Publicado em 14/01/2015 às 15:20

Estamos pagando fortunas pra ver vovôs encarnando rockstars e rock está virando museu

11650 9408368451179a0ab15d7 Estamos pagando fortunas pra ver vovôs encarnando rockstars e rock está virando museu

“Hope I die before I get old.”

Desculpa, mas tinha que começar o texto com esse clichê. Já que em cima da letra de “My Generation”, do The Who, foi baseada boa parte da “ideologia” roqueira. Só que a medicina avançou muito nesse exato meio século desde que a música foi lançada e o povo só fez envelhecer e não renovar o estoque de bandas.

Aí temos que dar graças de ainda termos os dinossauros. Sem eles não existiriam mais sequer os festivais.

Conclusões que cheguei hoje ao ver o anúncio do line up do Bonnaroo, com o senhor Billy Joel, do alto de seus 65 anos, como headliner.

Você pega o calendário pop do ano e vê que todos os outros festivais seguem a mesma cartilha.

Coachella vai ter os sessentões do AC/DC como atração principal, Reading e Leeds, os decanos do metal, Metallica. Nem aqui escapa, afinal o Monster of Rock, tradicional festival de rock pesado que retorna em São Paulo traz Kiss, na faixa dos 65 anos, e Ozzy, na mesma linha entre 60 e 70, como headliners.

Nada contra AC/DC, Metallica e Kiss. Muito pelo contrário. São das minhas bandas preferidas. As três certamente estão no meu Top 10. Mas dá um belo incômodo, uma cutucada forte de preocupação, assistir a história roqueira não se renovar.

O Download Festival vai ter o Kiss no topo das atrações. Mesmo os eventos que servem teoricamente como espaço de renovação, como o Lollapalooza, seguem a toada. Aqui quem encabeça são Pharell Williams (41), Jack White (40), Robert Plant (66) e Billy Corgan (47) e seu Smashing Pumpkins.

Garotada na faixa dos 20 anos não faz música mais não?

Publicado em 09/01/2015 às 13:50

parabéns (atrasado) pelos 80 anos, Elvis

se eu não fosse eu, queria ter sido você

elvis parabéns (atrasado) pelos 80 anos, Elvis

Publicado em 07/01/2015 às 18:40

Tão triste quanto a matança é o fato virar escada para alpinistas de redes sociais

paris Tão triste quanto a matança é o fato virar escada para alpinistas de redes sociais
Obrigatório tem se tornado fugir das redes sociais quando algo como o assassinato de uma dúzia de pessoas em Paris acontece. Fugir de todas.
Eu faço isso.
Por necessidade.
Pois chega uma hora (e olha que leva muito menos que uma hora) em que começo a ficar enojado.
Não com comentários indevidos, maliciosos ou discordantes da minha crença.
Mas essa necessidade de exposição e atenção que (a maioria d)as pessoas têm e que disfarçam em solidariedade tão espontânea quanto sorriso da Paris Hilton.
E piora, pois vira competição.
Quem tuita a melhor sacada politicamente correta. Quem facebookeia (já foi adotada flexão pro facebook?) a melhor sacada visual. Quem dá regram na foto mais representativa.
Às favas com tudo isso.
Uns caras acordaram, foram trabalhar e num mundo tão chato quanto o que vivemos (e que, reconheçamos, o deixamos assim) tiveram seu espaço invadido por três imbecis munidos de AK47 e não acordarão amanhã nem nunca mais. É apenas triste assim. Assim como o fato se transformar em escada para alpinistas de rede social.

Publicado em 06/01/2015 às 11:19

O verdadeiro lado Enter Sandman do Metallica

E cá temos o maior e mais malvado frontman do mundo, James Hetfield, numa sessão tipo Maresias anos 1980, em fotos que vazaram agora.

metallica1 O verdadeiro lado Enter Sandman do Metallica

metallica2 O verdadeiro lado Enter Sandman do Metallica

metallica3 O verdadeiro lado Enter Sandman do Metallica

metallica4 O verdadeiro lado Enter Sandman do Metallica

metallica5 O verdadeiro lado Enter Sandman do Metallica

metallica6 O verdadeiro lado Enter Sandman do Metallica

metallica7 O verdadeiro lado Enter Sandman do Metallica

metallica8 O verdadeiro lado Enter Sandman do Metallica

metallica9 O verdadeiro lado Enter Sandman do Metallica

metallica10 O verdadeiro lado Enter Sandman do Metallica

Publicado em 05/01/2015 às 17:17

Os 11 filmes que quero assistir em 2015

sea of trees Os 11 filmes que quero assistir em 2015

Sea of Trees, filme que mais quero ver

O ano promete no cinema.
Se conseguir ver apenas estes filmes abaixo, que tem estreia prevista para 2015, saio feliz no quesito cinema.

Sea of Trees - Filme do Gus Van Sant com Matthew McConaughey e Naomi Watts onde ele é um americano que vai para Aokigahara, a floresta dos suicidas japonesa, para se matar. Estreia não tem previsão de mês.

Hateful Eight - Novo filme do Quentin Tarantino. Também sem data exata de estreia. Western com Channing Tatum, Samuel L. Jackson e Kurt Russell.

American Sniper - Perdi o fôlego já no trailer desse filme do Clint Eastwood com o Bradley Cooper, que já estreou lá fora e deve rodar aqui em fevereiro.

Mad Max - Fury Road - Haters gonna hate, mas tenho carinho pelo filme original e aponta como amigo fiel desse. Vou querer ver num desses iMax da vida.

Rock the Kasbah - Comédia com a Zooey Deschanel, Bruce Willis e Bill Murray. Tá bom de credenciais né? (no meio do ano por aqui)

Straight Outta Compton - Cinebiografia do N.W.A. (previsto pra agosto lá fora)

Black Mass - Johnny Depp é o irmão badass de um político

St. James Place - Escrito pelos irmãos Coen e dirigido por Steven Spielberg

Entourage - Rodado em cima do seriado de mesmo nome (no verão lá pra cima)

Minions - Melhores personagens de animação desde sempre. Mereciam "filme" próprio. (estreia lá em julho, nas férias de verão, claro)

The Gunman - Porque assisto qualquer filme com o Sean Penn. (previsto para fevereiro nos EUA)

Publicado em 02/01/2015 às 14:42

Conheça a banda que mistura Black Sabbath com McDonalds

O que mais me fascina nas ideias de jerico é tentar desvendar como elas surgem.
Mas te juro que não consigo encontrar explicação para um grupo de caras achar que é uma boa juntar Black Sabbath com a temática McDonalds.
As músicas são versões do Sabbath com letras invocando aspectos do fast food. Vocal interpreta o Ronald, e por aí vai.
Eles se intitulam "os reis do drive thru metal".
Olha como "Iron Man" virou "Frying Pan".

Publicado em 30/12/2014 às 15:53

melhores de 2014 na música

pelo menos eu acho

Discos Nacionais
Cavalera Conspiracy – Pandemonium (Os irmãos Igor e Max são os patronos do metal brasileiro, mostraram isso no Sepultura e agora no Cavalera Conspiracy. É o disco mais pesado da lista, antenado com tudo o que rola de mais extremo e palatável na gringa, o que não deixa de ser uma inovação)
Cachorro Grande – Costa do Marfim
Hugo Mariutti – A Blank Sheet of Paper
Inocentes – Sob Controle
Landau – Casca Grossa
Marcelo Gross – Use o Assento Para Flutuar
Pitty – Sete Vidas
Titãs – Nheengatu
Racionais MC’s –Cores e Valores
Ratos de Porão – Século Sinistro

Discos Internacionais
AC/DC – Rock or Bust (Confesso que tive certo receio quando coloquei pra rodar o disco pela primeira vez, pois fica aquele temor de que um dos artistas que vc mais admira dê com os burros n´água e manche décadas de serviços exímios prestados ao rock. Mas o AC/DC não decepciona. Mesmo sem o motor, Malcolm Young, avariado no processo, é AC/DC em seus melhores momentos)
Ace Frehley – Space Invader
Behemoth - The Satanist
Bruce Springsteen – High Hopes
Buzzcocks – The Way
Foo Fighters – Sonic Highways
Jack White Lazaretto
Killer Be Killed – Killer Be Killed
Mac DeMarco – Salad Days
Slash – World on Fire
Slipknot – The Gray Chapter

Publicado em 22/12/2014 às 16:48

Morreu o grande Joe Cocker

joe cocker 1024x684 Morreu o grande Joe Cocker

Aos 70 anos, de câncer de pulmão.
É lugar comum a referência à cover de "With a Little Help From my Friends", dos Beatles.
Aqui fez muito sucesso como tema de abertura da série "Anos Incríveis".
Melhor versão da música é a do Festival de Woodstock, abaixo.
Mas mesmo a cover de "Could You be Loved?", do Bob Marley, ficava boa em sua voz, considerada uma das 100 melhores da música desde sempre.
Ou "Unchain my Heart"...Grande perda.

Publicado em 19/12/2014 às 12:00

Você não conhece John Fry. Mas deveria. Ele morreu ontem.

fry Você não conhece John Fry. Mas deveria. Ele morreu ontem.

John Fry, o cara da foto acima, foi quem produziu os dois primeiros discos do Big Star, no estúdio que fundou em Memphis, Ardent Studios.
Big Star, caso não saiba, é a banda que ficou famosa por ser tão boa que incrivelmente não ficou famosa à época em que lançou seus três discos, nos 70.
John Fry fez os dois mais cultuados. E que dificilmente pra quem escutá-los não entrarão na lista pelo menos dos 20 melhores da história.
Sem exagero, o Big Star tinha um potencial beatle de criar melodias. Fry captou tudo isso.
Pelo seu estúdio passou grande parte do povo da Stax. E depois do Big Star, grandes fãs da banda, como R.E.M., Jack White...
Em novembro Fry foi conduzido ao Memphis Hall of Fame. Um mês depois, morre.
E une-se neste 2014 a caras como Tommy Ramone, Jack Bruce (Cream), Johnny Winter, Phil Everly, Jimi Jamison, Scott Asheton (The Stooges).
Uma pena.

Se gostar de documentários recomendo este lançado há um ou dois anos sobre o Big Star, onde figuram, claro, Fry e seu Ardent Studio.

Página 4 de 116Primeiro...23456...Último
Ir para a home do site
Todos os direitos reservados - 2009- Rádio e Televisão Record S/A
exceda.com