Para se livrar da crise, ‘Zorra Total’ vai abolir os bordões e fazer humor ‘moderninho’

Programação de TV

valeria bandida Para se livrar da crise, Zorra Total vai abolir os bordões e fazer humor moderninho

Valéria Bandida, personagem do "Zorra": bordão está com os dias contados

O clima de insegurança na equipe do "Zorra Total" que já integrava o programa antes da anunciada reformulação anda tenso. Não só alguns profissionais temem pelo futuro, com medo de perder as atuais funções, como pelo rumo que a atração tomará. Prevista para ocorrer até abril do ano que vem, a estreia do novo "Zorra" apostará num humor mais "moderninho", numa aproximação com o que já é feito no "Tá no Ar", por exemplo.

Entre as decisões tomadas, estão a de acabar com cenários fixos, apostar em externas e abolir os bordões. Isso mesmo, caro leitor. Os dias "Tô pagaaaando!" e "Ai, como eu tô bandida!" estão contados. O time de humoristas também deverá sofrer mudanças pontuais. Alguns nomes já estão em busca de projetos paralelos. Resta saber se a reformulação será para melhor. Não há dúvidas de que o programa andava precisando passar por um chacoalhão mesmo.

Posts Relacionados

Globo estica ‘Império’ e fará novela passar dos 200 capítulos

Novelas e minisséries

imperio Globo estica Império e fará novela passar dos 200 capítulos

Alexandre Nero, protagonista de "Império"

De olho na repercussão da trama e entendendo que a audiência abaixo da meta está atrelada ao horário político, a Globo resolveu esticar "Império" em duas semanas. Agora, a trama de Aguinaldo Silva, que terminaria com 186 capítulos, exibirá ao todo 203 capítulos até 11 de março do ano que vem.

Posts Relacionados

‘Plano Alto’ prova que o Brasil tem vocação para séries políticas e pode ter seu próprio ‘House of Cards’

Crítica

 Plano Alto prova que o Brasil tem vocação para séries políticas e pode ter seu próprio House of Cards

Carla Diaz e Bernardo Falcone vivem black blocs em "Plano Alto"

Nos Estados Unidos é costume refletir sobre a história recente por meio de filmes e produções para a TV. No Brasil, um país que vive uma overdose de comédias e novelas, é raro que surjam projetos com temática política. De olho no barulho causado pelos protestos do ano passado e a polêmica que envolve os black blocs, Marcílio Moraes resolveu ir na contramão e criar "Plan Alto", minissérie que cobre o conturbado período de confronto entre polícia, governo e manifestantes. Um dos maiores dramaturgos deste país, com sucessos como "Vidas Opostas" no currículo, o autor fugiu do didatismo. Encarou de frente um assunto espinhoso e montou uma trama que, a julgar pelo primeiro capítulo, parece complexa e terá muitas ramificações.

A história acompanha a perseguição a um governador de reputação duvidosa (Gracindo Jr.), ao mesmo tempo em que circula por sua relação com um sindicato de médicos. Num outro núcleo, jovens que participam de protestos acabam se envolvendo com os black blocs e parece residir aí o grande destaque da produção. Carla Diaz, Mariah Rocha e Bernardo Falcone desempenham bem seus papéis e surgem em cenas de execução impecável. O confronto entre manifestantes e a polícia montada, retratado com grande capricho, foi o ponto alto do episódio.

Para quem não está acostumado com histórias políticas "Plano Alto" pode parecer pouco empolgante, mas o que a produção da Record prova é que o país tem material de sobra e grande vocação para produzir seu próprio "House of Cards" - um dos melhores seriados feitos nos EUA atualmente. Temos até mesmo uma versão brasileira de Claire Underwood, personagem de Robin Wright: Daniela Galli, linda, surgiu com corte de cabelo e figurino parecido. Marcílio Moraes acertou em cheio na temática e a Record fez uma série de gente grande. Vai valer a pena acompanhar.

Posts Relacionados

‘A Fazenda 7′: Participantes disputam títulos de novos Theo Becker e Joana Machado

Crítica

lorena A Fazenda 7: Participantes disputam títulos de novos Theo Becker e Joana Machado

Lorena "fala na cara" como Joana Machado, mas esqueceu que a ex-peoa não era intrometida

A história de "A Fazenda" está repleta de personagens inesquecíveis. Muitos deles participaram de cenas memoráveis, caso de Theo Becker, por exemplo. Figuras como Joana Machado, Nicole Bahls e Denise Rocha entraram igualmente para a galeria de tipos icônicos. Briguentos, cada um a sua maneira, causaram no reality show. E parecem agora fazer escola. Certa vez, Sheila Mello confidenciou a este blogueiro que passou por um coaching antes de entrar na segunda edição do programa. O objetivo era claro: não se expor mais que o necessário, manter o equilíbrio, não se envolver em brigas.

Passados alguns anos, os concorrentes de hoje parecem entrar igualmente treinados, mas com o objetivo inverso: fazer barulho, posar de "verdadeiro" e "falar na cara". A intenção é cristalina: conseguir abocanhar a popularidade de seus antecessores e a legião de fãs que cativaram. Exemplos não faltam: Lorena Bueri afirma que diz a verdade doa a quem doer. Chegou a dizer que Babi Rossi se espelhava em Nicole e Viviane Araújo e acabou com isso revelando em quem se espelha. A musa do paulistão só esqueceu que mulheres fortes como Joana Machado e Nicole tinham papo reto e batiam de frente, sim, mas só quando a confusão as envolvia. No afã de provar que é "verdadeira", Lorena se intromete onde pode. Acaba passando por grossa e, se assim continuar, deve sair com rejeição e não amor por parte dos espectadores.

Outro caso clássico é o de Felipeh Campos. Tentando falar o que lhe vem à cabeça, tem metido os pés pelas mãos constantemente. Foi ofensivo com Cristina Mortágua, comparou as roupas de Pepê e Neném a de motoboys, chamou Heloísa de drogada. Recentemente, na varanda, falou sozinho para as câmeras dizendo: "É Theo Becker, sim". Assista:

Ou seja: o objetivo do jornalista não parece ser o prêmio, mas, sim, a repercussão. O mesmo não se pode dizer de Diego Cristo, que pode tranquilamente roubar de Felipeh o título de Theo Becker da edição. Completamente à flor da pele e ansioso, já foi ouviu de uma colega que tem "desequilíbrio emocional". Qualquer semelhança não é mera coincidência. O erro dos briguentos de "A Fazenda" é esquecer que figurinha repetida não completa álbum. Eles não têm de se espelhar em ex-participantes, mas criar novos tipos. Tarde demais para alguns deles.

Posts Relacionados

Multishow segue buscando novo ‘Sai de Baixo’ com versão para a TV da peça ‘Trair e Coçar É Só Começar’

Programação de TV

cacau Multishow segue buscando novo Sai de Baixo com versão para a TV da peça Trair e Coçar É Só Começar

Cacau Protásio será a protagonista da comédia do Multishow

O formato do extinto "Sai de Baixo" parece parece ter sido descoberto pela TV paga. Depois do "Vai Que Cola", o Multishow prepara "Trair e Coçar É Só Começar", versão da peça de Marcos Caruso, uma das mais longevas em cartaz no país. E o próprio Caruso está à frente da adaptação, que contará com Cacau Protásio, Márcia Cabrita, Cássio Scapin, Marcelo Flores, Daniele Valente e Gorete Milagres no elenco.

Todos os episódios serão gravados num teatro com plateia. Ao todo serão 13, mas o canal a cabo já aprovou uma segunda temporada do humorístico. A estreia está marcada para 24 de novembro.

Posts Relacionados

‘CQC’ vai mudar repórteres e apresentadores em 2015

Programação de TV

cqc CQC vai mudar repórteres e apresentadores em 2015

Dani Calabresa, Marco Luque, Nat Graciano e Marcelo Tas, do "CQC"

Ninguém está seguro na equipe do "CQC". Entendendo que o programa precisa passar por uma reformulação profunda, a direção da Band decidiu que mexerá profundamente na atração. Entre as mudanças, já está decidido de que haverá ajustes no time de apresentadores e repórteres, que já não repercutem como antes. Recentemente, a emissora tentou contratar Fábio Porchat para a bancada.

Este ano, o "CQC" tem sido acusado de se repetir e não apostar em novidades. Muitos dos quadros têm dado sinais de desgate.

Posts Relacionados

Debate da Record entre presidenciáveis tem maior média até agora

Audiência

Foi bem recebido o resultado do debate entre candidatos à Presidência realizado pela Record no último domingo (28). De acordo com dados do Ibope, o programa obteve média de 9 pontos, maior índice atingido até agora nas sabatinas na TV. O número é quatro pontos maior que o registrado pela Band e SBT.

Posts Relacionados

Os sete programas de TV favoritos de Bernardo Falcone

Programação de TV

be Os sete programas de TV favoritos de Bernardo Falcone

Bernardo Falcone numa cena de "Plano Alto": "Scandal" e "Chaves" entre os preferidos

O blog inaugura agora uma nova sessão. Todo domingo um artista apontará quais são os sete programas de televisão que não perde de jeito nenhum. O primeiro a listar seus preferidos é Bernardo Falcone, do elenco de "Plano Alto", que a Record estreia nesta terça-feira (30). "Como primeiro da lista, eu citaria a minissérie que acabei de gravar. Mas como ela só estreia dia 30, às 23h30, acho que não posso colocá-la nesse grupo", brinca o ator, cujo hábito de assistir TV mudou nos últimos tempos. "Assisto muita coisa "on demand" e muitos talk shows pela internet". Veja abaixo os favoritos de Bernardo.

1) Scandal - "Novo e atual vício".
2) The Wendy Williams Show - "Talk show do tipo que a gente não se orgulha de gostar, mas eu me amarro!"
3) The X Factor - "De todos os realities de cantores, esse é o que eu mais gosto."
4) The Biggest Loser - "Me amarro em acompanhar a transformação nos corpos e na vida dos participantes. O 'Além do Peso', do 'Programa da Tarde' também é bem legal."
5) A Fazenda - "Nas outras edições, o reality ocuparia uma posição mais alta."
6) The Ellen Show - "Uma das melhores apresentadoras que tem. Sempre me emociono, rio, choro!"
7) Chaves - "Dispensa explicações."

Posts Relacionados

Matheus Nachtergaele interpretará Zé do Caixão em série

Seriado

matheus Matheus Nachtergaele interpretará Zé do Caixão em série

Matheus Nachtergaele viverá o mestre do terror

Zé do Caixão está prestes a ter a vida adaptada para a televisão. O mestre do terror no cinema nacional será alvo de uma série em seis episódios que vem sendo produzida pelo Canal Space. Baseada na biografia "Maldito", de Ivan Finotti e André Barcinski, a atração já escalou seu protagonista: caberá a Matheus Nachtergaele viver o personagem criado por José Mojica.

Com filmagens previstas para o final do ano, a série tem previsão de estreia para o segundo semestre de 2015. A direção está a cargo de Vitor Mafra.

Cinco anos de R7: Um olhar sobre o mundo da televisão

Programação de TV

rezende Cinco anos de R7: Um olhar sobre o mundo da televisão

Marcelo Rezende se destacou por misturar jornalismo com humor

O R7 comemora cinco anos neste sábado (27). Em meia década muito pode acontecer. O blog fala disso com conhecimento de causa. Há exatamente um ano este espaço foi inaugurado e bastante ocorreu nos bastidores da televisão. Muitas das informações aqui levantadas aos poucos foram se confirmando. É o caso do primeiro post, que revelou em primeira mão a sinopse de "Sete Vidas", então projeto para as 23h da Globo. Agora, na faixa das 18h, a trama estreará em 2015. No mesmo dia, anunciamos uma nova série infantil desenvolvida pelo criador do "Castelo Rá-Tim-Bum". Pois bem, "Que Bicho Te Mordeu?" entra no ar em 10 novembro, mais de um ano depois de ter detalhes aqui publicados.

O último ano foi difícil para boa parte das emissoras. Na Globo, carros-chefe como o "Big Brother Brasil" e as novela das nove, sofreram com brusca queda de audiência. A crise ocasionada por "Em Família" foi acompanhada de perto. Mas nem tudo era má notícia. Em janeiro, enquanto todos estavam na base da especulação, o blog não só confirmou que o primeiro beijo gay voluntário da dramaturgia da Globo aconteceria como deu detalhes da cena. Dias depois, Félix (Mateus Solano) e Niko (Thiago Fragoso) selavam com os lábios seu amor no desfecho de "Amor à Vida". O mesmo artifício foi usado por Manoel Carlos e posteriormente vetado em "Império", numa clara demonstração de retrocesso quanto ao assunto. Grandes produções também tiveram espaço. Foi o caso de "Amores Roubados", por exemplo, e a bela "Meu Pedacinho de Chão".

No mundo das variedades, Marcelo Rezende consolidou seu espaço e abriu larga vantagem sobre Datena com o "Cidade Alerta". O âncora da Record, misturando humor e jornalismo, mostrou um novo modo de se fazer programa policial e ainda revelou nomes como Fabíola Gadelha. Deslocado para a guerra de domingo, Geraldo Luís foi bem sucedido no "Balanço Geral", que causou muito problema para o "Video Show". A reformulação promovida pela Globo não deu certo e o programa segue claudicante.

O mundo dos apresentadores também foi de idas e vindas. Sabrina Sato deixou o "Pânico na Band" para estrear uma bem sucedida carreira solo na Record, onde consolidou a vice-liderança no horário. Já Luiz Bacci deixou a Record para assinar com a Band, assim como Thaís Melchior, que deixou a Globo para virar protagonista de "Vitória". Ana Paula Padrão deixou o jornalismo de lado para se aventurar no entretenimento, com o "Masterchef".

O blog ainda abriu espaço para a cobertura do "Aprendiz Celebridades" e entrevistou boa parte dos candidatos demitidos por Roberto Justus. Ano que vem espera que a experiência seja repetida.

Em um ano, muito acontece. E o blog está orgulhoso de fazer parte de um pedaço destes cinco anos de R7. Novos projetos vêm por aí. Quem venham mais cinco anos!

Posts Relacionados