25
dezembro
09h45

Na minha infância, dia 25 era um prolongamento cansado da ceia. Íamos acordando aos poucos para encontrar minha mãe e as tias, junto com a nonna, cuidando da comilança. E meus tios jogavam baralho, com baralho napolitano – que é diferente do baralho que você conhece.


napolitano1 O Natal na minha infância


Eu aprendi a jogar com o baralho napolitano e até hoje não consigo decorar os naipes do nosso baralho tradicional. Parei de jogar cartas. Às vezes, quando encontro com meu pai, ainda jogamos algumas partidinhas com o baralho napolitano, mas é só.


valete de ouros O Natal na minha infância


Minha infância me marcou e eu mantenho essas marcas como relíquias. Dia 25 sempre foi um dia preguiçoso – como hoje. P.S. Eu pedi pro R7 publicar isso hoje porque sabia que estaria sem computador onde estou.


Meu irmão, que sempre foi meu herói, continua tentando resgatar pros nossos filhos a mesma experiência de amor que tivemos na nossa infância. E estamos todos num sítio no interior de São Paulo.


Amanhã espero conseguir chegar a tempo de contar como foi tudo. E também a tempo de voltar ao trabalho, que as gravações não param.


Veja mais:


+ Siga o R7 no Twitter
+ Veja os destaques do dia
+ Todos os blogs do R7

Espalhe por aí:
  • Facebook
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • RSS
  • Netvibes
  • Digg
Ir para a home do site
Todos os direitos reservados - 2009- Rádio e Televisão Record S/A
exceda.com