Publicado em 30/01/2015 às 17:20

It was 46 years ago today (a última apresentação dos Beatles)

a famosa última apresentação no telhado da Apple Record, em Londres.

Esta aqui:

46years It was 46 years ago today (a última apresentação dos Beatles)

Tocaram 5 músicas, dois takes de algumas. E foi isso.
In the end/the love you take/is equal the love you make

Publicado em 29/01/2015 às 11:59

Os 16 seriados que acompanho e as notas que dou para eles

dondrapper 843x1024 Os 16 seriados que acompanho e as notas que dou para eles

Don Drapper, de Mad Men. Mais badass que Walter White, de Breaking Bad, só ele

Acabei de notar que acompanho (atualmente) 16 seriados.
Se alguém me contasse que realmente segue 16 novelas do tipo, diria que o fulano tá fazendo pose.
Mas é verdade.
Pois são 16 produções no mínimo acima da média.
E seriados encaixam bem em qualquer rotina. A não ser que você seja um mineiro no Chile, dá pra comportar os episódios de 42 minutos (maioria) ou 22 no seu dia.
Até porque as temporadas se alternam durante o ano. Meio como hóquei, basquete, futebol americano e beisebol.
Seguem abaixo os que assisto atualmente.Com as notas que acho que merecem.

Suits (nota 9)
The Americans (nota 6,5)
The Following (nota 7)
Homeland (7)
Blacklist (8)
Mad Men (9 para 9,5)
Two and a half men (5)
Modern Family (6)
Ray Donovan (8)
Ressurection (6)
Leftovers (6)
Newsroom (7)
True Detective (7)
Silicon Valley (5)
American Horror Story (temporadas boas e péssimas, então 5)
The Killing (8,5) - sei que esse já acabou, mas estou entrando na temporada final só agora

Publicado em 27/01/2015 às 11:24

Uma visita ao horror em Auschwitz

Em 2001, estive em Oswiecim, cidade polonesa onde fica o infame campo de concentração.

Saiu num livro, que publiquei alguns anos depois (Sem Pauta), o relato de um sobrevivente do campo.

Escaneei e segue abaixo.

pagina 152 Uma visita ao horror em Auschwitz
pagina 153 Uma visita ao horror em Auschwitz
pagina 154 Uma visita ao horror em Auschwitz
pagina 155 Uma visita ao horror em Auschwitz
pagina 156 Uma visita ao horror em Auschwitz
pagina 157 Uma visita ao horror em Auschwitz

Publicado em 26/01/2015 às 13:57

Decore sua casa com o cara mais bonito do rock, Lemmy (Motörhead)

Pra quem cansou de tietagem explícita (e de gosto duvidoso) do espírito adolescente feminino, com seus pôsteres do One Direction e quetais, dá para montar o próprio lar com artigos roqueiros de verdade.
Uma boa opção é tematizar logo com o melhor, Lemmy, vocalista e baixista e dono do Motörhead.

Dá para comprar:

lencol Decore sua casa com o cara mais bonito do rock, Lemmy (Motörhead)

lençol

cortina Decore sua casa com o cara mais bonito do rock, Lemmy (Motörhead)

cortina de box

caneca Decore sua casa com o cara mais bonito do rock, Lemmy (Motörhead)

caneca

fronha Decore sua casa com o cara mais bonito do rock, Lemmy (Motörhead)

capa de travesseiro

tapete Decore sua casa com o cara mais bonito do rock, Lemmy (Motörhead)

tapete

quadro Decore sua casa com o cara mais bonito do rock, Lemmy (Motörhead)

quadro

relogio2 Decore sua casa com o cara mais bonito do rock, Lemmy (Motörhead)

e relógio de parede

Tem tudo à venda aqui

Publicado em 23/01/2015 às 16:44

Presidente indonésio headbanger recebe apelo de seus ídolos Napalm Death para encerrar fuzilamentos

Este é o presidente da Indonésia, Joko Widodo, país que na semana passada fuzilou o brasileiro Marco Archer por tráfico de drogas:

Joko Presidente indonésio headbanger recebe apelo de seus ídolos Napalm Death para encerrar fuzilamentos

Este é o vocalista da banda da camiseta que ele está usando, Mark Barney Greenway, do Napalm Death:

mbg Presidente indonésio headbanger recebe apelo de seus ídolos Napalm Death para encerrar fuzilamentos

E esta é a carta que o músico escreveu para o presidente pedindo clemência a dois australianos que estão no corredor da morte:

"Caro Sr. Widodo,
Estou apelando diretamente a você para que, por favor, poupe a vida de Andrew Chan e Myuran Sukumaran, os dois cidadãos australianos que estão atualmente esperando a sentença de morte na Indonésia por tráfico de heroína. Como um seguidor da nossa banda NAPALM DEATH, apreciaria o fato de que nossas letras e ética desafiam o ciclo contínuo de violência no mundo, quer se trate de um estado ou de um indivíduo. Se estas coisas não forem desafiadas e, finalmente, modificadas, eu acredito que nós nunca verdadeiramente avançar como humanidade.
Eu entendo que você está se portando como um líder determinado a mudar as coisas para melhor, e então eu acredito que a concessão de clemência seria um grande passo à frente nesta busca de aperfeiçoamento. Compreendo que a heroína pode ser prejudicial em muitos níveis, mas eu acredito que este é um problema muito mais profundo que não pode ser alterado ou mudado pela simples tomada da vida das pessoas.
Novamente, eu peço respeitosamente que você faça uma diferença real e derrube essas sentenças.
Na esperança e em paz."

Nem a Dilma nem o Papa Francisco foram bem-sucedidos nos apelos. Vamos ver se um vocal de metal extremo entra na disputa pelo Nobel da Paz, então.

Publicado em 20/01/2015 às 18:37

olha só como seria a (desastrosa) capa do Van Halen 1

Confesso que às vezes penso que capa de disco, logo da banda, não faz a menor diferença.
Mas aí vejo revelada a capa de como a gravadora sugeriu que fosse o disco de estreia do Van Halen e repenso a ideia.
A icônica capa do debute conta toda a história, antes mesmo de se ouvir o disco.
As fotos tiradas em performance (fake, tudo bem) no Whisky A-Gogo em Los Angeles, com eles em movimento, e o logo lindão, todo estilizado, contra essa porcaria sugerida pra gravadora e que (graças ao Bom Deus, o quarteto bateu o pé e recusou).

vh1 olha só como seria a (desastrosa) capa do Van Halen 1

a sugestão da gravadora

E a capa que ficou (pra história)

vh0 olha só como seria a (desastrosa) capa do Van Halen 1

Publicado em 19/01/2015 às 17:13

A banda mais pirada da história vai ganhar filme-biografia

 A banda mais pirada da história vai ganhar filme biografia

Há milhares de biografias do mundo do rock. Dadas as carreiras e vidas dos músicos do gênero, muitas saborosíssimas. Uns preferem o estilo mais contido da Patti Smith; outros, a coisa mais escrachada do Slash, e há leitores que preferem a vida pregressa pelo viés engraçado de “Eu Sou Ozzy”. Mas uma trafega entre tudo isso e virou meio que unanimidade: “The Dirt: Confessions of the World's Most Notorious Rock Band”, a autobiografia do Mötley Crüe. Agora, finalmente, vai virar filme.
Nada foi mais excessivo que os anos 1980. Nenhum gênero foi mais excessivo que o hair metal de Los Angeles dos anos 1980. Nenhuma banda em qualquer gênero foi mais excessiva que o Mötley Crüe, os reis dos dois cenários anteriores. Junte tudo isso e tenha breve ideia do que falamos.
Dos quatro integrantes, dois tiveram overdose – o baterista Tommy Lee (aquele do vídeo que vazou com Pamela Anderson) e o baixista Nikki Sixx. O último chegou a perder sinais de vida por minutos, até ser reanimado.
E talvez essa seja a parte leve da história.
Página a página, você lê e pensa: "ah, o Neil Strauss (que passou pro papel a história) está inventando isso. NINGUÉM consegue sobreviver a tudo isso".
Mas...aparentemente sim.
Tanto que o grupo está na turnê derradeira. Assinaram até compromisso entre os quatro de o Mötley nunca mais se apresentar se não forem os quatro.
O filme será dirigido provavelmente por Jeff Tremaine, que cuidou de “Jackass”. Roteiro foi escrito e segundo Tommy Lee é “a coisa mais insana que ele já leu”.
Pena que o livro não ganhou versão em português até agora.

Publicado em 15/01/2015 às 18:35

O 1º Jason (6ª Feira 13) zerou a web com sua banda de metal e merchandising

Ari Lehman foi o primeiro Jason por, tipo, 2 segundos.

Interpretou o assassino da sequência abaixo, quando, criança, comete o primeiro assassinato no lago após se afogar.

foto3 O 1º Jason (6ª Feira 13) zerou a web com sua banda de metal e merchandising

Aí, não satisfeito com seus dois segundos de "fama", ele recria a vida em cima desses.

Primeiro montou a banda...First Jason, de um metal tão estranho quanto a trajetória. Dá uma olhada: www.firstjason.com

Se tiver coragem, dá uma escutada por lá também nas músicas temáticas como "Jason Never Dies" e "Machete is my Friend".

Aí, AINDA não satisfeito começa a vender mercadorias relacionadas como uma réplica da machete do Jason (autografada, claro) e agora um "caximbo da paz" com a máscara de hóquei do assassino mais cool dos anos 1980. Se ele não mora no Colorado, é permitido?

machete O 1º Jason (6ª Feira 13) zerou a web com sua banda de metal e merchandising

o facão da lenda, à venda

pipe 225x300 O 1º Jason (6ª Feira 13) zerou a web com sua banda de metal e merchandising

e o pipe

Tá aí O cara.

jason 270x300 O 1º Jason (6ª Feira 13) zerou a web com sua banda de metal e merchandising

Publicado em 14/01/2015 às 15:20

Estamos pagando fortunas pra ver vovôs encarnando rockstars e rock está virando museu

11650 9408368451179a0ab15d7 Estamos pagando fortunas pra ver vovôs encarnando rockstars e rock está virando museu

“Hope I die before I get old.”

Desculpa, mas tinha que começar o texto com esse clichê. Já que em cima da letra de “My Generation”, do The Who, foi baseada boa parte da “ideologia” roqueira. Só que a medicina avançou muito nesse exato meio século desde que a música foi lançada e o povo só fez envelhecer e não renovar o estoque de bandas.

Aí temos que dar graças de ainda termos os dinossauros. Sem eles não existiriam mais sequer os festivais.

Conclusões que cheguei hoje ao ver o anúncio do line up do Bonnaroo, com o senhor Billy Joel, do alto de seus 65 anos, como headliner.

Você pega o calendário pop do ano e vê que todos os outros festivais seguem a mesma cartilha.

Coachella vai ter os sessentões do AC/DC como atração principal, Reading e Leeds, os decanos do metal, Metallica. Nem aqui escapa, afinal o Monster of Rock, tradicional festival de rock pesado que retorna em São Paulo traz Kiss, na faixa dos 65 anos, e Ozzy, na mesma linha entre 60 e 70, como headliners.

Nada contra AC/DC, Metallica e Kiss. Muito pelo contrário. São das minhas bandas preferidas. As três certamente estão no meu Top 10. Mas dá um belo incômodo, uma cutucada forte de preocupação, assistir a história roqueira não se renovar.

O Download Festival vai ter o Kiss no topo das atrações. Mesmo os eventos que servem teoricamente como espaço de renovação, como o Lollapalooza, seguem a toada. Aqui quem encabeça são Pharell Williams (41), Jack White (40), Robert Plant (66) e Billy Corgan (47) e seu Smashing Pumpkins.

Garotada na faixa dos 20 anos não faz música mais não?

Página 8 de 120Primeiro...678910...Último