Posts com a tag: em família

Por que o casal gay de ‘Em Família’ não repete o sucesso de Félix e Niko?

Crítica

clara marina Por que o casal gay de Em Família não repete o sucesso de Félix e Niko?

Giovanna Antonelli e Tainá Muller numa cena de "Em Família"

Chamou atenção na Globo, durante as tomadas de decisão para a chamada "operação-resgate" de "Em Família", o fato de que Marina (Tainá Muller) e Clara (Giovanna Antonelli) têm torcida bem menor que Félix e Niko, personagens responsáveis pelo primeiro beijo gay das novelas da emissora. Não é preciso ir muito longe, no entanto, para entender o por quê. O problema é de trama.

Mesmo com duas atrizes belas e talentosas conduzindo a história, é compreensível que ocorra um estranhamento na relação entre as duas. A questão é moral, sim, não de preconceito. Pensemos: Clara é uma mulher casada com um homem lindo - ainda que relapso - e tem um filho pequeno. Tem formada uma família, que busca pela melhoria de vida - Cadu (Reynaldo Gianecchini) tenta abrir um negócio próprio - e enfrenta empecilhos como qualquer outra. Não há infidelidade, há uma relação morna. Aos olhos do espectador, a assistente de Marina, a priori, não tem grandes problemas.

Ocorre que ela se apaixonou perdidamente por outra mulher. A partir daí, quer abrir mão do relacionamento, tem cuidado menos do filho - já que passou a trabalhar - e pior: quer deixar o marido justamente no momento em que ele descobre sofrer de uma grave doença cardíaca. Ora, visto por esse prisma, Clara parece uma grande traíra. A infiel é ela, deve pensar boa parcela do público. Há um claro pudor em torcer por alguém que acaba com uma família "tradicional" e abandona o companheiro enfermo.

Façamos um exercício: não fosse Clara casada, apenas namorasse um rapaz, o choque entre alas mais conservadoras não seria menor? Provavelmente. Não estivesse Cadu doente, o caminho não ficaria mais livre? De certo que sim. Manoel Carlos pôs seu público em posição desconfortável neste caso específico. Sim, espectadores de novela são conservadores e já mostraram isso quando rejeitaram a Helena de "Viver a Vida", que era modelo, linda e rica e, ainda assim, só reclamava.

Obviamente, o casal "Clarina", como vem sendo chamado na internet, tem fãs e torcida fiel. Mas está longe do fenômeno que foram seus antecessores Félix (Mateus Solano) e Niko (Thiago Fragoso), infelizmente. Em "Amor à Vida", ambos já estavam livres de suas amarras quando se encontraram e mobilizaram uma multidão de pessoas cruzando os dedos por um final feliz.

A Globo já percebeu o problema. Tratou de aliviar a doença de Cadu e fará com que ele se envolva com Silvia (Bianca Rinaldi). Resta saber se esta gambiarra funcionará.

Posts Relacionados

Beijo tórrido de Bruna Marquezine e campanha de relançamento não levantam audiência de ‘Em Família’

Novelas e minisséries

luiza laerte Beijo tórrido de Bruna Marquezine e campanha de relançamento não levantam audiência de Em Família

Luiza (Bruna Marquezine) e Laerte (Gabriel Braga Nunes) se beijam na novela

Não adiantou dar início a uma campanha de relançamento com direito a atrizes chorando enquanto contam histórias para a câmera e nem acelerar a trama. O capítulo de segunda-feira (14), que marcou um novo início para "Em Família", não representou aumento de audiência para a novela. De acordo com dados prévios do Ibope, o folhetim registrou 28 pontos, número abaixo dos 30 pontos já alcançados nos melhores dias. Na semana passada, a média foi de 29 pontos no mesmo dia. No consolidado, a média foi de 30 pontos, seis a menos que o recorde da novela.

A aposta da Globo é que, a partir de agora, a novela das nove reaja. Isso porque, num único capítulo, resolve-se o mistério sobre a paternidade de Luiza (Bruna Marquezine) e finalmente teve início o envolvimento da garota com o ex-namorado da mãe, Laerte (Gabriel Braga Nunes). Nos próximos dias, serão implementadas mais medidas da chamada "operação-resgate" da trama, que tem passado por uma crise interna. A produção têm sofrido com o atraso de capítulos e recentemente perdeu sua figurinista.

Posts Relacionados

Globo dá início à operação para resgatar ‘Em Família’

Novelas e minisséries

familia Globo dá início à operação para resgatar Em Família

Bruna Marquezine e Gabriel Braga Nunes numa cena de "Em Família"

Preocupada com os índices de "Em Família", a Globo resolveu intervir mais drasticamente na novela. Um dos fatores decisivos foi a percepção de que a trama tem derrubado a audiência das atrações que a sucedem - a nova temporada de "Tapas e Beijos", por exemplo, voltou com 3 pontos a menos que no ano passado. Algumas mudanças já foram decididas. São elas:

- O fim dos "momentos em família": o espectador já pode comemorar. Aquelas pílulas que mais pareciam propaganda de mortadela ou margarina deixarão de ser exibidas no final de cada capítulo. Verificou-se que elas faziam os números caírem.

- A formação do triângulo amoroso, finalmente: três meses depois, a novela começará, afinal. O triângulo de Laerte (Gabriel Braga Nunes), Helena (Julia Lemmertz) e Luiza (Bruna Marquezine) acontecerá. A ordem é destacar a relação do flautista com a protagonista jovem e transformá-la numa espécie de amor proibido.

- Virgílio deixará de ser passivo: considerado bobo pela maior parte dos espectadores, Virgílio (Humberto Martins) passará a mostrar mais suas opiniões. Na semana passada, algumas de suas cenas chegaram a ser reescritas para marcar a mudança. Em breve, ele se verá envolvido com novas possibilidades românticas, oferecidas por Ana (Claudia Mauro) e Shirley (Viviane Pasmanter).

- Juliana passará a sofrer: após atacar de desequilibrada, a personagem de Vanessa Gerbelli será "humanizada". Passará a sofrer nas mãos do malandro vivido por Marcello Mello.

- Mais humor será injetado na história: é ponto pacífico em todas as pesquisas que os espectadores consideram a novela sisuda demais. Portanto, um núcleo cômico será injetado na trama. Com isso, as maldades hilárias de Shirley também ganharão mais espaço.

Posts Relacionados

Preocupada com a queda de audiência, Globo vai tentar consertar ‘Em Família’

Novelas e minisséries

familia Preocupada com a queda de audiência, Globo vai tentar consertar Em Família

Humberto Martins e Julia Lemmertz numa cena de "Em Família"

Discretamente, a Globo já deu início a estudos para entender o motivo pelo qual "Em Família" não emplacou em audiência. Em alguns dias, a audiência da trama varia entre 25 e 27 pontos. Nos melhores, fica por volta dos 30. Bem longe dos 40 pontos pretendidos. Atualmente, o folhetim está 4 pontos abaixo de "Amor à Vida", que o antecedeu.

A emissora já autorizou a realização de um grupo de discussão com espectadores para conseguir identificar os problemas. De início, entende-se que falta respiro cômico - boa parte dos personagens é sisuda - e pouca coisa acontece na trama, que anda com ritmo ralentado. O triângulo amoroso pretendido entre Bruna Marquezine, Gabriel Braga Nunes e Julia Lemmertz, por exemplo, ainda não aconteceu. Assim que chegarem os primeiro resultados do estudo, será decidido se haverá mudanças na produção.

Posts Relacionados

Clima nos bastidores de ‘Em Família’ anda pesado por causa de brigas entre atores, atraso nas gravações e audiência em baixa

Novelas e minisséries

gabriel Clima nos bastidores de Em Família anda pesado por causa de brigas entre atores, atraso nas gravações e audiência em baixa

Gabriel Braga Nunes: polêmica durante gravações de novela

Não bastasse os atrasos nas gravações em decorrência da diminuição da frente de capítulos, a equipe de "Em Família", novela das nove da Globo, agora tem de lidar com mais um problema. Nos bastidores, o comentário é de que alguns atores não estão se bicando mais. É o caso de Humberto Martins e Gabriel Braga Nunes, que se estranharam durante o ensaio da cena do acerto de contas entre Virgílio e Laerte exibida ontem.

O intérprete do flautista, aliás, já teria deixado decepcionadas Ana Beatriz Nogueira, Helena Ranaldi e Julia Lemmertz por não ter o texto na ponta da língua em algumas cenas. Há quem afirme que a razão seria o excesso de trabalho, mas o fato é que não pegou bem entre a equipe que viu os episódios. Para completar, Bruna Marquezine bateu de frente com um diretor ao se recusar a gravar uma cena de biquini sem canga.

Desde a estreia, "Em Família" ainda não conseguiu emplacar os índices de audiência na casa dos 40 pontos pretendidos para o horário. A pressão é grande para reverter a situação. Internamente, avalia-se que as histórias secundárias de Juliana (Vanessa Gerbeli) e Clara (Giovana Antonelli) chamam mais atenção do espectador que o drama de Helena, uma vez que o triângulo amoroso com a filha ainda não foi estabelecido. O risco de a história mudar de rumo existe.

Posts Relacionados

Mais do mesmo: ‘Em Família’ repete temas já vistos em outras novelas de Manoel Carlos

Crítica

helena laerte Mais do mesmo: Em Família repete temas já vistos em outras novelas de Manoel Carlos

Julia Lemmertz e Gabriel Braga Nunes numa cena de "Em Família"

"Em Família" trouxe de volta o estilo de cronista de Manoel Carlos ao horário das nove, mas, aos olhos de alguns espectadores, parece uma novela já vista. Tal impressão não se deve apenas ao fato de a trama se passar no Leblon, ao som de Bossa Nova e MPB e ter uma protagonista chamada Helena. Uma análise mais atenta mostra que boa parte dos temas e histórias abordados pelo autor são repetições de outros folhetins que já escreveu. O blog lista alguns a seguir:

- Mãe e filha disputam o mesmo homem: Manoel Carlos já declarou em entrevista que, em breve, ficará claro que Luiza (Bruna Marquezine) não é filha de Laerte (Gabriel Braga Nunes). A revelação deixará livre o caminho para que ocorra o primeiro beijo dos dois, o que, claro, deixará Helena (Julia Lemmertz) perturbada e estabelecerá de uma vez o triângulo amoroso. Qualquer semelhança com "Laços de Família", de 2000, não parece coincidência. Na trama, Helena (Vera Fischer) perdia o amor de Edu (Reynaldo Gianecchini) para sua filha, Camila (Carolina Dieckmann).

- Alcoolismo: Uma das personagens mais emblemáticas de Maneco era Santana (Vera Holtz), em "Mulheres Apaixonadas", de 2003. Trabalhando num colégio, ela viu sua vida ser arruinada. Situação parecida com a de Orestes (Paulo José), em "Por Amor", de 1997, que vivia caindo de bêbado pelos cantos. Em "Viver a Vida", Renata (Bárbara Paz) combinou o vício em bebidas com a anorexia. Agora, o papel de alcoolatra se repete com Felipe (Thiago Mendonça), que deve perder o direito de exercer a medicina depois de deixar um paciente morrer por atendê-lo embriagado.

- Idosos maltratados: Não há quem não lembre da malvada Dóris (Regiane Alves), de "Mulheres Apaixonadas". Ambiciosa e inconformada com a vida de classe média, a jovem vivia maltratando seus avós. Em "Em Família", a personagem parece ter crescido e se transformado ou Miss Lauren (Beth Goffman), que, com sua sobrinha Telma (Monique Curi), maltrará os idosos do asilo da trama.

- Racismo: Em "Por Amor", Wilson (Paulo César Grande) namorava Márcia (Maria Ceiça), mas não queria ter um filho com ela por medo que nascessem negros. Na época, muito se falou sobre o racismo do personagem. Em "Páginas da Vida", de 2007, Selma (Elisa Lucinda) sofria com o racismo da filha. O tema volta a ser abordado em "Em Família" por meio de André (Bruno Gissoni), que tem vergonha da mãe, vivida por Lica de Oliveira. Alice (Erika januzza) também deve virar alvo do preconceito dos colegas de universidade.

- Mulher obcecada pelo antigo amor: Na atual trama das nove, Shirley (Viviane Pasmanter) é absolutamente louca pelo amor de infância, Laerte (Gabriel Braga Nunes) e fará de tudo para reconquistá-lo. A mesma atriz viveu situação parecida como Laura, a grande vilã de "Por Amor".

- Amor lésbico: Abordado em "Mulheres Apaixonadas" pela ótica adolescente com Clara (Alinne Moraes) e Rafaela (Paula Picarelli). Agora, o romance entre mulheres repete o nome de uma das personagens e será mostrado na vida adulta por meio de Clara (Giovana Antonelli) e Marina (Tainá Muller).

Posts Relacionados

Elenco de ‘Em Família’ teme atraso de capítulos após reedição de novela

Novelas e minisséries

Manoel Carlos Elenco de Em Família teme atraso de capítulos após reedição de novela

Manoel Carlos, autor de "Em Família"

O susto com a baixa audiência na primeira semana de "Em Família" - a mais baixa da história das novelas das nove - fez com que a trama fosse acelerada e os capítulos reeditados. A manobra, no entanto, teve consequências. A frente de capítulos, que antes tinha praticamente 20 dias de roteiros adiantados, diminuiu consideravelmente.

Nos bastidores, alguns atores veem com apreensão o fato de que têm recebido os textos com menor frequência do que na época das primeiras gravações. O clima é de expectativa. Explica-se: Manoel Carlos é conhecido por ter atrasado na entrega de capítulos de várias de suas novelas. Houve casos, como em "Viver a Vida", que alguns intérpretes chegaram a ficar dias parados por falta de texto. Em "Páginas da Vida", houve dias em que atores receberam as cenas horas antes de serem rodadas.

Hoje, estima-se que há menos de uma dezena de capítulos de frente.

Em entrevista à "Veja Rio" no começo deste ano, Manoel Carlos declarou que não se constrange com a fama de atrasar capítulos: "Atraso mesmo, sempre fui assim. Se pudesse, escrevia o capítulo na véspera de ir ao ar".

Posts Relacionados

Depois de encurtar ‘Em Família’, Globo adia indefinidamente seriado de Aguinaldo Silva

Novelas e minisséries

aguinaldo Depois de encurtar Em Família, Globo adia indefinidamente seriado de Aguinaldo Silva

Aguinaldo Silva: novela pode atrapalhar exibição de seriado

O final de semana começou agitado para dois autores da Globo. Primeiro, Manoel Carlos recebeu a notícia de que "Em Família" deve ser encurtada e terminar com 149 capítulos, duas semanas após a Copa. Será uma das novelas das nove mais curtas dos últimos anos.

A abreviação de "Em Família", no entanto, reverberou pesadamente para Aguinaldo Silva. Seu seriado, "Doctor Pri", que já contava com elenco escalado, foi adiado indefinidamente. As razões são múltiplas. A emissora não quis que dois projetos do dramaturgo fossem ao ar concomitantemente, uma vez que a produção coincidiria com a exibição de "Falso Brilhante", próxima novela das nove. Outro fator que pesou foi o fato de a protagonista, Gloria Pires, já estar reservada por Gilberto Braga para sua trama em 2015.

Se não houver mudança nas decisões da última sexta-feira (21), "Doctor Pri" passará um bom tempo engavetado. Já a produção de "Falso Brilhante" será acelerada. O folhetim terá cenas rodadas na Suíça e contará com nomes como Alexandre Nero, Lilia Cabral, Marina Ruy Barbosa, Viviane Araújo e Andreia Horta.

Posts Relacionados

Por meio de Lica Oliveira e Bruno Gissoni, ‘Em Família’ mostrará mãe que sofre preconceito do filho por ser negra

Novelas e minisséries

gissoni Por meio de Lica Oliveira e Bruno Gissoni, Em Família mostrará mãe que sofre preconceito do filho por ser negra

André (Bruno Gissoni) terá vergonha da mãe adotiva por ela ser negra

Quem pensou que Bruno Gissoni ganhou papel na novela "Em Família" apenas para viver o namoradinho de Luiza (Bruna Marquezine) está enganado. Na história de Manoel Carlos, o ator estará envolvido numa trama polêmica.

Na história, seu personagem, André, não aceita o fato de ter sido rejeitado pelos pais biológicos e desconta na mãe, Dulce, vivida por Lica Oliveira, que é negra. O rapaz acredita que a diferença na cor da pele dele e da mãe deixa ainda mais claro que foi adotado pela professora universitária.

lica Por meio de Lica Oliveira e Bruno Gissoni, Em Família mostrará mãe que sofre preconceito do filho por ser negra

Lica Oliveira será mulher bem sucedida alvo do preconceito do filho

Esta não é a primeira vez que Maneco aborda o racismo em suas novelas. Em "Por Amor", Wilson (Paulo César Grande) evitava que Márcia (Maria Ceiça) engravidasse, com medo que os filhos nascessem negros.

Resta saber como o público reagirá à nova abordagem do assunto no atual folhetim das nove.

Posts Relacionados

Entender as idades dos personagens de ‘Em Família’ é um desafio

Crítica

vanessa julia Entender as idades dos personagens de Em Família é um desafio

Vanessa Gerbelli e Julia Lemmertz numa gravação de "Em Família": atrizes são tia e sobrinha na trama, respectivamente

Nem o comportamento obsessivo de alguns personagens, nem as cenas de gosto de duvidoso envolvendo uma fênix. O que deve tornar a vida dos espectadores de "Em Família" mais difícil são as incompreensíveis disparidades de idade entre atores e personagens. Protagonista da história, Julia Lemmertz, de 50 anos, será filha de Natália do Vale, de 60. Obviamente, a mãe da personagem não poderia ter dado à luz com apenas 10 anos. E, ainda que seja o caso de uma licença poética ou, como a própria Natália afirmou numa entrevista, de que "a idade que importa é a visual", a artista não aparenta ser mais velha o suficiente para ser mãe da Helena da vez. Obviamente, não se trata aqui de preconceito com a idade dos atores. Tais distinções chamam atenções por questões de verossimilhança.

Esta não foi a única discrepância enxergada pelos espectadores. Na primeira fase da trama, Shriley (Giovanna Rispoli), parecia mais jovem que a amiga Helena (Julia Dalavia). Não só era menor em tamanho, como tratada como criança pelos colegas. Na segunda etapa da história, a futura vilã surge se formando com a rival, agora interpretada por Bruna Marquezine. Das duas uma: ou Helena foi reprovada em alguns anos da escola ou Shirley tem metabolismo rápido e cresceu aceleradamente.

Tão logo mudou para a terceira e principal fase, "Em Família" voltou a dar nó na cabeça do público. Depois de pular de paraquedas, Julia Lemmertz abraça Vanessa Gerbeli e a chama de tia. Vanessa é obviamente mais jovem que Julia - que, sim, está lindíssima -, e Juliana, personagem que foi vivida por Gabriela Carneiro da Cunha nas primeiras fases, parecia um tanto mais velha que Helena. Antes mesmo de a protagonista adolescente se formar, a tia já estava casada e havia sofrido um aborto.

No caso dos mocinhos, também parece difícil engolir que Gabriel Braga Nunes e Humberto Martins sejam contemporâneos. Um tem 44 anos. Outro, 52. Quando jovens, pareciam ter nascido quase no mesmo ano. O intérprete de Laerte, aliás, será filho de Ana Beatriz Nogueira, que tem apenas 7 anos a mais. Detalhe: ela é irmã mais velha de Natália do Vale, por sua vez, mãe de Helena, vivida por Julia Lemmertz.

E não é só a idade o problema. Tão logo apareceu Thiago Mendonça na novela na última segunda-feira (10), @philosopop, um dos muitos a perceber discrepâncias, postou no Twitter comparando o ator com seu antecessor, Guilherme Prates: "aquele magrelo cabeludo irmão da 'Le Ninha' perdeu 17 cms de altura e engordou 27 kgs?".

Ou seja: para compreender a cronologia de "Em Família" vai ser preciso voar, ou melhor, relevar algumas incoerências.

Posts Relacionados