TV

Publicado em 30/07/2015 às 14:22

Pedro Cardoso detona Globo e Fantástico ao mesmo tempo

pedro Pedro Cardoso detona Globo e Fantástico ao mesmo tempo

Pedro Cardoso não economizou nas palavras (Foto: Reprodução/Globo)

Depois catorze temporadas de A Grande Família (e mais outros tantos antes da série), Pedro Cardoso soltou o verbo em relação à Globo e falou um monte de coisas numa entrevista bem polêmica. Entre outras coisas, o ator deu uma detonada daquelas na Globo em geral e, mais especificamente, no Fantástico. Ele disse tanta coisa que nem dá para saber direito se ele não sofrerá algum tipo de represália na emissora.

Pedro deu uma entrevista para Maurício Stycer, colunista do UOL, e contou que teve uma "experiência traumática" com o dominical da Globo. Ele e sua mulher criaram um quadro para improvisar ali na hora, se chamava Uãnuêi. Durou muito pouco e saiu do ar, o que deixou o ator bem chateado. O canal alegou problemas de audiência, mas Pedro acredita que foi algo mais ideológico mesmo. Além disso, Cardoso conta que a Globo não apoia nenhum tipo de movimento feito por um ator e que trata este tipo de profissional quase que como uma peça qualquer (ele não usou estas últimas palavras aqui). Assim, Pedro se considera desvalorizado dentro do canal, justamente por ser um ator que pode colocar um lado pessoal muito forte no que faz.

Ainda sobre o Fantástico, Cardoso foi ainda mais duro e falou que "o fantástico trata dos assuntos com uma falsa verdade. Até quando diz que uma coisa é verdade, parece entretenimento, uma coisa bobinha, engraçadinha".

É bem difícil, senão impossível, ver um ator dizer algo assim publicamente. Ainda mais alguém do nível de Pedro Cardoso, que é  um profissional diferenciado dentro de sua área, alguém que já tem um grande reconhecimento por parte do público. Bem, talvez seja até por isso que ele tenha dito tanta coisa polêmica.

Imprimir:

TV

Publicado em 30/07/2015 às 10:20

Pânico extrapola e usa no programa arma que pode até matar

panico Pânico extrapola e usa no programa arma que pode até matar

Carioca segura a lanterna-taser (Foto: Reprodução/Band)

Tem um quadro no Pânico, o Eletrocutados, em que os integrantes têm de cantar músicas de um determinado tema. Isso é feito na sequência, um membro da equipe termina e o outro começa. Quem erra leva choque com um taser-lanterna (arma de choque) usado pelo Carioca, que aparece imitando Raul Gil. O perdedor leva uma série de estocadas. Quem já levou uma descarga deste aparelho sabe bem como é dolorido.

Por mais que tenha um aviso lá "nunca repita essa idiotice em casa", é inacreditável que ninguém ainda tenha feito nada a respeito dessa parte do programa. Não dá para admitir o uso de uma arma como essa — sim, é uma arma — num programa de TV, ainda mais num que é voltado para público jovem. Dependendo do nível do choque, uma pessoa pode ter até parada cardíaca e morrer. A descarga desferida pelo aparelho do Pânico deve ser baixa (espera-se) e sem risco de causar maiores danos. E Carioca não deixa o aparelho em contato com o corpo da pessoa por muito tempo. Mesmo assim não dá para ficar brincando com esse tipo de coisa.

Tasers podem ser encontrados facilmente no comércio, inclusive este em forma de lanterna utilizado no programa. Uma pessoa que assiste ao Pânico pode achar divertido ter uma para brincar com os amigos e acidentes graves podem surgir a partir daí. Isso se não rolar algo pior, como já aconteceu. Aliás, esta lanterna-taser é vendida como se fosse inofensiva, mas sua descarga pode sim levar à morte dependendo do tempo de exposição.

O Pânico vai se responsabilizar por um possível acidente gerado por essa arma? Provavelmente, não. Então, seria melhor parar enquanto é tempo.

Imprimir:

TV

Publicado em 29/07/2015 às 09:40

O Caminho das Índias e seus exageros é a maior vergonha alheia da TV

caminho O Caminho das Índias e seus exageros é a maior vergonha alheia da TV

Não vai fazer a dancinha, hein? (Foto: Divulgação/Globo)

Me lembro quando assisti a O Caminho das Índias na primeira vez em que foi exibida. Ali já era um constrangimento geral, muito antes de este blog existir. A novela de Glória Perez é daquelas coisas de se contorcer de vergonha no sofá com todos os atores fazendo aquelas dancinhas a todo momento e soltando expressões típicas fora de hora.

A trama é a de sempre das novelas de Glória Perez, um dramalhão romântico que se arrasta até ninguém mais aguentar, como foi Salve Jorge, por exemplo. Fora isso, a pasteurização da cultura indiana é outra coisa que chama a atenção. Na época da exibição original surgiram várias matérias com pessoas daquele país que vivem no Brasil ou que são descendentes diretos e conhecedores daquela cultura. A reclamação era geral, principalmente com relação ao sistema de castas, que já na época da novela era algo bem menos rígido do que se mostra. As expressões "are baba" e "are are are", ditas a todo momento, têm uma utilização exagerada. É como se numa novela que se passa no nordeste brasileiro as pessoas ficassem o tempo todo falando "oxente". Há quem diga isso no nordeste? Certamente, mas não o tempo inteiro e há até quem não usa nunca a expressão.

O que também se destaca em Caminho das Índias é a infinita ponte-aérea entre a Índia e o Rio de Janeiro. Toda hora tem gente que vem de lá para cá e vice-versa como se  Nova Déli e a Barra da Tijuca estivessem a quinze minutos de distância.

Tirando estas questões culturais, a novela de Glória Perez, teve vários problemas de audiência (nada comprado com Babilônia, claro), embora tenha tido uma boa média ao seu final. O público demorou a entender as expressões indianas e os nomes difíceis dos personagens também não ajudavam. O que deu uma complicada na vida da trama foi o fato de Marcio Garcia, galã da novela, não ter se saído bem como protagonista. Seu personagem não caiu nas graças do público e acabou ficando de lado. Isso enfraqueceu o roteiro, que precisou encontrar uma outra saída.

Enfim, O Caminho das Índias está de volta. Só, por favor, não ande por aí de novo falando "are baba", tá?

Imprimir:

TV

Publicado em 28/07/2015 às 08:34

Maisinha revela segredo íntimo de Silvio Santos

maisa Maisinha revela segredo íntimo de Silvio Santos

Maísa dá entrevista para Maurício Meirelles (Foto: Reprodução/Band)

A edição desta segunda-feira (27) do CQC entrevistou Maísa, aquela menininha do SBT que cresceu um pouco nos últimos anos, e ela contou algumas coisas engraçadas sobre a própria carreira e também sobre Silvio Santos.

Sobre sua carreira, a menina disse que usava os cabelos cacheados quando era pequena por pedido do patrão. Segundo ela, Silvio a achava muito parecida com a atriz Shirley Temple. E se você reparar, vai ver que as duas têm uma boa semelhança. Mas isso não foi o mais divertido. O legal da entrevista foi quando Maísa começou a falar algumas coisas sobre o apresentador. Primeiro ela confirmou que ele não usa peruca, como muita gente já sabe. Mas como tem pouco cabelo, segundo Maísa, Silvio usa aqueles sprays para cobrir falhas.

Por fim, a mini apresentadora/atriz contou que ensinou Silvio Santos a soltar pum. Ela explicou que quando era menor tinha gases e que falava para seu chefe que precisava se aliviar. Aí, Silvio perguntou como é que ela fazia isso. E aí ela o ensinou.

Enfim, Maísa só contou coisas úteis, aquelas que vão mudar o curso da história e que sempre merecem ser ouvidas. Tirando a brincadeira, a menina é bem divertida e merece continuar na TV. Manda bem.

Imprimir:

TV

Publicado em 27/07/2015 às 11:16

Operadora de TV a cabo zoa Tomara Que Caia

net Operadora de TV a cabo zoa Tomara Que Caia

A zoeira da Net em cima do programa da Globo (Reprodução)

Esta história é sensacional. Todo mundo sabe que o humorístico da Globo não está indo bem. Escrevi sobre o programa nesta segunda. Mas o mais divertido é que até a Net, operadora de TV a cabo, resolveu fazer piada com a atração.

Nas redes sociais, durante a exibição do programa neste domingo (26), muita gente percebeu a "brincadeira": ao acessar o perfil do humorístico através do controle-remoto, a ficha mostrava o logotipo e, onde deveria estar escrito "Tomara Que Caia", estava "Tomara Que Saia Logo do Ar", como dá para ver no print acima.

Claro que não foi uma trollada deliberada da Net mas, certamente, foi uma zoeira de algum funcionário da empresa. Se descobrirem quem fez isso deverá rolar até demissão.

Imprimir:

TV

Publicado em 27/07/2015 às 08:42

Tomara Que Caia é o mais puro constrangimento

tomara Tomara Que Caia é o mais puro constrangimento

O elenco do Tomara Que Caia (Foto: Digulgação/Globo)

Esperei pelo segundo programa para poder fazer uma análise mais apurada do humorístico da Globo. A ideia era ver se melhoraria na segunda noite no ar, mas não teve jeito. Tomara Que Caia é uma das coisas mais constrangedoras que o canal colocou no ar este ano. Se é que não é a mais. Em nível de constrangimento chega a rivalizar com O Dentista Mascarado, outra atração de humor que a Globo exibiu há alguns anos no mesmo horário e que tinha Marcelo Adnet como protagonista.

Em Tomara Que Caia, nem o formato é inédito. Vai na mesma onda de outros programas de comédia já levados ao ar pela MTV, por exemplo. A única diferença é o uso do aplicativo, o que dá aquela ideia de interatividade. De resto, não sobra nada. As situações não fazem rir, o texto é ruim e há atores ali que não nasceram para fazer humor. Priscila Fantin, por exemplo. O que ela está fazendo ali? Marcelo Serrado só conseguiu fazer rir com o Crô, na novela Fina Estampa. Eri Johnson sempre tentou ser comediante, mas realmente é bem complicado rir de uma piada sua. E isso já há anos.

Enfim, segundo Keila Jimenez, minha colega de blog aqui no R7, o humorístico da Globo deve sair do ar em breve. E não sem razão. O programa vai mal na audiência, é zoadíssimo nas redes sociais e não há nada que justifique sua continuação. Melhor passar uns filmes bons no horário. Vai chamar mais a atenção.

Aliás, o nível de zoação com Tomara Que Caia é tão grande que rolou até uma trollagem da própria Net, operadora de TV a cabo. No perfil da atração, que se acessa pelo controle-remoto da TV, o logotipo do programa, que deveria ter as palavras "Tomara Que Caia" tinha "Tomara Que Saia Logo do Ar". Veja.

Imprimir:

TV

Publicado em 24/07/2015 às 11:21

Datena diz que seria só mais um imbecil na política

datenanovo Datena diz que seria só mais um imbecil na política

Datena pensa em ser prefeito (Foto: Reprodução/Band)

Esta é uma daquelas coisas engraçadas do mundo da TV. Datena disse outro dia que estuda a possibilidade de se candidatar à prefeitura de São Paulo para as eleições do ano que vem. Daí, que agora resgataram um vídeo de uma entrevista que o apresentador deu em 2012 e há algumas declarações até divertidas sobre ser político. Entre outras coisas, Datena diz essas pérolas:

- [Quem faz televisão, não deveria ser proibido de ser político] Mas é injusto. O cara devia se proibir.

- Eu sou uma porcaria como administrador. Eu seria um péssimo político. Eu não teria capacidade nenhuma para ser um bom político.

- Eu seria um péssimo político e de péssimo político tá cheio. Então, mais um imbecil lá não iria acrescentar nada. Eu seria um idiota qualquer.

Como dá para ver, Datena parecia ser meio cético em relação a si mesmo como político. É claro que as pessoas sempre podem mudar de opinião e, vai ver ele está de saco cheio da TV e quer se aventurar em outra área. Mas o fato é que o apresentador nem sequer cogitava entrar para a política. As declarações foram feitas em conversa com o colunista Maurício Stycer.

Imprimir:

Publicado em 23/07/2015 às 09:41

Vilã destrambelhada de Babilônia, Beatriz já estaria na cadeia há muito tempo na vida real

 

beatriz1 Vilã destrambelhada de Babilônia, Beatriz já estaria na cadeia há muito tempo na vida real

A vilã destrambelhada de Babilônia (Foto: Divulgação/Globo)

A personagem de Glória Pires em Babilônia começou como uma vilã sensacional: sem escrúpulos, ninfomaníaca e uma assassina fria. Foi um início promissor, dando a ideia de que poderíamos estar diante de uma personagem sensacional de Gilberto Braga. Pena que a coisa foi por água abaixo.

Com as várias mudanças no roteiro feitas ao longo da trama, Beatriz se transformou numa vilã destrambelhada, descuidada e até burra. Se fosse na vida real, ela já estaria atrás das grades há tempos. Há tantas evidências contra a empresária que, a esta altura, estaria até sendo investigada no caso da Petrobras.

Já desde o começo de Babilônia, há uma pessoa — empregada de Tereza (Fernanda Montenegro) — que sabe do primeiro assassinato de Beatriz. Depois ela fez mais coisas: desviou dinheiro público, matou uma outra testemunha de seu primeiro assassinato, tentou tirar a vida de Inês com um tiro no peito e, finalmente, criou um plano péssimo para dar cabo de seu ex-marido.

Tudo isso foi feito de maneiras meio toscas e deixando rastros e mais rastros. Por exemplo: Inês viu que foi Beatriz quem quase a matou. E nem se fala mais no assunto depois de uma investigaçãozinha lá. E você pode imaginar Beatriz só colocando uma peruquinha, que é da cor dos seus próprios cabelos, indo pessoalmente matar uma testemunha? Para acabar com este aqui ela pega o pobre coitado em sua cadeira de rodas, o leva até uma escadaria e o joga. Ninguém viu nada. E, por fim, esta tentativa recente de matar Evandro (Cássio Gabus Mendes). O plano é tão cheio de furos que é até engraçado. A pergunta que não quer calar é: o que diabos ela estaria fazendo na casa de seu ex se ele não quer nem vê-la pintada de ouro? No capítulo desta quarta (22), o próprio Evandro levanta todos os possíveis furos de Beatriz, de tão ridícula que foi a tentativa.

Enfim, se Beatriz vivesse em nosso mundo, estaria em Bangu-1 há muito tempo.

Imprimir:

TV

Publicado em 22/07/2015 às 10:44

Verdades Secretas força a barra no erotismo e em situações absurdas

rodrigo Verdades Secretas força a barra no erotismo e em situações absurdas

O casal de protagonistas de Verdades Secretas (Foto: Divulgação/Globo)

Walcyr Carrasco é um autor que vem de uma novela irregular, que foi Amor à Vida. Estava indo até bem em Verdades Secretas, apesar de umas forçadas de mão aqui e ali. Mas agora, a coisa parece ter descambado totalmente para o erotismo pesado, além de situações muito exageradas.

As situações eróticas já vinham forte desde o início da novela, inclusive com várias "participações especiais" do traseiro de Rodrigo Lombardi. Agora, Alex (Lombardi) aparece casado com a mãe de Angel (Camila Queiroz), a modelo por quem ele se apaixonou e que acabou virando garota de programa para ajudar a família. Só por aí o negócio já é um tanto quanto forçado. Colocar o empresário para se casar com a suburbana Carolina (Drica Moraes) para ficar próximo a Angel é um exagero. Tudo bem que é novela, que tem situações absurdas mesmo, mas tem de haver um certo limite para o absurdo. Caso contrário a brincadeira desanda.

Fora isso, ainda há o fato de que agora Angel trairá a própria mãe com seu padrasto. Pera lá, né?! Carrasco já criou em sua carreira de autor algumas situações fora do comum, mas colocar a filha para transar com o padrasto já é um daqueles devaneios sem sentido. Não vou nem entrar na discussão se acontece ou não na vida real (sim, acontece), mas num caso como esse é um disparate. Pense num megaempresário superpoderoso e cheio da grana. Ele se apaixona por uma garota qualquer e que ele pode ter outras 359 iguais se quiser. Daí, o negócio desanda e, para ficar próximo a ela, ele se casa com a mãe da moça. E ainda trai a esposa com a filha.

A impressão que dá é que a cada novela nova que surge os autores têm de criar histórias cada vez mais absurdas para conseguir chamar a atenção do público. Fico imaginando o que virá a seguir. Dá até um medinho.

 

Imprimir:

TV

Publicado em 21/07/2015 às 09:41

Regina Casé e Globo apelam para o sertanejo na tentativa de salvar Esquenta

regina1 Regina Casé e Globo apelam para o sertanejo na tentativa de salvar Esquenta

Regina Casé no Esquenta (Foto: Divulgação/Globo)

Aquele velho ditado diz "não está fácil para ninguém". O Esquenta, apresentado por Regina Casé, surgiu como uma glorificação da vida carioca, mostrando para o resto do Brasil a visão de mundo a partir do Rio de Janeiro global. E aí era samba direto, pagode, funk e coisas afins. De vez em quando aparecia por ali algum outro gênero, mas isso bem de vez em quando mesmo.

Como a coisa ia razoavelmente bem em audiência, beleza. Tudo foi mantido durante um bom tempo. Mas agora o Esquenta enfrenta problemas de audiência em várias cidades e, principalmente, em São Paulo. Regina Casé perde com frequência para o Domingo Show, da Record, e isso é algo que incomoda muito a Globo.

Uma das soluções encontradas foi diminuir um pouco o espaço do samba e pisar fundo no universo sertanejo. Como se sabe, as duplas e cantores deste estilo dominam as paradas brasileiras e suas músicas são as mais tocadas nas rádios. Além disso, seus shows estão sempre lotados e os sujeitos são estrelas nacionais. Por isso, o Esquenta vem já há algum tempo levando os artistas do gênero ao programa praticamente em todos os domingos. Mais recentemente foi criado até um concurso, o Esquentanejo, para revelar um novo astro da música sertaneja.

Se vai dar certo ou não são outros quinhentos. O mais interessante nessa história toda é Regina Casé e sua trupe ter de se curvarem ao gênero, que é algo bem diferente da filosofia original do programa. Já há rumores de que a atração sairá do ar em breve para voltar num esquema de temporadas. Vamos ver o que vai rolar.

Imprimir: