
  • Netvibes
  • Digg
5
março
06h10

A meteorologia promete alguma chuva para hoje, aqui no Rio. Mas eles estão parecendo políticios, os meteorologistas: prometem, mas não cumprem. A chuva no Rio anda muito devagar para os padrões que desejamos. O período normalmente mais seco vem aí e os reservatórios estão longe do mínimo desejável.

Vamos torcer que a chuva caia por aqui.

E aí no seu pedaço, anda chovendo?

SAM PRAN FRANT

 

______________

 

Milionário e Zé Rico

zE ROCO 300x156 Longa estrada da vida

Essa foi uma das mais tradicionais duplas sertanejas do Brasil e, embora não faça parte do meu repertório musical, é preciso respeitar a história e o sucesso de décadas desses dois.

E é triste que Zé Rico tenha morrido assim, de repente, com agenda de mais de 20 shows por mês, lotando tudo onde quer que se apresentassem.

Adotou, em cartório, o nome José RICO Alves dos Santos. A origem do nome parece ter vindo da cidade onde foi criado - Terra Rica, no Paraná. Outra explicação para a origem do nome diz que ele adotou o nome em homenagem a Johnny Cash (João Dinheiro, numa tradução literal), artista americano de muito sucesso à época de formação da dupla.

A propósito: além de muito sucesso, o cara era rico mesmo. Rico mesmo.

ESTRADA DA VIDA

Espalhe por aí:
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • RSS
  • Netvibes
  • Digg
4
março
06h17

 

 

furão e beija flor 300x168 Carona

Essa foto deu o que falar na internet, ontem. Bateu recordes de visualizações, portanto é possível que você já a tenho visto.

De todo modo, é sensacional o que aconteceu - segundo descreveu o fotógrafo.

Trata-se de um furão (esse mamiferozinho) pegando carona no pica-pau.

A foto é de Martin Lee-May, um fotógrafo amador, que dava um passeio em Londres e flagrou o momento em que - deduziu ele - o furão tentava fazer do pica-pau seu sublime almoço. Acontece que o pica-pau fez um enorme esforço para se salvar e, claudicante, conseguiu levantar voo com o furão nas costas.

O beija-flor, apavorado, (repara no olhar dele!),  voou com o camaradinha nas costas até não conseguir mais aguentar o peso e fez um pouso forçado. No momento da aterrissagem, o furão que gosta de caçar, mas parece não gostar de voar , e nem de pousos forçados, aproveitou o susto e deu no pé.

O fato é que, entre mortos e feridos, salvaram-se todos.

Sensacional, não é?

O milagre da vida se repete, e se repete, e se repete...

Espalhe por aí:
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • RSS
  • Netvibes
  • Digg
3
março
06h50

 

 

 

andressa urach 300x198 Extraindo as partes

No final de semana passado surgiu a noticia de que Andressa Urach internou-se novamente com uma inflamação na coxa. Parece que tudo está bem com ela agora. O que me chamou a atenção foi uma declaração dela:

- Vou extrair a nádega esquerda.

Claro que eu acho legal que qualquer pessoa batalhe para se mostrar bem na foto. Acho legítimo que as pessoas desejem ficar felizes com sua aparência. Acredito mesmo que procedimentos que nos melhorem fisicamente podem elevar muito nossa autoestima.

Agora, vamos e venhamos: o que mais essa moça colocou no corpo?

Ela vai extrair a bunda esquerda, é isso mesmo?

Extraindo a bunda esquerda, cria-se um novo problema estético. Ela vai ficar com a bunda direita cheia e a banda esquerda murcha?

Acho que ela terá que extrair as duas bandas da bunda, ou não?

Que todos os deuses a protejam e permitam que ela viva com sua própria bunda. E viva em paz.

Espalhe por aí:
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • RSS
  • Netvibes
  • Digg
2
março
06h21

 

 

noivas de oculos 6 221x300 Intimidades

Há uma tendência entre as mulheres que usam óculos a manterem o tão necessário acessório em todos os momentos.

Até pouco tempo atrás, parecia impensável que uma mulher assumisse seus óculos até no dia do casamento, com vestido de noiva.  A madame colocava uma lente pra ficar bem na foto.

Pois esse tabú parece ter caido por terra nos últimos anos. Muitas mulheres consideram que os óculos, além de necessários, fazem parte da personalidade. Então, dane-se. No escritório ou no altar, óculos no rosto.

E eu aqui confesso uma coisinha que, aliás, acho que já mencionei superficialmente: eu gosto de mulheres de óculos. Quando os óculos encaixam como uma luva no rosto da mulher, acho lindo e sexy.

Aliás, acho que os óculos podem ser excitantes em vários momentos na relação homem/mulher, se é que me entendem.

De vez em quando eu coloco uns óculos no rostinho da Jararaca quando vamos dormir. Ela fica meio tonta porque não usa óculos, mas faz minha vontade. E tonta ela fica ainda mais sexy...

Gosto de mulher de óculos, eu gosto.

Espalhe por aí:
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • RSS
  • Netvibes
  • Digg
1
março
09h33
RJ

 

 

BRA RiodeJAneiro1 300x199 RJ

Hoje é aniversário da Cidade Maravilhosa. 450 anos.

Claro que esse aniversário se refere apenas à época da colonização portuguesa, formando uma cidade tal qual a conhecemos. Já se tem notícia de população por aqui desde 10 mil A.C. E, mais ainda: no ano 1000, os Tupis, vindos da Amazônia, tomaram conta do pedaço.

Apesar dos demandos históricos sob os quais a cidade viveu, desde sempre, (assim como o país inteiro), a cidade do Rio de Janeiro ganhou, desde que começou a ser visitado, o título de Cidade Maravilhosa. E sabe por quê?

Apenas porque merece. E merece muito.

Viva a Cidade Maravilhosa e que todos os deuses a protejam da incompetência de quem manda nela

Espalhe por aí:
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • RSS
  • Netvibes
  • Digg
28
fevereiro
06h31

 

 

macaco bebado 300x209 Ressaca

Hoje é Dia da Ressaca.

E caiu num bom dia, este ano. Sabadão. O macaco encheu a lata ontem de noite e agora pode estar procurando o tijolo que parece ter acertado a cabeça dele. Parece que um sino badala lá no miolo e não há comprimido que evite a sensação de ter levado uma surra.

Eu não bebo. Ou bebo pouquíssimo e raramente.

A primeira vez em que fiquei bêbado - (acho que já contei aqui) - eu tinha 18 anos. Acho mesmo que foi a primeira e a última vez.

Não que eu bebesse muito, ao contrário. Examente por não beber, qualquer coisa me derrubava. E ainda derruba.

Eu tinha um pequeno namorico, ou nem isso. Era apenas um clima de futuro...um QUEM SABE.

Eu fazia uma peça chamada Chá e Simpatia, final dos anos 70. 76 ou 77, não tenho certeza. Fazia a peça também uma atriz chamada Joselita Alvarenga, que tinha uma filha da minha idade. O pai era o Raul Solnado, famoso ator e comediante português.

Um dia teve uma festinha pós-peça na casa da Joselita. E lá fomos nós.

O pessoal dançava na sala, etc e tal. E bebia em todos os lugares.

O italianinho, querendo dar uma de adulto, bebeu algo que nem me lembro, mas não era cerveja. Era um destilado. Vodka. Acho que era Vodka.

Um gole e uns passinhos na pista, mais um gole e uns passinhos na pista...

Talvez eu quisesse me exibir pra Alexandra. Tomara que ela não leia isso. Nem sei se ela sabe que tinha um climinha. Da minha parte tinha.

O fato é que eu me animei. Em poucos minutos tirei a camisa. E minha atitude idiota provocou aquela reação ainda mais idiota dos amigos que gostam de ver  o circo pegar fogo:

- Tira, tira, tira....

O italianinho riu e jogou o tênis -(o tênis) - fora.  E depois as meias.

E depois jogou as calças. Sempre dançando no meio da sala da minha futura-ex-provável-sogra.

E quando a galera estava com a corda toda, o italianinho tirou a cueca e exibiu seu lindo corpinho magro de 18 anos para aquela gente sem coração que me deixou pagar esse mico gigantesco.

E, pelado, dancei na sala sob aplausos e suspiros. Até a bebida vencer meu corpinho frágil e me dar aquela vontade incontrolável de vomitar.

Me levaram, PELADO, para a área de serviço onde botei os bofes pra fora no tanque. Alguém abriu a torneira e colocou minha cabeça debaixo d´água.

E minha sempre querida amiga Rosaly Papadopol, querendo me curar, mandou essa:

- Pinga limão na orelha dele que passa.

Eu gritava, pelado e molhado:

- Limão, não, Limão, não.

(Muitos anos depois, a mesma Rosaly tomou um porrezinho numa festa na minha casa em São Paulo e tomou banho de mangueira no gramado.)

Precisa explicar porque não bebo?

Engraçado: não me lembro da ressaca.

Espalhe por aí:
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • RSS
  • Netvibes
  • Digg
27
fevereiro
06h02

 

 

Rodrigo amarante 199x300 Você quer saber o quê?

Andei ouvindo no rádio do carro que Los Hermanos vai fazer show aqui no Rio e que está uma febre para comprar ingressos - afinal, ao que parece, eles não fazem shows desde 2012.

Confesso que conheço pouco a obra de Los Hermanos e é possível que saiba cantar algumas músicas, mas talvez não saiba que é do repertório deles. Enfim, eu sou um coroa desatualizado.

Por exemplo: fiquei até surpreso ao descobrir que ANA JÚLIA, que eu conheço, é música deles.

Tudo isso apenas para falar que não sou obrigado a conhecer Los Hermanos. Agora, se eu sou um jornalista que vou entrevistar Los Hermanos, faz parte da minha tarefa estudar suficientemente a obra deles. E a história deles também. Obrigatoriamente.

Digo isso porque, ontem - ou anteontem - uma equipe que não consegui identificar a origem, esteve nos corredores da Record entrevistando alguns de nós. O cara recebeu uma pauta do lugar onde trabalha para entrevistar os atores da novela. Obrigatoriamente ele tem que saber quem são, obrigatoriamente.

Antes de receber essa pauta ele não tinha nenhuma obrigação de me conhecer, mas se vem me entrevistar não pode fazer certas perguntas.

Já me aconteceu de um jornalista me perguntar, depois de 35, 40 anos de carreira, quais meus últimos trabalhos...ou...como você começou?...

Quer dizer: ele nem botou meu nome no Google pra ler um pouco a meu respeito. Não se preparou. Transferiu pra mim uma tarefa que era dele.

Assim fez esse jornalista com o cara do Los Hermanos, nesse videozinho que coloquei aqui.

Preguiçoso e incompetente merece levar uns coices, vez ou outra.

Jornalista preguiçoso entrevistando Rodrigo Amarante , Los Hermanos

A propósito: esse Rodrigo Amarante é muito articulado, educado e inteligente.

Espalhe por aí:
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • RSS
  • Netvibes
  • Digg
26
fevereiro
05h53

Ia contar mais uma historinha sobre os animais da minha infância, mas o tempo presente nos surpreende tanto que é preciso dar uma pausa nos bichinhos para falar sobre um animal, no sentido mais grotesco da palavra.

Eu sempre digo aqui: não é o PT, o PSDB, o PMDB....são todas as instâncias de poder. São os senadores, deputados todos, vereadores, governadores, prefeitos, os chefes de todos os orgãos públicos, juízes, os donos de empreiteiras, multinacionais, todos, todos.

E ainda incluo nessa lista muitos de nós que cometemos pequenos delitos, pequenos subornos, pequenas contravenções.

As exceções existem, mas apenas para confirmar a regra.

Seria cômico se não fosse trágico:

Como todos sabem, o juiz que comandava DE FORMA DURA E INFLEXÍVEL os processos contra o Eike Batista foi flagrado dirigindo um carrão do ex-milionário.

NÃO HÁ NENHUMA EXPLICAÇÃO POSSÍVEL PARA ISSO, NENHUMA. NÃO TEM COMO EXPLICAR.

Não bastasse isso, ele mantinha outro carrão apreendido  na própria garagem, aqui na Barra.

Agora vem o que parecia ser o pior:

Além dos carros, ele surrupiou o piano da casa do ex-milionário e guardou, discretamente, na casa do vizinho.

Aí você fica estarrecido, acha o fim da picada, sente vontade de botar fogo nesse apartamento, fica puto da vida...

Acontece que esse tipo de gente não conhece limites. Não bastassem todos essas atitudes que demonstram total falta de caráter, chega até nós a revelação maior.

Luma de Oliveira, a ex-mulher de Eike, já reclamava que depois de terem os carros confiscados, ela estava sendo obrigada a dividir um carro da vizinha com o filho Olin. (Será a mesma vizinha que guardou o piano?). Agora se revela a safadeza maior, com mais esse flagra que deixou Luma desnorteada. Veja só:

unnamed 275x300 Lingeries

Essa turma, grande turma que controla nossos destinos, está achando que somos engraçadinhos e não somos capazes de mais nada além de  fazer piadas e ficar conformados. Os Três Poderes, todos os órgãos públicos e seus pequenos poderes, as mamatas da Marinha e suas compras superfaturadas de centenas de garrafas de uísque 12 anos.... enfim....dá vontade de quê?

Essa gente insiste em não sentir o clima das ruas e dos cidadãos em suas casas. Ao invés disso, o que fazem nossos congressistas?

Na calada da noite, aumentam seus próprios salários, mas não podem pagar a correção do Imposto de Renda pelo índice de verdade. Vão pagar menos PORQUE NÃO TEMOS DINHEIRO EM CAIXA. Só isso, madame? Claro que não. Fazem mais. Pagam a eles próprios AUXILIO MORADIA  até pra quem tem casa própria ao lado do Congresso.

Repito e repito: não é PT, PSDB, PMDB... são todos, todos.

Essa gente tá brincando com fogo.

Algum dia ainda vão acabar se queimando.

E aí não vai adiantar fazer carinha de vítima e nem pedir ajuda aos céus. Até  os deuses estarão fartos disso tudo.

Espalhe por aí:
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • RSS
  • Netvibes
  • Digg
25
fevereiro
07h22

 

Lili era uma cadelinha que tivemos quando eu era bem menino, bem menino. Lembro dela claramente.

E nós, os moleques, éramos terríveis e cruéis.

LIli 300x225 A Lili

LIli era meio assim, só que fêmea

Na época do cio da Lili, a rua ficava cheia de cachorros prontos pra acasalar. Era um tal de latir daqui e latir de lá até que um cão, finalmente, transava com a Lili.

Nesse momento, nós, os meninos, fazíamos uma coisa horrível: assustávamos o casal de cães no meio da transa. Eles corriam, ainda engatados. (Dizem que o cachorro não consegue se soltar assim, no susto). O fato é que ele corria engatado na Lili, que era meio arrastada, de costas para o cão. Até que a excitação do cachorro passasse e ela conseguia se liberar. Horrível.

Em razão dessa periódica odisséia sexual da minha rua, meu pai resolveu se livrar da Lili. Botou a danadinha dentro do Fusca do meu tio - (só muito depois meu pai viria a ter carro, muito tempo depois) - e eles levaram a cachorrinha para bem longe e deixaram em algum lugar. (Estou falando de quase 50 anos atrás.).

Era o fim da Lili. Ou, pelo menos,  meu pai achava que era o fim. Os meses se passaram, meses.

Uma noite, meu pai foi esperar meu irmão mais velho na porta da escola, Meu irmão já estudava de noite, embora tivesse uns 14 anos. Eu tinha 9, então. Meu pai estava na padaria ao lado da escola quando ouviu uns gemidinhos aos seus pés. Era a Lili, que depois de meses, tinha reencontrado o caminho de casa.

Foi uma emoção  quando meu pai e meu irmão chegaram em casa, e junto com eles, a Lili. Uma choradeira.

Lili ficou com a gente até a sua morte, tempos e tempos depois. E filhos depois também.

Essa vida...

Tivemos muito bichos, muitos bichos...vou contando, aos poucos.

Espalhe por aí:
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • RSS
  • Netvibes
  • Digg
Ir para a home do site
Todos os direitos reservados - 2009- Rádio e Televisão Record S/A
exceda.com