Menor audiência de estreia de novela das sete dos últimos 13 anos, ‘Além do Horizonte’ tem semelhanças com ‘Lost’ e ‘A Vila’

Crítica

alem do horizonte Menor audiência de estreia de novela das sete dos últimos 13 anos, Além do Horizonte tem semelhanças com Lost e A Vila

Rodrigo Simas e Cristiana Ubach, numa cena de "Além do Horizonte"

Aposta da Globo na faixa das 19h, "Além do Horizonte", escrita por Marcos Bernstein e Carlos Gregorio, estreou cercada de curiosidade e desconfiança por envolver parte de sua trama num clima de mistério. Ambientada em parte na Amazônia, a história gira em torno de uma comunidade e de uma espécie de sociedade secreta para onde vão "buscar a felicidade" parte dos personagens "urbanos". Foi assim com Antonio Calloni, que interpreta o pai da protagonista, vivida por Juliana Paiva, e assim será com os papéis de Cristiana Ubach e Rodrigo Simas.

Apesar de bem vinda, a exploração de novo cenários e a descentralização as tramas das mesmas regiões do país acabam por ficar em segundo plano. A paisagem amazônica serve de pano de fundo para os segredos da trama. No primeiro capítulo, por exemplo, foi mostrada uma perseguição que em muito lembra "Lost", um dos seriados mais marcantes da última década. Parecia que o tal homem desesperado tentava a todo custo escapar do inesquecível "monstro de fumaça", aqui tratado pela alcunha de besta. Da mesma maneira, os moradores da vila de Tapiré deixaram claro que há um toque de recolher e, nos arredores da cidade, existem áreas proibidas, onde ninguém deve ir. O recurso remete a "A Vila", filme de M. Night Shyamalan, levado aos cinemas em 2004.

Logicamente, ninguém espera que uma novela inventa a roda. Mas é fundamental que se oxigene o gênero. Há que se questionar, no entanto, se investir em tantas semelhanças com seriados e filmes de sucesso seja o melhor recurso. Da mesma maneira, uma outra pergunta se faz relevante: será que um horário conhecido tradicionalmente por suas comédias leves é o ideal para abrir uma trama repleta de suspense e clima de segredo?

Numa análise preliminar, o primeiro capítulo de "Além do Horizonte" tem a seu favor o fato de investir em vários novos rostos e tem nas mãos a oportunidade de mostrar mais a fundo a rica cultura do Norte do país. Mas, a julgar pela condução da história, a novela acaba por remeter a outras experiências ousadas - e fracassadas - como a temporada de 2011 de "Malhação" e até mesmo "Tempos Modernos", que pisava fundo num universo farsesco e tecnológico. Uma certeza já se pode ter: a trama deve polarizar a opinião dos espectadores.

No quesito audiência, parece ter havido estranhamento por parte do público e o novo folhetim decepcionou. Marcou apenas 23 pontos de média, com pico de 25. No consolidado, a trama registrou 24 pontos. O índice é o menor já registrado pela estreia de uma novela das sete desde 2000. Compare abaixo:

Além do Horizonte - 24 pontos
Sangue Bom – 28 pontos
Guerra dos Sexos – 28 pontos
Cheias de Charme – 35 pontos
Aquele Beijo – 34 pontos
Morde & Assopra – 32 pontos
Ti Ti Ti – 29 pontos
Tempos Modernos – 29 pontos
Caras & Bocas – 33 pontos
Três Irmãs – 33 pontos
Beleza Pura – 30 pontos
Sete Pecados – 36 pontos
Pé na Jaca – 40 pontos
Cobras & Lagartos – 35 pontos
Bang Bang – 35 pontos
A Lua Me Disse – 32 pontos
Começar de Novo – 40 pontos
Da Cor do Pecado – 41 pontos
Kubanacan – 41 pontos
O Beijo do Vampiro – 36 pontos
Desejos de Mulher – 29 pontos
As Filhas da Mãe – 36 pontos
Um Anjo Caiu do Céu - 39 pontos
Uga Uga - 42 pontos

Posts Relacionados

18 Comentários

"Menor audiência de estreia de novela das sete dos últimos 13 anos, ‘Além do Horizonte’ tem semelhanças com ‘Lost’ e ‘A Vila’"

4 de November de 2013 às 20:55 - Postado por foliveira

* preenchimento obrigatório



Digite o texto da imagem ao lado: *

Política de moderação de comentários:
A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro pelo conteúdo do blog, inclusive quanto a comentários; portanto, o autor deste blog reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal / familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.
Comentários
  • leandro dos anjos
    - 9 de novembro de 2013 - 19:40

    TEM UMA OUTRA SÉRIE QUE ELES COPIAM, MAS QUE MUITO POUCA GENTE VIU OU SE LEMBRA: THE RIVER... NELA, UM APRESENTADOR DE TV AMERICANO SE PERDE NA FLORESTA AMAZÔNICA E VÁRIOS ANOS DEPOIS SEU FILHO E SUA MULHER MONTAM UMA EXPEDIÇÃO AO RIO AMAZONAS PRA PROCURÁ-LO.... NO RIO, DENTRO DE UM BARCO, ENFRENTAM FANTASMAS, MORTOS-VIVOS, DEMONIOS E MONSTROS DA FLORESTA... E APESAR DE ESTAREM EM TERRAS BRASILEIRAS, NINGUÉM FALA PORTUGUES...

    Responder
  • Italo
    - 7 de novembro de 2013 - 10:14

    Não assisti a estréia. Mas só uma questão: buscar inspiração na literatura, cinema ou em outras obras de qualquer tipo é normal - Os melhores diretores ou escritores o fazem. Ótimos livros ou filmes se inspiraram em outros livros ou filmes, muitas vezes indiretamente, sem mencionar a inspiração. Daí informo com todas as letras que os criadores de LOST e A VILA não são nem um pouco originais quanto às tramas relatadas. O roteirista e diretor de A VILA inclusive é considerado um GRANDE reciclador de idéias - A VILA e O SEXTO SENTIDO tem como inspiração direta episódios de ALÉM DA IMAGINAÇÃO da década de 60. Tarantino faz o mesmo em todos os seus filmes. A perseguição do início já foi feita por Hitchcock em O HOMEM QUE SABIA DEMAIS na década de 30 e depois refilmada pelo mesmo na década de 50... Só alguns exemplos. O último: PECADO MORTAL, ótima novela, não tem trama ou cenas originais. Basta assistir alguns filmes americanos.

    Responder
1 2 3 4 5