vespas mandarinas Ouça o novo do Vespas Mandarinas e tenha uma sexta feira mais feliz

seu delegado prende o Thadeu, à esq., e o Eduardo Benedito Chuck à dir.

Seria suspeito em elogiar o trabalho, já que tanto o Thadeu Meneghini quanto o Chuck Hipolitho são meus amigos há uns 15 anos, mas acontece que o disco (felizmente) é bom demais. É um sopro pop, naquele esquema de Canções (com C maiúsculo) eternas de tão grudentas na faixa de 3 minutos de duração.

Lembro que quando estavam para lançar o primeiro disco, o Chuck me falou que a ideia era exatamente essa: reviver o pop rock sem reinvenções, sem a necessidade de inovação a qualquer custo (e tome as tais mistura de hardcore com arrocha, colocar um naipe de zabumbas na música para ser diferentão) - era e é direto ao ponto. Isto é o que foi o grupo no primeiro disco e o que é, ainda melhor, neste “Daqui Pro Futuro”, que passou de quarteto para duo, com os dois citados.

O primeiro single virou clipe pelo Kondzilla, famoso pelo trabalho no funk ostentação. É estranho ver o Thadeu no baixo e o Chuck na bateria e teclado, já que os conheci o primeiro meio mod, numa vibe mais Rickenbacker seis cordas, e o segundo igualmente guitarrista garageiro, só que com uma Flying V.

Tá aí o clipe, que conta com a participação vocal de outro amigo, o Samuel Rosa, do Skank (tá lotado de amigos o disco, contando ainda o Rafa Ramos na produção). É um belo cartão de visitas das 14 faixas do trabalho.

Tem ainda o guitarrista Edgard Scandurra em duas músicas, “Só Se Vive uma Vez” e “E Não Sobrou Ninguém”. Tenho certeza que é coisa do Thadeu, que sempre foi grande fã do Ira!

Aproveito e emendo um player do Spotify para você conferir se tenho razão ou não.

http://r7.com/XqJY