steelydanpressimagecrop Morte de Walter Becker coloca fim ao Steely Dan, grupo que soube como poucos misturar rock e jazz

Nenhuma outra banda soube explorar melhor a mistura entre rock e jazz do que o Steely Dan. Formada em 1971 por Donald Fagen e Walter Becker, que morreu no último domingo (3), o grupo é uma referência quando o assunto é fundir estilos com sofisticação e mesmo assim soar pop.

A banda teve uma carreira cheia de altos e baixos, inclusive por conta do vício em drogas de Becker. O duo, inclusive, até voltou a se reunir após a primeira separação, em 1981, e a lançar músicas novas, mas o que importa sobre o Steely Dan foi feito nos anos 70, como os clássicos álbuns Aja e Pretzel Logic.

Aja (1977), inclusive, foi gravado por grandes músicos do jazz, jazz-rock e da soul music, como Larry Carlton, o saxofonista Wayne Shorter, os bateristas Steve Gadd, Rick Marota e Bernard "Pretty" Purdie e o baixista Chuck Rainey. O disco vendeu mais de um milhão de cópias e consolidou a dupla como grandes compositores e músicos de estúdio. Desse disco, vale ressaltar as faixas Black Cow, Josie e Deacon Blues.

Mas esse não é o único álbum que mostra o perfeccionismo dos dois em estúdio. Menos jazz e mais rock, Pretzel Logic (1974) ainda é lembrado nos Estados Unidos por faixas como Rikki Don't Loose That Number, Any Major Dude Will Tell You e a faixa título, que continua a ser um dos maiores hits deles até hoje.

Nesse projeto a banda também conta com o apoio de grandes músicos, caso do baterista Jeff Porcaro, que futuramente seria consagrado nas baquetas do Toto. Foi também nessa época que Fagen e Becker resolveram fazer menos turnês para se especializar cada vez mais em atingir a excelência em estúdios. Não à toa, os discos da banda se tornaram referência quando o assunto é produção musical.

Dessa maneira, ouvir a discografia do Steely Dan é muito mais que um exercício para conhecer a banda, mas também tomar conhecimento dos trabalhos iniciais de músicos virtuosos que se tornariam consagrados no rock e no jazz ainda na década de 70.

Uma pena, porém, que ouvir essas músicas ao vivo nunca foi muito acessível, mesmo quando a banda estava no auge. Agora com a morte de Becker, infelizmente essa oportunidade não existirá mais. Os dois até estavam animados em voltar a tocar juntos, mas os problemas de saúde de Becker já haviam obrigado Fagen a se apresentar sozinho com o Steely Dan no início de agosto deste ano.

Resta torcer para que o pianista continue a excursionar com a banda Nightfliers, com quem apresenta músicas de sua carreira solo. Vontade de retornar aos palcos parece que ele tem. E inclusive, um novo disco pode estar por vir. Segundo o músico, ele já estaria escrevendo algumas faixas para o quinto álbum solo, sucessor de Sunken Kondos (2012). Mas não existe previsão para o lançamento ainda. "Eu tenho algum material novo. Não tivemos a chance de fazer muitas coisas, mas na estrada, eu estou esperando para mostrar aos caras algumas coisas novas que eu escrevi, e será divertido desenvolver isso com uma banda porque geralmente falando nos últimos anos, a maneira como eu trabalho é geralmente sozinho e fazendo arranjos sozinho, ou com Walter. Será divertido realmente ter uma banda para experimentar essas coisas. Não acho que faço isso desde o início dos anos 70, provavelmente", disse el em entrevista à Billboard pouco antes da morte de Becker. Resta saber se ele manterá essa ideia mesmo sozinho.