21
janeiro
às 17:19

Agradeço a todos pelas mensagens e pela grande audiência de Sansão e Dalila. Como podem conferir nos sites de TV, a audiência é crescente e batemos recorde esta semana, em todas as praças. Viram essa matéria do jornal da Record?

E a jornada do guerreiro hebreu continua! Na próxima semana já entramos em reta final, com o episódio das portas de Gaza. Dalila também começa a acumular vitórias no palácio e a ambição passa a comandar suas ações. A volta de Tais, como protegida do príncipe de Ecrom, também movimentará o palácio e desafiará Dalila a todo instante. Após vencer os mil homens usando apenas uma queixada de jumento, Sansão decidiu partir para Gaza, já que é de lá que partem as ordens contra o seu povo.

Captura de tela 2011 01 21 às 16.12.09 Sansão e Dalila em primeiro lugar de audiência

Captura de tela 2011 01 21 às 16.12.56 Sansão e Dalila em primeiro lugar de audiência

Captura de tela 2011 01 21 às 16.13.36 Sansão e Dalila em primeiro lugar de audiência

Captura de tela 2011 01 21 às 16.14.50 Sansão e Dalila em primeiro lugar de audiência

Captura de tela 2011 01 21 às 16.18.28 Sansão e Dalila em primeiro lugar de audiência

O que Sansão nem imagina é que, nesse mesmo local, está a mulher que terá papel fundamental em sua trajetória. Sansão e Dalila estão cada vez mais próximos.

Estive no programa Entrevista Record Cultura, da Record News, com os atores Fernando Pavão e Mel Lisboa. Haverá uma reprise no sábado, ao meio-dia. Batemos um papo bem descontraído com o jornalista Arnaldo Duran sobre a minissérie. Para quem quiser assistir:

Tentarei postar algumas cenas, como pedido, numa próxima atualização.
Não percam as emoções de Sansão e Dalila!
Um grande abraço!

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • del.icio.us
  • Twitter
  • Digg
  • Netvibes
  • Facebook
  • Google Bookmarks
24
dezembro
às 10:29

Interrompemos o assunto freqüente deste blog – a estreia de Sansão e Dalila, dia 04 de janeiro às 23 horas na Rede Record – para um breve momento Jingle Bells. Estive na cidade de Gramado, onde acontece uma belíssima festa de Natal. A cidade recebe pessoas de todas as partes do país, apresentando eventos temáticos e movimentando todo o comércio local. Além de assistir aos eventos e passar alguns dias na deliciosa cidade, tive a oportunidade de conversar com ele: Papai Noel. Entre uma foto e outra, o bom velhinho topou responder todas as minhas perguntas. Ou melhor... quase todas.

SAM 0331 Entrevista exclusiva com Papai Noel

Ele é inventor, administrador, entregador, modelo fotográfico e dono da maior fábrica de brinquedos do mundo. É claro que estou falando do velho Papai Noel. Papai de quem? O senhor tem filhos?
Ho, ho, ho! Não falo de minha vida pessoal, meu filho. E velho, não! Sou tradicional, é diferente.

O senhor já pensou em prestar concurso para os Correios?
O uniforme é bem mais fresquinho para o verão! Ho, ho, ho!

Qual pedido mais estranho que já recebeu por uma cartinha?
Ho, ho, ho! (Será que ele vai rir em todas as perguntas? ) A imaginação das crianças é muito fértil! Mas lembro de uma cartinha que me pedia um marido rico, bonito e sem filhos. A criança tinha 37 anos. A magia não pode morrer, mas pra tudo há limite.

Então há uma censura?
Não. Há um controle de qualidade. As cartinhas daquelas crianças que não se comportaram bem ficam retidas com os meus assistentes, que avaliam caso a caso. Alguns presentes também são adaptados.

Mas o bom velhinho não se esquece de ninguém...
Às vezes esqueço, sim. E recebo cada carta malcriada no ano seguinte...

Falando nisso, uma vez pedi um boneco do Bozo e o senhor...

Pausa na entrevista para fotos com algumas crianças que se aproximaram.

Existe mesmo uma cobrança por parte das crianças que ficaram insatisfeitas com seus presentes?
Pode acreditar que sim. Mas também existe aquela criancinha que tem letra feia e que nem eu nem meus duendes somos obrigados a decifrar. Minha vontade é embrulhar um caderno de caligrafia e enviar no lugar do brinquedo. Ho, ho, ho! ( Riu, mais uma vez, após o desabafo. Deve encher o saco, mesmo. Entenderam? Entenderam? Péssima, vamos à próxima...)

Em épocas de email, delivery etc, o senhor não acha que está na hora de se modernizar?
De jeito nenhum. Mas não pense que é por falta de informação, eu também estou ligado na modernidade! (Medo. O bom velhinho só faltou soltar um “brother” no final da frase...) Temos uma central de duendes que recebem as cartinhas de todos os cantos do mundo e separam por categorias. A modernidade ajudou essa organização, por isso ela dura até hoje. Mas quanto às cartinhas, prefiro que elas continuem sendo escritas e enviadas pelo modo tradicional, apesar de algumas letrinhas... Já tentei aderir ao email mas, na minha idade, você não imagina a quantidade de serviços e produtos que nos oferecem diariamente. Já me perguntaram até se eu gostaria de aumentar o meu saco em até 20%!!! (Não tive reação. Fiquei um pouco chocado e ele notou meu espanto.) Ho, ho, ho! O saco de presentes, meu filho, sou o Papai Noel!

... Ainda chocado.
Sem contar que, se eu tivesse um twitter, por exemplo, as pessoas fariam pedidos o ano inteiro, me adicionariam no Orkut, me curtiriam no face... E como Papai Noel não coloca ninguém para spam... Achei melhor evitar.  Os que estão pelas redes sociais são fake. (Brother?!)

Sobre a entrega dos presentes... A Sociedade Protetora de Animais nunca te multou pela exploração das pobres renas?
Ho, ho, ho (Ok, Noel, já está irritando...) ! Elas não são como as outras renas, meu filho. São as únicas que sabem voar e são muito, muito bem tratadas. Sem elas eu não conseguiria entregar os presentes a tempo. Principalmente com a loucura que ficam os aeroportos nessa época...

O senhor precisa de visto e passaporte?
Sou o Papai Noel, tenho livre acesso a todos os lugares do mundo onde crianças esperam por mim.

Meu boneco do Bozo ficou preso em alguma Alfândega?

Pausa para mais fotos, dessa vez com duas animadas senhoras. Ronaldo que nada, o bom velhinho é um fenômeno.

Muito se fala sobre a existência de uma “Mamãe Noel”. O que o senhor tem a dizer sobre isso?
Ho, ho, ho.  (E ficou me olhando, esperando a próxima pergunta). Não falo da minha vida pessoal. (Franco.)

Há rumores sobre a sexualidade de Rudolph, a rena de nariz vermelho...

Se não falo da minha vida pessoal, falarei das minhas renas?! (Está bem, mas não se irrite... Ho, ho,ho!)

E a trilha sonora? São as mesmas musiquinhas há anos. Aqui no Brasil, além de “Noite Feliz”e “Jingle Bells”, também temos uma cantora chamada Simone, cantando “Então é Natal”. Não enjoa?
Ho, ho, ho ( Enjoa! )! Mas quem falou que eu ouço apenas essas músicas o tempo todo? Não falei que sou ligado na modernidade? (Brother?!) Pois eu tenho uma caixinha que toca várias músicas durante a minha viagem, que é longa!

Então o senhor também usa os brinquedos que fabrica?
Não. Tenho um I-pod.

Pausa na entrevista para algumas fotos com mais algumas crianças. E mais algumas senhoras.

Mas o que o senhor faz durante o ano? Tira férias? Descansa?
Já foi o tempo em que eu conseguia descansar, meu filho. Agora em setembro já começam os preparativos para o Natal e tem gente que nem tira as luzinhas pisca-pisca da decoração... Luzinhas que incomodam um pouco a minha vista, tem gente que exagera e me dá uma labirintite... Mas a minha agenda começa cada vez mais cedo. Sem contar que tenho que tocar a maior fábrica de brinquedos do mundo... É muito trabalho!

Como é o Natal para o Papai Noel?
Cansativo, mas muito gratificante. Posso sentir o carinho e a felicidade em cada sorriso de criança. É a parte que me cabe, pois sou coadjuvante nessa festa, apesar da grande exposição da minha figura. Culpa de um antigo duende-assessor-de-imprensa...

E quando o brinquedo não chega, como aquele boneco do Bozo que...
A troca de presentes é um belo gesto e deve continuar sempre, mas as pessoas não devem esquecer o real motivo da festa de Natal: o nascimento de Jesus Cristo. É para Ele que as atenções devem estar voltadas, não para mim. O momento é de reflexão, de união, de pensamentos voltados para Aquele que morreu por nós... Sem isso a noite de Natal não faz o menor sentido, meu filho.  Se Papai Noel não pode esquecer de ninguém, como admitir que alguém esqueça o aniversariante do dia?

O velho, quer dizer, o tradicional Noel estava coberto de razão. E eu não podia mais prendê-lo com minhas perguntas, muitos menos cobrá-lo pelos presentes que deixou de trazer. Os sinos do trenó começaram a tocar e os duendes acenaram para ele, chamando-o. Depois desse momento reflexão, estava na hora do bom velhinho partir. Não sem antes apertar a minha mão e soltar um sonoro:

Feliz Natal!!! Ho, ho, ho!!!!

Papai Noel Gustavo Reiz Entrevista exclusiva com Papai Noel

Faço minhas as palavras do bom velhinho e desejo a todos um Feliz Natal (Ho, ho, ho?!), com muita paz e união na família e todos os pensamentos voltados para o aniversariante do dia!

E dia 04... Não esqueça: Sansão e Dalila, na tela da Record.

Espalhe por aí:
  • RSS
  • Live
  • del.icio.us
  • Twitter
  • Digg
  • Netvibes
  • Facebook
  • Google Bookmarks