elizabeth i anoitecer de um reinado margaret george literatura r7 700.1jpg Mal amada e virgem, Elizabeth I foi grande líder da Inglaterra

Este romance histórico é uma verdadeira aula sobre a formação da nação inglesa, mas, sobretudo, é uma restituição valiosa do legado de uma das estadistas mais influentes do mundo ocidental.

Em Elizabeth I, a escritora Margaret George transporta o leitor para os jogos políticos dos palácios reais e batalhas sangrentas que definiram o futuro da Inglaterra e do protestantismo. Ao mesmo tempo, o livro retrata fielmente a personalidade e desafios pessoais de uma rainha enigmática e solitária em conflito com sua prima e principal rival Lettice Knollys.

A narrativa tem inicio em 1588, um ano considerado divisor de águas para o reino inglês. Elizabeth já havia governado o país por 30 anos, dessa forma, o texto reflete o auge, o declínio e o fim de seu reinado em 1603, reproduzindo inclusive o momento em que ela está em seu leito para a morte, aos 69 anos.

O que seduz imediatamente o leitor é a vivacidade descritiva das situações de conflito e diálogos dos personagens, grande parte figuras reais da historia. Além disso, o texto permite a compreensão da lógica política e da conduta social vigente na época.  O livro dá vida à violência resultante do embate entre católicos e protestantes enquanto testemunha a fragilidade de uma rainha sem rei que acaba aceitando a solidão do poder e se considera casada com a nação inglesa.

Nesta viagem ao passado, não faltam grandes figuras da época como o corsário Frances Drake, os dramaturgos renomados Shakespeare e Marlowe, além do filósofo Francis Bacon e do explorador Walter Raleigh. O período retratado no romance também é garantia de situações decisivas, o que aumenta o movimento e atratividade da narrativa.

Neste sentido, logo no inicio do texto, ainda em 1588, Elizabeth se vê obrigada a enfrentar a poderosa Armada espanhola que dominava os mares e deixava um rastro de destruição e submissão por onde passava. A rainha inglesa, apesar da insegurança política, evidenciada no livro como derrotou a invasão estrangeira, numa das batalhas navais mais importantes da história. Toda a estratégia, mobilização e negociações típicas de uma guerra são habilmente relatadas pela autora.

Sem negligenciar os grandes feitos de Elizabeth, Margaret George também conseguiu reproduzir de forma ágil e realista a novela pessoal da rainha. Mesmo com todo o poder que tinha em suas mãos, a monarca não foi feliz no amor e teve conflitos constantes com sua prima Lettice Knollys. Esta situação, como é exposta no livro, foi resultado de traições e jogos de sedução típicos da vida palaciana.

Consequentemente, a protagonista não consegue deixar herdeiros e acaba recebendo popularmente o titulo de Rainha Virgem.

Para aqueles que se entregam ao teatro do poder e aos dramas que desnudam a fragilidade humana, Elizabeth I é um prato cheio com um conteúdo historicamente rico e um texto dinâmico e coerente.

Ao final do livro, o leitor terá o prazer de ter vivenciado este retrato quase biográfico do "anoitecer de um reinado" que contribuiu para o futuro grandioso de uma nação que influenciou o mundo inteiro. Trata-se indiscutivelmente de uma obra que faz jus ao legado poderoso e fascinante.

(Indicado por Fábio Cervone, colunista do R7, @fabio_cervone)

Elizabeth I - O Anoitecer de Um Reinado

792 paginas

R$ 59,90

Geração Editorial

Compre no R7 Livros!