18765993 1541075715952985 5735648415957786123 n 300x300 Aos que criticam Anitta: o que vocês faziam melhor que ela aos 24 anos?

Não existe discussão: Anitta é um fenômeno. E talvez o único com potencial para ser um produto tipo exportação da história do pop nacional. Não é exagero. Na participação que ela fez no programa de Jimmy Fallon, ao lado de Iggy Azalea, provou que está pronta para brilhar lá fora também.

Muitas cantoras brasileiras até tentaram seguir o mesmo caminho. Até hoje, todas falharam. E não foi por falta de talento, investimento ou estrutura.

Ivete cogitou a ideia e até gravou DVD no Madison Square Garden. Mas a megalomania do projeto não trouxe retorno. Sandy, nossa primeira popstar, também. Ao lado do irmão, ensaiou uma invasão norte-americana, com divulgação de um CD em inglês no País. Mais uma vez, só brasileiro ouviu. E Claudia Leitte há muito tempo esboça a mesma proposta, mas sem nada de concreto.

Já para Anitta, esse sonho está mais próximo de se tornar real. Aos 24 anos, ela tem as rédeas da carreira na mão desde que rompeu com Kamilla Fialho, empresária que descobriu a cantora e depois foi acusada de explorar a pupila.

Na sequência, ela montou o próprio escritório, que administra com o irmão, e desde então nenhuma decisão sobre a carreira é tomada sem o conhecimento da cantora. Anitta se envolve em todos os contratos de publicidade, direção de clipes e produção de discos e dos shows.
O mais impressionante é a rapidez com que Anitta foi de MC que toca em churrascaria no Rio de Janeiro para o posto de maior estrela do Brasil. Em menos de cinco anos, a cantora atingiu esse status sem depender necessariamente de uma grande gravadora ou de investidor milionário, como os sertanejos. E nos últimos três, independente, conquistou bem mais do que antes.

A mídia não passa um dia sem noticiar algo sobre a cantora. Ela sabe, como poucos, capitalizar em cima das polêmicas em shows e redes sociais, onde ela é bem ativa e próxima dos fãs. Essa onipresença poderia saturar a imagem da artista, mas o efeito é exatamente o contrário e notícias sobre ela nunca saem das mais lidas.

11742721 980302718696957 9207528255401241356 n 300x300 Aos que criticam Anitta: o que vocês faziam melhor que ela aos 24 anos?

Ainda assim, há quem critique e torça contra uma eventual carreira internacional sólida dela nos Estados Unidos e Europa. Anitta, no entanto, sabe que existe o espaço vago para uma estrela latina no mercado norte-americano no momento.

Com Shakira e Ricky Martin já entrando no rol de artistas nostálgicos e que perderam o apelo entre os mais jovens, é bem claro que o primeiro latino que se organizar, tem tudo para virar a nova sensação da música pop por lá. E Anitta nutre esse desejo. E com certeza não está nessa para figurar apenas no top 50 latino . Se fosse para entrar pela porta dos fundos, ela nem sairia do Brasil.

Para quem vê de fora e menospreza a cantora pelas suas origens humildes e estilo musical, pode parecer pouco. Mas Anitta tem apenas 24 anos e é uma mulher num mercado predominantemente masculino e machista. O que ela fez é no mínimo case para estudo em cursos de Administração e Marketing.

Isso é fruto de uma visão estratégica como poucas vezes foi presenciada na história do show business. Basta lembrar que nessa mesma idade, Madonna não tinha gravado nem o primeiro disco. E que artistas como Britney, Mariah ou Celine Dion sempre tiveram um grande figurão da indústria por trás organizando suas carreiras, como o todo poderoso Tommy Motolla René Angelli. E nós, o que fazíamos de melhor que ela nessa mesma idade?