26
fevereiro
06h10

 

993

Hoje é Dia do Comediante que, segundo o dicionário, é o ator de comédia - pessoa fingida, dissimulada. Pode ser mesmo.

Valem algumas considerações sobre a comédia e o comediante, tentando estabelecer algumas diferenças nem sempre sutis entre estilos de fazer comédia.

Por exemplo: O Bemvindo Sequeira é comediante. Eu sou ator de comédia.

Qual a diferença, macacada?!

Acho que a diferença fundamental é que o cara que é comediante é capaz de fazer comédia o tempo todo e precisa de pouquíssima preparação para ser engraçado. Há uma agilidade mental enorme para pensar e fazer graça com qualquer negócio. Um cara que é comediante raciocina rápido, constrói relações engraçadas com tudo -  e cria imagens mentais facilmente identificáveis e engraçadas pra todo mundo.

Um ator de comédia pode ser quase que igualmente engraçado, mas, diferentemente do COMEDIANTE., precisa elaborar, construir, planejar antecipadamente a piada, a graça. O comediante até ensaia, mas pode fazer graça sem isso. O ator de comédia precisa de preparação antecipada senão a coisa não rola.

Porque comédia é como matemática, como música. Ou tudo é feito com muita precisão, tempo e ritmo, ou nada fica engraçado. O COMEDIANTE nasce com um dom, uma coisa que brota, que é anárquica, que independe de ensaios e preparação.

O comediante, diferente do ator de comédia, nasce com quase tudo isso dentro dele.

Quando  o cara consegue aliar seus dotes naturais de comediante com todas as técnicas de representação, a coisa fica sensacional - como é o caso do Bemvindo e de tantos ótimos comediantes que temos.

Pessoalmente, considero a comédia bastante mais difícil de realizar, em relação ao drama. Porque comédia supõe crítica, extrema observação, agilidade de raciocínio, técnica apurada e ritmo. Claro que outros estilos também tem seus encantos e exigem habilidades enormes para chegar ao coração do público, mas a verdade é a seguinte: quem lida com essas emoções e domina essas técnicas é um privilegiado - fazendo o estilo que for.

Considero encantadoras as duas formas de se fazer comédia. Vendo pelo lado de quem não nasceu com essa habilidade natural - o meu lado - considero sensacional saber construir cenas engraçadas. O lugar certo pra onde olhar, o momento preciso da pausa, a respiração, toda a ciência que envolve a construção de uma piada, e que resulta na gargalhada do público...tudo isso é muito gratificante.

Quanto ao Bemvindo, ele pode ser engraçado até na missa.

Deu pra entender ou ficou confuso?

Também to achando meio confuso...

Em resumo, é o seguinte: fazer comédia é broca.

SAM PRAN FRANT

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • del.icio.us
  • Twitter
  • Digg
  • Netvibes
  • Facebook
  • Google Bookmarks
Ir para a home do site
Todos os direitos reservados - 2009- Rádio e Televisão Record S/A
exceda.com