DAT1KqYW0AAu8dN Drake e Andre 3000 resgatam Anita Baker, Sade e Aalyah para os novinhos

Drake e Andre 3000 tem algo em comum além de serem rappers de sucesso: ambos são fãs de cantoras de r'n'b dos anos 80 e 90.

Em recente entrevista à GQ, Andre comentou que pretende lançar uma coleção de roupas oficiais de Anita Baker. Para quem não se recorda, ela foi, ao lado de Whitney Houston, a cantora mais badalada da black music no fim dos anos 80.

Seu principal sucesso por aqui é a música Sweet Love, do disco Rapture, de 1986. Apesar de ser quase uma one hit wonder no Brasil, Anita é vencedora de oito Grammy e acumula 4 discos de platina e 2 de ouro em seu rol.

A ideia de Andre surgiu quando ele quis comprar camisetas da cantora e não encontrou nenhum material oficial na internet. Incomodado em adquirir um produto falsificado, ele pensou que seria uma boa vender produtos licenciados de Anita.

Outro famoso que já demonstrou ser fã de cantoras do mesmo período é Drake. Ele tem não só uma, mas duas tatuagens com o rosto de Sade, nigeriana que encantou o mundo com sua voz, beleza e modernização do soul e do jazz pop nos anos 80.

Além dela, Drake ostenta um desenho em homenagem a Aalyah, cantora de r'n'b do fim dos anos 90 que morreu tragicamente em um acidente de avião. Apesar de mais jovem, Aalyah seguia a mesma escola que Sade e Anita.

No entanto, todas elas tem pouco hype entre a geração mais jovem. Não dá para avaliar até que ponto essas homenagens vão gerar interesse entre os fãs dos dois rappers. Mas é importante de qualquer maneira, já que são artistas com histórias e trabalhos que merecem ser conhecidos.

Afinal, apesar dos anos 80 terem acabado há menos de 30 anos, muitas estrelas do soul, jazz pop e r'n'b daquele período foram ofuscados pelo estrondoso sucesso do rap e hip hop, que redesenhou como a black music passou a ser divulgada pelo mundo.

Quem insistiu em trabalhos mais tradicionais e sofisticados ficou relegado ao segundo escalão das grandes gravadoras e começou a ter suas músicas lançadas apenas em rádios "adulto contemporâneo", também conhecidas como "rádios de tiozão" e que não dialogam com públicos mais jovens.

Anita, Sade, Mary J. Blige, Erykah Badu, Toni Braxton, Regina Belle entre tantas outras são exemplos de cantoras que mereciam aquele hype que volta e meia surge para redescobrir artistas antigos. Porém, sabemos: esse movimento só ganha a força necessária com o empurrãozinho de um ídolo ou produtor jovem.