downloadAsset12 202x300 Eu começaria a assistir ‘13 Reasons Why’ hoje se fosse você

Porque, na real, já assisti inteira. Todos os 13 episódios da primeira (ou única) temporada, que a Netflix soltou na semana passada, sendo que cada tangencia uma hora de duração.

Resumindo o argumento, sem spoiler, é a história de uma menina de 17 anos que se mata e o suicídio causa um abalo sísmico no colégio onde estudava e onde trafegava a vida social de todos os adolescentes de uma pequena cidade norte-americana (não lembro se alguma hora falam o nome da tal cidade, mas isso é o de menos). Não porque a garota fosse exatamente popular, mas pela culpa velada que desperta nos personagens principais da trama, que são vários.

A narrativa é conduzida em flashbacks mas principalmente por 13 fitas K7 que ela deixa e que revelam os 13 motivos que a levaram a cortar os pulsos numa banheira.

Outro protagonista do seriado, e quem conduz a trama no presente em que ela está morta, é Dylan Minette (eu sabia que conhecia o ator de algum lugar; é que ele era o filho do Jack, em “Lost”), melhor amigo da suicida Hannah Baker.
Tem muito do lance de “pobres meninos ricos”, dramas da burguesia e da geração millenial e tudo isso que você pode imaginar de melindres contemporâneos.

Mas a condução da história é muito boa. É dirigida por Tom McCarthy, vencedor do Oscar com “Spotlight”, e tem como produtora executiva Selena Gomez, que faria inicialmente o papel principal numa versão cinematográfica que a Universal lançaria.

downloadAsset1 1024x682 Eu começaria a assistir ‘13 Reasons Why’ hoje se fosse você

os protagonistas e a Selena no meio

Quem assume o papel de Hannah Baker é a australiana Katherine Langford, de 20 anos e que era nadadora antes de se tornar atriz. Talvez outro ponto bacana é a seleção de atores – todos estão em seus primeiros papeis grandes, o que confere um frescor a um assunto denso como o que é tratado.

“13 Reasons Why” é baseado num livro de mesmo nome que completa 10 anos, escrito por Jay Asher.

É preciso um aparte à trilha, que é espetacular. Resgata de Big Star a Bob Mould, que tem a sua belíssima “See a Little Light” finalizando o último capítulo da história.

http://r7.com/ixVB