Macacada!

Tá um dia gostosinho aqui no Rio. Tá frio, mas não tá frio. E tá sol, mas não tá sol. Aquele diazinho bom pra refletir sobre a vida. Aliás, é bom refletir, mas se a gente ficar pensando demais, o miolo torra. Motivos não faltam pra ficar arrasado, preocupado, envergonhado, revoltado.

Aqui no Rio, os professores da Uerj, a Universidade Estadual do Rio de Janeiro, de longa tradição e história, não paga os professores há 5 meses e, parece, esse ano, ainda não teve aulas. Tá faltando até oxigênio nas dependências da universidade. Vergonha.

Enquanto isso, o Governador tá liberando verbas para jatinhos voarem com os políticos ao custo de seis mil e quinhentos reais por hora, fora a manutenção obrigatória. Somados, são valores insuportáveis. Fora a grana pra biscoitos e sucos que não está incluída nesse orçamento.

- Ora, Sr. Giuseppe,  que vergonhosamente  intitula-se o italianinho mais lindo do Brasil - diz o comunicado da sala do governador - o senhor deveria se ater aos fatos. Os jatinhos são uma coisa, os biscoitos são outra. Uma coisa não tem a ver com a outra. Nós somos um governo de reputação ilibada.

E a GiuPress responde, quase tacando uma pedra na cabeça do Pezão. (Pra quem não sabe, nosso governador se chama Pezão.):

- Caro governador, com todo o respeito que o senhor não merece, gostaríamos que o senhor desse explicações a todas as famílias dos funcionários da Uerj que estão se afundando em dívidas pra conseguir apenas comer. O pessoal está sem ter o que comer. E o senhor vai gastar com jatinhos pras suas viagens e de seus parceiros de bandidagem? Vai gastar com biscoitinhos? É bom o senhor se lembrar do episódio dos brioches, lá na Revolução Francesa. Um dia esse nosso povo perde de vez a paciência e as cabeças vão rolar pelo cadafalso. Cabeças e pés. Cabeças e pezões.

SAM PRAN FRANT.