Até entendo o amor por Jeff Buckley, mas não compartilho.

O cara era filho de uma estrela dos anos 1960 e 70, Tim Buckley, gravou um só disco, “Grace”, e morreu afogado aos 30. Viu o pai famoso uma vez só, e este morreu de overdose quando Jeff tinha 9 anos. É toda a história da biografia que vai para os cinemas em breve: “Greetings from Tim Buckley”.

Apesar do único disco que Jeff gravou ser incensado como a última Coca-Cola gelada no meio do Saara, não consigo gostar muito. Até ouço. Mas não é aquela coisa que de tempos em tempos você para e pensa: “Nossa, preciso ouvir esse disco”.
Mas quero ver o filme.

Já passou no Festival de Cinema de Toronto. Daqui a pouco roda a internet.

Tá aí o trailer.

Greetings from Tim Buckley por luizcesar no Videolog.tv.