Rejeitado pelo público, ‘gay enrustido’ deve virar novo ‘Félix’ em “O Outro Lado do Paraíso”

Uma das grandes apostas de “O Outro Lado do Paraíso”, o núcleo de Eriberto Leão, Ellen Roche, Ana Lucia Torre e Rafael Zulu deve passar por uma grande reviravolta na trama.

As primeiras impressões da emissora sobre a novela apontam que a trama gera “mal estar” no público e que precisa de mais núcleos cômicos e leveza para não seguir perdendo audiência. A segunda fase vai apostar mais na comédia.

O primeiro grupo de discussão ainda não foi realizado , mas já há diagnósticos sobre a trama com base em impressões nas redes sociais e na Central de Atendimento ao Telespectador.

Uma das sugestões nas reuniões do grupo de dramaturgia da Globo é tirar o drama do núcleo de Eriberto e resvalar para a comédia. O público ainda não aceitou a história do personagem Samuel( Eriberto), que vive um gay enrustido para não contrariar a mãe.

A ideia seria aproveitar a segunda fase da novela para mudar a pegada do personagem, saindo do homossexual discreto que vive dentro do armário para um gay divertido e afetado assim como foi Félix (Mateus Solano) em “Amor à Vida”.

No caso, o personagem de Eriberto decidiria assumir seu lado gay, vivendo uma paixão com Cido(Rafael Zulu), mas continuaria casado com a fogosa enfermeira vivida por Ellen Roche para disfarçar para a mãe, Ana Lúcia Torre, que para chantagear o filho ainda vai inventar uma doença...

Resta saber se Eriberto terá o carisma de Solano para conquistar o público.

De qualquer maneira, qualquer decisão só será tomada após o resultado do grupo de discussão. A emissora ainda estuda colocar mais um experiente colaborador para ajudar Walcyr Carrasco na segunda fase da novela, que deve ter muitas mudanças.

http://r7.com/2c5Z