“Apesar da rápida ascenção, levou um bom tempo para que supermodelo Kate Moss acreditasse que era bonita. Ela não tinha a elegância e o senso de movimento de Naomi, Christy, Linda e Cindy . Mas não era isso que a cultura seguia em 1992. Kate escancarou as portas para as outras garotas que, antes, seriam muito estranhas ou muito feias: Ève Salvail, com a cabeça raspada e tatuada; Stella Tennant e as feições de pássaro; Kristin McMenamy, olhar duro, sem sobrancelhas, mais masculina que feminina; e Chloë Savigny e Sofia Coppola, não modelos com olhos sonolentos e traços desproporcionais.”

Com a bagagem da jornalista Maureen Callahan, o livro Champagne Supernovas nos remete direto aos anos 90, quando modelos conhecidas e brilhantes geral lugar a verdadeiras lendas da moda.

Um trio de gênios rebeldes teve papel fundamental nisso: a modelo Kate Moss e os estilistas Marc Jacobs e Alexander McQueen. A autora não entrevistou os três diretamente, mas teve acessos às informações por meio de longas entrevistas e informações de bastidores por meio de pessoas ligadas diretamente a eles.

Romances, Aids e suicídio estão na obra de Maureen. Se você gosta de moda e dos bastidores desse mundo, vale muito a leitura deste livro.

champagne supernovas1 Os mundos de Kate Moss, Marc Jacobs e Alexander McQueen

Champagne Supernovas

256 páginas
R$ 34,50
Editora Fábrica 231