Publicado em 03/07/2014 às 17:10

Se permite uma recomendação hoje é: compre este livro

Ia escrever que lancei um livro ontem, mas a verdade é que fiz/faço parte de um livro que foi lançado ontem e do qual carrego bastante orgulho.

São 14 autores escrevendo sobre discos clássicos da música brasileira (além do meu pitaco, aqui do R7 a Silvia Ribeiro, querida editora do RJ, escreveu). Coube a mim o “Cabeça Dinossauro”, dos Titãs.

Moleza até, de tanto que ouvi e gosto do disco. Só que o resultado todo do projeto, desenhado pelo Tiago Blumenthal, João Varella, Cecilia Arbonave e Itaici Brunetti, é sensacional.

O livro tem o formato dos compactos de sete polegadas antigos (um vinil menorzinho). É uma caixa que embala sete “discos” – livros com dois textos cada em versos A e B.

Ou seja, você tem um produto clássico e old school, o livro, em formato ritualístico (como se saboreava um disco antigamente) e um conteúdo colaborativo antenado com web e redes sociais. De quebra, a experiência dos textos – alguns emotivos, outros mais técnicos – faz com que você redescubra esses clássicos. Ao pegar, por exemplo, um disco do Sepultura em análise mais técnica do meu camarada Pablo Miyazawa, você é obrigado a ouvir novamente o disco numas de: “cara, nunca tinha pensado por esse lado. Deixa ver se ele tem razão”.

Fora que a noite de lançamento foi excelente, num bar (Sensorial) de cervejas especiais e discos de vinil na Rua Augusta. Formou fila do lado de fora e só entrava um se saísse outro.

Longa vida à editora Lote 42. Por acreditar não só em livros, mas na excelência do produto.

Se você quiser comprar um, vá aqui.

Bom falar que não tenho nada a ver com eventual lucro da obra. Apenas torço para que a editora tenha.

Indiscotiveis 03072014 DO 151 1024x682 Se permite uma recomendação hoje é: compre este livro

felizão com ela, o livro e a cerveja - foto de Daia Oliver

Publicado em 01/07/2014 às 11:37

Depois desse vídeo tô torcendo pros EUA na Copa

232 crianças com câncer mandam recado para a seleção norte-americana para a partida contra a Bélgica.
"I believe that we will win".

Publicado em 25/06/2014 às 17:19

Bruce Springsteen manda recado sobre a mordida de Luis Suarez

- Mordida não tem lugar em esportes.
- E Mike Tyson? (que mordeu Evander Holyfield)
- Aquela foi a última mordida dele.

Publicado em 25/06/2014 às 12:16

Homem que é homem não come carne

Este texto foi publicado há uns 7 anos na revista Um.

Encontrei por acaso. E publico, pois segue atual.

homem come Homem que é homem não come carne

Publicado em 21/06/2014 às 13:04

Que adianta se orgulhar do hino à capela e se espantar com japoneses recolhendo o próprio lixo? (O caso Mario Sergio Conti)

Estava pensando na pergunta título deste post quando um amigo me perguntou o que achava do caso Mario Sergio Conti.
Se você não sabe, foi a entrevista que um sósia do Felipão deu a um jornalista, que foi publicada como coluna na Folha, O Globo e UOL, onde escreve, e depois desmentida. O jornalista admitiu o equívoco, ter se ludibriado achando que falava com o técnico da seleção brasileira durante ponte aérea SP/RJ.
Achei triste pra cacete.
Jornalismo não é uma ciência exata, como construir, sei lá, uma porcaria de um prédio onde as pessoas vão morar.
Na subjetividade tem muito mais vulnerabilidade.
Aí você pega os personagens da história - um cara com umas quatro décadas de profissão, independente da cartilha por onde escreve (dos Civita, dos Marinho, dos Frias...), e outro que tem como maior feito na existência ter crescido um bigode parecido com o do técnico da seleção de futebol. Esquecem até que Conti peitou, e se ferrou por isso, a rede de TV pública por manter entrevista com um ex-presidente (que pode ter sido bom ou ruim, mas não foi um ditador) e o colocam em posição desigual versus uma caricatura. Os colegas jornalistas se deleitam com o troll, como se fosse uma versão de Sansão e Golias (disfarçando o Golias com camiseta da Veja, da Folha, do Globo).
Isso mostra muito da gente como cidadãos. Mostra muito da posição da imprensa na hora da imparcialidade versus a briga por atenção, nosso estado atual de batalha como profissionais. A opção de dar algo mesmo sabendo que é injusto só pra angariar mais atenção, porque a briga virou essa.
Tudo isso é uma porcaria terrível.
Garanto que não é corporativista minha chateação, mas humana. E brasileira. Na hora que esse ânimo patriota está tão exaltado.
Que adianta se orgulhar de continuar à capela o hino nacional e depois se surpreender quando os japoneses recolhem o lixo que eles próprios produziram num espaço comum (o estádio)?
Quer coisa mais bizarra que esse espanto?
Nessas horas a gente mostra nossa cara como povo.
E mostra o quão eficaz, legal e perigosa é a internet.
Continuamos a tratá-la como se fosse uma "droga recreativa. Só que não existe essa tal de droga recreativa.
Droga é droga. É penicilina e é crack. Coloca o usuário tanto na posição fraterna e democrática, de todos somos (poderosamente) iguais quanto na de risco extremo por besteira. E vício.
Só que não somos todos iguais porcaria nenhuma.
Acredito que quando um cara entra numa sala ele traz toda sua história junto à cadeira que ocupará.
Assim como quando entra na internet.
Tratar somente de forma recreativa causa essas situações bizarras todas acima.

Publicado em 18/06/2014 às 18:10

tem coisas que só o dinheiro traz pra você. como o carro do James Hetfield

o vocalista e guitarrista do Metallica encomendou esse veículo do zero, da prancheta.
ganhou o prêmio de customização do ano.

bp1 1024x682 tem coisas que só o dinheiro traz pra você. como o carro do James Hetfield

bp10 1024x682 tem coisas que só o dinheiro traz pra você. como o carro do James Hetfield

Publicado em 17/06/2014 às 15:02

e o equipamento do Lou Reed vai a leilão no eBay

Aqui ó.

explicação da equipe que administra o espólio:
Nos últimos trinta anos, Lou Reed acumulou uma grande coleção de equipamentos para as turnês. Muitos desses precisam ser vendidos. Durante as próximas semanas esses itens serão leiloados no eBay. O dinheiro servirá para cuidar dos arquivos do artista.
Novos itens serão postados todos os dias. Uma grande variedade de itens estará disponível. Todos esses itens foram usados por Lou e sua banda em turnê. Não perca esta oportunidade única de possuir um pedaço da história da música.

Publicado em 17/06/2014 às 04:48

Orgulhosamente apresento (e participo)

Livro reúne 14 ensaios sobre discos essenciais da música brasileira
Indiscotíveis, livro nº 6 da Lote 42, tem formato que lembra EPs

INDISCOTIVEIS 1024x1024 Orgulhosamente apresento (e participo)

Será lançado no dia 2 de julho, o livro Indiscotíveis, que traz 14 ensaios sobre álbuns clássicos da música brasileira. Músicos e jornalistas foram convidados a escrever sobre os discos sem poupar detalhes pessoais de seu envolvimento com a obra. Este é o sexto livro da editora Lote 42 e o primeiro a ter mais de um autor.

Com liberdade para se expressar, o livro traz uma grande variedade de estilos na escrita. “Alguns levaram o tom mais para o lado jornalístico, enquanto outros narraram a própria vivência com o disco”, diz o jornalista Itaici Brunetti, organizador da obra. A diversidade também se revela na seleção dos discos: há desde Acabou Chorare, clássico da MPB dos Novos Baianos, até Roots, álbum-chave do Sepultura. A seleção é eclética tal qual a sonoridade do País.

Projeto gráfico
O livro vem no formato de box com sete livretos quadrados. Cada um deles tem dois capítulos, fazendo referência aos lados A e B dos discos. “Para explorar ainda mais esse conceito do vinil, fizemos cada livreto ter a medida dos EPs de sete polegadas, usados antigamente para lançar os singles”, explica Luciana Martins, editora de arte da Lote 42 e autora do projeto gráfico do Indiscotíveis.

Cada capa e contra-capa dos livretos conta com uma reinterpretação da arte dos álbuns originais - cinco artistas visuais foram convidados especialmente para isso.

Como é tradicional nos lançamentos da Lote 42, um hotsite com conteúdo extra foi criado especialmente para a obra e está no ar em www.lote42.com.br/indiscotiveis.

Indiscotíveis tem preço de capa de R$ 49,90. O livro pode ser adquirido nas principais livrarias e na loja virtual da editora: www.lojalote42.com.br.

Festa de lançamento
O livro será lançado no dia 2 de julho, a partir das 19h na cervejaria e loja de vinis Sensorial Discos (Rua Augusta, 2389). A banda Lux Art Sans, do guitarrista e compositor paulista Lucio Artioli dos Santos, fará um pocket show acústico em que tocará algumas das músicas dos discos emblemáticos além de canções do próprio repertório.

Sobre a Lote 42
Fundada em dezembro de 2012 pelos jornalistas João Varella e Thiago Blumenthal, a Lote 42 se apresenta como “uma editora com alma de start-up” por estar aberta a inovações e usar o ambiente digital como um complemento para as suas obras. Além de Indiscotíveis, a editora já lançou os livros Já Matei por Menos, O Pintinho, Manual de Sobrevivência dos Tímidos, Seu Azul e O Pintinho 2. Cada obra tem um hotsite com mais informações e conteúdo extra. Acesse o site da editora para mais informações: lote42.com.br

LANÇAMENTO DO LIVRO INDISCOTÍVEIS
QUANDO
2 de julho (quarta-feira), a partir das 19h
ONDE Sensorial Discos - rua Augusta, 2389, São Paulo
QUANTO Grátis. O livro custa R$ 49,90
CLASSIFICAÇÃO Livre

Sobre os autores

> Emicida - Músico e produtor. Lançou o disco O Glorioso Retorno de Quem Nunca Esteve Aqui (Laboratório Fantasma, 2013). Escreveu sobre O Lado B do Hip Hop.

> Dafne Sampaio - Jornalista, é formado em ciências sociais. Autor de intervenções urbanas como “você praça acho graça”. Escreveu sobre Sobrevivendo no Inferno.

> Rael - Músico, lançou o disco Ainda Bem Que Eu Segui As Batidas Do Meu Coração (Laboratório Fantasma, 2013). Escreveu sobre Afrociberdelia.

> Pablo Miyazawa - É editor-chefe da revista Rolling Stone Brasil. Escreveu sobre Roots.

> Arthur de Faria - Jornalista da rádio MIX. É também músico. O mais recente disco de seu conjunto é “Música pra Ouvir Sentado” (Tratore, 2011). Escreveu sobre Clube da Esquina 2.

> Bruno Dias - Editor da revista Capricho e dos sites Urbanaque e Birrinhas. Escreveu sobre Selvagem?.

> Silvia Ribeiro - Jornalista, é editora executiva de Rio e Cidades do portal R7. Escreveu sobre Solta o Pavão.

> Tatá Aeroplano - DJ e músico, lançou o disco Tatá Aeroplano (independente, 2012). Escreveu sobre A Sétima Efervescência.

> Kid Vinil - Músico, radialista e DJ. É autor do livro Almanaque do Rock (Ediouro, 2008). Escreveu sobre Krig-ha, Bandolo!.

> Luiz Cesar Pimentel - Jornalista, é diretor de conteúdo do portal R7 e autor dos livros Sem Pauta (Seoman, 2005) e Você Tem que Ouvir Isto! (Pensamento, 2011). Escreveu sobre Cabeça Dinossauro.

> Luiz Américo Lisboa Júnior - Historiador, é autor de quatro livros, sendo o mais recente MPB em Textos - História e Crítica. Escreveu sobre Acabou Chorare.

> Marcelo Costa - Jornalista, é editor do site Scream & Yell. Escreveu sobre Os Afro-sambas.

> Tiago Agostini - Jornalista, é editor de aplicativos de notícias da Microsoft. Escreveu sobre Raimundos.

> Miria Alves - Turismóloga e DJ, é colunista do site Papo Reto. Escreveu sobre Tim Maia Racional.

> Itaici Brunetti - Organizador de Indiscotíveis, é jornalista, produtor artístico e colecionador de discos.

Sobre os artistas

> Luciana Martins - Designer de interface no portal Estadão, sócia do Studio Sim e editora de arte da Lote 42. É responsável pelo projeto gráfico de Indiscotíveis.

> Gustavo Piqueira - Designer e diretor da Casa Rex, é autor de 14 livros, entre eles A Odisseia de Homero (segundo João Vitor) (Gaivota, 2014) e Seu Azul (Lote 42, 2013).

> Dalton Soares - Artista plástico, é autor das HQsEP (2011) e 5/5 - Working Class Heroes
(Bimbo Groovy, 2013).

> Luciano Salles - É ilustrador e quadrinista. É autor das HQs O Quarto Vivente (independente, 2013) e Luzcia, a Dona do Boteco (independente, 2012).

> Yara Fukimoto - Formada em desenho industrial, é fundadora do estúdio de criação MY.S

Página 5 de 108Primeiro...34567...Último
Ir para a home do site
Todos os direitos reservados - 2009- Rádio e Televisão Record S/A
exceda.com