caveira humana queimando getty images 600 Sem culpa, mulher é condenada a morrer queimada

Em A Donzela e a Rainha – Histórias Secretas de Joana D’Arc, a historiadora Nancy Goldstone descreve a trajetória da heroína Jonana D’Arc, famosa por sua participação decisiva na Guerra dos 100 Anos. Mas no livro há outra protagonista, Iolanda de Aragão, considerada uma das mulheres mais importantes e poderosas da Idade Média.

Quando adulta, Iolanda casa-se com Luis II, com quem tem filhos e torna-se mãe de Carlos VII e assume o trono da Sicília. Em seu reinado, foi uma líder astuta, capaz de lidar com diplomacia e habilidade por difíceis questões que rondavam a política à época.

A segunda parte do livro descreve a trajetória de Joana D’Arc que, ao contrário de Iolanda, era uma jovem camponesa e que, ainda assim, foi capaz de liderar exércitos no século XV.

No livro, sem Iolanda, não haveria Joana D’Arc. É curioso, portanto vale entender.

Duas mulheres incríveis, na Idade Média, agindo paralelamente.

Joana D’Arc foi acusada de heresia por um tribunal da Igreja Católica, condenada a morrer queimada. Mas sua inocência foi reabilitada pela igreja em 1456. Valeu o perdão tardio? Só lendo.

Aproveite, leitura essencial para quem quer saber a verdade.

a donzela e a rainha ligia braslauskas livro 600 Sem culpa, mulher é condenada a morrer queimada

A Donzela e a Rainha – Histórias Secretas de Joana D’Arc

308 páginas
R$ 39,80
Editora Seoman

Compre no R7 Livros!